Início » EVIDÊNCIAS » Cromo ligado à niacina pode aumentar significativamente a expectativa de vida

Cromo ligado à niacina pode aumentar significativamente a expectativa de vida

Em 26 de junho de 2014, Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

471141-Cálcio-e-vitamina-D-podem-melhorar-expectativa-de-vida-de-idosos-1

 

Os resultados de um estudo foi apresentado na 46ª Reunião Anual do Colégio Americano de Nutrição, realizado em 22-25 de setembro de 2005, em Kiawah Island, Carolina do Sul, em que se revelou que dietas suplementadas com cromo ligado a niacina, conhecido como Polinicotinato de cromo, resultaram em um aumento de 22% na expectativa de vida de ratos, quando comparados àqueles que não fizeram a suplementação.

No estudo utilizaram ratos que manifestavam aspectos da síndrome metabólica, que foram divididos em 3 grupos, o grupo que teve a suplementação de cromo ligado a niacina, o segundo grupo de ratos com dieta contendo cromo ligado a niacina, além de melão amargo, alho, gymnema sylvestre e feno-grego, e o terceiro grupo sem suplementação.  O primeiro grupo recebeu o dobro da quantidade de cromo que o segundo grupo. Todos os animais poderiam comer o quanto de comida desejavam, sem restrição.

Comparado com o grupo controle, os pesquisadores descobriram um aumento de 22% no tempo de vida máxima entre os ratos do primeiro grupo, que receberam apenas cromo ligado a niacina. Enquanto a primeira morte de um rato no grupo controle ocorreu na semana 47, a primeira morte do rato no grupo suplementado com cromo-niacina ocorreu na semana 59.

A taxa de mortalidade do segundo grupo foi semelhante ao grupo controle (sem suplementação), o que se deveu ao baixo consumo de cromo.

Os autores concluíram: “Este estudo sugere que a ingestão de determinados níveis de cromo-niacina pode aumentar expectativa de vida significativamente, imitando a restrição calórica.”

Referência científica:

Harry G. Preuss, Bobby Echard, Dallas Clouatre, Debasis Bagchi, Nicholas V. Perricone, Niacin-bound chromium increases life span in Zucker Fatty Rats, Journal of Inorganic Biochemistry, Volume 105, Issue 10, October 2011, Pages 1344–1349.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: