Início » FÍGADO

FÍGADO

Comprovado – A vitamina D dobra a possibilidade de cura no tratamento da hepatite C!

“…os resultados obtidos surpreendem. A resposta virológica rápida (indetectável na semana 4 do tratamento) atingiu 44% dos pacientes recebendo vitamina D3 os quais se encontravam indetectáveis, contra 17% no grupo controle. Na semana 12 do tratamento 94% dos pacientes do grupo com vitamina D3 estavam indetectáveis, contra 48% do grupo controle.

E a resposta virológica sustentada (indetectável aos seis meses após o final do tratamento) que é a cura da hepatite C, foi obtida por 86% dos pacientes que receberam conjuntamente a vitamina D3 contra 42% dos pacientes que receberam o tratamento tradicional de interferon peguilado e ribavirina.” (Vitamin D supplementation improves sustained virologic response in chronic hepatitis C (genotype 1)-naïve patients – Abu-Mouch S, Fireman Z, Jarchovsky J, Zeina AR, Assy N. – World J Gastroenterol. 2011 Dec 21;17(47):5184-90. – Saif Abu-Mouch, Liver Unit, Department of Internal Medicine B, Hillel Yaffe Medical Center, Hadera 38100, Israel.)

_______________________________________________________________________________________________

Milk Teastle (Silimarina) e sua ação no Fígado! ‘Limpe seu fígado agora!
Dr. Julio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: 35-3558-1919.

O fígado é um órgão grande glandular, cujas funções incluem a decomposição das células vermelhas do sangue, plasma, a síntese de proteínas, a produção de hormona, a secreção da bílis e conversão de açúcares em glicogénio, que ele armazena. O fígado é também responsável pelo processamento de muitas vitaminas e nutrientes numa forma que pode ser utilizado pelo corpo ( ativa), assim como a desintoxicação de substâncias diversas. A vida moderna envolve a exposição diária a substâncias que são tóxicas para o nosso corpo, o que impõe uma carga pesada sobre o fígado. Portanto, um fígado saudável é fundamental para o bem-estar. Estilos de vida errado e algumas condições médicas de tratamento, nos força ainda mais assegurar que o fígado é mantido no seu melhor funcionamento.
Na Europa e na Ásia, tônicos do fígado a base de ervas têm sido de uso comum durante séculos. A eficácia das ervas usadas foi validado durante as últimas décadas através da investigação moderna e estudos clínicos. Estas ervas geralmente contém antioxidantes, estabilizadoras de membrana de células, agentes que aumentam a secreção biliar, compostos ou nutrientes que impedem a depleção dos antioxidantes endógenos, tais como a glutationa. Hepatoproteção é benéfica não só para o fígado, mas também para a saúde em geral e da vitalidade do corpo. O Extrato de cardo mariano ( silimarina) tem sido valorizado por seu papel em assegurar a função do fígado saudável, e é também um poderoso antioxidante. O extrato de ‘cardo mariano – Milk Teastle – Silimarina’, consiste em ‘silibinins’ e outros compostos semelhantes. Até recentemente, os cientistas concentraram sua pesquisa sobre silibinins, como eram o ingrediente mais abundante e biologicamente ativo encontrado no Milk Teastle, usando tecnologia de extração altamente avançada já permitiu aos cientistas isolar constituintes da silimarina e outros, e testar sua eficácia contra a célula de várias linhas. Entre os compostos testados, um componente chamado silimarina isosilybin B mostrou ser o mais eficaz para a manutenção de células saudáveis ​​e na sua divisão, principalmente do fígado, desintoxicando de substâncias nocivas tornando um dos melhores detóx hepatico sem efeitos colaterais indesejados. As doses variam de pessoa para pessoa, levando em consideração o peso e idade.

lifeextension

Referências:
1. Pak J Pharm Sci.2008 Jul;21(3):249-54
2. Toxicol Pathol. 2011 Feb;39(2):398-409.
3. Phytother Res. 2010 Oct;24(10):1423-32.
4. J Pharmacol Exp Ther. 2010 Mar;332(3):1081-7.
5. PLoS One. 2011 Jan 28;6(1):e16464.
6. Carcinogenesis. 2007 Jul;28(7):1533-42.
7. Int J Cancer. 2008 Jul 1;123(1):41-50.
8. Gastroenterology 2010 Feb;138(2):671-81, 681.e1-2
9. Int J Biol Sci. 2009 Aug 11;5(6):549-57.
10. Cell Prolif. 2009 Apr;42(2):229-40.
11. Phytomedicine. 2009 May;16(5):391-400.
12. Carcinogenesis. 2007 Jul;28(7):1533-42. Isosilybin B and A.
13. Int J Cancer. 2008 Jul 1;123(1):41-50.
14. Int J Cancer. 2008 Jul 1;123(1):41-50.
15. Cancer Res. 2005 May 15;65(10):4448-57.
16. Oncogene. 2006 Feb 16;25(7):1053-69.
17. Cancer Lett. 2008 Oct 8;269(2):352-62.
18. Biochem Biophys Res Commun. 2009 Dec 4;390(1):71-6.
19. Cancer Res. 2008 Aug 15;68(16):6822-30.
20. Cell Biol Int. 2008 Aug;32(8):888-92

_________________________________________________________________________________

SAMe promove a saúde do fígado, podendo combater o câncer!

By Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: 35-3558-1919.

S-adenosil-L-metionina (SAM-e) é um composto natural encontrado em todas as células do corpo humano. O SAMe é responsável por facilitar mais de 100 reações diferentes, não é surpreendente que as suas atividades não sejam restritas para o cérebro. SAMe tem um papel fundamental na função do fígado saudável e, por extensão, na própria sobrevivência do corpo. Com efeito, um grupo de investigadores tem chamado SAMe “interruptor de controle que regula a função do fígado.” Por meio de um tipo de reação conhecida como transulfuração, o SAMe promove a produção de glutationa, apropriadamente apelidado de “antioxidante mestre” utilizado em todo o corpo para controlar perigoso radicais livres. No fígado, no entanto, a glutationa desempenha uma das funções mais importantes do órgão: auxiliar na remoção de toxinas do fígado. A Glutationa realiza essa façanha de agilidade bioquímica anexando-se a moléculas tóxicas, como pesticidas ingeridos com os alimentos, e tornando-os solúveis em água e, portanto, capaz de ser liberado do corpo.

Quando o fígado está sobrecarregado por situações como alcoolismo crônico, os níveis de glutationa podme cair, diminuindo a capacidade do corpo para eliminar o etanol e outros venenos, resultando em lesão hepática grave. Esta suplementação tem sido evidenciado em aumentar os níveis de glutation, e tem sido usado para tratar a cirrose e hepatite, duas condições altamente prevalentes que afligem as vítimas de alcoolismo.

Porque SAMe é tão importante para o fígado? Oitenta por cento de metionina no fígado é convertida em SAMe, e tem sido demonstrado que o aumento dos níveis de glutationa no fígado e nas células vermelhas trata uma variedade de patologias do fígado, incluindo a hepatite, colestase, icterícia obstrutiva, e cirrose.

Foi sugerido que desempenha igualmente um papel na prevenção do desenvolvimento câncer do fígado. No laboratório, os cientistas demonstraram que SAMe tem capacidade para induzir a apoptose seletiva, isto é: células hepáticas cancerosas são induzidas a cometer suicídio, enquanto as normais permanecem inalteradas. O SAMe é também conhecida para reduzir os efeitos nocivos dos produtos químicos do sistema imunológico chamadas citocinas que promovem a inflamação. Pesquisadores espanhóis em biologia molecular, recentemente propuseram ainda um outro papel importante para a SAMe, notando que ele é convertido em 5′-metiltioadenosina (MTA), uma molécula contendo enxofre que está presente em todos os tecidos de mamíferos. Cientistas propõem que o MTA é um regulador não reconhecido anteriormente, mas é importante em funções celulares. O “MTA” foi mostrado em influenciar várias respostas críticas da célula, incluindo a regulação da expressão do gene, proliferação, diferenciação e apoptose”. A apoptose é o processo pelo qual as células são identificadas pelo corpo para o suicídio programado. Ela desempenha um papel importante na destruição de células anormais, que são cancerosas ou que podem tornar-se cancerosas.

Referências:

1. Bottiglieri T. S-Adenosyl-L-methionine (SAMe): from the bench to the bedside— molecular basis of a pleiotrophic molecule. Am J Clin Nutr. 2002 Nov;76(5):1151S-7S.
2. Martinez-Chantar ML, Garcia-Trevijano ER, Latasa MU, et al. Importance of a deficiency in S-adenosyl-L-methionine synthesis in the pathogenesis of liver injury. Am J Clin Nutr. 2002 Nov;76(5):1177S-82S.
3. Arteel G, Marsano L, Mendez C, Bentley F, McClain CJ. Advances in alcoholic liver disease. Best Pract Res Clin Gastroenterol. 2003 Aug;17(4):625-47.
4. Lieber CS. Liver diseases by alcohol and hepatitis C: early detection and new insights in pathogenesis lead to improved treatment. Am J Addict. 2001;10 Suppl:29-50.
5. Galan AI, Munoz ME, Palomero J, Moreno C, Jimenez R. Role of S-adenosylmethionine on the hepatobiliary homeostasis of glu- tathione during cyclosporine A treatment. J Physiol Biochem. 2000 Sep;56(3):189-200.
6. Loguercio C, Nardi G, Argenzio F, et al. Effect of S-adenosyl-L-methionine administration on red blood cell cysteine and glu- tathione levels in alcoholic patients with and without liver disease. Alcohol. 1994 Sep;29(5):597-604.
7. Lieber CS. S-adenosyl-L-methionine: its role in the treatment of liver disorders. Am J Clin Nutr. 2002 Nov;76(5):1183S-7S.
8. Lieber CS. S-Adenosyl-L-methionine and alcoholic liver disease in animal models: implications for early intervention in human beings. Alcohol. 2002 Jul;27(3):173-7.
9. Lieber CS. Alcoholic liver disease: new insights in pathogenesis lead to new treatments. J Hepatol. 2000;32(1 Suppl):113-28.
10. Tsai SM, Lee KT, Tsai LY. Effects of S- adenosyl-L-methionine on liver damage in experimental obstructive jaundice. Kaohsiung J Med Sci. 2001 Sep;17(9):455-60.
11. Purohit V, Russo D. Role of S-adenosyl-L- methionine in the treatment of alcoholic liver disease: introduction and summary of the symposium. Alcohol. 2002 Jul;27(3):151-4.
12. Ansorena E, Garcia-Trevijano ER, Martinez- Chantar ML, et al. S-adenosylmethionine and methylthioadenosine are antiapoptotic in cultured rat hepatocytes but proapoptotic in human hepatoma cells. Hepatology. 2002 Feb;35(2):274-80.
13. Pascale RM, Simile MM, De Miglio MR, Feo F. Chemoprevention of hepatocarcinogenesis: S-adenosyl-L-methionine. Alcohol. 2002 Jul;27(3):193-8.
14. McClain CJ, Hill DB, Song Z, et al. S- Adenosylmethionine, cytokines, and alcoholic liver disease. Alcohol. 2002 Jul;27(3):185-92.
15. Song Z, Joshi-Barve S, Barve S, McClain CJ. Advances in alcoholic liver disease. Curr Gastroenterol Rep. 2004 Feb;6(1):71-6.
16. Veal N, Hsieh CL, Xiong S, Mato JM, Lu S, Tsukamoto H. Inhibition of lipopolysaccharide-stimulated TNF-alpha promoter activity by S-adenosylmethionine and 5’-methylthioadenosine. Am J Physiol Gastrointest Liver Physiol. 2004 Aug;287(2):G352-62. Epub 2004 Apr 02.
17. Avila MA, Garcia-Trevijano ER, Lu SC, Corrales FJ, Mato JM. Methylthioadenosine. Int J Biochem Cell Biol. 2004 Nov;36(11):2125-30.
18. Hevia H, Varela-Rey M, Corrales FJ, et al. 5’-methylthioadenosine modulates the inflammatory response to endotoxin in mice and in rat hepatocytes. Hepatology. 2004 Apr;39(4):1088-98.
19. Yang H, Sadda MR, Li M, et al. S-adenosyl methionine and its metabolite induce apoptosis in HepG2 cells: Role of protein phos- phatase 1 and Bcl-x(S). Hepatology. 2004 Jul;40(1):221-31.
20. lifeextension.com

___________________________________________________________________________________________

Câncer de Fígado e Vitamina k2.

Dr. Julio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: 35-3558-1919.

Uma nova forma de vitamina K parece extremamente promissora no tratamento de câncer primário de fígado, um tipo notoriamente resistente à quimioterapia, e foi descoberta por cientistas da Universidade de Pittsburgh Cancer Institute (UPCI). A pesquisa publicada no ‘Journal of Biological Chemistry’ descreveu uma abordagem inovadora para tratar e possivelmente prevenir o câncer de fígado, desencadeando a apoptose nas células cancerígenas.(Ni et al.1998). A equipe verificou que análogos da vitamina K – chamado de Composto 5 (CPD5), provoca um desequilíbrio na atividade normal de enzimas que controla a adição ou a remoção de moléculas pequenas (grupos fosfato) a partir de proteínas de dentro das células. Especificamente, CPD5 bloqueia a atividade de enzimas do tipo – (tirosina fosfatases) que normalmente removem grupos de fosfato de proteínas dentro das células selecionadas de câncer de fígado. A ‘CPD5′ no entanto, não interfere com o outro grupo de enzimas chamadas proteína-tirosina-quinases, que adicionam grupos de fosfato para as mesmas proteínas. O resultado é um excesso de proteínas fosforiladas em tirosina, o que desencadeia uma variedade de atividades no interior das células, incluindo a morte celular subsequente da célula, no caso a mutadas.

Transplante de fígado e uso da Vitamina k2

É possível remover alguns indivíduos da lista de transplante de fígado devido a grande eficácia da ‘CPD5′. No entanto, o composto de vitamina K não se limita somente a matar o cancro do fígado, mas também em cultura de tecidos o composto também foi eficaz contra o melanoma e cancros da mama. Embora a nova vitamina K esteja em testes clínicos, neste momento, os clientes e os médicos podem entrar em contato Informações da UPCI de Câncer sobre o tratamento. Inquiridores também podem visitar o site da universidade em http://www.upci.upmc.edu. ou entrar em contato informações e /ou tratamento em São Sebastião do Paraíso-MG com o Nutricionista Dr. Júlio Caleiro Pimenta pelo telefone acima descrito.

Para terminar, os compostos de vitamina K inibiram a produção de IL-6 por fibroblastos estimulados com lipopolissacáridos, que são reconhecidas como fontes ricas de citocinas (Reddi etal. 1995). Esta descoberta tem implicações significativas anticancerosos devido a expressão de IL-6 ser intrinsecamente envolvida no processo inflamatório, da reabsorção óssea, a activação da telomerase e proliferação do cancro.

Referência
1. Ni R, Nishikawa Y, Carr BI. Cell growth inhibition by a novel vitamin K is associated with induction of protein tyrosine phosphorylation. J Biol Chem. 1998 Apr 17;273(16):9906-11.

2. Reddi K, Henderson B, Meghji S, et al. Interleukin 6 production by lipopolysaccharide-stimulated human fibroblasts is potently inhibited by naphthoquinone (vitamin K) compounds. Cytokine. 1995 Apr;7(3):287-90.

__________________________________________________________________
Encefalopatia hepática pode ser reduzida significativamente por meio de doses adequadas de PROBIÓTICOS

By Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: (35) 3558-1919.

No ‘Liver Internacional Congress de 2013’, foi anunciado um estudo que constatou que doses corretas de probióticos reduziram significativamente o desenvolvimento de encefalopatia hepática em pacientes com cirrose hepática.O congresso atrai anualmente mais de 9.000 médicos e cientistas de todo o mundo e oferece uma oportunidade para ouvir as últimas pesquisas, perspectivas e tratamentos de doenças do fígado a partir de principais especialistas na área.

Os probióticos são microorganismos vivos (principalmente bactérias) que produzem um benefício à saúde do hospedeiro, quando administrados em quantidades adequadas.

Quanto à encefalopatia hepática, o médico gastroenterologista (Unicamp) e sócio da Sociedade Brasileira de Hepatologia, Dr. Stéfano Gonçalves Jorge, explica que:

“A maioria das teorias baseia-se na comprovação de que a concentração de amônia no sangue está aumentada nos cirróticos, especialmente naqueles com encefalopatia. A amônia é produzida principalmente no intestino e deveria ser transformada em uréia (ou glutamina, a partir de glutamato) pelo fígado e eliminada pelas fezes e urina. Essa amônia em excesso, no cérebro, afeta os neurotransmissores e portanto o funcionamento cerebral.”

O médico especialista em hepatologia, professor e pesquisador Dr. José Carlos Ferraz da Fonseca comentando sobre encefalopatia hepática, informa que:

“…na presença de insuficiência hepática ou de extensa circulação colateral (o sangue passa por fora do fígado), como a que se desenvolve na cirrose hepática, a amônia se acumula no sangue em quantidades crescentes e impregna o cérebro. Quando o fígado doente se torna incapaz de eliminar a amônia, o acúmulo dessa substância no cérebro pode causar transtornos neurológicos e psíquicos, inclusive o estado de coma ou morte.”

Doutor José Carlos traz ainda uma arrasadora informação:

“Sabe-se que 70% dos pacientes com cirrose hepática desenvolvem estado de confusão mental (encefalopatia hepática crônica). As funções intelectuais, de personalidade e de consciência e as funções neuromusculares sofrem alterações e limitações.”

Bom, e como evitar o desenvolvimento de encefalopatia hepática [que pode ser fatal]?

O estudo avaliou a eficácia de probióticos na prevenção do desenvolvimento da encefalopatia hepática em 160 pacientes com cirrose hepática, durante um período de 9 meses e foi constada melhorias significativa na redução dos níveis de amônia arteriais após três meses de tratamento com probióticos. Verificou-se que os probióticos diminuem a produção de amônia, algo de grande interesse em pacientes com cirrose hepática, e até mesmo, em pacientes com encefalopatia. Foi constatado que os doentes que tomaram placebo desenvolveram encefalopatia hepática duas vezes mais em comparação com os pacientes que tomaram probióticos sob a forma de cápsula. A prevenção para o desenvolvimento de encefalopatia em pacientes com cirrose foi surpreendente!

Logo, é extremamente importante a inclusão de doses corretas de probióticos no tratamento de pacientes cirróticos com o fim de evitar o desenvolvimento de encefalopatia hepática, conforme relatado no ‘Liver Internacional Congress de 2013’.

Friso que as quantidades adequadas para cada indivíduo é extrema importância para os efeitos positivos possam ocorrer. Não faça essa suplementação sem uma orientação médica ou de um nutricionista apto a este tipo de terapia da nutrição funcional.

Agende sua consulta e aplique uma terapia nutricional mais atualizada possível para o tratamento e prevenção de doenças!

Referências:

1. http://www.eurekalert.org/pub_releases/2013-04/eaft-pft042413.php
2. http://www.sciencedaily.com/releases/2013/04/130425103316.htm
3. http://www.hepcentro.com.br/encefalopatia_hepatica.htm
4. http://drjcfonsecaeofigado.blogspot.com.br/2009/07/o-figado-doente-e-o-estado-de-confusao_27.html
5. http://www.sciencedaily.com/releases/2013/04/130425103316.htm
6. M.K Lunia, AN OPEN LABEL RANDOMISED CONTROLLED TRIAL OF PROBIOTICS FOR PRIMARY PROPHYLAXIS OF HEPATIC ENCEPHALOPATHY IN PATIENTS WITH CIRRHOSIS. Presented at the International Liver CongressTM 2013
7. A. Agrawal, Secondary Prophylaxis of Hepatic Encephalopathy in Cirrhosis, An Open-Label, Randomized Controlled Trial of Lactulose, Probiotics, and No Therapy. Available http://www.medscape.com/viewarticle/767674_3 [Accessed 9/4/13]
8. World Health Organization and Food and Agriculture Organizationof the United Nations. Health and Nutritional Properties of Probiotics in Food including Powder Milk with Live Lactic Acid Bacteria. Ava http://www.who.int/foodsafety/publications/fs_management/en/probiotics.pdf [Accessed 9/4/13]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: