Início » 2018 » julho

Arquivo mensal: julho 2018

Óleo de hortelã-pimenta pode aliviar sintomas da síndrome do intestino irritável

 

img_1_27_4888

Em 28/07/18, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


 

By Júlio Caleiro;

A síndrome do intestino irritável é uma desordem intestinal comum observada hoje pelos médicos. Aproximadamente 22 milhões de pessoas nos Estados Unidos, 10 à 20% da população mundial sofrem da síndrome do intestino irritável. A síndrome do intestino irritável causa 34 mil hospitalizações, 3,5 milhões de visitas ao consultório médico e 2,2 milhões de prescrições, e 400 mil pessoas se tornam incapacitadas.

A boa notícia é que há vários estudos demonstrando a eficácia do óleo de hortelã-pimenta entérica para este transtorno intestinal. O óleo de hortelã-pimenta foi usado há séculos por sua propriedades anti-espasmódicas. Quando é entregue no cólon por cápsulas com revestimento entérico, o óleo de hortelã-pimenta tem a capacidade de relaxar o músculo liso intestinal. Restaura o tom muscular adequado.

A eficácia do óleo de hortelã-pimenta no alivio de espasmos musculares colônicos foi demonstrada em um estudo. O óleo de hortelã-pimenta reduziu a incidência de espasmos em 40%. O revestimento entérico permitiu que a cápsula dissolvesse no cólon ao invés de dissolver no estômago.

Foi realizado estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo com 110 pacientes ambulatoriais com síndrome do intestino irritável, sendo 66 homens e 44 mulheres com idades entre 18 e 70 anos. Foram divididos em dois grupos, um grupo tomou uma formulação com óleo de hortelã-pimenta, 3 a 4 vezes ao dia, 15 a 30 minutos antes das refeições, por um mês, e outro grupo placebo. O resultado foram: dos 52 pacientes que tomaram óleo de hortelã, 29 pacientes ficaram livres de dor, 79% tiveram um grande alívio da dor abdominal, 83% apresentaram menor distensão abdominal, 83% reduziram a frequência de fezes e 79% tiveram menos gases (flatulências).

As melhorias dos sintomas após óleo de hortelã-pimenta foram significativamente melhores que o placebo. Não houve efeitos colaterais significativos com óleo de hortelã.

Em um estudo clínico, duplo cego, controlado por placebo, usando uma combinação fixa de óleo de hortelã-pimenta e  alcaravia, 45 pacientes com dispepsia não ulcerosa e a maioria com a síndrome do intestino irritável foram estudados .O grupo de teste tomou uma cápsula três vezes ao dia por um período de quatro semanas. Embora todos os pacientes se queixassem de dor moderada a grave antes do início da terapia, quase metade dos pacientes (42,1%) no grupo de teste estavam livres de dor em apenas duas semanas após terem tomado a terapia combinada.Após quatro semanas de tratamento, 63% dos pacientes estavam sem dor; 89% apresentaram melhora no grupo teste, contra 25% no grupo placebo. Em relação à impressão clínica global, 95% do grupo de teste apresentaram melhora geral em sua condição.

Frisando que a forma de administração do óleo de hortelã-pimenta para esta terapia é essencial para obter os resultados. A forma indicada é em cápsulas com revestimento entérico para ser dissolvido diretamente no intestino. Todavia, qualquer tratamento de saúde deve ser feito sob acompanhamento médico ou nutricional.

Referências científicas:

  1. Liu JH, Chen GH, Yeh HZ, et al. J Gastroenterol1997 Dec 32:6 765-8.
  2. May B, Kuntz HD, Kieser M, Kohler S. Arzneim-Forsch Drug Res.1996; 46(II) 1149-1153.

Altas doses de vitamina C injetável pode ser eficaz no tratamento de câncer

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com

cc3a2ncer-e-vitamina-c

Em 19/07/2018. Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


By Júlio Caleiro;

A vitamina C é um dos antioxidantes mais bem conhecidos e seus benefícios foram claramente demonstrados especialmente para a prevenção e tratamento de doenças infecciosas.

Os estudos mostram que a vitamina C é seletivamente citotóxica para células cancerosas quando administradas pela via intravenosa em altas doses e tem uma série de benefícios para  saúde do coração.

Segundo o médico Dr. Joseph Mercola: “a vitamina C é um suplemento útil que deve fazer parte da maioria dos protocolos de tratamento de câncer. A vitamina D é outro componente crucial contra o câncer”.

Para que a vitamina C mate efetivamente células cancerosas, você precisa ter uma concentração muito alta de vitamina C no sangue e a única maneira de obter esses níveis extremos é através da administração intravenosa.

Ao ignorar o trato digestivo, a administração intravenosa resulta em níveis sanguíneos até 500 vezes maiores do que o que você pode alcançar através da via oral.

O mecanismo por trás da capacidade da vitamina C de atingir seletivamente as células cancerosas tem a ver com a geração de peróxido de hidrogênio, que é, em ultima análise, o que mata as células cancerígenas.

O mecanismo por trás da capacidade da vitamina C de atingir seletivamente as células cancerosas tem a ver com a geração de peróxido de hidrogênio, que é, em última análise, o que mata as células cancerígenas.

Um estudo mostrou que a vitamina c se separa facilmente, gerando peróxido de hidrogênio, uma espécie de oxigênio reativo que pode danificar o tecido e o DNA. O estudo mostra que as células tumorais são muito menos capazes de remover o peróxido de hidrogênio prejudicial do que as células normais.

Assim, as células cancerosas são muito mais propensas a danos e à morte por uma grande quantidade de peróxido de hidrogênio, diz Buettner, professor de oncologia e membro do Holden Compreenhensive Cancer Center da Universidade de Iowa.

O professor Buettner conclui: “Isso explica como os níveis muito altos de vitamina C utilizados em nossos ensaios clínicos não afetam o tecido normal, mas podem ser prejudiciais ao tecido tumoral”.

A razão pela qual os tecidos normais não são prejudicados pelos altos níveis de PH é que as células saudáveis tem várias maneiras de removê-la com eficiência, evitando assim o acúmulo de níveis tóxicos.

Uma das principais vias de remoção é pela enzima catalase, e o estudo descobriu que as células com atividade de catalase reduzida eram mais propensas a morrer quando expostas a altas quantidades de vitamina C. Assim, os tumores com baixos níveis de catalase provavelmente serão os mais responsivos.

Como regra geral, a inflamação crônica é uma marca registrada do câncer, e descobriram que o tratamento com vitamina C da vitamina intravenosa ajuda a reduzir as citocinas pró-inflamatórias e a proteína C reativa – dois marcadores inflamatórios – e que essas melhorias se correlacionam com uma redução no tamanho do tumor.

Também ajuda a reduzir o risco de metástase. Uma resposta positiva foi observada em 75 por cento dos pacientes. Este estudo foi feito por cientista na clínica Riordan, que é o sucessor de Linus Pauling em seu trabalho sobre a vitamina C. Provavelmente não há clínica no mundo com tanta experiência com vitamina C como a Clínica de Riordan.

Riordan realizou um projeto de pesquisa de 15 anos chamado RECNAC, que mostrava que a vitamina C era seletivamente citotóxica contra células cancerosas.

Outras pesquisas feitas por cientistas da Lewis Cantley de Weill Cornel Medicine em Nova York descobriram que as altas doses de vitamina C ajudam a matar e eliminar as células de câncer colorretal com certas mutações genéticas. Outros estudos  mostraram que altas doses de vitamina C podem ajudar a diminuir o crescimento de células de câncer de próstata, pancreatismo, fígado e cólon.

Estudos humanos também mostram vitamina C IV pode ajudar a melhorar os sintomas associados ao câncer e ao tratamento do câncer, como fadiga, náuseas, vômitos, dor e perda de apetite, e melhorar a qualidade de vida geral.

Doses

Dr. Ronald Hunninghake é diretor médico da Clínica de Riordan que supervisionou 60.000 administrações de vitamina C injetável. Para o câncer e doenças infecciosas, a pesquisa da Clínica de Riordan sugere que você precise de um nível de vitamina C em sangue de cerca de 300 a 400 mg/ dl para alcançar a citotoxicidade seletiva contra células cancerosas.

Para alcançar esse nível de saturação, você precisaria administrar entre 25 a 50 gramas de vitamina C por via intravenosa. Isso é até 300 vezes a quantidade normal de vitamina C que você obteria comendo uma dieta saudável. É importante entender que esses níveis extremamente altos são realmente apenas indicados para o tratamento de cânceres e doenças infecciosas, não para saúde diária e geral.

 

Graviola e sua eficácia no combate ao câncer

maxresdefault

 

Em 19/07/2018. Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

 

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com


 

Pesquisam relatam que componentes bioativos do extrato de folhas de graviola podem ter um efeito positivo no combate ao câncer devido às habilidades de eliminação de radicais livres e pela presença de enzimas antioxidantes, ajudando a eliminar as células cancerígenas. (Food Funct. 2016 Feb;7(2):861-71.)

Acredita-se que a graviola elimina células cancerígenas por meio do bloqueio da produção de ATP. ATP, também conhecida como trifosfato de adenosina, é uma forma de energia utilizável pelas células. No entanto, o extrato de folha de graviola pode ajudar a bloquear esta atividade, o que pode reduzir o impacto das células cancerosas, quebrando-as até desmoronar. Isso é conhecido como apoptose ou morte celular programada.

Além disso, cientistas do Tepic Institute of Technology (Instituto Tecnológico de Tepic – ITT) no México descobriram que as acetogeninas presentes na graviola, possuem propriedades quimioterapêuticas. (https://thetruthaboutcancer.com/soursop-prevent-cancer/Cancer Lett. 1995 Sep 4;96(1):55-62..

Um estudo de 1997 publicado no Journal of Medicinal Chemistry descobriu que a graviola era mais de 200 vezes mais efetiva que a quimioterapia quando testado em células de câncer de mama! (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9207950)

O extrato de Graviola mostrou capacidade para ajudar a matar vários tipos de células cancerígenas, especificamente as células cancerígenas pancreáticas.

Um estudo realizado pelo Centro Médico da Universidade de Nebraska descobriu que o extrato pode reduzir consideravelmente o câncer de pâncreas. Como as células cancerosas possui mais glicose, o crescimento celular é tipicamente melhorado, bem como o crescimento tumoral. No entanto, neste estudo, as células que foram tratadas com extrato de graviola diminuíram a sua absorção de glicose quando comparadas às células não tratadas. Esta diminuição pode tornar difícil para as células ruins viverem e se multiplicarem, o que é bom. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3371140/

Os estudos mostram que o extrato da graviola possui ativos contra câncer de mama, pulmão, cólon, próstata, pâncreas, fígado  e câncer de pele.

(Asian Pac J Trop Med. 2014 Sep;7S1:S355-63.; BMC Complement Altern Med. 2014 Dec 24;14:516; BMC Complement Altern Med. 2014 Aug 15;14:299.; J Ethnopharmacol. 2014 Oct 28;156:277-89. Integr Cancer Ther. 2015 Jan;14(1):65-74.; Cancer Lett. 2012 Oct 1;323(1):29-40.; J Nat Prod. 2002 Apr;65(4):470-5.; Asian Pac J Cancer Prev. 2012;13(6):2533-9.)

“Dentro de um tubo de ensaio, a graviola mata as células do câncer 10.000 vezes mais rápido do que o melhor remédio usado nos hospitais.” Veja a reportagem abaixo:

 

Fitoceramidas aumentam a umidade da pele e podem ajudar a tratar psoríase e acne

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL – juliocaleiro@hotmail.com

phytorenew350

19/07/2018. Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Para receber orientação expressa entre em contato no email  – juliocaleiro@hotmail.com   

ou  Para agendar consulta ligue – 35 3531-8423

 

By; Júlio Caleiro.

Pele seca ou escamosa, rachaduras na pele, pele vermelha inflamada e linhas finas indicam que a barreira da pele pode estar precisando de alguma ajuda. Acne, pele seca, psoríase, dermatite alérgica ou infecções de pele com cândida ou estafilococos podem estar presentes. A perda ou diminuição da ‘cola’ que mantém as células da pele juntas é um ponto crucial para a quebra da barreira da pele. A proteção dessa barreira é essencial e necessita de um lipídio especial, ou gordura, chamada CERAMIDAS.

As ceramidas são cruciais para a formação da barreira da pele e ajudam as células da pele a se unirem. Isso ajuda a manter a umidade. As ceramidas desempenham diversas funções celulares, quais sejam, diferenciação, sinalização e apoptose dentro da pele e imunologia. As ceramidas são responsáveis pela função de barreira da pele e são consideradas espinha dorsal fundamental para a pele. Formas naturais de ceramidas à base de plantas chamadas FITOCERAMIDAS ajudam a manter a barreira da pele intacta.

Ceramidas ajudam no tratamento de psoríase, dermatite, pele seca

Os distúrbios da pele e o envelhecimento causam uma quebra na barreira da pele e levam à secura da pele. A psoríase, a dermatite atópica ou alérgica, a pele envelhecida, a acne vulgaris, a dermatite e a doença de Nimann-Pick, diminuem os níveis de ceramidas. Um estudo concluiu que: “o nível reduzido de ceramidas regula negativamente a via apoptótica, levando à proliferação epidérmica na psoríase.”(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16479073)

Outro estudo científico constatou níveis reduzidos de ceramidas na psoríase – https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8166482

A suplementação de ceramidas à base de plantas tem demonstrado, em estudos em animais e humanos, ser segura e eficaz para a hidratação da pele e o reforço da barreira da pele.

A degradação da pele na dermatite alérgica/atópica e outras desordens da pele reflete uma decomposição complexa que envolve uma resposta imune alterada com marcadores inflamatórios (IL-4, IL-13), desequilíbrio Th1, Th2, Th17 e Th22 e um aumento na produção de citocinas. A quebra na camada mais profunda da pele ocorre com a perda de ceramidas, outros lípidos, proteínas e/ou genes. Em razão da quebra da barreira, ocorre a perda de água e há um aumento na exposição a alérgenos e germes. O sistema imunológico desencadeia a quebra da barreira e a quebra da barreira desencadeia a reatividade imunológica. É um colapso de dentro para fora e de fora para dentro. Isso pode levar a problemas com dermatite alérgica e até infecções da pele. (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28709564)

Em casos mais graves de dermatite atópica, a quebra da pele pode resultar em uma infecção tópica por bactérias e cândida. O British Journal of Dermatologymostrou que os níveis diminuídos de ceramida se correlacionaram com a colonização por Staphylococcus aureus na pele com dermatite alérgica. O tratamento médico geralmente se concentra em antibióticos orais. No entanto, este novo achado sugere que quando as ceramidas e outros lipídios estão comprometidos na pele com dermatite alérgica, a colonização ou a infecção por staph é mais provável. Consertar a fonte do problema é crucial para obter um nível mais profundo de cura. (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28244066)

As infecções por cândida da pele representam uma ameaça para os jovens e os idosos com sistemas imunológicos comprometidos. Um estudo de 1997 demonstrou que, quando faltavam lípidos saudáveis ​​como ceramidas na pele, a candida na pele duplicou. Quando a pele apresentava níveis saudáveis ​​de ceramida, a adesão da candida à pele foi bloqueada. – https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9407165

Em um estudo randomizado, duplo-cego controlado por placebo, as fitoceramidas apresentaram melhora significativa na pele seca. 51 mulheres de 20 a 63 anos com pele seca à muito seca receberam placebo ou fitoceramidas por três meses. O ressecamento da pele foi significativamente melhorado em todos os perímetros medidos. Os participantes toleraram o suplemento de fitoceramidas com apreciação simultânea para a melhora da pele seca (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20646083).

Acne e fitoceramidas

Acredita-se que a disfunção da barreira da pele seja uma das causas da acne. A pesquisa sugere que o comprometimento da função de barreira da pele causada pela diminuição da quantidade de ceramidas pode ser responsável pela formação de comedões. – (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7763094

Vários estudos mostram benefícios positivos para o uso de fitocerâmicos para ajudar a melhorar a acne. Fitoceramidas representam um suporte anti-inflamatório e anti-microbiano para a pele. Os resultados do estudo sugerem que estes compostos melhoram e complementam outras terapias da acne.- https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18489348

Referências:

https://www.wellnessresources.com/news/ceramides-increase-skin-moisture-and-help-psoriasis-acne

http://www.lifeextension.com/Magazine/2014/11/Phytoceramides-Skin-Rejuvenation-From-The-Inside-Out/Page-01

http://www.lifeextension.com/Magazine/2018/8/Plant-Ceramides-Reduce-Skin-Wrinkles/Page-01

http://www.lifeextension.com/Magazine/2017/3/Ceramides-Create-Youthful-Skin-from-Within/Page-01

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/12/17/ceramidas-trata-de-pele-seca-dermatite-eczemas-e-ainda-protege-a-pele-do-envelhecimento-precoce/