Início » EVIDÊNCIAS » Magnésio no tratamento de arritmias cardíacas graves, como fibrilação atrial, extra-sístoles e taquicardias.

Magnésio no tratamento de arritmias cardíacas graves, como fibrilação atrial, extra-sístoles e taquicardias.

reading-writing-arrythmia

Em 07 de abril de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423. São Sebastião do Paraíso-MG.

Entre 40 e 60% das pessoas que sofrem ataques cardíacos súbitos podem ter nenhuma obstrução arterial ou histórico de batimentos cardíacos irregulares (AM J Cardiology, vol 75, pp. 321-323, 1995). Duas causas suspeitas são: espasmos nas artérias coronárias e ocorrência de uma perturbação grave do ritmo cardíaco, como fibrilação atrial. Ambas as causas podem ser resultante de uma deficiência de magnésio (Pierce JB, Heart Healthy Magnesium: Your Nutrition Key to Cardiovascular Wellness, Avery Publishing Group, New York, 1994; Iseri LT, “Magnesium and cardiac arrhythmias”, Magnesium, vol. 5, nos, 3-4, po. 111-126, 1986.; Magnesium, vol. 8, pp. 229-306, 1989).

Níveis baixos de magnésio faz com que o músculo cardíaco fique muito sensível, levando ao desenvolvimento de uma pertubação do ritmo que não poderá ser interrompido sem intervenção médica de urgência. A médica Dra. Carolyn Dean, autora do livro ‘The Magnesium Miracle, informa que:

“É importante reconhecer a possibilidade de deficiência de magnésio, e aplicar imediatamente o magnéiso por via intravenosa. Batimentos cardíacos rápidos ou taquicardia atrial, extra-sístoles, fibrilação atrial, todos essas condições respondem favoravelmente por administração de magnésio intravenoso (Am J Med Sci, vol. 206, pp. 43-48, 1943; Scand Cardiovasc J, vol. 33n. 5, pp. 300-305, 1999; Magnes Res, vol. 13, n. 2, pp-111-112, 2000; J Intern Med, vol. 247, pp. 78-86, 2000; Acta Pharmacol Toxicol Copenh, vol. 54, suppl. 1, pp 119-123, 1984; JAMA, vol 268, pp. 2395-2402, 1992; Ann Thorac Surg, vol 59, pp. 942-947, 1995; Ann Thorac Surg, vol. 72, n. 4, pp. 1256-1261, 2001).”

A importância do magnésio no tratamento de arritmias cardíacas foi demonstrado pela primeira vez em 1935 (Klin Wochenschr, vol. 14, pp. 1429-1433, 1935). Segundo o naturopata e pesquisador Dr. Mark Sircus, autor do livro “Magnesium: The Ultimate Heart Medicine”:

“Desde então tem havido inúmeros estudos mostrando o benefício do magnésio para muitos tipos de arritmias, incluindo, fibrilação atrial, contrações prematuras ventriculares, taquicardia ventricular e arritmias ventriculares graves. Suplementação de magnésio também foi demonstrado ser útil no tratamento de angina, quer devido a um espasmo da artéria coronária ou aterosclerose.”

(…)

O magnésio é indicado para arritmias ventriculares relacionadas com a toxidade digitálica, e overdose de antidepressivos tricíclicos. Em pacientes criticamente enfermos, a administração de magnésio mostrou-se mais eficaz do que o medicamento Amiodarona para a conversão de taquiarritmias atriais agudas (Br J Anaesth 1999, 83: 302-20).”

A síndrome de morte súbita por arritmia repentina é um mal funcionamento da atividade elétrica no coração. É uma desordem do sistema elétrico do coração que pode levar à morte pessoas aparentemente saudáveis, sem qualquer aviso. O problema centraliza-se no período de tempo que leva o sistema elétrico para recarregar depois de uma batida do coração. Isto é conhecido como o intervalo QT. As pessoas que tem um intervalo QT longo são mais vulneráveis a uma arritmia.

O magnésio tem um efeito estabilizador sobre as membranas celulares, particularmente no músculo cardíaco. Um coração saudável gera impulsos elétrico estáveis e previsíveis. A falta de magnésio permite impulsos elétricos instáveis o que faz gerar ritmos cardíacos anormais (NY State J Med. 1986 Mar; 86(3): 133-6; Clin Cardiol. 1992 Aug; 15(8): 556-68). As pesquisas sobre a administração de magnésio , ao longo dos anos, tem se concentrado o seu uso durante um ataque cardíaco para reduzir a morte por arritmias fatais (Magnes Res 2003 Mar; 16(1): 65-9).

O magnésio deve ser levado para todas as condições do coração, exceto quando a pressão arterial está muito baixa, ou quando há suspeita de insuficiência renal. Uma vez que nenhum medicamento pode substituir o magnésio, este mineral é indicado para a maioria dos pacientes cardíacos. O magnésio, em particular em sua forma de cloreto (cloreto de magnésio), é o suplemento definitivo tanto para a prevenção como para tratamento de doenças cardíacas.

*Todas as referências científicas foram citadas na matéria . Além disso, este texto fundamenta-se nos seguintes livros:
1. Magnesium: The Ultimate Heart Medicine – Dr. Mark Sircus
2. The Magnesium Miracle – Dra. Carolyn Dean


2 Comentários

  1. ELEUTERIOSP disse:

    Eu mesmo para prevenção uso cloreto de magnésio PA

  2. ELEUTERIOSP disse:

    Republicou isso em terinho.come comentado:
    CLORETO DE MAGNÉSIO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: