Início » EVIDÊNCIAS » O aminoácido L-serina regride sintomas e retarda a progressão da esclerose lateral amiotrófica em humanos e animais em quase 40%!

O aminoácido L-serina regride sintomas e retarda a progressão da esclerose lateral amiotrófica em humanos e animais em quase 40%!

Categorias

Publicado em 22 de Maio de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL –juliocaleiro@hotmail.com


By, Júlio Caleiro – Nutricionista

O AMINOÁCIDO L-SERINA em doses adequadas RETARDA A EVOLUÇÃO DA ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA – E.L.A.

l-serina

Para receber o tratamento completo a base de L serina e outros, entre em contato no email abaixo.

juliocaleiro@hotmail.com

—————————————————-

By, Júlio Caleiro -Nutricionista

A substância β-N-metilamino-L-alanina (BMAA) foi ligada a ELA  e mostrou produzir neuro-degeneração in vitro e in vivo,  em (Drosophila, ratinhos, ratos, primatas e outros).     A corporação de BMAA em neuroproteinas produz a destruição de proteínas, provocando neuro-degeneração, que pode ser inibida pela  ação da L-serina em doses corretas individualizadas.  Uma observação feita é que alguns estudos controle da Inglaterra indicam que viver perto de corpos D’água com flores cianobactérias, aumenta o risco de desenvolver esclerose lateral amiotrófica (ELA ). A distribuição de casos de ELA em New Hampshire, Vermont e na Flórida foi comparada com a dos controles, e áreas de aumento estatisticamente significativo em elevado número de casos de ELA, onde foram examinadas quanto às fontes de toxinas ambientais semelhantes as citadas acima. Em contrapartida a essas informações um ensaio clínico de fase I, o uso do aminoácido L-serina oral foi realizado em 20 doentes com ELA com doses específicas, que o leitor poderá solicitar as doses ao Dr. Júlio Caleiro pelo email acima, para um tratamento completo.

         A segurança e a tolerabilidade foram avaliadas comparando a taxa de deterioração com 430 controles de placebo correspondentes. No ensaio de fase I de L-serina, dois doentes abandonaram devido a efeitos secundários gastrointestinais mas nada grave ou que comprometesse a saúde. Três pacientes morreram durante o estudo pela própria doença que já estava muito evoluída e já era esperado pelos pesquisadores. O ALSFRS-R nos doentes tratados com L-serina mostrou uma diminuição da taxa de progressão relacionada com a dose de (34% de redução). A distribuição não aleatória de endereços de pacientes com ELA sugere que a exposição residencial a poluentes ambientais pode desempenhar um papel importante na etiologia da ELA . A altas doses de L-Serina  duas vezes por dia mostrou-se segura em doentes com ELA reduzindo a evolução e os sintomas .

        Estudos exploratórios de eficácia sugeriram que a L-serina retarda a progressão da doença em níveis excelentes. Está previsto um ensaio de fase II em breve. A distribuição não aleatória de endereços de pacientes com ELA ,sugere que a exposição residencial a poluentes ambientais pode desempenhar um papel importante na etiologia da ELA.


Referência:

Neurotox Res. 2017 May 19


5 Comentários

  1. Jose Carlos De Chiara disse:

    Minha esposa tem o ELA. Foi recomendado pelo medico que a trata, a L-SERINA de 5g; o dr.Julio teria esse medicamento ? qual o preço ?Grato e no aguardo

  2. Jose Carlos De Chiara disse:

    Parabens pelo estudo dessa doença degenerativa, no qual atinge um sucesso de recuperação de até 40 %

Deixe uma resposta para Jose Carlos De Chiara Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: