Início » Artigos publicados por Dr. Júlio Caleiro (Página 4)

Arquivo do autor:Dr. Júlio Caleiro

Mytosterone® elevou os níveis de testosterona em 50%, conforme estudo científico.

testosterona

Em 07 de janeiro de 2015, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

O suplemento ‘MyTosterone’ (composto de astaxantina e saw palmetto) aumentou em 50% os níveis de testosterona em homens após 40 dias de uso, sem causar aromatização (conversão de testosterona em hormônio feminino – estradiol). Um grupo tomou uma pequena dose de Mytosterone e outro grupo uma dose elevada. Ambos os grupos foi observada significativa elevação dos níveis de testosterona e diminuição desejável de Dihidrotestosterona – DHT. Todavia, no grupo que ingeriu elevada dose de Mytosterone observou-se também uma acentuada queda dos níveis de estradiol, normalizando seus níveis naquele grupo.

Mais uma vez fica demonstrado que em muitos casos é possível normalizar a produção hormonal usando apenas nutrientes, sem hormônios. Dê a matéria prima necessária ao organismo para produção hormonal e elimine inflamações subclínicas que a saúde retorna normalmente.

Fonte:

http://newhope360.com/trends/published-clinical-study-shows-mytosterone-boosts-testosterone-levels-50-while-reducing-dht-a

Referência científica:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18700016

Extrato de carrapicho e ácido rosmarínico tratam rinite alérgica

rinite-alergica-2

Em 02 de janeiro de 2015, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Para quem sofre de rinite alérgica, estudos clínicos europeus tem demonstrado que a erva ‘Carrapicho’, pode ser tão eficaz quanto os principais medicamentos para alergia como Zyrtec e Allegra. Isso representa um avanço para todos os pacientes alérgicos, pois agora podem ficar livres dos efeitos colaterais (ex: sonolência grave, fadiga, palpitações) de medicamentos anti-histamínicos tradicionais para tratar alergias.

Outras pesquisas tem identificado o ácido rosmarínico como uma ajuda na normalização da inflamação e da resposta imune que acompanham as reações alérgicas. Esses dois agentes botanicos oferecem grande alívio aos pacientes com rinite alérgica.

Desde a idade média, ‘carrapicho’ foi utilizada para aliviar infecções e febres. Mais tarde, foi usada na Europa, norte da Africa e da Asia para tratar tosse, congestão e asma. Principais constituintes do Carrapicho incluem petasin e isopetasin, fitoquímicos que reduzem os espasmos do músculo liso e relaxam o inchaço da membrana nasal – Altern Med Rev. 2001 Apr;6(2):207-9; Planta Med. 1994 Aug;60(4):318-22.; Biochem Pharmacol. 2001 Apr 15;61(8):1041-7.

O primeiro grande estudo randomizado, duplo-cego, com extrato de carrapicho, foi relatado por pesquisadores suíços no British Journal of Medicine em 2002, com 125 pessoas que sofriam de rinite alérgica. Para 61 pacientes foram tratados com um comprimido de extrato de carrapicho (contendo 8mg de petasin) quatro vezes por dia, e 64 pacientes foram tratados com 10mg de citrizina (Zyrtec), tomado uma vez por dia. Os pesquisadores verificaram que os pacientes que suplementaram com carrapicho tiveram diminuição dos sintomas da alergia semelhantes aos pacientes que tomaram cetirizina. Todavia, dois terços dos pacientes que tomaram cetirizina tiveram efeitos colaterais, como fadiga e sonolência, e nenhum efeito adverso foi observado no grupo que ingeriu carrapicho. – BMJ. 2002 Jan 19;324(7330):144-6

Em outro estudo realizado na Suíça, seis pacientes com rinite alérgica aguda receberam dois comprimidos de carrapicho, três vezes ao dia. Na conclusão do estudo, os pesquisadores ficaram impressionados com os níveis significativamente mais baixos de histamina e leucotrienos nos pacientes do estudo. Descobriram que a respiração dos pacientes atingiram parâmetros normais até o final do período de cinco dias. (Int Immunopharmacol. 2002 Jun;2(7):997-1006).

Um dos principais pesquisadores sobre os benefícios do Carrapicho foi Dr. Schapowal. Em suas descobertas, confirmou o carrapicho como um tratamento eficaz e substituto eficaz de medicamentos na gestão de alergias sazonais. No final de um de seus estudos controlados por placebo, envolvendo 330 pacientes, Dr. Schapowal concluiu que carrapicho é tão eficaz quanto o medicamento Allegra (fexofenadina), no tratamento de rinite alérgica intermitente, sem apresentar os efeitos sedativos do anti-histamínico – Arch Otolarynol Head Neck Surg. 2004 Dec;130(12):1381.

Outro estudo já comparou carrapicho ao medicamento Allegra, e novamente, ambos tiveram efeitos semelhantes em controlar a alergia dos pacientes por ácaros. – Clin Exp Allergy. 2004 Apr;34(4):646-9.

Além do Carrapicho, outro nutriente importante é o ácido rosmarínico em reduzir os sintomas de uma resposta alérgica. Ácido rosmarínico é um polifenol encontrado em plantas como manjericão, hortelã, alegrim e sálvia.

Em um estudo com humanos, a equipe japonesa realizou um estudo de 21 dias, duplo cego, controlado por placebo, e verificou-se que ácido rosmarínico reduziu os sintomas de inchaço nos olhos, coceira e lacrimejamentos, e ainda, observou-se níveis baixos de células imunes em exames laboratoriais de fluidos nasais, comparados com o grupo placebo – Exp Biol Med. 2004 Mar;229(3):247-5.

Lifeextension.com

Tratamento de canal pode dar origem a graves doenças!

51IVEIbsF7L._SY344_BO1,204,203,200_

Em 01 de janeiro de 2015, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

(*Texto baseado no artigo do médico Dr. Joseph Mercola, o qual está fundamentado nos estudos dos dentistas e pesquisadores Dr. Weston Price e Dr. George Meinig)

Você sofre de alguma doença degenerativa crônica? Segundo os pesquisadores Dr. Weston Price e Dr. George Meinig, a principal causa de sua doença pode estar em sua boca. Os cientistas tem alertado sobre os graves perigos a mais de 100 anos nos procedimentos dentários de endodontia e tratamento de canal.

Os canais radiculares dos dentes são essencialmente ‘mortos’, que podem se tornar incubadoras de bactérias anaeróbias altamente perigosas, que sob certas condições alcançam a corrente sanguínea e causam uma série de doenças graves, muitas das quais passaram a existir nas últimas décadas. Infelizmente, a maioria dos dentistas desconhecem estes riscos a que estão submetendo seus pacientes, com consequências para o resto da vida.

Dr. Price, dentista e pesquisador, observou que muitas doenças crônico-degenerativas resultam da prática da endodontia, e as doenças mais comuns verificadas foram as cardíacas e circulatórias. Certa vez, Dr. Price recomendou a uma mulher que tinha seis anos de cadeiras de rodas em retirar o canal, embora parecia estar em perfeitas condições. Foi feito implante sob a pele de um coelho, e surpreendentemente o coelho desenvolveu o mesmo tipo de artrite sofrida pela mulher, e morreu de infecção 10 dias mais tarde. A mulher ao ficar livre de ‘dentes tóxicos’, recuperou-se imediatamente e voltou a andar sem auxílio de bengala.

Em 1922, Dr. Price escreveu dois livros revolucionários, detalhando a pesquisa sobre a relação entre doenças bucais e doenças crônicas. Infelizmente, seu trabalho foi engavetado por 70 anos, até que finalmente o endodontista Dr. George Meining compreendeu a importância daquele trabalho e voltou a expor a verdade.

Dr. Meining é membro fundador da Associação Americana de Endodontia (especialista em canal radicular). Na década de 1990, ele passou 18 meses imerso na investigação do Dr. Price. Em junho de 1993 o Dr. Meining publicou um livro chamado ” Root Canal Cover- up”, que ainda é a melhor referência sobre o assunto até o momento.

O que dentistas não sabem sobre a anatomia dos seus dentes?

Os dentes são feitos da substâncias mais complicada do corpo. No meio de cada dente existe a câmara pulpar, uma estrutura interna macia que abriga os vasos sanguíneos e os nervos. Em torno da câmara fica a dentina, que é feita de células vivas que segregam uma substância mineral dura. A camada mais externa do dente é o esmalte branco, a dentina delimitadora.

A cada raiz dos dentes acopla a mandíbula e são realizadas pelo ligamento periodontal. Na escola, os dentistas são ensinados que cada dente tem de 1 à 4 canais principais. No entanto existem canais adicionais, e nunca são mencionados.

Como o corpo que têm grandes vasos sanguíneos que se ramificam em pequenos vasos capilares, cada um de seus dentes tem muitos pequenos túbulos, eles podem se estender a três milhas. ‘Weston Price’ identificou 75 canais adicionais em um único incisivo central (dente da frente). Para uma explicação mais detalhada, consulte o artigo de Huggins , DDS, MS , no site da Fundação Weston A. Price.

Normalmente , os microrganismos microscópicos se movem dentro e em torno destes túbulos, como micróbios em túneis subterrâneos.

Quando o dentista realiza procedimento e um canal de raiz, ele(a) faz um buraco no dente e em seguida preenche essa lacuna com uma substância (chamado guta percha), que corta do dente o fornecimento de sangue, de modo que o líquido já não pode circular através do dente. Mas pequenos túbulos permanecem lá. E bactérias que tiravam sua fonte de alimento se escondem nos túneis, onde eles ficam muito protegidos de antibióticos e as defesas imunes do seu próprio corpo.

Aí começa principal causa de muitas doenças!

Sob o estresse causado pela falta de oxigênio e privação de nutrientes, esses organismos amigáveis ​​transformam em algo mais forte, que produz uma variedade de toxinas poderosas. O que antes eram bactérias comuns e amigáveis, agora se tornam patógenos altamente tóxicos que se escondem nos túbulos do dente morto, apenas esperando por uma oportunidade para se espalhar.

E tudo isso ocorre acompanhado por poucos ou nenhum sintoma. Isso quer dizer você pode ter um abscesso no dente morto e nem sequer sabe. Esta infecção focal na área de endodontia é ruim o suficiente, mas o estrago não para por aí.

A gengivite pode levar infecção ao coração, rins, ossos e cérebro

Enquanto o sistema imunológico permanece forte, todas as bactérias que esteja no dente infectado é capturado e destruído. Mas se o seu sistema imunológico está enfraquecido devido a um acidente, doença ou trauma, seu sistema imunológico pode ser incapaz de manter a infecção sob controle.

Estas bactérias podem sair dos tecidos e vai para a corrente sanguínea, onde são transportados em novos locais. Estes novos locais pode ser qualquer órgão, glândula ou tecido.

Dr. Price foi capaz de transmitir doenças e as abrigou por seres humanos para coelhos, para implementar fragmentos de dentes endodônticos, como já referi em cima. Ele descobriu que quando o coelho recebeu os fragmentos de dentes de uma pessoa que teve um ataque cardíaco, fez com que o coração do coelho tivesse o mesmo problema em algumas semanas.

Ele achou que poderia passar ao coelho doenças cardíacas em 100% . Outras doenças eram mais do que 80% transferível usando este método. Quase todas as doenças crônico-degenerativas têm sido relacionados com endodontia, incluindo: doenças cardíacas, doenças renais, artrite, doenças reumáticas e articulares, doenças neurológicas (esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, Alzheimer), e doenças autoimunes (lúpus e etc).

Poderia também ser uma ligação com o câncer?  Dr. Robert Jones pesquisador da relação entre os canais radiculares e câncer de mama, descobriu uma correlação muito alta entre os canais radiculares e câncer de mama.  Ele diz as seguintes correlações encontradas em um estudo que durou cinco anos, mais de 300 casos de câncer de mama:

Com 93%  das mulheres com câncer de mama tinham sofrido um tratamento de canal. Os tumores, na maior parte dos casos foram do mesmo lado do corpo em que se praticava o “tratamento” de canal radicular ou outra patologia.

Dr. ‘Josef Issels’ relatou que em seus 40 anos lidando com pacientes com câncer “Terminal”, 97 % dos pacientes com câncer tinha sofrido um tratamento de canal. Se esses médicos estão certos, a cura para o câncer poderia ser tão simples como extrair um dente, e em seguida reforçar o seu sistema imunológico.

Bactérias boas viram ruins!

Como essas bactérias mutantes orais relacionam à doenças cardíaca ou artrite? Atualmente as bactérias podem ser identificadas por análise do DNA, sejam elas vivas ou mortas e vestígios de indicadores de DNA.

Como continuação do trabalho do ‘Dr. Price’, a Fundação de Pesquisa de Elementos Tóxicos (FRET por sua sigla em Inglês), sob análise de DNA usado para examinar um dente com tratamento de canal e contaminação bacteriana, foram encontrados em 100 por cento das amostras analisadas as seguintes cepas: Identificado 42 espécies diferentes de bactérias anaeróbicas em 43 amostras. Na cavitação, identificou-se 67 diferentes bactérias analisadas em 85 amostras, e com amostras individuais abrigavam entre 19 e 53 tipos de bactérias. As bactérias que foram encontrados incluem os seguintes tipos: Capnocytophagaochracea, Fusobacterium nucleatum; Gemellamor billorum; Leptotrichia buccalis; Porphyromonas gingivalis.

Estes são apenas bactérias benignas e comum? Claro que não! Quatro destas podem danificar o coração, as 3 iniciais podem danificar os nervos, tanto pode danificar os rins, as duas ultimas podem danificar o cérebro e podem danificar as cavidades nasais … então todos não são amigáveis​​. (Convido você a rever as referências no rodapé deste texto e confirmar isso).

Encontra-se aproximadamente 400 por cento mais bactérias no sangue em torno do canal da raiz do dente “tratado”, do que é encontrado no mesmo dente não lesionado. Verificou-se que o osso ao redor do dente em questão tem ainda mais bactérias o que não é uma surpresa, já que o osso é um buffet virtual de nutrientes para as bactérias agora.

Nenhum outro procedimento médico  permite deixar uma parte de um corpo morto, dentro de seu corpo. Quando o apêndice morre, é removido. Se você tiver um congelamento ou algum dedo do pé sob grangrena, este é amputado. Se um bebê morre no útero, geralmente o corpo lança um aborto.

Seu sistema imunológico não se preocupa com substâncias mortas e a mera presença de tecido morto pode fazer com que seu sistema imunológico lance um ataque, o que é outra razão pela qual você deve evitar canais radiculares, e deixando um dente morto dentro da sua boca.

A infecção, bem como a reação de rejeição imunológica provoca mais bactérias e estas se acumulam no tecido morto. Canais radiculares fornece as bactérias a oportunidade de entrar na corrente sanguínea cada vez que você morde.

O que você precisa saber para evitar uma Endodontia

Eu recomendo fortemente que um tratamento de canal não seja praticado! Arriscar a sua saúde para salvar um dente só não faz sentido. Infelizmente muitas pessoas já fizeram um procedimento desses! Se este for o caso, você deve considerar que irá remover o dente mesmo que não se sinta bem. Lembre-se, assim que seu sistema imunológico está comprometido e o risco de desenvolver sérios problemas de saúde aumenta, e os ataques do sistema imune são muito comuns no mundo de hoje.

Se você tem um dente extraído há algumas opções disponíveis para você .

Prótese parcial: É uma prótese removível, que é muitas vezes chamado de “parcial”. É o mais simples e menos dispendioso.

Ponte : Este é um elemento permanente, como um dente real mas é um pouco mais complicado e dispendioso.

Implante : Este é um dente artificial permanente, geralmente titânio implantados nas gengivas e mandíbula . Esse método tem alguns problemas, por causa das reacções aos metais utilizados.  O Zircônio é um novo material que tem sido mostrado ter menos complicações.

Mas a simples remoção do dente e colocar algum tipo de substituto artificial não é suficiente!

Os dentistas são ensinados a remover o dente mas em deixar o ligamento periodontal. Como sabemos este ligamento pode ser usado para alimentar as bactérias mortais. A maioria dos especialistas que estudaram isso recomendam que também deve remover esse ligamento, juntamente com um milímetro de cavidade óssea a fim de reduzir drasticamente o risco de desenvolver uma infecção dos tecidos infectados com bactérias que foram deixadas.

Eu recomendo fortemente que você consulte um dentista biológico, porque eles são os únicos que foram devidamente treinados para fazer esse tipo de extração com ação correta e segura, eles também são especialistas em remoção de obturações de mercúrio, (amálgamas) se necessário. Sua abordagem para o atendimento odontológico é muito mais holística e considera o impacto sobre todo o seu corpo, não só em sua boca.

Para encontrar um DENTISTA BIOLÓGICO, entre em contato no site:

http://www.odontologiabiologica.com.br/

Assista o vídeo do médico Dr. Joseph Mercola abordando o assunto:

 

Assista também trecho da aula do Dr. Lair Ribeiro, médico cardiologista e nutrólogo:

Referências

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2012/02/18/dangers-of-root-canaled-teeth.aspx

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/11/16/why-you-should-avoid-root-canals-like-the-plague.aspx

Terapia metabólica com a suplementação de Deanna Protocol atrasa a progressão da doença e prolonga a sobrevivência em pacientes com Esclerose Lateral amiotrófica (ALS).

The-Deanna-Protocol

Publicado em 26 de Dezembro de 2014 – São Sebastião do Paraíso – MG.

Para receber uma orientação expressa envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com   Tel consultório – 35 3531 8423

———————————————————————————————–

By – Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista –

Terapia metabólica com a suplementação de Deanna Protocol atrasa a progressão da doença e prolonga a sobrevivência em pacientes com Esclerose Lateral amiotrófica (ALS).
Ari C1, Poff AM1, Held HE1, Landon CS1, Goldhagen CR1, Mavromates N1, D’Agostino DP1.

Esclerose Lateral Amiotrófica (ALS), também conhecida como doença de Lou Gehrig, é uma doença neurodegenerativa de neurônios motores que causam fraqueza muscular progressiva, paralisia, e eventual morte devido a insuficiência respiratória. Atualmente, não há cura ou tratamento eficaz para ALS. Além da degeneração dos neurônios motores, ALS está associada com o metabolismo energético prejudicado, o que é fisiopatologicamente ligada à disfunção mitocondrial e excitotoxicidade do glutamato. O protocolo Deanna (DP) é uma terapia metabólica que tem sido relatado em aliviar os sintomas em pacientes com ALS. Neste estudo, a hipótese de que os combustíveis alternativos na forma de intermediários do ciclo TCA, especificamente arginina-alfa-cetoglutarato (AAKG), o principal ingrediente da DP, e da dieta cetogênica (KD), aumentaria a função motora e sobrevivência em modelos animais com ALS (SOD1-G93A). Ratos com ELA foram alimentados com dieta padrão do roedor, ou apenas uma das dietas contendo uma terapia metabólica dos ingredientes principais da DP ( DEANNA PROTOCOL) consistindo de AAKG, ácido gama-aminobutírico, coenzima Q10, e triglicéridos de cadeia média e caprílico. Avaliação da ALS-like foi realizada utilizando um critério pré-definido para a pontuação neurológica, acelerado teste rotarod, teste de resistência aperto de pata, e teste de força. A glicose no sangue e níveis plasmáticos de beta-hidroxibutirato, e peso corporal foram também monitorizados. A Associação em SD + DP em camundongos, apresentaram melhora na pontuação neurológica de idade 116-136 dias, em comparação com ratinhos de controle. Camundongos KD-alimentados exibiram melhor desempenho motor em todos os testes de função motora aos 15 e 16 semanas de idade, em comparação ao grupo controle. A associação SD + DP e terapias KD + DP, aumentou significativamente o tempo de sobrevivência de ratos SOD1 G93A-7,5% (p = 0,001) e 4,2% (p = 0,006), respectivamente. 63% dos ratos no KD + DP e 72,7% do grupo SD + DP viveu últimos 125 dias, enquanto apenas 9% dos animais de controle sobreviveu além desse ponto. A Segmentação do metabolismo energético com a terapia metabólica proposta, produz um efeito terapêutico em ratos com ELA que podem prolongar a sobrevida e qualidade de vida em pacientes com ELA.

———————————————————

Referência:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25061944

Nutrientes essenciais na gravidez e durante a amamentação

Em 18 de dezembro de 2014, Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

jul2006_report_dha_02

Uma orientação muito valiosa às gestantes ou às mães em fase amamentação do Dr. Lair Ribeiro (médico nutrólogo e cardiologista), para que gerem filhos inteligentes e com ótima saúde.

O quarteto diário de nutrientes são:

300ml de água de coco natural (extraído diretamente da fruta)
Vitamina D3
Ômega 3 (RICO EM DHA)
Iodo (solução de Lugol)

Procure um nutricionista funcional de sua confiança e inicie o uso dos nutrientes indispensáveis ao desenvolvimento saudável do seu filho. Neste quarteto eu apenas acrescentaria a vitamina K2-MK7 junto à vitamina D3, ácido fólico e 2 à 3 ovos de galinha caipira cozidos (comer com a gema!), para garantir um melhor desenvolvimento ósseo e metabólico para a criança.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

CELLFOOD: suplemento que otimiza o oxigênio no organismo e trata várias doenças

cellfood-book

Em 17 de dezembro de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista

(Contribuição especial de Luciano Caleiro Pimenta Júnior – estudante de Biologia Ortomolecular)

O oxigênio é vital para o funcionamento saudável e perfeito do nosso organismo. O oxigênio compreende 65% do nosso corpo. Como que algo que representa 65% de todo nosso corpo não é dada a devida atenção quando o assunto é saúde? Podemos viver alguns dias sem água, algumas semanas sem alimento, mas não vivemos alguns minutos sem oxigênio. Todas as nossas funções do corpo são reguladas pelo oxigênio, e que deve ser substituído de momento em momento, pois 90% da nossa energia vital depende disso.  Noventa por cento de toda nossa energia biológica se origina no oxigênio. Logo, pergunto novamente: como isso não pode ser importante? O oxigênio dá energia para a célula para que ela possa regenerar. O oxigênio é o único elemento capaz de se combinar com praticamente todos os outros elementos , para formar os componentes essenciais necessários para construir e manter nossos corpos. Dr. Stephen Levine, um biólogo molecular e especialista em nutrição, importante pesquisador, afirmou: “Podemos olhar para a deficiência de oxigênio como a única grande causa de todas as doenças.” Com isso, já considerou que sua patologia/doença também pode ter uma origem ou estar envolvida na deficiência de oxigênio?

Para otimizar o oxigênio no organismo, há um suplemento chamado de CELLFOOD. CELLFOOD é um suplemento alimentar capaz de otimizar o uso e absorção do oxigênio presente no corpo, levando-o para toda parte do organismo, onde é preciso, de maneira natural e fisiológica. Esta suplementação já é usada e conhecida há mais de 30 anos (desde janeiro de 1978), fruto de intensos estudos do pesquisador, Everett Lafayette Storey, o qual  chegou a ser chamado de gênio por Albert Einstein.

Vejamos alguns benefícios constatados em estudos científicos:

Cellfood foi verificado em regular o crescimento celular e foi considerado útil para prevenção ao câncer de cólon e mesotelioma (J Exp Clin Cancer Res. 2014 Mar 5;33:24).

Cellfood auxilia no tratamento do câncer por induzir a apoptose, alterando o metabolismo da célula cancerosa. Os pesquisadores concluíram que “devido à sua ação antioxidante e propriedades pró-apoptóticos, Cellfood pode ser um bom candidato na prevenção ao câncer”. (J Exp Clin Cancer Res. 2013 Sep 9;32:63.).

Em outro estudo concluíram que ‘Cellfood reduziu o estresse oxidativo intracelular…Cellfood pode ser um coadjuvante útil na prevenção e tratamento de várias condições fisiológicas e patológicas relacionadas com o estresse oxidativo, do envelhecimento à aterosclerose, da neurodegeneração ao câncer.” (Food Chem Toxicol. 2011 Sep;49(9):2292-8)

Cellfood foi útil no tratamento de doenças neurodegenerativas (ex: Alzheimer), apresentando melhorias nos parâmetros oxidativos e metabólicas, além disso, apresentou efeito de quelação de metais, algo importante nesses estados patológicos – Biomed Res Int. 2014;2014:281510.

Cellfood foi eficaz em melhorar os sintomas de fibromialgia, trazendo uma qualidade de vida melhor aos pacientes – Reumatismo. 2007 Oct-Dec;59(4):316-21.

Cellfood foi comprovado em melhorar a capacidade oxidativa mitocondrial, otimizando o metabolismo respiratório e ainda ativando mecanismos antioxidantes na célula, preservando a função endotelial. – J Physiol Pharmacol. 2011 Jun;62(3):287-93.

Logo, diversos benefícios tem sido observados em estudos científicos sérios no uso correto deste suplemento, que pode ser muito útil em diversos tratamentos de doenças, podendo trazer uma melhor qualidade de vida ao paciente.

*Todas as referências estão citadas no corpo da matéria.

Lugol 7% trata câncer de pele, segundo o oncologista Dr. Tullio Simoncini

10592663_1018002764892084_8797615135727971328_n

Em 10 de dezembro de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

“Dr. Tullio Simoncini [Médico Oncologista] afirma:

“Todo tumor da pele [câncer de pele] pode ser completamente removido com tintura de iodo a 7% [LUGOL 7%], pincelando várias vezes (10-20x), uma vez por dia. Ao ser formada a crosta, não retirá-la, tratar de forma contínua e esperar até que caia sem qualquer outra intervenção, exceto a tintura de iodo. Quando a crosta cair pela terceira vez, o paciente está curado.”

O Lugol somente pode ser usado sob prescrição médica ou indicação de nutricionista. Procure um profissional de saúde de sua confiança para avaliar a possibilidade de utilizar o iodo em seu tratamento. Não faça nenhum procedimento terapêutico sem orientação de um profissional de saúde competente. Apresente esta terapia ao seu médico e solicite orientações para eventual aplicação.


Referência:

E-Book: Treatment Essentials, Dr. Mark Sircus, p.480

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 175 outros seguidores