Início » EVIDÊNCIAS » Metformina não é apenas para diabéticos!

Metformina não é apenas para diabéticos!

Categorias

Anúncios

 

glifage

 

Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Esta matéria não aconselha e nem sugere o uso de medicamento sem orientação ou prescrição médica! Trata-se apenas de uma matéria informativa.

Metformina (GLIFAGE-XR) é um dos principais medicamentos para tratar diabéticos tipo 2 ou com resistência à insulina, e apresenta poderosos efeitos em pacientes obesos que possuem níveis altos de insulina.[1] Os exames indispensáveis para avaliar se há diabetes ou resistência insulínica são:

  1. Insulina: os ótimos níveis são de 3 à 5 microUi/mL
  2. Glicemia jejum: 70 à 85 mg/dL (ótimos níveis)
  3. Hemoglobina glicosilada: abaixo de 5,0% (ótimos níveis)

Geralmente, alguns médicos solicitam tão somente o exame de glicemia em jejum, o que é insuficiente, já que a pessoa pode estar com altíssimos níveis de insulina, com pâncreas trabalhando acelerado com o fim de manter os níveis de glicose adequados. O ideal é que o organismo seja capaz de manter o controle de açúcar no sangue em níveis adequados, com  até 5 microUi/mL de insulina.

O teste de hemoglobina A1c verifica uma média ponderada dos níveis de açúcar no sangue dos últimos 3 à 4 meses.

Bom, estes são os 3 exames que considero indispensáveis e essenciais para avaliar se há diabetes ou resistência à insulina.

Todavia, metformina NÃO é apenas para diabéticos, segundo a conclusão do médico Dr. William Faloon, pesquisador fundador da Life Extension. Metformina tem origem botânica, é derivado da planta Gallega Officianalis, que já esteve na medicina popular por centenas de anos.[2]

Algumas das indicações da metformina:

PERDA DE PESO – EMAGRECIMENTO

Metformina favorece a perda de peso e melhora a resistência à insulina, até mesmo em pessoas não diabéticas.[3]

Sabe-se que a falta de controle glicêmico leva a doenças crônicas do envelhecimento. A redução da glicose no sangue, tem múltiplos benefícios relacionados com a saúde geral.

Por meio do aumento da sensibilidade à insulina, metformina protege pacientes obesos de disfunção entotelial e desordens cardiovasculares, ou seja, metformina auxilia na saúde do coração.[4] (Curr Drug Targets Cardiovasc Haematol Disord. 2004 Mar;4(1):53-6).

Metformina diminui a secreção de citocinas inflamatórias, assim diminui a inflamação corporal.[5]

Metformina tem forte efeito na surpressão do apetite, o que contribui para a luta do excesso de peso.[6]

A metformina tem fortes efeitos na redução de peso corporal, IMC, resistência a insulina, e outras manifestações de desordens do metabolismo.[7]

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Stanford descobriu que a metformina reduz significativamente o índice de massa corporal em adolescentes obesos, não-diabéticos. Isto marca um novo avanço promissor na luta contra sobrepeso e obesidade infantil.[8]

PROTEGE E AUXILIA NO TRATAMENTO DE VÁRIOS TIPOS DE CÂNCER

Metformina tem ação central na prevenção e no tratamento de cancer de mama, cancer do endométrio[9], cancer de próstata[10], câncer de colo[11], cancer de pulmão[12]. Qual outro remédio de tão baixo custo apresentam esses benefícios? Vamos entender como metformina é útil no tratamento e prevenção aos vários tipos de cancer.

Metformina ativa uma importante enzima chamada AMPK.[13] AMPK é considerada a ‘chave mestra’ que de alguma forma controla como as nossas células se comportam.[14] O aumento da ativação da AMPK reduz o armazenamento de gordura, aumenta a sensibilidade à insulina, reduz o colesterol, triglicérides, e suprime a inflamação crônica.[15] AMPK quando ativada imita muitos dos efeitos benéficos da restrição calórica, incluindo a perda de gordura.[16]

A ativação da enzima AMPK provoca uma cadeia de reação em moléculas que colaboram para suprimir o câncer.[17] Estudos em laboratório demonstram que a ativação da enzima AMPK por meio da metformina, pode suprimir o desenvolvimento e crescimento de células cancerosas da mama, ovário, pâncreas, e muitos outros tecidos.[18] [19] [20] [21]

Vamos citar alguns estudos quanto ao câncer de mama, em próximos artigos abordaremos os demais.

Câncer de mama

Um dos efeitos mais significativos da metformina estão em canceres do sistema reprodutivo, pois ele BLOQUEIA a enzima chamada AROMATASE, que pode estimular o estrogênio, que por sua vez poderia causar o crescimento de câncer.[22]

Estudos em laboratórios sugerem que a maioria das variedades de câncer de mama são passíveis de prevenção por meio de metformina.[23]

Metformina suprime uma proteína específica indutora de câncer (HER2), que aumenta drasticamente o risco de câncer de mama.[24]

Ao suprimir a proteína HER2, além de prevenir o aparecimento de câncer, metformina bloqueia o ciclo reprodutivo de células cancerosas, impedindo o seu crescimento, se uma vez já em desenvolvimento.[25]

A metformina tem como alvo seletivamente as chamadas ‘células-tronco do câncer’, células que resistem à quimioterapia, e medicamentos e pode regenerar e causar recaída da doença.[26]

Um estudo verificou que metformina está associado a uma redução de 56% do risco no desenvolvimento de câncer de mama.[27]

Alerto apenas que é preciso suplementar com vitamina B12 (metilcobalamina) sublingual aqueles que fazem uso de metformina, já que a metformina prejudica sua natural absorção, levando a pessoa ter uma deficiência importante desta vitamina. – Br J Diabetes Vasc Dis. 2004;4(6):401-6.

E como evitar os efeitos gastrointestinais (diarréia, azia, gases) que podem surgir com metformina?

De acordo com um estudo publicado no Journal of Ethnopharmacology (2005 Nov 14; 102(2): 202-7) verificaram que pessoas que consumiram 5.1 gramas da fibra PSYLLIUM tiveram uma melhor tolerância gástrica ao tomarem metformina em comparação com o outro grupo sem PSYLLIUM. Assim, pode ser útil iniciar com doses menores de PSYLLIUM (ex: 2 gramas), tomando com água, e aumentando gradualmente até 5 gramas, sempre que ingerir a metformina (ex: Glifage XR).

Uma alternativa recente é o uso de metformina micronizada transdérmica(creme de ultra-absorção) Pentravan. Uma das vantagens da Metformina HCl Fagron Micro em Pentravan® administrada por via transdérmica é evitar a passagem pelo trato gastrintestinal e a ocorrência dos indesejáveis efeitos gastrintestinais associados com a sua administração por via oral.

http://grupoessencialrj.com.br/2017/12/18/metforminamicro/

Além disso, há contraindicações importantes, como pessoas que já apresentam problemas renais, de fígado. Ademais, é possível algumas complicações gástricas, como azia, em pessoas mais sensíveis.

Solicite orientação ao médico de sua confiança sobre a possibilidade de incluir este medicamento em sua terapia.

Este medicamento só pode ser utilizado sob prescrição médica!

Para quem deseja aprofundar os estudos sobre a ação da metformina para indicações além do diabetes:

https://anti-envelhecimento.blogs.sapo.pt/225569.html

http://www.lifeextension.com//Magazine/2010/CE/The-Drug-Virtually-Everyone-Should-Ask-their-Doctor-About/Page-01

http://www.lifeextension.com//Magazine/2012/11/Metformin-Makes-Headline-News/Page-01

http://www.lifeextension.com//Magazine/2001/9/report_metformin/Page-01

http://www.lifeextension.com//Newsletter/2014/5/Metformin-Aids-In-The-Stabilization-Of-Metastatic-Prostate-Cancer/Page-01

[1] Exp Clin Endocrinol Diabetes. 2001;109 Suppl 2:S259-64

[2] Witters LA. The blooming of the French lilac. J Clin Invest. 2001 Oct;108(8):1105-7

[3] Ann Pharmacother. 2008 Jun;42(6):817-26.; Golay A. Metformin and body weight. Int J Obes (Lond). 2008 Jan;32(1):61-72

[4] Curr Drug Targets Cardiovasc Haematol Disord. 2004 Mar;4(1):53-6

[5] Diabetes. 2008 Jun;57(6):1501-7

[6] Ehret M, Goethe J, Lanosa M, Coleman CI. The effect of metformin on anthropometrics and insulin resistance in patients receiving atypical antipsychotic agents: a meta-analysis. J Clin Psychiatry. 2010 Apr 6.

[7] Aghahosseini M, Aleyaseen A, Safdarian L, Moddaress-Hashemi S, Mofid B, Kashani L. Metformin 2,500 mg/day in the treatment of obese women with polycystic ovary syndrome and its effect on weight, hormones, and lipid profile. Arch Gynecol Obstet. 2010 Jul 2

[8] Wilson DM, Abrams SH, Aye T, et al. Metformin extended release treatment of adolescent obesity: A 48-week randomized, double-blind, placebo-controlled trial with 48-week follow-up. Arch Pediatr Adolesc Med. 2010 Feb;164(2):116-23

[9] Gynecol Oncol. 2010 Jan;116(1):92-8

[10] . Oncogene. 2008 Jun 5;27(25):3576-86

[11][11] Zakikhani M, Dowling RJ, Sonenberg N, Pollak MN. The effects of adiponectin and metformin on prostate and colon neoplasia involve activation of AMP-activated protein kinase. Cancer Prev Res (Phila Pa). 2008 Oct;1(5):369-7

[12][12] Algire C, Zakikhani M, Blouin MJ, Shuai JH, Pollak M. Metformin attenuates the stimulatory effect of a high-energy diet on in vivo LLC1 carcinoma growth. Endocr Relat Cancer. 2008 Sep;15(3):833-9.

[13] Circ Res. 2007 100(3):328–41; Diabetes. 2002 Aug;51(8):2420-5.; Biol Pharm Bull. 2010 33(6):963-70

[14] Am J Physiol. 1999 Jul;277(1 Pt 1):E1-10

[15] Circ Res. 2007 Feb 16;100(3):328-41

[16] Future Oncol. 2010 Mar;6(3):457-7

[17] Vazquez-Martin A, Oliveras-Ferraros C, Lopez-Bonet E, Menendez JA. AMPK: Evidence for an energy-sensing cytokinetic tumor suppressor. Cell Cycle. 2009 Nov 15;8(22):3679-83

[18] Rozengurt E, Sinnett-Smith J, Kisfalvi K. Crosstalk between insulin/insulin-like growth factor-1 receptors and G protein-coupled receptor signaling systems: a novel target for the antidiabetic drug metformin in pancreatic cancer. Clin Cancer Res. 2010 Apr 13

[19] Exp Gerontol. 2005 Aug-Sep;40(8-9):685-93.

[20] Cell Cycle. 2009 May 15;8(10):1633-6.

[21] Rattan R, Giri S, Hartmann L, Shridhar V. Metformin attenuates ovarian cancer cell growth in an AMP- kinase dispensable manner. J Cell Mol Med. 2009 Oct 29.

[22] Brown KA, Hunger NI, Docanto M, Simpson ER. Metformin inhibits aromatase expression in human breast adipose stromal cells via stimulation of AMP-activated protein kinase. Breast Cancer Res Treat. 2010 Mar 19

[23] Med Hypotheses. 2009 Oct;73(4):606-7

[24] Clin Cancer Res. 2010 Mar 15;16(6):1695-700.

[25] Zhuang Y, Miskimins WK. Cell cycle arrest in Metformin treated breast cancer cells involves activation of AMPK, downregulation of cyclin D1, and requires p27Kip1 or p21Cip1. J Mol Signal. 2008;3:18.

[26] Hirsch HA, Iliopoulos D, Tsichlis PN, Struhl K. Metformin selectively targets cancer stem cells, and acts together with chemotherapy to block tumor growth and prolong remission. Cancer Res. 2009 Oct 1;69(19):7507-11.

[27] – Bodmer M, Meier C, Krahenbuhl S, Jick SS, Meier CR. Long-term metformin use is associated with decreased risk of breast cancer. Diabetes Care. 2010 Jun;33(6):1304-8.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: