A VITAMINA D3 NO TRATAMENTO DA DOENÇA RENAL GLOMERULOESCLEROSE E OUTRAS!

Publicado em 30 de Junho de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG.

Para receber um tratamento ou atendimento entrar em contato no email abaixo

juliocaleiro@hotmail.com   TEL CONSULTÓRIO – 35 3531 8423


rim

A VITAMINA D EVITA A PROGRESSÃO DA DOENÇA RENAL  E MELHORA MARCADORES DE FUNÇÃO RENAL- GLOMERULOESCLEROSE e OUTRAS

By – Júlio Caleiro – Nutricionista

          Estudos tem demonstrado que a vitamina D3, pode ser uma intervenção promissora para retardar a perda de função renal em doenças renais crônicas, com alto nível de proteinúria e demais marcadores de função renal  muito alterados, com e sem restrição de sódio na dieta. Outro estudo com uso de altas doses de vitamina D foi capaz de suprimir significativamente a excreção de albumina urinária, impediu aumentos na creatinina sérica e nitrogênio na ureia sérica, e inibiu a evolução da glomeruloesclerose. Terapias combinadas entre Telmisartan e Oxacalcitriol pode impedir apoptose de células e impediu totalmente a lesão de células renais.

       Os grupos tratados com VITAMINA D não apresentavam hipercalcemia, hipercalciúria ou hiperfosfaturia mesmo em altas doses. Além disso, o tratamento com vitamina D não afetou os níveis de beta (2) m ou NAG na urina, e não induziu alterações histológicas em regiões tubulares ou intersticiais.

CONCLUSÕES:

Esses achados sugerem que a vitamina D em altas doses pode fornecer um agente clinicamente útil para prevenir a progressão da glomerulosclerose sem afetar adversamente o metabolismo do cálcio e fósforo ou causar disfunção tubular subsequente.

 

Para receber um tratamento entre em contato no email – juliocaleiro@hotmail.com

ou Tel consultório – 35 3531 8423


Referências:

Nephrol Dial Transplant. 2002 Dez; 17

Kidney Int. 1998 Jun; 53 (6)

Nephron. 2015;

Am J Pathol. 2013 Abr; 

Am J Nephrol. 2012; 35 (1):

 

O tratamento com penicilina G e hidrocortisona reduz sintomas e elimina outros associados a E.L.A.( Esclerose Lateral Amiotrófica).

 PENICILINA

O tratamento com penicilina G e hidrocortisona reduz sintomas associados a E.L.A :

Publicado em 25 de Maio de 2017 – São Sebastião do Paraíso – MG – Para receber orientações e tratamentos entrar em contato no email – juliocaleiro@hotmail.com
Consultório – 35 3531 8423.
————————————————————————————————————
By, Júlio Caleiro –

Seis (6) pacientes caucasianos do sexo masculino com ELA foram admitidos no hospital devido a disfagia progressiva e disartria. Durante dois ciclos de 21 dias com penicilina G e hidrocortisona, a disfagia e disartria desses pacientes foram resolvidas. Os outros sintomas associados à ELA também melhoraram, incluindo função respiratória, coordenação, caminhada e força muscular. Este é o primeiro relato de um tratamento com protocolo para o tratamento da disfagia, disartria, depressão respiratória e outros sintomas relacionados à ELA . Além disso, as observações são consistentes com a hipótese recente de que o tratamento foi bem sucedido aos sintomas da ELA com este ciclo de tratamento.  A penicilina G administrada com a hidrocortisona, trataram os sintomas de ALS destes doentes devido à atividade farmacológica fora do alvo da penicilina G e / ou hidrocortisona. Este relatório, portanto, sublinha a necessidade de avaliar a eficácia deste tratamento  em um ensaio clínico maior, mas que já pode ser usado com segurança em pacientes de ELA com orientação e receita médica.

Referências:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5383939/figure/f1/

Seguem imagens antes do tratamento e depois.

O AMINOÁCIDO L-SERINA, REGRIDE SINTOMAS E RETARDA A PROGRESSÃO DA ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA – E.L.A EM HUMANOS E ANIMAIS EM QUASE 40%!

Publicado em 22 de Maio de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG

Para receber um tratamento completo envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com

Tel consultório – 35 3531 8423


By, Júlio Caleiro – Nutricionista

O AMINOÁCIDO L-SERINA em doses adequadas RETARDA A EVOLUÇÃO DA ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA – E.L.A.

l-serina

         A substância β-N-metilamino-L-alanina (BMAA) foi ligada a ELA  e mostrou produzir neuro-degeneração in vitro e in vivo,  em (Drosophila, ratinhos, ratos, primatas e outros).     A corporação de BMAA em neuroproteinas produz a destruição de proteínas, provocando neuro-degeneração, que pode ser inibida pela  ação da L-serina em doses corretas individualizadas.  Uma observação feita é que alguns estudos controle da Inglaterra indicam que viver perto de corpos D’água com flores cianobactérias, aumenta o risco de desenvolver esclerose lateral amiotrófica (ELA ). A distribuição de casos de ELA em New Hampshire, Vermont e na Flórida foi comparada com a dos controles, e áreas de aumento estatisticamente significativo em elevado número de casos de ELA, onde foram examinadas quanto às fontes de toxinas ambientais semelhantes as citadas acima. Em contrapartida a essas informações um ensaio clínico de fase I, o uso do aminoácido L-serina oral foi realizado em 20 doentes com ELA com doses específicas, que o leitor poderá solicitar as doses ao Dr. Júlio Caleiro pelo email acima, para um tratamento completo.

         A segurança e a tolerabilidade foram avaliadas comparando a taxa de deterioração com 430 controles de placebo correspondentes. No ensaio de fase I de L-serina, dois doentes abandonaram devido a efeitos secundários gastrointestinais mas nada grave ou que comprometesse a saúde. Três pacientes morreram durante o estudo pela própria doença que já estava muito evoluída e já era esperado pelos pesquisadores. O ALSFRS-R nos doentes tratados com L-serina mostrou uma diminuição da taxa de progressão relacionada com a dose de (34% de redução). A distribuição não aleatória de endereços de pacientes com ELA sugere que a exposição residencial a poluentes ambientais pode desempenhar um papel importante na etiologia da ELA . A altas doses de L-Serina  duas vezes por dia mostrou-se segura em doentes com ELA reduzindo a evolução e os sintomas .

        Estudos exploratórios de eficácia sugeriram que a L-serina retarda a progressão da doença em níveis excelentes. Está previsto um ensaio de fase II em breve. A distribuição não aleatória de endereços de pacientes com ELA ,sugere que a exposição residencial a poluentes ambientais pode desempenhar um papel importante na etiologia da ELA.


Referência:

Neurotox Res. 2017 May 19

Publicado em 21 de Maio de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG –

PARA RECEBER ORIENTAÇÃO EXPRESSA OU ATENDIMENTO ENTRE EM CONTATO EM  –  juliocaleiro@hotmail.com  OU  35 3531 8423 – CONSULTÓRIO.

chá verde

By – Júlio Caleiro – Nutricionista

O chá é uma das bebidas mais simples que você pode preparar, e um dos alimentos mais saudáveis ​​também. A grande coisa sobre chás é que existem vários tipos para agradar o paladar de todos, e você pode adicionar mais ingredientes para melhorar ainda mais o sabor e o perfil nutricional. Mas de todas as variedades vendidas no mercado, o chá verde é provavelmente o melhor!

Esta receita de chá verde é um lanche que pode ser feito no meio da tarde, que vai levantar sua energia. Ele pode até ser usado como uma bebida pré-treino para maximizar o seu desempenho.

Energy-Boosting Chá verde misturado ao coco:
Ingredientes
  • 1 dose de chá verde quente preparado orgânico
  • 1 a 2 colheres de sopa de óleo de coco
  • Uma porção pequena de Whey protein concentrada de baunilha em pó
  • Um pitada de canela
  • 1 colher (sopa) de óleo de triglicéridos de cadeia média (MCT), opcional.
Procedimento
  1. Usando um liquidificador, misture o chá quente e óleo de coco.
  2. Cuidadosamente tocar com a ponta do dedo a mistura  para testar a temperatura. Se estiver muito quente para tocar, precisa esfriar um pouco antes de adicionar o pó de proteína de soro de leite (para evitar danificar os nutrientes).
  3. Uma vez que está a uma temperatura que você pode tocar confortavelmente, adicione o pó de proteína e canela. Misture novamente. Apreciar!

    Nota: Diferentes marcas de pós de proteína de soro de leite têm diferentes níveis de conteúdo nutricional e doçura. Tente adicionar 2 colheres de sopa primeiro e depois ajustar para o seu gosto preferido.

O chá verde é uma fonte surpreendente de antioxidantes poderosos

O chá verde contém uma alta concentração de polifenóis, que oferecem cerca de 25 a 100 vezes melhor atividade antioxidante em comparação com as vitaminas C e E. Muitos estudos têm sido feitos sobre este  super alimento, e os resultados sugerem que pode ajudar com:

  • Saúde cardiovascular: Consumir chá verde regularmente pode ajudar a diminuir os níveis prejudiciais de colesterol (LDL) e elevar os níveis de colesterol bom (HDL). 1
  • Gestão de peso: As catequinas no chá verde pode ajudá-lo a perder peso, aumentando o seu metabolismo e promover a queima de gordura em seu corpo. 2
  • Câncer: Resultados de vários estudos sugerem que o chá verde pode ajudar a diminuir o risco de câncer pancreático, pulmão, esofágico, colorretal, ovariano, pele e estômago.
  • Diabetes : Resultados de um estudo de 2013 indicam que o chá verde pode ter um efeito positivo contra os sintomas de diabetes tipo 2.
  • Função cerebral: O chá verde pode ajudar a melhorar o desempenho cognitivo à medida que envelhecemos. Em um estudo de 2010, os pesquisadores descobriram que os polifenóis ajudaram a suprimir a formação de placa beta amiloide cerebral em ratos.

Óleo de coco possui gorduras saudáveis!

Os ácidos graxos de cadeia média (MCFAs) no óleo de coco fornecem uma fonte de energia limpa e saudável, porque eles não aumentam o seu peso. Isso porque este tipo de gordura é imediatamente absorvida e convertida pelo fígado em combustível. E isso não é tudo – os MCFAs ajudam a melhorar a absorção de vitaminas lipossolúveis. Eu uso óleo de coco, tanto quanto eu posso na minha cozinha devido aos benefícios mencionados acima, bem como pelas seguintes razões:

  • Aumento e melhora a ção do sistema imunológico: Os vários ácidos graxos e lipídios no óleo de coco pode melhorar o sistema imunológico. Eles demonstraram  ser encontrados em ajudar a combater micróbios prejudiciais, como levedura , vírus e bactérias.
  • Saúde do coração: Semelhante ao chá verde, o consumo de óleo de coco pode ajudar a diminuir seus níveis de colesterol ruim (LDL) e aumentar os níveis de colesterol bom (HDL).
  • Redução da fome: Os MCFAs do óleo de coco podem ajudá-lo a sentir-se mais cheio, ajudando a reduzir o consumo total de calorias. Em um estudo, os participantes que comeram MCFAs consumiram 256 menos calorias em média, em comparação com comedores de dieta com alto teor de gordura. 14

Canela adiciona mais nutrientes para impulsionar o perfil nutricional do chá verde!

A canela é uma especiaria derivada da casca interna da árvore cinnamomum, que é então deixado de fora para secar e produzir a cor, sabor e aroma para o qual é conhecido. Estudos descobriram que a canela contém diferentes compostos que podem proporcionar benefícios à saúde, tais como:

  • Aumentando a função antioxidante : Canela é rica em polifenóis, que podem ajudar a eliminar os radicais livres em todo o corpo.
  • Regulando a resposta da inflamação : Consumir a canela pode ajudar a promover a resposta inflamatória apropriada.
  • Controle da sensibilidade à insulina: De acordo com um estudo de 2010 no Journal of Diabetes da Ciência e Tecnologia, a canela tem o potencial em diminuir o risco de resistência à insulina, síndrome metabólica e diabetes tipo 2.

Referências:

1-PrimalPaleo.com, “3 Ways Coconut Oil Can Boost Your Immune System”.
2-Authority Nutrition, “10 Impressive Health Benefits of Coconut Oil”.
3- International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, 1996.
4-Muscle Insider, “What Is Whey Protein and How Is It Made?” March 19, 2013.
5-Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 2014.
6-Bioresource Technology, 2008.
7-Journal of Diabetes Science and Technology, 2010.
8-Nutrients, 2013.
9-The International Journal of Obesity, 2009.
10-Nutrients, 2014 Nov.
11-Carcinogenesis, 2006 Jul.
12-Molecular Nutrition & Food Research, 2011 Jun.
13-American Journal of Epidemiology, 2008.
14-Gynecologic Oncology, 2012 Sep.
15-Current Drug Targets: Immune, Endocrine and Metabolic Disorders, 2003.
16-European Journal of Pharmacology, 2004.
17-Diabetes & Metabolism Journal, 2013 June.
18-International Journal of Pharmaceutics, 2010.

A vitamina C pode regredir cânceres e metástases em 100%!

Publicado em 08 de Maior de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG – Para receber uma orientação ou agendar consulta ligar para – 35 3531 8423 – ou enviar emails para

juliocaleiro@hotmail.com

—————————————————————————————————-

By, Júlio Caleiro – Nutricionista

A vitamina C colocou em regressão múltiplas metástases pulmonares , que se originou de um carcinoma hepatocelular. Após tratamento com administração de altas doses de vitamina C, a paciente de 74 anos apresentou-se à clínica com sintomas relacionados ao câncer, como fraqueza geral e anorexia. Após a realização de quimioembolização transarterial inicial (TACE), foi encontrada recorrência local e metástases pulmonares múltiplas. Ela recusou realizar terapia convencional (quimioterapia), incluindo o tosilato de sorafenib (Nexavar). Ela recebeu altas doses de vitamina C, e as múltiplas metástases pulmonares foram regredidas completamente!

——————————————————————————-

Referência:

Yonsei Med J. 2015 Sep; 56(5):1449-52.

Óleo de coco pode auxiliar na produção de testosterona

.oleo-de-coco
Em 23 de abril de 2017, por Luciano Pimenta e Júlio Caleiro.
O óleo de coco auxilia a produção de testosterona, enquanto contém algumas propriedades anti-estrogênicas. O óleo de coco aumenta a conversão de colesterol para testosterona dentro das células Leydig.  O óleo de coco também estimula a atividade das enzimas 3Beta-HSD e 17beta-HSD que estimulam a produção de testosterona.
O que faz o óleo de coco ter propriedades anti-estrogênicas é o fato de óleo ser repleto de esteróis, que são inibidores naturais da aromatase. O que torna o óleo de coco diferente de muitas outras fontes de gordura saturada (ex: manteiga, gorduras animais, ovos), é o fato de que a grande maioria dos ácidos graxos são triglicerídeos de cadeia média – TCM.
TCM são metabolizados de forma diferente de muitas outras gorduras, uma vez que o organismo os desloca diretamente para o fígado, onde ele é usado como energia instantânea ou os converte em corpos cetônicos. Este efeito é uma característica especial dos TCM, e é provavelmente o motivo de sua capacidade em aumentar a taxa metabólica.
 ——————————————————————————–
Referências:

Salvando pacientes da Septicemia (sepse) e da morte, simplesmente com vitaminas!

septicemia

Como reverter a sepse com vitaminas? – 

São Sebastião do Paraíso -MG  – Publicado em 23 de Abril de 2017 – Tel consultório – 35- 3531 8423.

juliocaleiro@hotmail.com


Para receber orientações ou tratamento enviar emails para – juliocaleiro@hotmail.com

By, Ed. Júlio Caleiro – Nutricionista

A septicemia é um processo progressivo de doença causado por uma resposta imune agressiva e disfuncional a uma infecção na corrente sanguínea. Começa com sintomas de infecção que podem evoluir para choque séptico, ao menos se for tratado – e quanto mais cedo melhor – a sepse pode resultar em pressão sanguínea extremamente baixa que não responde à reposição de fluidos, enfraquecimento do coração e falência de múltiplos órgãos.

A sepse é uma infecção hospitalar comum  mas doenças como bronquite, pneumonia, infecção de garganta ou rim também podem se tornar sépticas, assim como infecções localizadas causadas por bactérias, fungos ou vírus. A condição torna-se particularmente problemática e mortal se a infecção envolve Staphylococcus aureus resistente à meticilina ou resistente à vancomicina. Cada ano, estima-se que 1 milhão de americanos são diagnosticados com septicemia e até metade deles morrem. O tratamento pode ser um desafio, e está se tornando ainda mais complicados quando as infecções resistentes aos medicamentos se tornam mais prevalentes.

De acordo com a Agência de Pesquisa e Qualidade de Saúde, a sepsis é a condição mais cara a ser tratada em hospitais dos EUA, custando mais de US $ 20 bilhões em 2011 8 e US $ 24 bilhões em 2014. 9 A boa notícia é que um médico  que atua primeiros socorros pode ter encontrado uma maneira de salvar dezenas de milhares de vidas, e economizar bilhões de dólares a cada ano usando duas vitaminas prontamente disponíveis e um esteróide.

Vitamina C e tiamina – uma cura barata para a sepse!

A vitamina C é bem conhecida por sua capacidade de prevenir e tratar doenças infecciosas. Pesquisas anteriores demonstraram que efetivamente reduz as citocinas pró-inflamatórias e a proteína C-reativa, Influenza,  encefalite e sarampo foram todos tratados com sucesso com altas doses de vitamina C.

Estudos têm mesmo mostrado que vitamina C é seletivamente citotóxica para células cancerosas, gerando peróxido de hidrogênio quando administrado por via intravenosa (IV) em altas doses. Ela também apresenta excelentes efeitos sob o coração e muitos benefícios cardiovasculares. O poder anti-infeccioso da vitamina C foi demonstrado mais uma vez pelo Dr. Paul Marik, um médico de cuidados críticos no Hospital Geral de Sentara Norfolk, em East Virginia. Em janeiro passado, quando se deparou com uma paciente quase morta, Marik decidiu tentar uma combinação de vitamina C (intravenosa) com hidrocortisona como um último esforço para salvar a vida da mulher.

Recentemente,  ele havia lido o artigo de um colega sobre a vitamina C, e sabia que a vitamina C atuava como o hidrocortisona esteroide, por isso, em um palpite, ele administrou os dois juntos. Funcionou. Enquanto todos esperavam que ela morresse, a mulher fez uma notável recuperação noturna. Conforme relatado pela NBC4i News: 16

“A equipe não podia acreditar, então eles tentaram de novo e de novo – com os mesmos resultados. Eles adicionaram um terceiro elemento, tiamina, para o tratamento IV também. Agora, eles usaram o tratamento em cerca de 150 pacientes e Dizem que o resultado é o mesmo …

Um pesquisador da Universidade Old Dominion, John Catravas, Ph.D., … fez um laboratório independente estudo que confirma a eficácia do tratamento.

Curiosamente, Marik usou uma quantidade relativamente pequena de vitamina C. A maioria dos médicos de medicina natural tendem a usar dose muito mais elevada que ele usou de vitamina C, mais de 20 vezes a dose utilizada aqui. Só se pode imaginar quanto mais eficaz seria uma dose maior!

É tudo sobre a combinação certa de ingredientes

Para os primeiros dois ou três pacientes, apenas a vitamina C e a hidrocortisona foram utilizadas. Marik então decidiu adicionar tiamina por uma série de razões, por ela atuar no metabolismo de alguns dos metabolitos da vitamina C. A pesquisa também mostrou que muitos pacientes com sepse são deficientes em vitaminas, e quando a tiamina é administrada reduz a mortalidade. Pacientes com choque séptico que recebem tiamina também demonstraram ter um risco reduzido de insuficiência renal. O estudo retrospectivo de Marik, antes e depois do estudo clínico,  publicado na revista Chest, mostrou que a administração de vitamina C com hidrocortisona e tiamina (vitamina B1) durante dois dias reduziu a mortalidade quase cinco vezes, de 40% para 8,5%. – Caso queria receber um tratamento ou orientação de tratamento ou prevenção em pacientes hospitalizados entre em contato no email abaixo.

 juliocaleiro@hotmail.com

Dos 50 pacientes tratados, apenas quatro morreram – e nenhum deles realmente morreu de sepse. Eles morreram de sua doença subjacente. Curiosamente, testes laboratoriais adicionais descobriram que embora nem a vitamina C nem a hidrocortisona isoladas sejam capazes de prevenir a morte celular após a exposição a toxinas produzidas por bactérias, quando administradas em combinação, a mistura protege as células. Acontece que o palpite de Marik tinha sido realmente inspirado! Outras pesquisas também mostraram que a tiamina reduz a mortalidade por sepse e ajuda a proteger contra a insuficiência renal, razão pela qual  Dr.Marik decidiu adicioná-la à sua mistura. O tratamento tornou-se agora parte do hospital padrão de cuidados para a sepse, e esperamos tornar-se padrão de cuidados para a sepse em outros lugares também. Como observado por Marik, a sepsis mata cerca de 1.000 pessoas por dia nos EUA – isso é como é maior que a morte por  câncer de cólon e AIDS combinados, e aqui está um tratamento que não só é profundamente eficaz, mas também não tem efeitos colaterais e é barato, prontamente disponível e simples de administrar. Pacientes e médicos realmente não têm nada a perder por tentar.

Contra-Indicação Potencial

Embora mais pesquisas sejam necessárias para validar os achados, a administração de vitamina C e tiamina (vitamina B1) é tão segura que não há realmente necessidade de evitá-la. Certamente não vai fazer a situação piorar, a menos que aconteça de ser  um paciente glucose-6-fosfato desidrogenase (G6PD) deficientes (uma doença genética).

G6PD é uma enzima que os glóbulos vermelhos necessitam para manter a integridade da membrana. A vitamina C de alta dose IV é um forte pró-oxidante, e dar um pró-oxidante a um indivíduo deficiente na G6PD pode fazer com que seus glóbulos vermelhos se rompam, o que poderia ter conseqüências desastrosas.

Felizmente, deficiência G6PC é relativamente incomum, e pode ser testado antes. Pessoas de ascendência mediterrânica e africana correm maior risco de serem deficientes em G6PD. Em todo o mundo, a deficiência de G6PD AFETA cerca de 400 milhões de indivíduos, e nos Estados Unidos, estima-se que 1 em cada 10 homens afro-americanos têm isso.

Outros benefícios para a saúde da tiamina

A tiamina ou vitamina B1, encontrada na carne de porco, folhas verdes escuras, germe de trigo, ervilhas, lentilhas e nozes, é talvez mais conhecida por seu papel na produção celular de energia e suporte da atividade neuronal normal. No entanto, ele também tem uma ampla gama de outros benefícios para a saúde de acordo com a Clínica Mayo, estudos confirmam que a tiamina pode ser útil para uma longa lista de doenças e distúrbios, incluindo:

  • Doenças metabólicas e mitocondriais
  • Coágulos de sangue e artérias obstruídas
  • Ataxia cerebelar (distúrbio do movimento causado por dano neurológico)
  • Coma
  • Disfunção renal

Uma metanálise publicado em 2013 também encontrou suplementação de tiamina pode melhorar a função cardíaca naqueles com insuficiência cardíaca. Globalmente, os pacientes com insuficiência cardíaca tendem tendem a ser deficientes em tiamina, bem como outros micronutrientes. A deficiência de tiamina também tem sido associada ao delírio, fadiga da tireóide e Hashimoto (um distúrbio auto-imune da tireóide). Esses e outros efeitos sobre a saúde podem ajudar a explicar por que a tiamina funciona tão bem (em conjunto com a vitamina C e a hidrocortisona) para a sepse. As doses podem ser adquiridas no email sob atendimento. – juliocaleiro@hotmail.com

Além disso, todas as vitaminas do complexo B, incluindo a tiamina, são produzidas dentro do intestino desde que você tenha um microbioma do intestino saudável. Assim, comer alimentos reais idealmente orgânicos, juntamente com alimentos fermentados irá fornecer o seu microbioma  nutrientes importantes e bactérias benéficas para ajudar a otimizar sua produção de vitamina B internamente. Se você tiver que passar por uma colonoscopia ou outros testes usando um escopo médico flexível, lembre-se de perguntar como eles limpam seus escopos e que tipo de solução de limpeza que eles usam. Se a resposta é glutaraldeído (marca Cidex), encontre outro hospital ou clínica – um que use o ácido peracético. Este trabalho preliminar irá diminuir significativamente o risco de contrair uma infecção de um escopo contaminado e você adquirir sepse.


Referências:

NBC4i.com March 23, 2017
Chest 2016. MERCOLA!
Mayo Clinic, Sepsis.
JAMA Internal Medicine 2010.
PharmacoEconomics. 2004
NIH.gov Sepsis Fact Sheet.
Advisory Board, May 21, 2014.
Heart Failure July 2013.
Innovations in Clinical Neuroscience 2013.
Thyroidpharmacist.com February 3, 2015
Nutrition Reviews. Consumer Reports August 23, 2016
National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse, UTIs in Adults
Agency for Healthcare Research and Quality Healthcare Cost and Utilization Project Statistical Brief No. 160 August 2013; Canadian Medical Association Journal 2017
Journal of Translational Medicine 2012; Riordan Clinic Press Release October 2012
Naturalhealth365.com November 22, 2016.
Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics 1999.
Clinical Guide to the Use of Vitamin C by Fredrick R. Klenner, MD
NPR March 23, 2017.
Dr. Malcolm Kendrick, January 28, 2017; NIH.gov Glucose-6-Phosphate Dehydrogenase Deficiency.
University of Maryland Medical Center, Vitamin B1
Livestrong.com, Foods High in B Vitamins
Oregon State University, Thiamine
Mayo Clinic, Thiamine
EurekAlert! February 22, 2010
National Center for Health Statistics Data Brief No. 62 June 2011.