Início » EVIDÊNCIAS » TRATE A DEPRESSÃO E ANSIEDADE DE VERDADE, SEM MEDICAMENTOS QUE CAUSAM EFEITOS COLATERAIS GRAVES!

TRATE A DEPRESSÃO E ANSIEDADE DE VERDADE, SEM MEDICAMENTOS QUE CAUSAM EFEITOS COLATERAIS GRAVES!

DEPRESSÃO

São Sebastião do Paraíso -MG – Publicado em 13 de Maio de 2016.

Para receber orientação expressão envie e-mails para: juliocaleiro@hotmail.com

  Tel consultório – 35 3531 8423

———————————————

By Ed; Júlio Caleiro – Nutricionista

Por que você não deve ignorar Depressão?

Cerca da metade dos americanos diagnosticados com depressão não recebem tratamento, o uso de antidepressivos é uma abordagem equivocada e potencialmente perigosa conforme alguns pesquisadores. Se você luta com a depressão, a obtenção de ajuda incluindo sim um tratamento que pode ajudar a abordar as razões subjacentes desta condição, é essencial! Se não tratada, a depressão pode não só tirar a sua capacidade de aproveitar a vida, mas também pode levar a mudanças físicas no cérebro e ser cada vez mais intensa. Indivíduos com recorrentes episódios depressivos pode reduzir o tamanho do hipocampo – uma região do cérebro envolvida na formação de memória emocional, salientando assim a importância da intervenção precoce sob tratamento específico. Sua memória não se restringe apenas a lembrar datas e senhas; Ele também desempenha um papel importante no desenvolvimento e manutenção no seu humor. Assim, quando o hipocampo encolhe não é apenas a sua memória que é afetada, comportamentos também são alterados, e um hipocampo menor equivale a uma perda geral das funções emocionais e comportamentais.

A boa notícia é que o dano é provavelmente reversível, mas para isso você tem que realmente fazer algo sobre essa situação! A depressão não pode ser devido a um desequilíbrio em seu cérebro. Contrariamente à crença popular, a depressão não é  causada por produtos químicos do cérebro desequilibrado tais como baixos níveis de serotonina que pode ser “corrigido” com medicamentos antidepressivos, como os médicos psiquiatras enfatizam. A hipótese de baixa serotonina,  é também  conhecida a hipótese da monoaminaoxidase, tem sido postas em dúvida em vários estudos. De acordo com um comentário publicado na Nature Reviews, Neuroscience, por exemplo diz: “…evidências recente indica que o problema, é no processamento de informação dentro das redes neurais, ao invés de mudanças no equilíbrio químico no caso da depressão.”

 Um estudo publicado no New England Journal of Medicine observou : “Estudos da correlação noradrenalina e serotonina, metabolitos no plasma, urina e líquido cefalorraquidiano, bem como estudos ‘post-mortem’ dos cérebros de pacientes com depressão, os pesquisadores ainda não encontraram nenhuma evidência para apoiar a correlação do “desiquilíbrio químico”. Não existe um único mecanismo responsável por todas as variações clínicos nesta condição. A teoria da monoamina oxidase pode explicar muitas das ações para aplicação dos antidepressivos, mas fatores genéticos, estresse e fatores psicossociais também desempenham um papel na depressão, assim como várias outras causas. “

Se baixos níveis de serotonina não é o problema, o que seria então?

As questões em torno da hipótese de baixa serotonina destaca um dos problemas com o tratamento da depressão usando drogas antidepressivas. Os medicamentes ISRS (inibidores seletivos de recaptação de serotonina) evita a recaptação (movimento de volta para as terminações nervosas) do neurotransmissor serotonina. Isso faz com que mais serotonina disponível para uso em seu cérebro, e os médicos dizem que isso pode melhorar o seu humor e tratar ou curar a depressão. Mas, como explicado por uma matéria investigativa do jornalista de saúde Robert Whitaker, em 1983, os Institutos Nacionais de Saúde Mental (NIMH) já mostravam sob investigações se os indivíduos deprimidos tinham realmente baixos níveis de serotonina ou não! Naquela época, eles concluíram que não havia evidência de que há algo de errado no sistema serotonérgico de pacientes deprimidos. Pesquisa publicada já em 2009 adicionou mais uma prova que tudo indicava a ideia de ‘baixa serotonina’ estava errada, pois encontraram fortes indícios de que a depressão começa realmente mais acima na cadeia de eventos do cérebro e não nos neurotransmissores. Essencialmente, os medicamentos têm se concentrado sobre o efeito, e não a causa. As empresas farmacêuticas continuam afirmando que a teoria de baixa serotonina, embora isso somente, já justifica o uso agressivo de antidepressivos para corrigir esse suposto “desequilíbrio”.

Muitos supõem que essas pílulas são o melhor tratamento disponível para os sintomas da depressão, mas na verdade a diferença entre antidepressivos e pílulas de placebo é muito pequena – e ambos são ineficazes para pacientes sob depressão mais severa inclusive. Se você ou seu filho é diagnosticado com depressão, fique ciente de que existem muitas opções de tratamento disponíveis, incluindo a terapia cognitivo-comportamental (TCC). Em uma revisão sistemática de 11 estudos, não houve diferença estatisticamente significativa na eficácia entre os antidepressivos e outras abordagens terapêuticas. Além disso, em uma meta-análise publicada na PLoS Medicine, pessoas severamente deprimidos não mostraram qualquer resposta aos antidepressivos. Esta falta de eficácia deve ser levado em consideração juntamente com os efeitos colaterais das drogas – e são muitos!

Efeitos deletérios e graves dos Antidepressivos!

As investigações sobre os antidepressivos sugere por exemplo que,  tendo um SSRI pode duplicar o risco de fratura óssea. Isto porque a serotonina também está envolvida na fisiologia do osso. Se alterar os níveis de serotonina com uma droga, pode resultar em baixa densidade óssea aumentando o risco de fraturas, principalmente em idosos. Um grande estudo nas mulheres pós-menopausa também descobriu que aqueles que tomam antidepressivos tricíclicos ou ISRS foram 45% propensos a sofrer um infarto fulminante! Enquanto isso, as taxas globais de mortalidade foram 32% mais elevadas em mulheres com uso dessas drogas, e outros estudos mostraram efeitos ligados ao uso de antidepressivos em artérias mais espessas, o que poderia contribuir para o risco de doença cardíaca crônica grave. Entre os efeitos colaterais mais preocupantes, são os pensamentos suicidas e comportamento violento, que são efeitos secundários conhecidos especialmente na juventude. Também está envolvido com desequilíbrio hepática e pancreático.

Vale lembrar que a Dra. Helen Mayberg, professora de psiquiatria da Universidade de Emory, abre um caminho em direção a um plano de tratamento mais refinado e personalizado. Em suas pesquisas a Mayberg identificou um biomarcador no cérebro que pode ser usado para prever se um paciente deprimido é um bom candidato para a medicação, ou psicoterapia.

Quais opções naturais no tratamento da depressão?

Se você está sofrendo de depressão grave por favor procure ajuda de um profissional. Se você está tomando atualmente antidepressivos e quer parar, você deve retirar gradualmente sob os cuidados de um profissional de saúde experiente. A retirada abrupta a partir dessas drogas pode levar a problemas psiquiátricos ou físicos graves! Você não tem nada a perder somente a ganhar, você deve aplicar modificações de estilo de vida antes de tentar retirar a medicação, especialmente em crianças. Você pode se surpreender com o quanto essas mudanças diminuem os sintomas naturalmente.

Exercícios

Além de criar novos neurônios, incluindo aqueles que liberam o neurotransmissor calmante GABA, o exercício aumenta os níveis químicos cerebrais naturalmente sem afetar o receptor como os remédios, e também  aumenta assim a serotonina naturalmente, dopamina e norepinefrina, os quais podem ajudar a amortecer alguns dos efeitos do stress e depressão. Muitos praticantes ávidos também tem uma sensação de euforia e bem estar emocional depois de um treino e pode ser bastante “viciante”.

As técnicas de liberdade emocional (EFT), otimizar a microbiota intestinal, otimizar os níveis de OMEGA3, VITAMINA D, ÓLEO DE KRILL DIARIAMENTE, SAME, HIPERICUM dose alta, GABA sublingual, retirada do glutamato monossódico da alimentação, tomar sol, andar descalço na grama, retirar todos os produtos processados, grãos, melhorar a qualidade de sono e dormir antes das 22h, realizar alimentação rica em nutrientes diversificando semanalmente, tratar as adrenais e otimizar o sistema endócrino, manter os níveis de insulina e leptina e glicose corretos, equilibrar os hormônios, realizar uma boa hidratação, reequilibrar os minerais no organismo dentre outras técnicas nutricionais de grande relevância, onde estudos clínicos tem mostrado efeitos potentes e reverter completamente a depressão e ansiedade generalizada.

Uma pesquisa prévia demonstrou que a Lactobacillus rhamnosus, teve um efeito potente sobre níveis de GABA em certas regiões do cérebro, e reduzido a corticosterona hormonal induzido pelo stress, que resulta assim em ansiedade e depressão reduzida. O probiótico conhecido como Bifidobacterium longum NCC3001 tem igualmente o mesmo efeito e foi demostrado normalizar comportamentos de ansiedade semelhantes inclusive em ratinhos.

Então, otimizando sua flora intestinal com bactérias benéficas é uma estratégia muito útil. Isto é feito através da eliminação de açúcares e alimentos processados, e comer em abundância vegetais sem amido, evitando óleos vegetais processados, e usar gorduras saudáveis. Além disso, comer muitos vegetais fermentados ou tomar um probiótico de alta potência seria útil para restabelecer uma saudável flora intestinal e eliminar sintomas psíquicos.

———————————————————-

Referências:

Greatist April 20, 2016

 National Institute of Mental Health, Major Depression Among Adults


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: