A ‘COENZIMA Q 10’ TRATA DISFUNÇÕES CARDÍACAS E A ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA

coenzymeq10_words-620x350

Para receber orientações expressas ou tratamento envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com

Publicado em 04 de Novembro de 2016  -São Sebastião do Paraíso – MG  – Tel consultório – 35 3531 8423.

—————————————————————-

By, Júlio Caleiro – Nutricionista –

A ‘COENZIMA Q 10’ TRATA DISFUNÇÕES CARDÍACAS E A ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA.

CoQ10 – uma potência nutricional para as mitocôndrias e melhora da saúde em geral!

De acordo com uma publicação da indústria New Hope, a coenzima Q10 (CoQ10) e a versão reduzida chamada de ubiquinol, estão entre os mais populares suplementos para a saúde mitocondrial. Entre 2000 e 2016, o número de americanos usando CoQ10 aumentou de cerca de 2 milhões para 24 milhões, e o número de marcas que caracterizam CoQ10 aumentou de 18 marcas e 125 marcas. Este rápido crescimento sugere que as pessoas estão se tornando cada vez mais conscientes da importância da saúde mitocondrial, que é realmente uma grande notícia. O Ubiquinol desempenha um papel importante na cadeia de transporte de elétrons na mitocôndria ( mitocôndria é uma organela celular), onde facilita a conversão de substratos de energia e oxigênio em energia biológica, necessária para a vida das células, reparação e regeneração. É um antioxidante solúvel em gordura, o que significa que funciona nos locais de gordura do corpo, tais como as membranas celulares,  atuando sob substâncias nocivas do metabolismo conhecidas como espécies reativas de oxigênio (EROS).

Baixos níveis de CoQ10 gera certos tipos de cânceres, incluindo câncer de pulmão, mama e câncer de pâncreas, bem como metástase de melanoma fortalecendo ainda mais a teoria metabólica do câncer, e também pode acelerar doenças neurodegenerativas.

CoQ10 Vs Ubiquinol

Ubiquinol é a versão totalmente reduzida de CoQ10, quando for adquirir exija laudos que comprovem a diferença de ambas. É a mesma molécula, mas quando a CoQ10 é reduzida leva-se dois elétrons, que o transforma em que chamamos de ubiquinol, 8 vezes mais potente que a segunda. Muitos podem vender a Coenzima Q10 como ulbiquinol e isso pode afetar diretamente nos efeitos. Em nosso corpo esta conversão ocorre milhares de vezes a cada segundo dentro das mitocôndrias – o “motor” de todas as células. A conversão de CoQ10 para ubiquinol faz parte do processo que permite que o organismo converta alimentos em energia. O Ubiquinol é o único antioxidante solúvel em gordura que é gerado dentro do corpo e não precisa ser obtida a partir de alimentos. A desvantagem é que conforme a idade avança, o organismo começa a produzir menos, cada vez menos.

Com a idade, muitos começam a perder a capacidade de converter CoQ10 para ubiquinol, e é por isso que o ubiquinol é normalmente recomendado para pessoas mais velhas, enquanto os mais jovens podem fazer muito bem, tomando CoQ10 pura, mas para algumas patologias é recomendado suplementar o ulbiquinol, porém reafirmo peça averiguação e autenticidade da substância por laudos do vendedor caso for manipulada.

Muitas condições de saúde que a CoQ10 pode tratar

Pesquisadores identificaram uma série de condições onde CoQ10 ou ubiquinol podem ser de grande benefício, incluindo o seguinte:

Doença de coração (de preferência em combinação com selênio)
Enxaqueca
Diabetes
A esclerose lateral amiotrófica (ELA) –
Fadiga crônica
Transtorno do espectro do autismo
Hipertensão
Transplante de coração ou insuficiência cardíaca crônica
Prolapso da válvula mitral (de preferência em combinação com o magnésio)
Arritmia

O ubiquinol é particularmente importante se você está tomando estatinas (remédio para baixar colesterol), uma vez que estas drogas redutoras de colesterol esgotam o seu corpo da CoQ10, o que pode ter consequências graves para o seu coração e outros músculos, com passar de semanas. Pesquisas mostraram também CoQ10 pode melhorar o desempenho físico, melhorando o seu estado geral de energia e recuperação muscular, quando tomado em doses corretas algumas vezes ao dia.

Benefícios saudáveis para o coração de CoQ10

CoQ10 pode melhorar a saúde do coração e saúde cardiovascular em geral, seu cardiologista deve prescrevê-lo. O coração é um dos músculos que mais consome energia em nosso corpo. Sem energia suficiente, o coração não vai ser capaz de funcionar corretamente. Deficiências nutricionais crônicas podem levar a uma série de problemas cardíacos, tais como cardiomiopatia (uma condição caracterizada por inflamação, perda de elasticidade e alargamento do coração), disfunção diastólica, doenças das valvas cardíacas, arritmias (batimentos cardíacos irregulares) e insuficiência cardíaca.

Além CoQ10, outros exemplos de nutrientes que são importantes para a saúde do coração incluem vitaminas B (incluindo folato ou B9 e B12 ), carnitina, taurina, magnésio vitamina K2 e omega-3 à base de animais. Todos estes desempenham um papel importante em manter as mitocôndrias funcionando corretamente.

Como Regenerar CoQ10 naturalmente

Uma pesquisa recente mostra que você pode melhorar a conversão de CoQ10 para ubiquinol comendo muitos vegetais ricos em clorofila, em combinação com exposição ao sol. Uma vez que a clorofila é consumida ela vai ser transportada para o sangue. Então, quando você expõe quantidades significativas da pele à luz do sol, a clorofila ingerida absorve a radiação solar e facilita a conversão de CoQ10 para ubiquinol.Também é possível melhorar a absorção de CoQ10 com alimentos ou suplementos, tomando-o com uma pequena quantidade de gordura saudável por dia, tal como alguns azeites, óleo de coco e óleo abacate. Os alimentos ricos em CoQ10 particularmente incluem:

Carne
Arenque
Galinha caipira
Sementes de sésamo
Brócolis
Couve-flor

Não tome suplementos nutricionais sem orientação e receita do nutricionista ou médico.

——————————————

Referências:

 Linus Pauling Institute, Oregon State University

 Natural Health 365 October 17

 Cephalalgia 2011 Jun

 PLoS ONE 2015;10

 PDQ Cancer Information Summaries Coenzyme Q10

 Life Extension October 2016

ÓLEO DE GERÂNIO PARA TRATAMENTO DA ANSIEDADE, INSÔNIA, ACNE, PROBLEMAS DIGESTIVOS E VÁRIOS OUTROS PROBLEMAS DE SAÚDE!

By; Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – São Sebastião do Paraíso -MG – 31 de Agosto de 2016.

 Tel consultório – 35 3531 8423 – Para receber orientação expressa ou tratamento envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com


geranio

ÓLEO DE GERÂNIO PARA TRATAMENTO DA ANSIEDADE, INSÔNIA, ACNE, PROBLEMAS DIGESTIVOS E VÁRIOS OUTROS PROBLEMAS DE SAÚDE!

A ansiedade é um problema comum hoje em dia, e as drogas como benzodiazepínicos são comumente usados para tratá-la com muitos efeitos nocivos. Não só essas drogas podem causar sintomas de abstinência, mas também levar a uma série de problemas de saúde que incluem perda de memória, fraturas e dificuldade de concentração, que se desenvolvem mais em estresse e ansiedade. Em vez disso, a causa subjacente da ansiedade pode ser tratada com o uso de métodos de gestão de stress de forma natural, psicoterapia e como as técnicas de libertação emocional (EFT). Outro método vale a pena tentar é aromaterapia!

A pesquisas mostraram que o tratamento do estresse e ansiedade com óleos essenciais é muito eficaz, com riscos mínimos envolvidos. Se você estiver interessado em tentar, você pode começar usando óleo de gerânio.

O que é óleo de gerânio?

Gerânio é um arbusto perene com pequenas flores rosa e folhas pontiagudas, é nativa da África do Sul. Existem muitas variedades da planta, a melhor é a Pelargonium graveolens que é fonte do óleo essencial com princípios ativos em boas concentrações. O óleo é amplamente utilizado na aromaterapia e contém um número de compostos benéficos. O óleo de gerânio é muitas vezes comparado com o óleo essencial de rosas porque eles compartilham quase as mesmas características terapêuticas e aroma. Existem diversos tipos de de óleo de gerânio, dependendo de onde elas são cultivados, e isso pode mudar suas características químicas.

Funções do óleo de gerânio

Na aromaterapia, óleo de gerânio é usado para ajudar na acne, dores de garganta, ansiedade, depressão e insônia. É popular entre as mulheres devido ao seu cheiro rosado e seu efeito benéfico sobre a menstruação e menopausa. O óleo essencial também pode ajudar no humor, diminuindo a fadiga e promove o bem-estar emocional. Óleo de gerânio também funciona em ajudar na redução da dor e inflamação local. As suas propriedades anti-sépticas podem ajudar a acelerar a cicatrização de feridas, e tratamento de uma variedade de problemas da pele, tais como queimaduras, infecções fúngicas, pé de atleta e eczema, também Hemorróidas podem ser curadas e tratada com o uso de óleo de gerânio.

Composição de óleo de gerânio

Óleo de gerânio contém cerca de 67 compostos. Os principais componentes do óleo de gerânio são citronelol (26,7%) e geraniol (13,4%). Outros grandes componentes incluem:

• Nerol (8,7%)

• citronelilo formiato (7,1%)

• Isomenthone (6,3%)

• linalol (5,2%)

Benefícios do óleo de gerânio

Óleo essencial de gerânio proporciona inúmeros benefícios para a saúde devido a sua utilização como um adstringente, hemostático, cicatrizante, diurético e muitos outros. Abaixo são apenas algumas das maneiras que este óleo essencial serve tanto a sua saúde física e emocional. O óleo pode ajudar a prevenir problemas de pele como flacidez e rugas, ajuda a dar aos músculos uma aparência tonificada. Ele contém substâncias antibacterianas, antifúngicas e propriedades antioxidantes. Pode ajudar a inibir a proliferação bacteriana de lençóis de bactérias como Brevibacterium e Yersinia enterocolitica, bem como espécies fúngicas de Aspergillus niger. O óleo de gerânio pode eliminar o aparecimento de cicatrizes e manchas escuras, ajuda a melhorar a circulação do sangue, também ajuda a acelerar a cicatrização de feridas por desencadear a coagulação do sangue, evitando assim que toxinas alcance a corrente sanguínea através de feridas abertas. Auxilia na desintoxicação, aumentando a taxa de micção. Este processo de eliminação não só remove toxinas do seu corpo, mas também ajudaria na sua função digestiva e a inibir o excesso de gases nos intestinos.

Para uma prescrição individualizada entre em contato através do email acima.
————————————————————

Referências:

1-Examiner.com, 30 de abril de 2012.
2-Aromaterapia Bíblia, Gerânio 2015.
3-Verywell.com, setembro de 2015.
4-Lis-Balchin, Maria, Ciência Aromaterapia: Um Guia para Profissionais de Saúde, p.197 2013.
5-Moléculas, Agosto de 2012.

Creme dental e câncer!

creme-dental-como-escolher

By, Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – São Sebastião do Paraiso – MG,  Publicado em 31 de Agosto de 2016.

Tel consultório –  35 3531 8423   – Email – juliocaleiro@hotmail.com

—————————————-

Creme dental e câncer!

Você sabe o que é Dietanolamina (DEA)?

A DEA, é um agente de formação de espuma, é um destruidor hormonal,  e também pode reagir com outros ingredientes para formar um agente cancerígeno chamado N-nitrosodietanolamina (NDEA). NDEA é prontamente absorvido através da pele e tem sido associado com cânceres de estômago, do esôfago, fígado e da bexiga. Environmental Working Group (EWG), classifica o DEA como número 10 em seu banco de dados de cosméticos (a pontuação mais tóxica), devido a alta toxicidade de todos os órgãos. A Agência de Proteção Ambiental da Califórnia (EPA) também lista DEA como um possível carcinogênico humano. 

——————————————-

Referência:

1-http://www.ewg.org/skindeep/ingredient/718373/DIETHANOLAMINE/


 

ELIMINE O CÂNCER E OUTRAS DOENÇAS COM ‘GCMAF’.

Para receber orientações expressas, ATENDIMENTO À DISTÂNCIA enviar email para – juliocaleiro@hotmail.com

TEL CONSULTÓRIO  – 35 3531 8423

—————————————————————–

By, Júlio Caleiro – Nutricionista – São Sebastião do Paraíso -MG

O que é o colostro?

Antes de conhecermos diretamente o GCMAF, precisamos conhecer o colostro. Colostro é uma forma de leite produzido pela glândulas mamárias nos primeiros dias após o parto O colostro contém anticorpos que protegem o recém-nascido contra bactérias, vírus e vários tipos de doenças.

Anticorpos no colostro – O Colostro de vaca contém imunoglobulina IgG, IgA e IgM, alta concentração de lactoferrina, fator de crescimento, minerais e vitaminas.

As pesquisas sobre o colostro de vaca apresentaram alguns resultados excelentes.

Estimula o sistema imunitário
Prevenção de doenças de gripes e resfriados, infecciosas como Rotavirus
Regula as funções dos intestinos, preso ou diarréia, ainda a disbiose intestinal
Aumenta a força muscular e física
Anti-envelhecimento

koushi

O colostro é semelhante aos componentes sanguíneos
Você pode tomá-lo, quer por via sublingual ou oral
Ativador macrófagos e ajuda a impulsionar o sistema imunológico (produção de GCMAF)

SEGUE UM LINK PARA CONHECER O QUE É GCMAF

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2016/04/08/gcmaf-a-proteina-que-combate-o-cancer-e-inumeras-doencas/

———————————————–

Colostro e anti-envelhecimento sobre o sistema imunológico

O sistema imunológico é um sistema que atua na manutenção do corpo saudável. Ele protege contra bactérias e vírus, e também pode exterminar células cancerosas. A função biológica e desempenho físico atingem o seu auge a partir dos 20 anos de idade, diminuindo pela metade aos 40. Com o sistema imunológico enfraquecido com a idade, torna-se mais fácil em ficar doente. Por isso, é importante manter e impulsionar o seu sistema imunológico e mantê-lo jovem de modo que você possa levar uma boa e longa vida.

O papel dos macrófagos

1. Funciona como células NK

A função de macrófagos é como o das células NK que engolem e digerem as células cancerosas, vírus e micróbios. É produzido pela diferenciação de monócitos em tecido, e representam um percentual nas células brancas do sangue. Esta é uma célula amebóide e desempenha um papel importante engolindo e digerindo os restos celulares, substâncias estranhas, microorganismos e células cancerosas. Há dois tipos de diferenciações; macrófagos que incentivam a inflamação chamada macrófagos M1, e macrófagos que atua na reparação de tecidos chamadas macrófagos M2.

Mas recentemente, acredita-se que existiam várias formas ativadas de macrófagos, tais como macrófagos ativados clássicos, sob atuação em feridas e cicatrização, os macrófagos de supressão ou formas ativadas intermediarias de macrófagos. Assim, a diversidade de ativação dos macrófagos ainda permanece desconhecida. Há vários relatos de casos tratando HIV, câncer de mama, câncer de cólon e câncer de próstata, entre os macrófagos ativados. Assim, a avaliação e o reconhecimento sobre os macrófagos ativados começaram a ser o foco de atenção no tratamento de muitos tipos de doenças.

Este é o processo de como os macrófagos ativados destroem as células cancerosas.

Os macrófagos ativados são combinados diretamente com as células cancerosas.
Os macrófagos ativados destroem as células cancerosas, liberando as substâncias químicas tais como peróxido de hidrogênio.

2. Funciona como células dendríticas

macrophage01

macrophage02

Uma vez que os macrófagos toma o antígeno, este liberta citocinas que posteriormente ativam as célula T específicas. Ou seja, o macrófago solta fragmentos de substâncias estranhas após engolir o antígeno já em decomposição, e combina-os com o MHC-Ⅱ nas células e as apresenta sobre a superfície da célula. Isto é chamado de apresentação de antígeno pelos macrófagos.

▲ Os macrófagos estão DESTRUINDO as células cancerosas!

3. Efeito antiangiogênico

macrophage03-2

De acordo com as experiências com animais, identifica-se que o efeito antiangiogênico tem GcMAF. (Ativador de macrófago).

O sinal da apresentação de antígeno por macrófagos é transmitida para um linfócito chamado células T auxiliares. As células T auxiliares maduras expressam a proteína de superfície CD4, e o receptor de células T a proteína do receptor.
Em cada uma das proteínas combina-se com MHC-Ⅱ dos macrófagos e o antígeno apresentado pelos macrófagos, de modo que os macrófagos começam a ser ativado. A estrutura do receptor da célula T é diferente dependendo de cada célula T auxiliar que foi ativada. Apenas uma célula T auxiliar que se encaixa com um fragmento de antígeno apresentado pelos macrófagos que será ativada.

Portanto as células T auxiliares ativadas, ativam os macrófagos através da produção de citocinas tais como a interleucina e linfoquinas, bem como células ativas (B) que reconhecem o mesmo antígeno. As células B ativadas se diferenciam em células produtoras de anticorpos e aumentam, e então produzem anticorpos contra o antígeno, e depois libertá-os. O anticorpo combina especificamente com o antígeno e em seguida engole o complexo por inteiro. Vírus e micróbios por exemplo podem ser engolidos de forma eficiente pelos macrófagos. Enquanto isso as células T continuam a ativar macrófagos, aumentar e diferenciar as células B pela liberação de linfocinas. Portanto, a ativação de macrófagos é um tratamento que faz com que a maior parte do sistema imunitário de cada pessoa volte sua atuação original e eficiente. Além disso, pode-se dizer que este é o tratamento que combina tanto a tratamento de células NK e células dendríticas.

O que é GcMAF?

Esses são os pesquisadores que têm desenvolvido o GcMAF.

colostrum02

Estas são as fotos do Dr. Yamamoto, que desenvolveu primeira geração GcMAF, e o Dr. Hitoshi Hori e Dr. Yoshihiro Uto da Universidade de Tokushima, no centro do desenvolvimento GcMAF no Japão durante os últimos 20 anos.

A história do desenvolvimento GcMaf

1991 Dr.Yamamoto descobriu o cMAF.
1992 Dr.Yamamoto visitou a Universidade de Tokushima.
1998 Dr.Uto entrou para a equipe de desenvolvimento.
2002 O primeiro trabalho de pesquisa foi publicado. (A primeira geração GcMaf).
2010 Universidade de Tokushima e Saisei Mirai começaram a fazer pesquisas e desenvolveram a segunda geração GcMaf juntos.
2011 A segunda geração GcMaf foi produzido no Saisei Mirai celular Culture Center, como ensaio clínico bem como a validação clínica foi iniciada.
2012 Já há 20 anos desde que a pesquisa começou GcMaf na Universidade de Tokushima.
2013 Mais de 1000 casos clínicos com uso da segunda geração do GcMaf foram aplicados em Saisei Mirai.
2014 O terceiro artigo foi publicado em Anticancer Research.
2015 Tokushima universidade e Saisei Mirai sucederam no desenvolvimento de colostro GcMAF pela primeira vez no mundo.
O subtipo dependendo da diferença de cadeia de açúcar GcMaf

Transformação de da proteína Gc em GcMAF! E seus subtipos.

colostrum03 (1)

colostrum04 (1)

N.Yamamoto, et al., J. Immunol., 151,2794-2802, 1993.
GcProteina que é transformada em GcMaf em resposta ao corte de cadeia de açúcar e do β-galactosidase ativado, a partir de células B ativadas e sialidase de células T.

Atividade fisiológica do GcMaf

Existem seis atividades importantes: aceleração da ativação fagocitária, aumento na produção de superóxido, a inibição da vascularização tumoral, a promoção da atividade anti-tumoral e promoção da maturação de células dendríticas. Aumento do número de células mononucleares no sangue, promoção e maturação de células dendríticas; As lâminas abaixo mostram estes casos.

colostrum05

Os GcMAF testes de atividade anti-tumor de primeira geração!

Este é os testes utilizados pelos ratos. O grupo tratado com a primeira geração GcMAF mostra o efeito inibidor do tumor, uma forte comparação com a pessoa não tratada. O tumor não aumentou!

Os GcMaf testes de atividade anti-tumor de segunda geração!

colostrum06

Este é também os testes utilizados pelos ratos. A linha preta mostra o grupo não tratado, e a linha de ponto verde mostra um tratamento com a primeira geração GcMAF. O gráfico mostra claramente que a taxa de sobrevivência foi prolongada em comparação com o tratamento.

COMPONENTES COLOSTRO – GCMAF

componentes

Intestino e tecido linfoide associado

Placa de Peyer, onde há uma abundância de macrófagos. (GALT), ou (tecido linfóide associado ao intestino), existe o maior conjunto de macrófagos no corpo. O colostro MAF visa ativar esses macrófagos diretamente. O Professor Uto, da Universidade de Tokushima, começou a experiência básica do MAF colostro e GALT. E os resultados foram fantásticos!

colostrum07

Atividade fagocitária de colostro GcMAF!

colostrum08

Ao estimular diretamente o sistema linfático perto da parte lesada, os macrófagos são ativado.

Pode ser tomando por via sublingual, por nebulizador, por cápsula, ou por supositórios. Talvez seja mais eficaz estimulação diretamente o sistema linfático perto da parte lesionada por algum câncer. Uma clínica na Suíça tem vindo a utilizar o nebulizador ultra-sônico para tomar GcMAF produzido pelo soro.

colostrum09


Referências – Estão no corpo do Texto.

 

A AIDS É REALMENTE CAUSADA PELO HIV?

SIDA

By – Júlio Caleiro – Nutricionista  –    juliocaleiro@hotmail.com

Publicado em 08 de Junho de 2016 – São Sebastião do Paraíso -MG


Artigo meramente INFORMATIVO!

Como pensamento mainstream os pesquisadores da AIDS continuam a centrar-se no chamado “Vírus da Imunodeficiência Humana”, ou HIV, com uma persistência obstinada em manter a causalidade vírus HIV e AIDS. Porém um pequeno, mas crescente número de cientistas em todo o mundo, continuam na busca de melhores explicações, algo mais racional sobre a causa verdadeira da AIDS, tratamentos e prevenções e das 29 doenças  que constituem o diagnóstico da síndrome da imunodeficiência adquirida.-AIDS”. Cientistas como Zenger, que já tinha exposto tudo isso em entrevistas, assim como  o Dr Peter Duesberg, David Rasnick, Stefan Lanka e outros que pesquisam sobre AIDS, e eles tem chegado a conclusão de que o HIV ou não faz nada ou na verdade talvez nem exista!

Em Junho de 1999, um novo nome foi adicionado à lista de pesquisadores alternativos da Aids que criticaram a literatura científica estabelecida, e rejeitou a crença de que o HIV causa a Aids, sob uma explicação diferente. O Dr. Mohammed Ali Al-Bayati, um imigrante do Iraque que foi educado nos EUA e no Egito, especialista em patologia e toxicologia, publicou um livro em grande formato de 183 páginas sobre AIDS,  e atacou diretamente o modelo de HIV/AIDS proposto há décadas. Muitos dos que endossaram os seus argumentos foi o Dr. Duesberg (professor de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley. Ph.D), de que ‘uso recreativo de drogas e repetidas exposições a infecções e antibióticos comuns usados, para tratá-los’, fizeram com que o sistema imunológico abrisse as portas para que o corpo adquirisse  doenças que são que configuraria de “AIDS”.

Mas o livro do Dr. Al-Bayati também apontou um novo culpado, anteriormente já discutido em seu livro: os esteróides! Estes não são os esteróides anabolizantes amplamente utilizados por atletas como inclusive para modular os hormônios de testosterona, progesterona e outros, mas uma classe ainda mais comumente prescrita de medicamentos conhecidos como corticosteróides ou glucocorticóides. E não é surpreendente que essas drogas, que incluem azatioprina e prednisona, suprimem o sistema imunológico, uma vez que eles foram originalmente desenvolvidos na década de 1960 e 1970 para fazer exatamente isso; elas foram dados a doentes transplantados para manter os seus sistemas imunitários a rejeitar os órgãos transplantados.

Na prática médica de hoje, no entanto, os corticosteróides são muito mais usado do que nunca! Estas drogas são dadas para hemofílicos, e para tratar os distúrbios da articulação, frequentemente associados com hemofilia e impedi-los de desenvolver anticorpos de Fator VIII e IX, e recebem para permitir que seu sangue coagule. Os corticosteróides também são dadas para lactentes e crianças para tratar suas doenças crônicas, para homens homossexuais para tratar do intestino e outros problemas gastrointestinais associados ao sexo anal e contato anal-oral, e os usuários de drogas “recreativas” para tratar as doenças respiratórias e outras causadas pelas drogas que eles usam. Dr. Al-Bayati argumenta que praticamente todas as pessoas com SIDA tem um nível muito maior, do que o nível normal destes produtos químicos em seus corpos, ou ainda em tomar corticosteróides como drogas farmacêuticas. Também de ter níveis de corticosteróides naturalmente elevadas como um efeito colateral da desnutrição e fome, que ele sugere ser verdadeira causa da epidemia de “AIDS” na África inclusive.

Em seu livro, ele declara sob o título: HIV não causa a AIDS, o Dr. Al-Bayati também explora alguns dos outros equívocos por trás do modelo de HIV/AIDS. Ele observa que os livros padronizados como o ‘Princípios de Medicina Interna’, cuja edição atual é co-editado por “HIV/AIDS”, pelo Dr. Anthony Fauci de Harrison na verdade, oferecem todas as informações necessárias para tratar pessoas com o chamado “HIV / AIDS” corretamente. Contudo o Dr. Fauci e seus co-autores seguem somente nessa corrente cega dos coquetéis, e ignoram o conhecimento da falsidade dos testes que foram realizados, e seguem com base somente nas doenças por trás de uma IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA, negligenciando os motivos reais e não propriamente pela infecção direta do HIV. Pois cerca de 77% das pessoas nos anos 1986-92, onde foram feitos tais estudos inclusive para apoiar a aplicação do coquetel, e que foi aprovada na época como a primeira quimioterapia SIDA com AZT, na verdade essa porcentagem de pessoas nunca tiveram infecções por HIV, afirmou o Dr. Al-Bayati.

Vamos à formação do Dr Bayati.

Dr. Mohammed Ali Al-Bayati: formado na escola de medicina veterinária em 1975 na Universidade de Bagdá, no Iraque. Estudou patologia veterinária na Universidade do Cairo, no Egito e formou com um mestrado em patologia veterinária em 1978. Foi para os Estados Unidos em 1978 e começou a fazer a pesquisa em toxicologia, usando modelos animais para estudar os efeitos da poluição em geral e subprodutos, em particular sobre a biologia de combustível. Então estudou patologia comparativa, que inclui patologia humana, juntamente com toxicologia, bioquímica e imunologia na Universidade da Califórnia, Davis onde tornou-se um Ph.D. em 1989. Também tem Certificação pelo Conselho Americano de Toxicologia em 1994, e pelo Conselho Americano de Toxicologia Veterinária em 1996. Tem experiência em patologia e toxicologia o que inclui patologia humana e toxicologia, patologia veterinária e toxicologia, patologia experimental e toxicologia ambiental.

Por que o esteróides ou corticoesteróides suprimiria o sistema imune a ponto de causar AIDS?

“Os esteróides são uma família de medicamentos I, e referem-se especificamente aos corticosteróides, esteróides libertados a partir do córtex adrenal. Estes agentes podem reduzir o número de células T e células B, e a função de todo o sistema imunitário. O uso dos esteróides podem causar todos os sintomas clínicos que mostram em pessoas “com AIDS”. As evidências mostram que se alguém é saudável, e agora é dada prednisona, 60 mg por dia, por exemplo, cerca de dois a três meses vai então reduzir as contagens de células T e a contagens de células-B configurando o rumo para a AIDS. Digamos que o normal de contagem de CD-4 é de cerca de 900 por microlitro de sangue. Usando esse remédio vai reduzi-lo a cerca de 250 na maioria dos casos. O Dr. Ali Al-Bayati em seu livro na página 62, lista uma tabala de 32 doenças e condições de saúde que são causados  por drogas, drogas ilícitas, álcool e drogas “terapêuticas”, como por exemplo a prednisnona. Todas estas doenças de uso crônico são tratados com doses elevadas. “A dose que mencionei anteriormente, 60 mg por dia, é realmente uma dose normal de esteróide. Alguns deles usam uma dose muito maior do que isso, mas por um período mais curto de tempo, destruindo assim o sistema imune” afirma, o Dr. Ali Al-Bayati.

Os anti-inflamatórios, reduzem então a inflamação muitas vezes causada por essas drogas, porém expõe o organismo a problemas muito maiores! Em meados da década de 1970, inalação de drogas, incluindo cocaína e heroína, tornaram-se muito mais comuns do que tinham sido anteriormente. A inalação de cocaína produz uma série de problemas nas cavidades dos pulmões e na nasofaringe, e daí a cocaína produz asma e fibrose pulmonar, e por fim também diminui o suprimento de sangue para o septo e da cavidade nasal. Os usuários de cocaína, fazem perfuração da cavidade nasal e pode causar um monte de outros problemas. Agora para tratar estes problemas, o FDA aprovou o uso de corticosteróide por inalação em 1976! Exatamente aí que começou o problema da Aids! Quando esta droga foi aprovada e amplamente utilizada, em seguida os casos de AIDS começaram a aparecer assustadoramente pelo mundo. Os homossexuais usuários de drogas como cocaína e heroína estiveram e ainda estão, em risco especial para a SIDA, porque eles usam os esteróides mais do que qualquer outro grupo. Eles usam os esteróides para lidar com os problemas respiratórios principalmente. O trabalho de Peter Duesberg (professor de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley. Ph.D ) forneceu informações científicas sobre o uso de drogas pelos homossexuais. Eles também usam esteróides por via retal para lidar com infecções retais. Além disso, a utilização de álcool e a utilização de aspirina e de outras drogas, produzem linfocitopenia, e contagem reduzida de plaquetas trombocitopenia, e o tratamento padrão OURO para todas estas condições na medicina convencional é o uso a longo prazo de corticosteróides! Então homossexuais obtém esteróides para lidar com doenças respiratórias, depressão da medula óssea e infecções retais e isso causa AIDS ao longo do tempo.

Se o uso recreativo de algumas drogas é a causa da AIDS, como é que muitas pessoas usam essas drogas durante um tempo e não “pegam” AIDS? Dr. Ali Al-Bayati explica que; “a questão não é o tempo somente que se usa de corticosteróides, depende principalmente de quanto a infecção ou inflamação que esses indivíduos possuem devido ao uso de DROGAS COMO CRACK, HEROÍNA, COCAÍNA E OUTRAS, que posteriormente levaram a usar drogas como prednisona e outros coquetéis. Isso pode ser muito bem explicado pela hiperplasia nos gânglios linfáticos.

Na Tabela 3, na página 13 de seu livro, o Dr. Bayati descreve que a patologia nos gânglios linfáticos possui alguns estágios. Os “-positivos de HIV”, que são semelhantes aos dos “-negativos do HIV”. A primeira etapa é a hiperplasia [superior ao normal em CD-4, e a contagem CD-4 / CD-8 são proporcionais], o segundo que chamamos de “estágio misto” e o terceiro é a atrofia [inferior ao normal e contagem de CD-4  e CD-4 / CD-8 proporcionais]. Agora, as pessoas que usam drogas “recreativas” por inalação por um bom tempo, produzem efeitos em todo o sistema respiratório. Em primeiro lugar adquirem inflamação geral. Isso é marcada pela hiperplasia dos gânglios linfáticos também. Então, quando eles vão em seus médicos pelos sintomas da inflamação, eles recebem adivinham o que? Corticosteróides como o tratamento padrão! Apenas o consumo de heroína e outras drogas não iria suprimir o sistema imunológico, muito pelo contrário, apenas faria com que a hiperplasia aumentasse o nível da CD-4 e CD-8. A hiperplasia no timo e linfóides órgãos dos usuários de drogas explica o resultado do estudo de Mary Jane Kreek 1989, que observaram aumentos na células T de viciados em heroína e também de CD4. Kreek relata que 11 utilizadores de heroína a longo prazo tinham uma média de 1500 CD-4 T-células / microlitro, que é uma elevação significativa AO normal (600 a 1200), e isso é o oposto do que é visto na SIDA. “A heroína é uma droga ‘blessedly  untoxic’ Kreek concluiu.

Jon Cohen MD., convencido dessas pesquisas também citou no 04 de dezembro de 1994, o resultado do estudo de Kreek. “As observações de Kreek e Duesberg estão corretos!” O verdadeiro problema é que os líderes da hipótese do HIV/SIDA não compreendem a sequência de eventos que leva à AIDS em pacientes em cada grupo de risco. Esses fatos foram ignorados, que são casos importantes relacionados a este assunto, incluindo as informações apresentadas em suas próprias publicações e que continuam cegamente atribuindo AIDS ao HIV.

E a questão da enzima ‘p24’ marcador do vírus? Seria então um indicador falso?

Dr. Ali Al-Bayati responde que: O que eles estão medindo é apenas o p24 [um das nove proteínas que supostamente compõem HIV]. Eles usam como o indicador para a infecção pelo HIV. E eles usaram a marca da linha de base, que é por 20 microlitro do p24. Assim mesmo com essa pequena concentração, aqueles indivíduos do estudo citado, 77%  foram negativos! Eles não tiveram qualquer infecção! Nos três estudos, eles basearam seu trabalho na p24 somente! Então, eles não tiveram qualquer isolamento do HIV com base nisso, naqueles indivíduos. Eles não mediram quaisquer outros anticorpos! E esse valor como uma linha de base é muito, muito baixo mesmo! Vinte microlitros de p24 é muito pequena! Sem anticorpo e sem nada! Afirma o Dr. Al-Bayati.

Como então determinaram HIV positivos sob um teste a base da p24, já que isso é falho pela quantidade da amostra?

Dr. Al-Bayati responde que; “Essa é a pergunta que eu sempre fiz! Os patrocinadores do estudo não fizeram perguntas, os cientistas não fizeram perguntas àquelas pessoas dos estudos na década de 80 sobre isso, a FDA não fez perguntas! O que ocorreu então? Essa é a pergunta que eu estou pedindo até hoje! Com base apenas nos sintomas? Revi todos esses estudos, cerca 50 ensaios clínicos, que são inclusive assuntos de outros livros. Eles realmente não olharam para os indicadores de AIDS como insuficiência adrenal, que eu listei no meu livro dentre outros aspectos já citados.

No estudo de 1987 Fischl, olharam-se apenas para a CD4. Quando começaram os estudos as pessoas tinham as contagens de CD4 entre 100-110 por microlitro. Esse foi o ponto de partida. No final do estudo eram cerca de 45 o nível CD4 já sob o  AZT, ou seja, deprimindo a contagem de CD4. Sem contar que não relataram a forma dos nódulos linfáticos, ou a insuficiência adrenal, negligênciaram – que se manifesta como o sarcoma de Kaposi, ou atrofia no sistema linfóide e todos esses outros sintomas da SIDA. Aquelas pessoas também estavam totalmente impregnadas de corticosteróides. Esse estudo que foi o primeiro em AZT, publicaram dois relatórios, um sobre o suposto benefício o uso do AZT e outro sobre a toxicidade do AZT. Toda a literatura sobre o AZT, concorda que deprime a medula óssea. Todas as pessoas neste ensaio clínico que estavam em AZT também estavam recebendo transfusões de sangue. Pelo que me lembro, cerca de 30 pessoas no grupo AZT tiveram transfusões de sangue, contra cerca 4 a partir do controle. Assim, enquanto os pesquisadores disseram que o AZT aumentava a sobrevida, o benefício de sobrevivência na verdade veio das transfusões de sangue! Quando recebe uma transfusão de sangue, melhora muito a qualidade da saúde momentaneamente da pessoa, incluindo melhorar os níveis de oxigênio e os níveis do sistema imunológico. Na verdade, o primeiro estudo foi interrompido e não durou mais que seis meses. Tanto o AZT e os inibidores de proteases causam a inflamação afirma o Dr. Ali Al-Bayati. Lista em vários casos de pacientes que estavam “HIV-negativo” e durante o uso do AZT, aumentou a curto prazo do seu CD-4. O CD-4 são uma indicação de uma inflamação, e inalando cocaína e heroína por exemplo também aumenta CD-4 e CD-8, pois causa inflamação nos gânglios linfáticos ou outros tecidos. Por que, se o HIV está a matar as células CD-4, todas essas pessoas que eu mencionei na Tabela 3 do meu livro, não poderiam ter hiperplasia (crescimento de célula!), afirma o Dr. Bayati.

Robert Gallo é um médico pesquisador dos USA, conhecido como um dos descobridores do vírus do HIV, e ele chamada a SIDA como “uma doença CD-4. Discordo completamente dele! Não é uma doença CD-4 como ele afirma! Não há nenhuma doença de linfa em toda a literatura que afeta somente CD-4 como marcador. Existem três etapas. As mudanças são sempre em todas as estruturas de nódulos linfáticos, incluindo o estroma; na fase de hiperplasia e em seguida na atrofia, todos os gânglios linfáticos encolhem e isso é característico dos esteróides. Agora, as pessoas na África, quando eles passam fome, inanição total, produzem os corticosteróides e estes corticosteróides deprime o sistema imunológico juntamente com o timo, nódulos linfáticos e todos os tecidos periféricos.
“Aprendemos sobre corticosteróides em 1947. A primeira vez que os corticosteróides foram aprovados nos Estados Unidos em 1947, nós aprendemos sobre os benefícios dos esteróides, mas com base nos esteróides que ocorrem naturalmente no corpo. Quando as pessoas morrem de fome como em muitos locais na África, eles liberam corticosteróides que são hormônios de emergência liberados quando as pessoas sob condições de estresse – infecções e outras situações. Daí liberam esse hormônio para tomar proteínas e nutrientes, enviá-los para o fígado a produzir glicose, e depois enviá-lo para o cérebro.

Se você olhar para a SIDA na África em termos de sarcoma de kaposi, linfoma e ouros, este é semelhante aos homossexuais. Muitos homossexuais têm AIDS porque eles são usuários pesados de corticosteróides; e as pessoas na África têm corticosteróides elevados porque eles são naturalmente liberados por causa da fome e desnutrição severa. O timo diminui quando uma pessoa está morrendo de fome. Diminui 90% em 9 semanas, e depois de nove semanas de alimentação normal do timo volta a tamanho de até 107% Os corticosteróides têm a capacidade não só para afetar o número de CD4 e CD8, mas também as suas funções. Estes são os biomarcadores da SIDA, que a hipótese de HIV / AIDS não explica. Todos estes podem ser explicados pelo uso de esteróides, ou a libertação de esteróides. O HIV [hipótese] não explica nada! Um estudo de 1985 de San Francisco, incubaram HIV com células-T por quatro meses, e as células passaram a reproduzir o vírus, só que não houve morte celular pelo contrário, produziu normalmente. Afirma o Dr. Ali Al- Bayati.

As pessoas saudáveis que apenas têm o anticorpo “HIV positivo” não precisa fazer nada porque o corpo vai cuidar dele em cinco semanas,  vai embora. Vai ser como nas criança de três anos de idade por exemplo, infectadas com varicela, que vai levar o anticorpo por toda a sua vida, mas depois eles param de ter a doença. Se você olhar para a história de todos os agentes infecciosos – bactérias ou vírus – se alguém é infectado e fabrica anticorpos a doença some, afirma o Dr. Ali Al-Bayati.

Este artigo tem por finalidade somente para informações.

———————————————————-

Referências:

1-(http://www.toxi-health.com)

2- http://www.news-gap.com

3-Book –Get All the Facts: HIV Does Not Cause AIDS

A FEBRE PODE TRATAR E CURAR O CÂNCER!

São Sebastião do Paraíso -MG – 23 de Maio de 2016 – Para receber um orientação expressa envie e-mails para – juliocaleiro@hotmail.com  – Tel consultório  35-3531 8423.

By; Edição – Júlio Caleiro  – Nutricionista   – Contribuição especial do renomado pesquisador Gustavo Molina – São Paulo.


 

Febre-o-terror-dos-pais-Convertido

 

A FEBRE PODE CURAR CÂNCERES!

A febre induzida artificialmente foi usado com sucesso para o tratamento de câncer, especialmente na Alemanha. É preciso primeiro compreender a importância da febre para a cura. Febre não é um sintoma de que devemos eliminar com medicamentos tóxicos como prescrito pela medicina tradicional. A febre é a maneira da natureza gerar cura e eliminar patógenos. O microbiologista francês Dr. Andre Lwoff demonstrou cientificamente que a febre cura até mesmo doenças incuráveis! Liderando especialistas em câncer na Europa, o Dr. Josef Issels, escreveu sobre este assunto: “A febre induzida artificialmente tem o maior potencial no tratamento de muitas doenças, incluindo câncer.”

O professor de Oxford Dr. David Mychles e sua equipe de pesquisa confirmaram recentemente a eficácia da febre induzida para o tratamento de doenças, incluindo câncer.

Um breve relato na Itália, sobre febre e diminuição dos casos de câncer!

Um praticante líder de hipertermia para o câncer, Dr. Werner Zabel, relata um  fato interessante, para ilustrar que o câncer pode ser curado através da febre. Ele conta que num vilarejo fora de Roma, era um lugar fértil para os mosquitos da malária. O governo decidiu drenar os pântanos, e os incidentes de malária pioraram muito, mas a taxa de câncer que tinha sido significativamente abaixo do normal, de forma inédita quase que por completo desapareceu o câncer na Itália. Deduziu-se que a malária induzia febres, e tinha ajudado a prevenir e tratar o câncer na população. Países europeus e escandinavos têm historicamente utilizado de várias formas em aquecer o corpo para fins de saúde. Banhos de vapor, águas termais e saunas têm sido usados há décadas. Então, acelerando a temperatura do corpo para a saúde não é novo na Europa!

Mas indução de febres para o câncer deve ser feito por profissionais de saúde.

Hipertermia (Termoterapia) é métodos!

O método mais antigo é o banho Schlenz, era realizado na Europa há mais de um século. A hipertermia trava o câncer, e era usada para uma variedade de doenças. Para tratamento e aplicação dos métodos, entrar em contato no email acima, pois existe uma temperatura correta e outros aspectos.

Depois de meia hora, a temperatura do corpo começa a coincidir com a temperatura da água. Esta técnica é monitorada para garantir que as taxas de pulso não excedam 140.

Surpreendentemente, por volta de 1976 um método único de hipertermia localizada, tumores expostos ao aquecimento com ondas ultra-sônicas, foi relatado nos EUA como uma possível abordagem para tratamentos de câncer tradicionais. É impressionante que mesmo depois de vários ensaios clínicos de MUITO sucesso desta abordagem, não houve sequer informações pela mídia ou pelas faculdades da área da saúde sobre tipo de abordagem terapêutica que pode ELIMINAR QUALQUER CÂNCER!

Mas foi na Alemanha e na China, onde essa terapia e outras aplicações de hipertermia ou termoterapia tornaram-se comuns! Infelizmente, o uso nas Américas é raro quanto a estas aplicações. Assim, embora descoberto pela primeira vez na América, Alemanha e Europa são os pontos quentes para o tratamento do câncer com hipertermia.

A melhor abordagem

A medicina integrativa utiliza a hipertermia como um complemento para tratamentos ortodoxos tóxicos em alguns locais nos EUA; porém a hipertermia deve ser usada como um complemento para outros não tóxicos, tratamentos alternativos de câncer de baixo custo o que implica uma série de estratégias nutricionais. Existem várias terapias alternativas contra o câncer que possam ser integrados com sucesso com hipertermia / termoterapia.

Por exemplo, o Centro de Budwig na Espanha dispõe de uma sauna de infravermelho como a sua forma de hipertermia, juntamente com a Dieta Budwig e outras terapias onde relatam muito sucesso entre os pacientes. Falando de dietas, uma dieta contra o câncer deve ser parte de qualquer terapia. Como as células cancerosas prosperam em fermentação de glicose, dietas anti-cancerosas evitam todas as formas de açúcar,  álcool, restrição de metionina, alimentos processados e geralmente carnes são evitadas. O foco está em vegetais orgânicos, frutas e alguns poucos grãos, de forma que não aumente a ingestão de frutose. Além disso reposição de vitamina D3, vitamina C injetável, k2-mk4 e mk7, alcalinização, dentre outras.

Enquanto um tratamento específico não estiver disponível ou algo expresso, sugiro as saunas e banhos de vapor (sem cloro) que possa ser usado por qualquer pessoa para uma melhora da saúde e prevenção de doenças.
————————————————————-

Referencias

Coley-Nauts, H., Fouler, G.A., M.D., Bogatko, F.H., M.D.

Heine, H., M.D.  1992, Lisbon, Portugal.

Hoption Cann SA, van Netten JP, van Netten C “Dr. William Coley and tumor regression: a place in history or in the future.” Postgrad Med J 2003; 79:672-680.

Hoption Cann SA, 2002; 58 (2):115-9.

Hoption Cann SA, Case Rep Clin Pract Rev 2004; 1.

Heine H, M.D. 1992, Lisbon, Portugal.

Issels J.M., M.D. “Cancer: A Second Opinion” 1999,

Tradução da íntegra –  http://www.issels.com

MacAdam DH,  2003.

Fever, Cancer Incidence and
Spontaneous Remissions (2001).

Wiemann, B., Starnes, Ch.O. “Coley’s Toxins, Tumor Necrosis Factor and Cancer research: A Historical Perspective” 1994, Pharmac.Ther. Vol. 64, 529-564.

TRATE A DEPRESSÃO E ANSIEDADE DE VERDADE, SEM MEDICAMENTOS QUE CAUSAM EFEITOS COLATERAIS GRAVES!

DEPRESSÃO

São Sebastião do Paraíso -MG – Publicado em 13 de Maio de 2016.

Para receber orientação expressão envie e-mails para: juliocaleiro@hotmail.com

  Tel consultório – 35 3531 8423

———————————————

By Ed; Júlio Caleiro – Nutricionista

Por que você não deve ignorar Depressão?

Cerca da metade dos americanos diagnosticados com depressão não recebem tratamento, o uso de antidepressivos é uma abordagem equivocada e potencialmente perigosa conforme alguns pesquisadores. Se você luta com a depressão, a obtenção de ajuda incluindo sim um tratamento que pode ajudar a abordar as razões subjacentes desta condição, é essencial! Se não tratada, a depressão pode não só tirar a sua capacidade de aproveitar a vida, mas também pode levar a mudanças físicas no cérebro e ser cada vez mais intensa. Indivíduos com recorrentes episódios depressivos pode reduzir o tamanho do hipocampo – uma região do cérebro envolvida na formação de memória emocional, salientando assim a importância da intervenção precoce sob tratamento específico. Sua memória não se restringe apenas a lembrar datas e senhas; Ele também desempenha um papel importante no desenvolvimento e manutenção no seu humor. Assim, quando o hipocampo encolhe não é apenas a sua memória que é afetada, comportamentos também são alterados, e um hipocampo menor equivale a uma perda geral das funções emocionais e comportamentais.

A boa notícia é que o dano é provavelmente reversível, mas para isso você tem que realmente fazer algo sobre essa situação! A depressão não pode ser devido a um desequilíbrio em seu cérebro. Contrariamente à crença popular, a depressão não é  causada por produtos químicos do cérebro desequilibrado tais como baixos níveis de serotonina que pode ser “corrigido” com medicamentos antidepressivos, como os médicos psiquiatras enfatizam. A hipótese de baixa serotonina,  é também  conhecida a hipótese da monoaminaoxidase, tem sido postas em dúvida em vários estudos. De acordo com um comentário publicado na Nature Reviews, Neuroscience, por exemplo diz: “…evidências recente indica que o problema, é no processamento de informação dentro das redes neurais, ao invés de mudanças no equilíbrio químico no caso da depressão.”

 Um estudo publicado no New England Journal of Medicine observou : “Estudos da correlação noradrenalina e serotonina, metabolitos no plasma, urina e líquido cefalorraquidiano, bem como estudos ‘post-mortem’ dos cérebros de pacientes com depressão, os pesquisadores ainda não encontraram nenhuma evidência para apoiar a correlação do “desiquilíbrio químico”. Não existe um único mecanismo responsável por todas as variações clínicos nesta condição. A teoria da monoamina oxidase pode explicar muitas das ações para aplicação dos antidepressivos, mas fatores genéticos, estresse e fatores psicossociais também desempenham um papel na depressão, assim como várias outras causas. “

Se baixos níveis de serotonina não é o problema, o que seria então?

As questões em torno da hipótese de baixa serotonina destaca um dos problemas com o tratamento da depressão usando drogas antidepressivas. Os medicamentes ISRS (inibidores seletivos de recaptação de serotonina) evita a recaptação (movimento de volta para as terminações nervosas) do neurotransmissor serotonina. Isso faz com que mais serotonina disponível para uso em seu cérebro, e os médicos dizem que isso pode melhorar o seu humor e tratar ou curar a depressão. Mas, como explicado por uma matéria investigativa do jornalista de saúde Robert Whitaker, em 1983, os Institutos Nacionais de Saúde Mental (NIMH) já mostravam sob investigações se os indivíduos deprimidos tinham realmente baixos níveis de serotonina ou não! Naquela época, eles concluíram que não havia evidência de que há algo de errado no sistema serotonérgico de pacientes deprimidos. Pesquisa publicada já em 2009 adicionou mais uma prova que tudo indicava a ideia de ‘baixa serotonina’ estava errada, pois encontraram fortes indícios de que a depressão começa realmente mais acima na cadeia de eventos do cérebro e não nos neurotransmissores. Essencialmente, os medicamentos têm se concentrado sobre o efeito, e não a causa. As empresas farmacêuticas continuam afirmando que a teoria de baixa serotonina, embora isso somente, já justifica o uso agressivo de antidepressivos para corrigir esse suposto “desequilíbrio”.

Muitos supõem que essas pílulas são o melhor tratamento disponível para os sintomas da depressão, mas na verdade a diferença entre antidepressivos e pílulas de placebo é muito pequena – e ambos são ineficazes para pacientes sob depressão mais severa inclusive. Se você ou seu filho é diagnosticado com depressão, fique ciente de que existem muitas opções de tratamento disponíveis, incluindo a terapia cognitivo-comportamental (TCC). Em uma revisão sistemática de 11 estudos, não houve diferença estatisticamente significativa na eficácia entre os antidepressivos e outras abordagens terapêuticas. Além disso, em uma meta-análise publicada na PLoS Medicine, pessoas severamente deprimidos não mostraram qualquer resposta aos antidepressivos. Esta falta de eficácia deve ser levado em consideração juntamente com os efeitos colaterais das drogas – e são muitos!

Efeitos deletérios e graves dos Antidepressivos!

As investigações sobre os antidepressivos sugere por exemplo que,  tendo um SSRI pode duplicar o risco de fratura óssea. Isto porque a serotonina também está envolvida na fisiologia do osso. Se alterar os níveis de serotonina com uma droga, pode resultar em baixa densidade óssea aumentando o risco de fraturas, principalmente em idosos. Um grande estudo nas mulheres pós-menopausa também descobriu que aqueles que tomam antidepressivos tricíclicos ou ISRS foram 45% propensos a sofrer um infarto fulminante! Enquanto isso, as taxas globais de mortalidade foram 32% mais elevadas em mulheres com uso dessas drogas, e outros estudos mostraram efeitos ligados ao uso de antidepressivos em artérias mais espessas, o que poderia contribuir para o risco de doença cardíaca crônica grave. Entre os efeitos colaterais mais preocupantes, são os pensamentos suicidas e comportamento violento, que são efeitos secundários conhecidos especialmente na juventude. Também está envolvido com desequilíbrio hepática e pancreático.

Vale lembrar que a Dra. Helen Mayberg, professora de psiquiatria da Universidade de Emory, abre um caminho em direção a um plano de tratamento mais refinado e personalizado. Em suas pesquisas a Mayberg identificou um biomarcador no cérebro que pode ser usado para prever se um paciente deprimido é um bom candidato para a medicação, ou psicoterapia.

Quais opções naturais no tratamento da depressão?

Se você está sofrendo de depressão grave por favor procure ajuda de um profissional. Se você está tomando atualmente antidepressivos e quer parar, você deve retirar gradualmente sob os cuidados de um profissional de saúde experiente. A retirada abrupta a partir dessas drogas pode levar a problemas psiquiátricos ou físicos graves! Você não tem nada a perder somente a ganhar, você deve aplicar modificações de estilo de vida antes de tentar retirar a medicação, especialmente em crianças. Você pode se surpreender com o quanto essas mudanças diminuem os sintomas naturalmente.

Exercícios

Além de criar novos neurônios, incluindo aqueles que liberam o neurotransmissor calmante GABA, o exercício aumenta os níveis químicos cerebrais naturalmente sem afetar o receptor como os remédios, e também  aumenta assim a serotonina naturalmente, dopamina e norepinefrina, os quais podem ajudar a amortecer alguns dos efeitos do stress e depressão. Muitos praticantes ávidos também tem uma sensação de euforia e bem estar emocional depois de um treino e pode ser bastante “viciante”.

As técnicas de liberdade emocional (EFT), otimizar a microbiota intestinal, otimizar os níveis de OMEGA3, VITAMINA D, ÓLEO DE KRILL DIARIAMENTE, SAME, HIPERICUM dose alta, GABA sublingual, retirada do glutamato monossódico da alimentação, tomar sol, andar descalço na grama, retirar todos os produtos processados, grãos, melhorar a qualidade de sono e dormir antes das 22h, realizar alimentação rica em nutrientes diversificando semanalmente, tratar as adrenais e otimizar o sistema endócrino, manter os níveis de insulina e leptina e glicose corretos, equilibrar os hormônios, realizar uma boa hidratação, reequilibrar os minerais no organismo dentre outras técnicas nutricionais de grande relevância, onde estudos clínicos tem mostrado efeitos potentes e reverter completamente a depressão e ansiedade generalizada.

Uma pesquisa prévia demonstrou que a Lactobacillus rhamnosus, teve um efeito potente sobre níveis de GABA em certas regiões do cérebro, e reduzido a corticosterona hormonal induzido pelo stress, que resulta assim em ansiedade e depressão reduzida. O probiótico conhecido como Bifidobacterium longum NCC3001 tem igualmente o mesmo efeito e foi demostrado normalizar comportamentos de ansiedade semelhantes inclusive em ratinhos.

Então, otimizando sua flora intestinal com bactérias benéficas é uma estratégia muito útil. Isto é feito através da eliminação de açúcares e alimentos processados, e comer em abundância vegetais sem amido, evitando óleos vegetais processados, e usar gorduras saudáveis. Além disso, comer muitos vegetais fermentados ou tomar um probiótico de alta potência seria útil para restabelecer uma saudável flora intestinal e eliminar sintomas psíquicos.

———————————————————-

Referências:

Greatist April 20, 2016

 National Institute of Mental Health, Major Depression Among Adults