ESCLEROSE MÚLTIPLA EM REMISSÃO COM VITAMINA B7!

Publicado em 17 de Fevereiro de 2019- São Sebastião do Paraíso -MG

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


 

biotin

By, Júlio Caleiro – Nutricionista

-Biotina –  Regride e pode colocar a ESCLEROSE MÚLTIPLA EM REMISSÃO!

A biotina, uma vitamina do complexo B hidrossolúvel, é por vezes referida como vitamina B7. A biotina participa de reações bioquímicas catalisadas por enzimas descarboxilase, apoiando a produção de energia e a síntese de ácidos graxos e mielina (Shirani 2016; Sedel 2015). O papel da biotina no funcionamento dos neurônios é evidenciado pelo seu efeito terapêutico em uma doença genética rara conhecida como doença dos gânglios da base responsiva à biotina-tiamina (Sedel 2016). As crianças afetadas por esta doença apresentam disfunção neurológica progressiva, incluindo disfunção motora e de fala, retardo mental, convulsões e possivelmente morte (Tabarki 2013; Alfadhel 2013). O tratamento precoce com biotina e tiamina (vitamina B1) parece prevenir a progressão na maioria dos casos (Alfadhel 2013; Tabarki 2013). Mais recentemente, pesquisadores vêm explorando os potenciais benefícios da biotina em pacientes com esclerose múltipla, e os resultados são espetaculares, porém em doses várias vezes ao dia.

No primeiro ensaio clínico para demonstrar o potencial da alta dose de biotina na terapia de MS, 23 pacientes com EM progressiva foram tratados com biotina diariamente por uma média de 9,2 meses. A biotina ao contrário da vitamina D restaura lentamente e progressivamente os danos aos nervos relacionados à Esclerose Múltipla – a visão melhorou em todos os quatro participantes com lesão do nervo óptico e função motora A incapacidade melhorou em 16 dos 18 participantes (89%) com envolvimento proeminente da medula espinhal (Sedel 2015; Sedel 2016).

Em um estudo controlado randomizado, 154 pacientes com EM progressiva receberam três vezes ao dia ou placebo por 12 meses. Treze (12,6%) dos indivíduos tratados com biotina versus nenhum dos sujeitos do placebo apresentaram melhorias nas medidas de incapacidade relacionada à EM após nove meses que persistiram até o final do estudo. Além disso, apenas 4,2% dos indivíduos tratados com biotina, em comparação com 13,6% dos indivíduos do placebo, pioraram progressivamente os escores de incapacidade em nove meses. No final dos 12 meses, os participantes do placebo foram transferidos para doses altas de biotina, e a estabilização global da incapacidade foi observada em todos os participantes num acompanhamento de 24 meses (Tourbah 2016).

Os níveis de biotina no líquido cefalorraquidiano de pacientes com EM têm sido observados como inferiores aos de pessoas saudáveis, levando à especulação de que a baixa disponibilidade de biotina pode contribuir para a patologia da EM (Anagnostouli 1999). Embora o mecanismo da capacidade da biotina para prevenir ou reparar danos nervosos seja desconhecido, a biotina pode prevenir a desmielinização progressiva melhorando a função mitocondrial, aumentando a produção de energia cerebral, apoiando a produção de mielina aumentando a síntese lipídica e afetando a expressão gênica (Heidker 2016; Sedel 2016).

A biotina é excretada através do sistema urinário, e altas doses parecem ser bem toleradas em testes realizados até o momento (Peyro Saint Paul 2016; Sedel 2016). No entanto, altas doses de biotina podem interferir com certos testes de laboratório, incluindo testes de função tireoidiana, levando ao diagnóstico errôneo de tireotoxicose (Barbesino 2016; Minkovsky 2016; Elston 2016). Além disso, a possibilidade de teratogenicidade tem sido sugerida pela pesquisa com animais (Peyro Saint Paul 2016); Portanto, a segurança da alta dose de biotina na gravidez não está estabelecida, mas para maioria das pessoas é bem tolerada. Sugere-se que sob tratamento seja observada pelo profissional competente, nutricionista ou médico.


Referências: Lef- No corpo do texto!

Anúncios

TRATAMENTO REVOLUCIONÁRIO COM VITAMINA (B7) EM REGREDIR A (ESCLEROSE MÚLTIPLA)! Pode ser melhor que a (vitamina D3)!

Publicado em 17 de Fevereiro de 2019- São Sebastião do Paraíso -MG

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


 

biotin

By, Júlio Caleiro – Nutricionista

-Biotina –  Regride e pode colocar a ESCLEROSE MÚLTIPLA EM REMISSÃO!

A biotina, uma vitamina do complexo B hidrossolúvel, é por vezes referida como vitamina B7. A biotina participa de reações bioquímicas catalisadas por enzimas descarboxilase, apoiando a produção de energia e a síntese de ácidos graxos e mielina (Shirani 2016; Sedel 2015). O papel da biotina no funcionamento dos neurônios é evidenciado pelo seu efeito terapêutico em uma doença genética rara conhecida como doença dos gânglios da base responsiva à biotina-tiamina (Sedel 2016). As crianças afetadas por esta doença apresentam disfunção neurológica progressiva, incluindo disfunção motora e de fala, retardo mental, convulsões e possivelmente morte (Tabarki 2013; Alfadhel 2013). O tratamento precoce com biotina e tiamina (vitamina B1) parece prevenir a progressão na maioria dos casos (Alfadhel 2013; Tabarki 2013). Mais recentemente, pesquisadores vêm explorando os potenciais benefícios da biotina em pacientes com esclerose múltipla, e os resultados são espetaculares, porém em doses várias vezes ao dia.

No primeiro ensaio clínico para demonstrar o potencial da alta dose de biotina na terapia de MS, 23 pacientes com EM progressiva foram tratados com biotina diariamente por uma média de 9,2 meses. A biotina ao contrário da vitamina D restaura lentamente e progressivamente os danos aos nervos relacionados à Esclerose Múltipla – a visão melhorou em todos os quatro participantes com lesão do nervo óptico e função motora A incapacidade melhorou em 16 dos 18 participantes (89%) com envolvimento proeminente da medula espinhal (Sedel 2015; Sedel 2016).

Em um estudo controlado randomizado, 154 pacientes com EM progressiva receberam três vezes ao dia ou placebo por 12 meses. Treze (12,6%) dos indivíduos tratados com biotina versus nenhum dos sujeitos do placebo apresentaram melhorias nas medidas de incapacidade relacionada à EM após nove meses que persistiram até o final do estudo. Além disso, apenas 4,2% dos indivíduos tratados com biotina, em comparação com 13,6% dos indivíduos do placebo, pioraram progressivamente os escores de incapacidade em nove meses. No final dos 12 meses, os participantes do placebo foram transferidos para doses altas de biotina, e a estabilização global da incapacidade foi observada em todos os participantes num acompanhamento de 24 meses (Tourbah 2016).

Os níveis de biotina no líquido cefalorraquidiano de pacientes com EM têm sido observados como inferiores aos de pessoas saudáveis, levando à especulação de que a baixa disponibilidade de biotina pode contribuir para a patologia da EM (Anagnostouli 1999). Embora o mecanismo da capacidade da biotina para prevenir ou reparar danos nervosos seja desconhecido, a biotina pode prevenir a desmielinização progressiva melhorando a função mitocondrial, aumentando a produção de energia cerebral, apoiando a produção de mielina aumentando a síntese lipídica e afetando a expressão gênica (Heidker 2016; Sedel 2016).

A biotina é excretada através do sistema urinário, e altas doses parecem ser bem toleradas em testes realizados até o momento (Peyro Saint Paul 2016; Sedel 2016). No entanto, altas doses de biotina podem interferir com certos testes de laboratório, incluindo testes de função tireoidiana, levando ao diagnóstico errôneo de tireotoxicose (Barbesino 2016; Minkovsky 2016; Elston 2016). Além disso, a possibilidade de teratogenicidade tem sido sugerida pela pesquisa com animais (Peyro Saint Paul 2016); Portanto, a segurança da alta dose de biotina na gravidez não está estabelecida, mas para maioria das pessoas é bem tolerada. Sugere-se que sob tratamento seja observada pelo profissional competente, nutricionista ou médico.


Referências: Lef- No corpo do texto!

TRATAMENTO ALTERNATIVO DISPLASIA CERVICAL!

Publicado em 15 de Fevereiro de 2019 – São Sebastião do Paraíso – MG

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


By, Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista

 

Referências – https://nutricaobrasil.wordpress.com/2019/02/13/displasia-cervical-e-cancer-tratamento-alternativo/

Displasia e Câncer cervical

CREATINA NO TRATAMENTO DA ESCLEROLSE LATERAL AMIOTRÓFICA!

Publicado em 15 de Fevereiro de 2019 – São Sebastião do Paraíso -MG

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com

 

Referências: –

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2019/02/12/estudos-mostram-que-a-creatina-regride-sintomas-da-esclerose-lateral-amiotrofica/

 

Creatina no Tratamento de ELA

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com

Tratamento Câncer colorretal

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com