Início » EVIDÊNCIAS » Resveratrol em altas doses tem efeitos excelentes contra a Esclerose Lateral Amiotrófica!

Resveratrol em altas doses tem efeitos excelentes contra a Esclerose Lateral Amiotrófica!

Categorias

Publicado em 25 de Dezembro de 2018 – São Sebastião do Paraíso -MG.

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


 

als

Para receber atendimento ou orientação expressa entre em contato no email – juliocaleiro@hotmail.com   ou telefone – 35 3531 8423

 

By, Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista

 

A esclerose lateral amiotrófica ( ELA ) é uma doença neurodegenerativa que tem sido associada a mutações na metaloenzima superóxido dismutase (SOD1), causando desestabilização e agregação estrutural de proteínas. No entanto, a ação mecanicista e a cura da doença ainda permanecem obscuras. Aqui, inicialmente foi estudado as preferências conformacionais das estruturas da proteína SOD1 por substituição de Ala em Gly93, em comparação com a ELA do tipo selvagem. Nossos resultados corroboraram com os estudos experimentais anteriores sobre a agregação e a atividade desestabilizadora da proteína SOD1 mutante G93A. Do ponto de vista terapêutico, analisamos computacionalmente a influência do resveratrol, um polifenol natural amplamente encontrado no vinho tinto ( porém em doses muito pequenas, principalmente para tratamento) mas que em doses terapêuticas mostrou ser excelente aos pacientes. Além disso, cálculos FMO foram realizados, usando o GAMESS para estudar a interação do par residual nos sistemas complexos tipo selvagem e mutante.

Posteriormente, no estudo foi avaliado as preferências conformacionais dos sistemas complexos tipo selvagem e mutante, onde as estruturas conformacionais de proteína mutante que foram encontradas anteriormente perdendo sua estabilidade conformacional, sendo assim recuperadas, após a administração de altas doses do resveratrol. Assim, os estudos biofísicos e quânticos combinados com esse novo estudo apoiaram os resultados experimentais anteriores, estipulando assim uma ação do resveratrol na SOD1 mutante, abrindo caminho para usá-lo como um dos inibidores eficazes altamente potentes contra a esclerose lateral amiotrófica.

Além disso o resveratrol exerce efeitos neuroprotetores, principalmente através da regulagem de expressão da Sirt1, conseqüentemente suprimindo o estresse oxidativo e regulando negativamente o p53 e sua via apoptótica relacionada. Coletivamente, nossos achados sugerem que o resveratrol pode fornecer uma intervenção terapêutica promissora e muito boa para o tratamento de pacientes portadores de Esclerose Lateral Amiotrófica.

Obs: SIRT 1 —>  Estudos sugerem que as sirtuínas humanas podem funcionar como proteínas reguladoras intracelulares.

 

O tratamento para evitar a morte do neurônio motor usa-se doses muito elevadas, hiperdosagens e por isso deve ser acompanhada com médico ou Nutricionista.



 

Referências:

Biomed Res Int. 2014;

J Comput Aided Mol Des. 2018 Dezembro

Neurotherapeutics. 2014 Apr;11


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: