Início » EVIDÊNCIAS » ARTRITE REUMATOIDE E TRATAMENTOS ALTERNATIVOS – COMO REVERTER A DOENÇA?

ARTRITE REUMATOIDE E TRATAMENTOS ALTERNATIVOS – COMO REVERTER A DOENÇA?

Categorias

PARA RECEBER UMA ORIENTAÇÃO OU ATENDIMENTO ENVIAR EMAILS – juliocaleiro@hotmail.com

By ,Ed. Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 31 de Março de 2017 – São Sebastião do Paraíso -MG

normal human's hands

By; Ed. Júlio Caleiro

Drogas – matam mais de 106.000 americanos por ano,  e o número de mortos por overdoses de analgésicos é agora maior do que os acidentes de carro e morte por uso de drogas ilegais. Como observado em um artigo recente do New York Times, “overdoses de drogas estão mostrando taxas de mortalidade de jovens adultos nos Estados Unidos, para níveis não vistos desde o fim da epidemia de AIDS ha mais de duas décadas”.

Entre 1999 e 2014, a taxa de mortes por overdose de drogas entre caucasianos com idades de 25 e 34 aumentou em 500%. A taxa de overdose de 35 a 44 anos triplicou.  É um fato triste que a pedra angular da medicina moderna –  as drogas – é também um grande assassino de pacientes. Medicamentos de Artrite Reumatóide Implicados na Morte de Glenn Frey

Como você pode ter ouvido, Glenn Frey, co-fundador e frontman da banda popular Eagles, morreu recentemente devido a complicações da artrite reumatóide (RA), colite ulcerativa aguda e pneumonia. Ele tinha 67 anos. De acordo com o líder da banda Irving Azoff, a medicação para artrite reumatóide de Frey teve um papel na morte prematura dele. Azoff disse aos repórteres:

“A colite e a pneumonia foram efeitos colaterais de todos os remédios e morreu por complicações de colite ulcerativa depois de ter sido tratado com medicamentos para a sua artrite reumatoide, que tinha há mais de 15 anos”.

Na verdade, os medicamentos comumente prescritos para A.R estão entre os mais perigosos do mercado. Estes incluem prednisona, inibidores de TNF-alfa (vendidos sob marcas como Humira, Enbrel e Remicade.) Os efeitos colaterais destas drogas incluem infecção e um risco aumentado de câncer), como drogas anticancerosas como o é o caso do metotrexato. O uso crônico de drogas anti-inflamatórias não-esteróides AINES e analgésicos como o Tylenol também podem resultar em danos ao fígado e / ou rins com risco de vida. Acetaminophen é realmente a causa número 1 de INSUFICIÊNCIA hepática aguda nos EUA.

Sua dieta e estilo de vida pode melhorar significativamente ou piorar sua condição!

É trágico que a medicina convencional não promova mudanças de estilo de vida sem uso de drogas, o hospitais que deveriam ser um local para recuperação da saúde, estatísticas mostram que são a terceira causa de mortes no mundo por erros médicos hospitalares.

Aproximadamente 80% dos pacientes com A.R são capazes de alcançar uma melhoria significativa ou remissão completa.

Sinais da R.A

A RA afeta cerca de 1% da população mundial. Algum nível de incapacidade ocorre em 50 a 70%  das pessoas dentro de 5 anos após o início da doença, e metade vai parar de trabalhar dentro de 10 anos.

Ao contrário da doença articular degenerativa muito mais comum da osteodistrofia (OA ou DJD), ela pode levar a deformidades articulares incapacitantes e dolorosas e, como mencionado, pode ser fatal. As mulheres tendem a ser desproporcionalmente afetadas pela doença. Um dos sintomas marcantes da artrite reumatoide é a dor nas mãos e / ou pés. Ela tende a afetar as articulações proximais mais do que as distais, ou seja, as articulações mais próximas à sua palma, por exemplo, oposta às articulações mais para fora nos dedos. Na raiz da RA você encontra inflamação crônica – um efeito colateral de uma dieta muito alta em frutose processada e outros açúcares. Entretanto, menos de 1% das pessoas com RA experimentam remissão espontânea.

Sofredores da A.R devem reduzir em açúcares!

Se você tem RA (ou qualquer outra doença crônica enraizada na inflamação, como diabetes, doenças cardíacas e câncer, para citar apenas alguns), adotar uma dieta é um primeiro passo importante para facilitar a cura. Comer ALIMENTOS REAIS (idealmente orgânicos) é um dos primeiros passos mais importantes para ajudar a suprimir a inflamação dolorosa. Alimentos processados e açúcar (incluindo bebidas artificialmente adoçadas) devem ser evitados tanto quanto possível. Cervejas também!

A eliminação de grãos, especialmente os que contêm glúten, também pode ser útil. Isso pode ser particularmente verdadeiro se você tiver certos fatores genéticos. Aqueles com descendência escocês-irlandês, bem como aqueles com uma história familiar de problemas auto-imunes, como a esclerose múltipla (MS) e esclerose lateral amiotrófica (ELA), pode estar em maior risco de intolerância ao trigo e glúten. Dito isto, a maioria dos grãos, frutose e outros açúcares alimentam a inflamação, independentemente da sua disposição genética, e você precisa ter muito cuidado em não adicionar “combustível a esse fogo”. Um estudo de 2014 publicado no American Journal of Clinical Nutrition, relaciona especificamente a AR com o consumo de refrigerantes gasosos.

O estudo acompanhou cerca de 200.000 mulheres, Nurses ‘Health Studies” abrangendo quase quatro décadas. A informação sobre o consumo de refrigerante foi obtida a partir de um questionário de frequência de alimentos no início do estudo e, aproximadamente, de quatro em quatro anos. Depois de ajustar as variáveis de confusão, os pesquisadores descobriram que as mulheres que bebiam uma ou mais porções de refrigerante por dia tinham um risco aumentado de 63% de desenvolver RA, em comparação com aqueles que bebiam menos de uma porção por mês ou nenhuma. E isso era independente de outros fatores dietéticos e estilo de vida.

Alimentos contaminados com glifosato podem agravar a inflamação

Além do açúcar, a maioria dos grãos comerciais também estão contaminados com glifosato – incluindo trigo não orgânico – e este produto químico agrícola tem sido implicado em condições inflamatórias, promovendo a disfunção mitocondrial . No vídeo abaixo Jeffrey Smith entrevista Dr. Alex Vasquez, MD, Ph.D. E Stephanie Seneff, Ph.D. e fala sobre isso. Além de produzir a maior parte da energia do corpo na forma de ATP, suas mitocôndrias também participam na sinalização celular, e desempenham um papel importante na inflamação auto-imune. Em resumo, o glifosato ‘Roundup ‘(do qual o glifosato é um ingrediente ativo) interferem na produção de ATP e aumentam o dano oxidativo em suas mitocôndrias.

Como você evita o glifosato / Roundup? Este herbicida de amplo espectro é um dos herbicidas mais comumente usados no mundo, e é liberado em culturas convencionais e geneticamente modificadas (GE), embora este último tende a estar muito mais contaminado. Em 2007, 1,6 bilhão libras do glifosato foram usados nos EUA sozinho. Considerando o seu uso generalizado, a única maneira de realmente evitá-lo é comer alimentos cultivados organicamente por pequenos produtores.

Como os micróbios intestinais afetam a artrite reumatóide

A saúde intestinal desempenha um papel importante na RA. O açúcar alimenta microrganismos patogênicos no intestino, e uma vez que a microbiota intestinal torna-se desequilibrada, geram-se efeitos prejudiciais para a saúde, e uma das quais é a disfunção do sistema imunológico e inflamação fora de controle. Além de cortar açúcar da dieta deve adicionar alimentos fermentados como chucrute, natoo, coalhada, kefir e outros , e / ou tendo um probiótico de alta qualidade ajudará a nutrir a flora intestinal saudável. Curiosamente, existem realmente tipos específicos de bactérias intestinais que se correlacionam com o desenvolvimento da artrite reumatoide. Segundo o National Institutes of Health (NIH),  uma bactéria intestinal chamada Prevotella copri parece desempenhar um papel na doença. Além de competir vários micróbios conhecidos por seus efeitos benéficos para a saúde, a sequenciação de DNA de Prevotella revelou que contém genes que se correlacionam especificamente com a AR.

Os pesquisadores descobriram que a bactéria estava presente no microbioma intestinal de 75% daqueles com artrite reumatoide não-tratada, em comparação com apenas 21%o dos controles saudáveis, após a análise de DNA em amostras de fezes de pessoas saudáveis e portadores reumatoides. Esta não é a primeira vez que um microorganismo tem sido associado ao desenvolvimento de RA.

O falecido Dr. Thomas McPherson Brown  um reumatologista certificado – escreveu o livro “The Road Back”, no qual ele descreve uma abordagem de tratamento para a RA baseada na teoria do Dr. Sabin de que a artrite reumatoide foi causada por um micoplasma Tipo de fungo aquoso.  Enquanto o micoplasma é difícil de eliminar, o Dr. Brown descobriu que poderia ser controlado usando doses de baixo nível a longo prazo do antibiótico tetraciclina. Apesar das desvantagens de tomar antibióticos a longo prazo, sua abordagem ainda representa uma alternativa muito mais segura, menos tóxica para muitos regimes de medicamentos RA convencionais.

Vitamina D!

A vitamina D é outro componente realmente importante. Ao estimular até 300 peptídeos antimicrobianos que são ainda mais poderosos que os antibióticos, a vitamina D ajuda a melhorar e regular seu sistema imunológico e combater infecções. Muitos sofredores de RA notarão que seus sintomas pioram durante o inverno, e muitas vezes se dissipam durante o verão. Esta é uma pista gigante que a vitamina D está no caminho. Eu normalmente recomendo  para paciente com  RA que seus níveis sejam verificados a cada mês, para ajudá-los a ajustar a dosagem que eles estão tomando. Seu objetivo final é alcançar e manter um nível terapêutico de 40 a 60 ng / ml, e se você estiver usando um suplemento, você precisa tomar qualquer dose necessária para chegar até este nível ou mais um pouco.

Alívio da dor mais seguro

A maioria dos reumatologistas convencionais tem poucos remédios em sua caixa de ferramentas além de drogas tóxicas. Enquanto estes podem ajudar a aliviar os sintomas, eles não fazem absolutamente nada para resolver a causa subjacente da doença, que continua a firmemente no seu corpo. O que é pior, muitas dessas drogas podem causar mais problemas do que resolver; Dito isto, o controle da dor é um aspecto importante do tratamento da AR. Se a dor não for tratada, você pode entrar em um ciclo depressivo que pode piorar a sua função imunológica e causar surtos de RA. Se você optar por uma droga, não se esqueça de usar os mais seguros, e apenas quando necessário – com o objetivo de eventualmente gerenciar sua dor sem medicação. Mais alívio de longa duração vai ser alcançado uma vez que você começar a segmentação da inflamação, que é a causa subjacente da dor.

Entre os analgésicos, alguns dos mais seguros são os seguintes. Na parte inferior do meu sumário protocolo RA também lista uma série de outras opções de alívio da dor natural. Você pode querer experimentar aqueles primeiro. Se for ineficaz, continue usando um medicamento para aliviar a dor, quando necessário, enquanto você começa a incorporar a dieta recomendada e mudanças de estilo de vida. Quando houver progressão do tratamento da dor, indica que a  inflamação começou a recuar, um remédio herbal pode ser o único analgésico que você pode precisar listados abaixo.

Canábis medicinal , agora legal em 23 estados dos EUA, não aqui no Brasil,  e uma das mais fortes áreas de pesquisa sobre benefícios de saúde da maconha se refere à dor. Em 2010, o Centro de Pesquisa Médica em Cannabis publicou um relatório sobre 14 estudos clínicos  (a maioria dos quais foram aprovados pela FDA, estudos controlados duplamente cegos e controlados por placebo) sobre o uso de maconha para a dor.

Os estudos revelaram que a maconha não apenas controla a dor, mas em alguns casos ela é melhor do que as alternativas disponíveis.

Salicilatos não acetilados , tais como salsalato, salicilato de sódio e salicilato de magnésio (Salflex, Disálcido ou Trilisato)

Elementos-chave do meu protocolo de tratamento RA

Quanto mais cedo você começar a incorporar tratamentos mais naturais e reduzir sua dependência de drogas, melhor será. Apenas lembre-se de ser paciente. Se tiver AR grave, pode levar até três anos para atingir a remissão completa. Consistência e compromisso também são necessários. Enquanto você pode começar devagar, cortando refrigerantes e cervejas por exemplo, não será suficiente para terminar seus esforços aí. Vai mais além!

Meu protocolo de tratamento anti-retroviral livre de drogas tem ajudado milhares de pacientes com AR a entrar em remissão, e as mudanças na dieta são um componente absolutamente essencial, por isso, não leve de qualquer jeito. Caso necessite de um atendimento é só entrar em contato no meu email – ou nos telefones. Existe uma série de suplementos que foram testados quando o paciente já está sob a dieta que prescrevo específica para A.R. Alguns são: vitamina D, astaxantina, curcumina, ginger, Boswellia e outros.

juliocaleiro@hotmail.com   tel – 35 3531 8423 consultório

——————————————————————————-

Referências – 

J.MERCOLA!!!
JAMA. 1998;
New York Times 2016
Newsmax 2016
Yahoo Celebrity , 2016
Heavy January 18, 2016
The Wrap 2016
American Journal of Clinical Nutrition July 16, 2014.
National Institutes of Health 2013.
Roadback.org
ProCon.org, Legal Marijuana States
Americans for Safe Access, Medical Cannabis Research
Phytotherapy Research March 9, 2012
Arthritis. 2014.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: