Início » Artigos publicados por Dr. Júlio Caleiro (Página 4)

Arquivo do autor:Dr. Júlio Caleiro

Bromelina e seus surpreendentes benefícios no combate ao câncer!

bearddj175

Em 03 de março de 2016, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Uma das razões pelas quais o tratamento convencional do câncer é um fracasso é porque ele depende de quimioterapia.

O médico Dr. Joseph Mercola diz: “as drogas da quimioterapia são, por sua própria natureza, extremamente tóxicos e, normalmente, trabalham contra a capacidade natural do seu corpo em combater o câncer, por exemplo, destruindo a imunidade do hospedeiro, ao invés de apoiá-lo/auxiliá-lo. Um dos maiores inconvenientes da quimioterapia é o fato de que ela destrói as células saudáveis em todo o seu corpo juntamente com as células cancerosas, um efeito colateral que muitas vezes leva à morte acelerada, não cura.”

A boa notícia é que um punhado de compostos naturais tem sido descoberto que exibem um efeito chamado de ‘citotoxidade seletiva‘, isto é, são capazes de matar células de câncer sem atacar as células saudáveis. Este tipo de tratamento do câncer é inteligente, e não resultará na morte do paciente pelos efeitos colaterais.

O composto Bromelina [ou bromelaína], presente no abacaxi, mata células cancerosas sem prejudicar o organismo. A bromelina é uma enzima proteolítica (uma enzima que digere proteínas). Uma pesquisa publicada na Revista Planta Medica descobriu que a bromelina é superior à quimioterapia, droga: 5-FU [5-fluorouracil], cujo índice de sobrevivência foi aproximadamente 263%, em relação ao grupo controle não tratado.

O que torna impressionante é que a bromelina teve esses bons resultados sem causar danos adicionais aos animais.

Seria o câncer um resultado de baixas enzimas pancreáticas?

O uso de enzimas para tratar o câncer, com sua base científica, tem suas raízes em 1911 com John Beard. Beard acreditava que o cancer é resultado da diminuição de enzimas pancreáticas, o que prejudica a resposta imune. Um estudo de 1999 sugere que Beard pode ter acertado em sua hipótese.

Dez doentes com câncer do pâncreas inoperável foram tratados com doses elevadas de enzimas pancreáticas orais (juntamente com desintoxicação e uma dieta orgânica) e suas taxas de sobrevivência foram de 3 a 4 vezes maior do que pacientes que receberam o tratamento convencional. As enzimas proteolíticas podem ser úteis no tratamento de cancer porque ajudam a restaurar o equilíbrio do sistema imunológico.

As enzimas proteolíticas pode ser úteis no tratamento do câncer porque ajudam a restaurar o equilíbrio de seu sistema imunológico. O médico Dr. Nick Gonzalez, de Nova York, realizou inúmeros trabalhos sobre enzimas no tratamento de câncer e inclusive escreveu um livro a respeito, abordando os benefícios do uso de enzimas no tratamento do câncer.

Algumas das maneiras que as enzimas proteolíticas podem ser úteis na lutra contra o cancer são:

1. Reforço de citocinas, particularmente interferon e fator de necrose tumoral, que são guerreiros importantes na destruição de células cancerosas;

2. Diminuição da inflamação;

3. Diluição de fibrina: as células cancerosas se escondem sob o manto de fibrina para escapar da detecção. Uma vez que as células cancerosas ficam descobertas, elas podem ser atacadas e vistas pelo sistema imunológico. Acredita-se que a fibrina torna as células agrupadas o que aumenta a chance de metástase.

4. Estudos alemães demonstraram que as enzimas aumentam a potência de macrófagos e células assassinas (que combatem as células cancerosas) em 12 vezes.

Todavia, a forma de administração das enzimas ditará o tratamento buscado. No caso de utilizar as enzimas em forma de suplemento (cápsulas) e com o fim de que as enzimas sejam utilizadas sistemicamente, é fundamental que sejam consumidas com o estomago vazio. Caso contrário, seu corpo as usará para digerir a comida consumida, ao invés de serem absorvidas no sangue e fazer o trabalho sistemicamente.

Procure um nutricionista ou médico de sua confiança que compreenda sobre o uso de enzimas, pois a dose é outro fator importante neste tratamento.

Referências:

  1. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2012/07/11/bromelain-enzyme-aid-cancer-treatment.aspx
  2. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/08/21/enzymes-special-report.aspx
  3. http://draxe.com/6-unbelievable-health-benefits-bromelain/
  4. Green Med Info December 24, 2011
  5. Therapeutic efficacy of bromelain in impacted third molar surgery: A randomized controlled clinical study. Ordesi P, et al. Quintessence Int. 2014 Jul 10.
  6. Pillai K, et al. Anticancer effect of bromelain with and without cisplatin or 5-FU on malignant peritoneal mesothelioma cells. Anticancer Drugs. 2014 Feb;25(2):150-60.
  7. Büttner L, et al. Efficacy and tolerability of bromelain in patients with chronic rhinosinusitis–a pilot study. B-ENT. 2013;9(3):217-25.
  8. Conrozier T, et al. A complex of three natural anti-inflammatory agents provides relief of osteoarthritis pain. Altern Ther Health Med. 2014 Winter;20 Suppl 1:32-7.
  9. Báez R, et al. In vivo antitumoral activity of stem pineapple (Ananas comosus) bromelain. Planta Med. 2007 Oct;73(13):1377-83.
  10. Secor ER Jr, et al. Bromelain Inhibits Allergic Sensitization and Murine Asthma via Modulation of Dendritic Cells. Evid Based Complement Alternat Med. 2013;2013:702196.
  11. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19116226
  12. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22191568

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA E USO DA ACETYL CARNITINA

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA E USO DA ACETYL CARNITINA

Para receber um tratamento ou informações envia mensagens no email – juliocaleiro@hotmail.com    Tel consultório – 35 3531 8423

ALS

———————————————————-

By, Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 24 de Fevereiro de 2016 – São Sebastião do Paraíso – MG

Estudos tem demonstrado que o uso diário da L-Acteyl Carnitina pode ajudar a prolongar a vida dos pacientes acometidos de Esclerose Lateral Amiotrófica. As dosagens são diferenciadas, por isso sugiro que os pacientes procure seu nutricionista ou neurologista para aplicabilidade da substância citada. Também recomendo que os pacientes estejam realizando o protocolo Deanna de forma completa, onde estudos tem mostrado excelentes resultados tanto na estabilização sintomática como evitar a progressão rápida da doença. Segue abaixo o link para conhecer o protocolo Deanna.

https://nutricaobrasil.wordpress.com/?s=deanna&submit=

 

 

“Restrição ao sal aumenta mortes e hospitalizações por doença cardíaca”, diz o médico Dr. David Brownstein

Salt-3

Dr. David Brownsteinmédico norte-americano, autor do livro “Salt: Your Way to Health (Sal: o caminho da saúde), é graduado pela Universidade de Michigan e Wayne State University School of Medicine. É professor clínico de Medicina da Wayne State University School of Medicine. É membro da Academia de Médicos de Família, da Academia Americana de Medicina Preventiva e da Sociedade de Acupuntura de Michigan e da Academia Americana de Acupuntura Médica.

Sobre o nutriente SAL, este médico e professor de medicina diz que:

“Desde que me formei na escola de medicina, em 1989, eu cheguei a conclusão de que muito do que me foi ensinado estava errado. Na verdade, na minha formatura na escola de medicina, o reitor disse: “50% do que acabamos de lhes ensinar está errado, o trabalho de vocês é descobrir qual parte foi correta e o que foi incorreto”. Quando os estudantes de medicina vem ao meu escritório, eu sempre os incetivo a questionar tudo, a questionar o que lhes foi ensinado. Eu fui ensinado na escola médica de que uma dieta com pouco sal é saudável. Além disso, foi colocado em minha cabeça que qualquer pessoa com doença cardíaca, particularmente insuficiência cardíaca, deve limitar o sal na dieta. Na verdade, isso é o padrão do cuidado de um cardiologista ao seu paciente com problemas de coração, limitar o sal da dieta. Isto é especialmente verdade quando o paciente sofre de insuficiência cardíaca. Então, se limitando sal na dieta de um paciente com insuficiência cardíaca teríamos um melhor resultado? Um estudo recente (Journal of the American College of Cardiology: Heart Failure.  Vol. 4, No. 1, January, 2016) procurou avaliar o impacto da restrição de sódio em pacientes com insuficiência cardíaca. Foram inscritos 902 pacientes com insuficiencia cardíaca e os acompanharam por 36 meses. Com base na ingestão de sódio, os indivíduos foram classificados em dois grupos: ‘restrição ao sódio (<2.500 mg/dia) e irrestritos ao sódio (> 2.500 mg/dia).

Resultado: a restrição ao sódio foi associado a um risco significativamente maior de morte ou hospitalização por insuficiência cardíaca em 85%. Os autores concluíram: “em pacientes com insuficiência cardíaca, restrição de sódio pode ter um impacto NEGATIVO sobre o resultado”.

O sal é o segundo principal constituinte do corpo humano, ao lado da água. Se os médicos estão sugerindo para limitar o segundo principal constituinte do corpo eles deveriam ter bons dados sólidos disponíveis para fazer essa recomendação. Eu testei milhares de pacientes para verificar seus níveis de sal e descobri que a maioria, mais de 90% são deficientes de sal. Nunca houve dados sólidos para demonstrar que a limitação de sal em pacientes cardíacos seja benéfico.

O sal é um nutriente essencial no organismo. A maioria das pessoas que limitam o sal em suas dietas tornam-se fracos pelos muitos efeitos adversos, incluindo pressão arterial elevada (sim, você leu corretamente!), disfunção cerebral, fadiga, fraqueza, bem como dores musculares e câimbras nas pernas.

O sal é um nutriente vital; não podemos viver sem ele. É tão vital como o oxigênio ou a água para o nosso corpo. Para a maioria das pessoas, limitar o sal é uma ideia ridícula. Existem poucas pessoas sensíveis ao sal e distantes entre si. É importante comer o tipo certo de sal e evitar o sal refinado.”

Para finalizar, há estudo no sentido de que uma dieta baixa em sal aumenta em até 400 vezes o risco de infarto do miocárdio (ALDERMAN, M., Hypertension, 1995).

Referência:

Salt Restriction Increases Heart Disease Deaths and Hospitalizations

Vitamina B1 e seus inúmeros benefícios!

k31663382

Em 17 de fevereiro de 2016, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Para orientação expressa ou atendimento, enviar email para  – juliocaleiro@hotmail.com  ou ligue 35 3531-8423

Vitamina B1 (Tiamina) é uma coenzima utilizada pelo corpo para metabolizar o alimento em energia e na manutenção adequada do coração e da função nervosa. Tiamina é usada para digerir e extrair energia a partir dos alimentos que ingerimos, transformando nutrientes em energia utilizável na forma de ‘ATP’. Quando os níveis de tiamina são baixos, os carboidratos e proteínas (aminoácidos) não podem ser usados adequadamente pelo corpo para realizar diversas funções importantes.

A tiamina quando em combinação com as demais vitaminas do complexo B, regulam funções importantes do sistema cardiovascular, endócrino e digestivo. A vitamina B1 é utilizada por quase todas as células do corpo.

A deficiência de B1 pode provocar fraqueza, fadiga crônica, complicações cardíacas, psicose e danos nos nervos.

Vejamos mais alguns sintomas provocados pela deficiência de B1:

Anorexia

Colite

Problemas digestivos

Danos nos nervos

Inflamação do nervo (nevrite)

Fadiga

Diminuição da memória de curto prazo

Confusão

Irritabilidade

Fraqueza muscular

Alterações mentais, tais como apatia ou depressão

Efeitos cardiovasculares, ex: coração ampliado.

Vejamos alguns dos benefícios da vitamina B1

1. Mantém o metabolismo saudável: tiamina é necessária para fazer o ATP, a principal moléculas transportadora de energia do corpo, dentro das mitocôndrias das células. A ingestão de tiamina é também dado aos pacientes para ajudar a corrigir distúrbios metabólicos associados a doenças genéticas.

2. Evita danos nos nervos: a tiamina é necessária para converter carboidratos dessa nossa comida em energia para o corpo, especialmente para o cérebro e sistema nervoso. Tiamina contribui também para o desenvolvimento adequado das bainhas de mielina, que envolvem os nervos para protegê-los de danos e morte.

3. Promove um sistema cardiovascular saudável: tiamina é essencial para produção do neurotransmissor chamado acetilcolina. Ele é usado para transmitir mensagens entre os nervos e músculos, e nosso coração, sendo um dos principais músculos depende desses sinais cruciais. A fim de manter a função cardíaca adequada e ritmos do batimento cardíaco saudáveis, os nervos e músculos devem ser capazes de utilizar a energia do corpo para manter essa sinalização entre músculos e nervos.

4. Aumenta a imunidade: Tiamina ajuda na secreção de ácido clorídrico, que é essencial para a digestão completa de partículas de alimentos e de absorção de nutrientes. Digestão saudável permite que o corpo extraia nutrientes dos melhores alimentos, os quais são usados para aumentar a imunidade.

5. Trata o Alcoolismo: tiamina ajuda a diminuir o risco no desenvolvimento da doença específica cerebral chamada síndrome de Wernicke-Korsakoff (WKS). WKS incluem sintomas como movimentos musculares involuntários, danos nos nervos, letargia e dificuldade para caminhar. Esse distúrbio do cérebro está relacionado a baixos níveis de tiamina e é muitas vezes visto em alcoólatras. Acredita-se que entre até 80% de alcoolicos tem deficiência de tiamina. Altas doses de tiamina também pode ajudar a diminuir os sintomas de abstinência de alcool.

6. Evita distúrbios cerebrais: tiamina auxilia na prevenção de dano cerebral chamado de síndrome cerebelar. Altas doses de tiamina evitam certos distúrbios de memória. Além disso, tiamina promove diminuição do risco da doença de Alzheimer.

7. Melhora a aprendizagem: tiamina é essencial para o aumento da concentração, energia, combatendo o estresse crônico, e possivelmente a prevenir a perda da memória. Estudos tem relacionado a deficiencia de tiamina a problemas de aprendizagem.

8. Ajuda a manter o bem-estar: tiamina melhora a capacidade do corpo para suportar o stress, razão pela qual as vitaminas B são muitas vezes chamadas de ‘anti-stress’. A falta de energia pode contribuir para um humor pobre, e baixa motivação. A tiamina é necessária para impulsionar o humor e defender contra a depressão e ansiedade.

9. Ajuda a prevenir problemas de visão: alguns estudos mostram que tiamina pode ajudar a prevenir problemas de visão, como catarata e glaucoma. Isto é devido à sua capacidade de influenciar a relação entre nervo e o músculo, o que é importante na transmissão de informações dos olhos para o cérebro.

Das formas disponíveis de vitamina B1 sugiro a suplementação pela forma BENFOTIAMINA. Benfotiamina é melhor que tiamina em penetrar nas membranas celulares,  ajudando a proteger nervos, retina, rins e outras células. Estudos sugerem que os benefícios da benfotiamina podem ultrapassar muito os da tiamina (Int J Clin Pharmacol Ther. 1998 Apr;36(4):216-21.)

Referências:

Jpn J Pharmacol. 1974 Dec;24(6):825-9.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/4377016

Subcell Biochem. 2012;56:199-227

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16550223

Congest Heart Fail. 2013 Jul-Aug;19(4):214-22

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23910704

Alcohol Res Health. 2003;27(2):134-42.

https://www.nlm.nih.gov/medlineplus/druginfo/natural/965.html

Psychopharmacology (Berl). 1997 Jan;129(1):66-71.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9122365

Vitamin B1/ Thiamine Deficiency, Benefits & Foods

http://www.cortjohnson.org/blog/2013/07/05/is-simple-relief-from-fibromyalgia-mecfs-found-early-reports-spark-interest/

http://thyroidpharmacist.com/articles/thiamine-and-thyroid-fatigue

 

Vitamina D3 combate o vírus da dengue, conclui estudo.

dengue-fever

Em 16 de fevereiro de 2016. Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Estudo conclui que a vitamina D3 promove queda significativa de células infectadas pelo vírus da dengue, sem afetar a viabilidade celular. Além disso, a vitamina D3 reduz significativamente as citocinas pró-inflamatórias (substâncias que promovem inflamação no organismo).

Concluem os pesquisadores que a vitamina D3 representa um composto antiviral potencialmente útil.

Referência científica:

Antiviral Res. 2012 Apr;94(1):57-61

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22387385

Restrição de ‘metionina’ pode reverter qualquer câncer!

São Sebastião do Paraíso -MG – Tel consultório – 35 3531 8423 – Para receber orientações envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com

metionina
Restrição de metionina pode reverter qualquer câncer! – Colaboração especial do renomado pesquisador – (Gustavo Molina – Buzz) São Paulo – SP.

——————–

By Júlio Caleiro – Nutricionista

Quarenta anos atrás um estudo foi publicado mostrando pela primeira vez que muitos canceres humanos têm o que foi chamado de “Dependência Absoluta de Metionina”, que significa que se você tentar cultivar células em vitro sem lhes dar o aminoácido metionina, células normais prosperam normalmente, mas as células cancerosas morrem!
células normais da mama crescem com ou sem metionina, mas as células cancerosas precisam que a metionina seja adicionada para proliferarem! O que tem a ver com a metionina? Tumores geram compostos gasosos contendo enxofre, (fétido) de forma interessante podem ser detectadas até por cães especialmente treinados! Há cães farejadores que detectam câncer de pulmão, de pele, de intestino devido a formação de enxofre em maior grau no paciente oncológico.

A ‘Metionina dependência’ não é apenas presente em linhas celulares in vitro. Os próprio tumores biopsiados de pacientes mostram que muitos canceres parecem ter um defeito bioquímico que os torna dependentes de metionina, incluindo alguns tumores do cólon, mama, ovário, próstata e pele. As empresas farmacêuticas estão lutando para ser o primeira a sair com uma droga que diminui os níveis de metionina. Mas sabemos que a metionina é proveniente principalmente de alimentos, a melhor estratégia pode ser a de reduzir os níveis de metionina, ou seja a nutrição é a ferramenta principal neste sentido. Diminuindo a ingestão de metionina eliminando alimentos ricos em metionina, o que terá um impacto direto tanto para controle do crescimento do câncer como para a extensão do tempo de vida.

Aqui está o pensamento consensual: a cessação do tabagismo, o consumo de dietas ricas em folhas e verduras, e outras medidas de estilo de vida podem prevenir a maioria dos tipos de câncer! Infelizmente, a maioria das pessoas não fazem isso, e como resultado, centenas de milhares de pessoas desenvolvem câncer metastático cada ano pelo mundo. Os tratamento de quimioterapia tem efeitos apenas alguns poucos tipos de câncer metastático! Infelizmente, a grande maioria dos canceres metastáticos comuns tais como câncer da mama, da próstata, do cólon, e do pulmão são letais. Por isso, precisamos desesperadamente de novas estratégias de tratamento para o câncer metastático, e essa se chama ‘restrição de metionina’ na dieta, o que pode vir a ser uma excelente estratégia.

Então, onde está metionina é encontrada? A metionina está presente nos alimentos proteicos, uns possuem bem mais que outros. Sugiro que as pessoas procurem seu nutricionista para adequar um plano alimentar de restrição e ênfase, para que realmente o paciente possa beneficiar de um tratamento alternativo como esse, sem efeitos deletérios para a saúde. Há também os compostos em produtos de origem animal que pode realmente estimular o crescimento do tumor. A proteína animal também pode aumentar os níveis do hormônio semelhante à insulina, que pode promover o aumento de câncer, o chamado IGF-1. Combinados, isto poderia ajudar a explicar por que as folhas e as dietas ricas à base de hortaliças têm sido eficazes e potencialmente em reverter alguns processos cancerosas! Somente para fins de exemplo, os morangos apresentam efeitos maravilhosos contra o câncer esofágico, e framboesas pretas contra o cancro oral!

Então, porque os oncologista não prescrevem uma dieta baixa em metionina? Apesar de muitos estudos promissores pré-clínicos e clínicos nos últimos anos de restrição da metionina dietética e outras abordagens dietéticas para o tratamento do câncer, estas ainda não ganharam ampla aplicação em clínica, pois a maioria dos médicos e investigadores não são familiarizados com abordagens nutricionais para o câncer, o que na verdade é uma tarefa dos Nutricionistas. Muitos outros especialista ainda consideram a nutrição ou a estratégia de restrição do aminoácido metionina como uma” ideia antiga, uma vez que foi descoberto já por várias décadas! No entanto é uma excelente estratégia de tratamento, porém isso pode levar décadas se não séculos antes de ser aplicada em clínica. A restrição de metionina na dieta quer isoladamente ou em combinação com outros tratamentos, pode vir a ter um grande impacto em pacientes com câncer!

—————————————————-

Referências:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22342103

http://www.integrativeoncology-essentials.com/2014/07/kill-cancer-restricting-methionine-rich-foods/

 

VITAMINA D3, CONTRA O ZIKA VÍRUS’!

Publicado em 05 de Fevereiro de 2016 – São Sebastião do Paraíso -MG –

zika

By; Júlio Caleiro

Uma excelente saída para o ZIKA VÍRUS é melhorar os níveis de vitamina D3 no organismo! As Gestantes devem estar com bons níveis acima de 60ng. Seu médico já solicitou exames de vitamina D3 para averiguar se seus níveis estão dentro dos patamares excelentes, para que você possa ter um sistema imune equilibrado? A vitamina D3 é um anti-viral potente!

Para orientações expressa -envie emails para – juliocaleiro@hotmail.com

———————————————–

Referências:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3308600/