Início » 2013 » dezembro

Arquivo mensal: dezembro 2013

Adiponectina é o hormônio da queima de gordura. Como aumentar naturalmente seus níveis no corpo?

abreperdadepeso

Em 31 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

A adiponectina é o hormônio de queima de gordura. Ele inicia uma cascata de reações metabólicas que rapidamente transforma gordura corporal armazenada em energia. Infelizmente, a maioria das pessoas são deficientes em adiponectina e não queimam a gordura corporal armazenada de modo eficaz.

Para resolver o objetivo de perda de peso, um passo IMPORTANTE é aumentar os níveis sanguíneos deste importante hormônio.

A adiponectina tem sido demonstrada em possuir atividade anti-aterosclerótica, anti-inflamatória, e anti-diabética. Altos níveis circulantes de adiponectina foi mostrado em proteger contra doença de artéria coronária, enquanto que os baixos níveis são observados em indivíduos com excesso de peso. Efeitos sensibilizadores de insulina, e de adiponectina representam um novo alvo de tratamento para a resistência à insulina, diabetes tipo 2, e obesidade.

Num importante estudo controlado por placebo, as pessoas que tomaram Irvingia perderam 9 quilos durante o período de 10 semanas, em comparação com 1.3 quilos do grupo placebo. Os participantes não fizeram qualquer alteração de suas dietas. – Lipids Health Dis. 2008 Mar 31;7:12.

Foi constado que o nutriente Irvingia Gabonensis não apenas resulta em um significativo perda de peso, como também aumenta significativamente os níveis de adiponectina. Neste estudo, indivíduos obesos que tomaram Irvingia quadriplicaram seus níveis sanguíneos de adiponectina e perderam impressionantes 18% de gordura corporal.Lipids Health Dis. 2009 Mar 2;8:7. Para resultados deve-se levar em consideração a dosagem o tipo, e horários. Para receber uma orientação expressa, envie email para – juliocaleiro@hotmail.com

Referências:

  1. Lipids Health Dis. 2009 Mar 2;8:7.
  2. Lipids Health Dis. 2008 Mar 31;7:12
  3. Lipids Health Dis. 2008 Nov 13;7(1):44
  4. Lipids Health Dis. 2005 May 25;4:12
  5. J Biol Chem. 2003 Mar 14;278(11):9073-85.
  6. Atheroscler Suppl. 2005 May;6(2):7-14.
  7. Int J Cardiol. 2008 May 7;126(1):53-61.
  8. Biochimie. 2004 Nov;86(11):779-84.
  9. Clin Nutr. 2004 Oct;23(5):963-74
  10. Diabetes Obes Metab. 2003 Sep;5(5):349-53.
  11. Atherosclerosis. 2007 Aug;193(2):449-51.
  12. JAMA. 2004 Jul 7;292(1):40
  13. J Am Coll Cardiol. 2007 Feb 6;49(5):531-8.
  14. Arterioscler Thromb Vasc Biol. 2003 Jan 1;23(1):85-9.
  15. Nat Med. 2001 7:941-94
  16. J Clin Endocrinol Metab. 2004 Jan;89(1):87-90.
  17. Ngondi JL, Matsinkou R, Oben JE. The use of Irvingia gabonensis extract (IGOB131) in the management of metabolic syndrome in Cameroon. Nutrition J. 2008
  18. http://www.lef.org/magazine/mag2008/images/ss2008_report_more-weight-loss_09_big.jpg
  19. http://www.lef.org/magazine/mag2008/images/ss2008_report_more-weight-loss_08_big.jpg
  20. http://www.lef.org/magazine/mag2008/images/ss2008_report_more-weight-loss_07_big.jpg
  21. http://www.lef.org/magazine/mag2008/images/ss2008_report_more-weight-loss_010_big.jpg
  22. lifeextension.com

O poder vibracional e as interferências, demonstração da alteração das moléculas de água sob músicas e palavras.

By Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 23 de Dezembro de 2013.

O poder vibracional e as interferências. Isso é sério! Cuidado com a água que você toma pode ter sido totalmente influenciada e ter efeitos nocivos a tua consciência e inconsciência corporal, por músicas,  palavras dentre outros! Abaixo a água exposta sob o ‘rock’ na foto, baseado e demonstrado no vídeo do Pesquisador Dr. Masaru Emoto.

Imagem

Referências:

Dr. Lair Ribeiro – Médico -PhD. Cardiologista e Nutrólogo. (BRA)
http://www.youtube.com/watch?v=fyEeA3vqebk

Jejum intermitente: a dieta revolucionária em perda de peso e fortalecimento de saúde!

81A0L3CNTML._AA1500_

Em 23 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.  – Para uma Orientação Expressa – envia email para –  juliocaleiro@hotmail.com

JEJUM INTERMITENTE  –  a Dieta é rápida, perde peso, fica saudável e vive mais tempo com o segredo simples! Dr. Michael Mosley, médico norte americano, sugere que a melhor maneira de perder peso é comer normalmente durante cinco dias por semana, e jejum rápido em dois dias. Em dias de jejum ele recomenda cortar sua comida até ¼ de suas calorias diárias normais, ou cerca de 600 calorias para homens e cerca de 500 para as mulheres, além de muita água e chá.

O próprio Dr. Mosley afirma ter perdido 19 quilos em dois meses seguindo esta recomendação, mas o aspecto mais surpreendente não é a perda de peso, é a ausência de fome e os desejos de açúcar uma vez adaptado. O seu desejo de comer alimentos não saudáveis parece desaparecer, pelo menos esta foi a minha experiência.

Eu prefiro pensar em jejum intermitente como um estilo de vida em vez de uma dieta. É uma forma de vida e alimentação que podem ajudá-lo a viver uma vida mais longa e saudável. Eu ja testei e comprovei o jejum intermitente antes mesmo de se tornar-’mainstream’, fazia isso com facilidade aos finais de semana em tempo de catecismos protestante.

Na entrevista à BBC em destaque, o Dr. Mosley também aponta a importância do treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) – especialmente em conjunto com o jejum, a inatividade física é realmente mais prejudicial para a sua saúde do que a falta de exercício formal como proposto por Dr. Mosley, sempre com orientação do Professor de Educação Física, e com realização de exames de sangue antes. Ele recomenda levantar-se a cada 15-20 minutos, se você tem um trabalho sentado para evitar os riscos de saúde associados com a sessão prolongada de inatividade.

Dr Mercola diz “…HIIT , que é uma parte fundamental do meu programa de Fitness Peak, e é outro aspecto da saúde ideal que eu venho tentando falar aos meus leitores, já desde os meados de 2000 quando a ciência por trás dela estava mostrando sinais de ser realmente boa. Agora está finalmente começando a funcionar como uma prova de que realmente funciona como anunciado, e está se tornando cada vez mais evidente à medida que as pessoas estão praticando.

Tornando o jejum intermitente como Recomendação Principal de Saúde e emagrecimento.

Em notícia relacionada, MSNBC3 recentemente apresentado por ‘David Zinczenko e Peter Moore’, co-autores de outro livro com o mesmo Tema, expondo os benefícios de saúde do jejum intermitente diz:

Os americanos podem aparar suas cinturas e gastar menos tempo sentado na mesa de jantar! Em “A Dieta de 8 horas”,  best-sellers autores ‘David Zinczenko e Peter Moore’ argumentam que as pessoas podem perder peso (e combater a nossa cultura de se alimentar 24 horas sem parar) por apenas consumir alimentos durante um conjunto período de tempo de 8 horas.”

Esta é uma outra versão do jejum intermitente  em que você simplesmente restringe sua alimentação diária a período de tempo específico. Zinczenko e Moore recomendam um intervalo de oito horas o que é favorável e conveniente para a maioria das pessoas, mas você pode restringi-la ainda mais – até 4 a 6 horas ou ainda bem rígido em torno de 2 horas de alimentação naquele dia, ou mesmo o quadro mais simples de 8 horas. Isso significa comer apenas entre as horas de 11:00 até 19:00 uma alimentação correta proposta por Nutricionista sob a adaptação do Jejum Intermitente, que realmente entenda do processo. Essencialmente isso equivale a simplesmente saltar o almoço e fazer, por exemplo de sua primeira refeição do dia o Café da manhã naquele horário. Sempre com orientação do(a) Nutricionista ressalto!

Lembre-se, você não precisa passar fome! Essa não é a estratégia proposta pelo autores. Não é  obrigado a restringir a quantidade de alimentos que você come neste tipo de plano alimentar diário com horas marcadas, apenas escolher alimentos saudáveis e ter cuidado para minimizar carboidratos e substituí-los por gorduras saudáveis, como o óleo de coco, azeite de oliva, azeitonas, manteiga, ovos, abacate e nozes, castanhas de cajú..etc..

Normalmente leva várias semanas para mudar para o modo de queima de gordura, mas quando o fizer os seus desejos por alimentos não saudáveis e carboidratos parece desaparecer por completo,  você é realmente capaz de queimar a gordura armazenada e não tem que confiar em nova dose de carboidratos para combustível energético.

Discutindo a “A Dieta de 8 horas” sob jejum Intermitente!

“Considere isto; em 2007 American Journal of Clinical Nutrition’, os pesquisadores dividiram os participantes do estudo em dois grupos, e cada grupo tinha comer o mesmo número de calorias – o suficiente para eles manter seu peso. A única diferença: Um grupo comeu todas as suas calorias em três refeições durante o dia, enquanto o outro praticava o jejum intermitente, comia o mesmo número de caloria mas em um período de tempo limitado.

Entre os resultados: Os participantes que comeram em um período de tempo menor teve alteração significativa da composição corporal incluindo a redução da massa de gordura.” Ou seja, o jejum intermitente provou ser mais eficaz.

Parte da queima de calorias vem simplesmente do corpo, e vai encontrar energia na sua própria barriga. Mas, parte dele também é de uma fonte surpreendente: de acordo com a pesquisa da Panda, restringindo o período de tempo durante o qual você se alimenta, faz com que seu corpo queime mais calorias durante o dia. É isso mesmo: quanto mais tempo você passa se alimentando, mais o seu metabolismo fica preguiçoso. Mas, encaixar sua ingestão de alimentos com intervalo de 8 anos, o seu corpo queimará mais calorias dias e noite. E, as evidencias mostram que a perda de peso é apenas o começo da variedade de benefícios que o jejum intermitente pode gerar.

Tenha em mente que a forma do jejum pode ser melhor de acordo com a individualidade de cada um, isto e, de acordo com o peso, saúde, e metas em atividades físicas (ganho de músculos, competição e etc). Se o seu objetivo é de uma vida mais longa e saudável

Qual seu objetivo? Seu objetivo de viver uma vida longa e saudável? Ou você é um atleta competitivo ou elite? O jejum intermitente pode surpreender muitas pessoas a aprender que não se pode alcançar a máxima de fitness e máxima longevidade e fertilidade, ao mesmo tempo. Cada objetivo requer uma estratégia diferente, e não vai fornecer resultados finais iguais. Por exemplo, atletas de elite normalmente têm dificuldade em engravidar, a sua aptidão foi maximizada em detrimento da sua fertilidade, já que os hormônios femininos dependem de uma quantidade suficiente de gordura corporal.

Além disso, é importante a escolha dos alimentos certos. A nutrição adequada é importante quando em jejum e a escolha dos bons alimentos é o primeiro passo. O senso comum lhe levará a usar o jejum combinado com alimentos altamente processados e dieta rica em toxina desnaturada, e assim, é possível trazer muitos danos à saúde, já que não está fornecendo ao seu corpo o combustível para uma boa saúde. Logo, é indispensável um acompanhamento com profissional habilitado, até que aprenda a realizar esta terapia nutricional de maneira segura.

Como comer de forma programada pode promover a saúde geral e longevidade

Além de remover os seus desejos de açúcar e lanches, derretendo os quilos de gordura em excesso, tornando-se muito mais fácil de manter o peso corporal saudável, a ciência moderna também confirmou que existem muitas outras boas razões para jejuar de forma intermitente, tais como:

  1. Normalizar a sua sensibilidade a insulina e leptina, que é fundamental para uma boa saúde. A resistência insulina (que é o que você começa quando sua sensibilidade à insulina cai) é um fator de contribuição principal para quase todas as doenças crônicas, a partir de diabetes à doenças cardíacas até o câncer.
  2. Normalizar os níveis de grelina, também conhecido como ‘hormônio da fome’
  3. Promover produção do HGH, que desempenha um papel importante na saúde fitness, retardando o processo de envelhecimento.
  4. Reduzir os níveis de triglicérides
  5. Reduzir a inflamação e diminuir os danos dos radicais livres
  6. Melhorar/otimizar o metabolismo. Ao contrário do que se pode pensar, o jejum intermitente não prejudica o metabolismo, e há estudo onde pessoas ficaram em jejum por até 3 dias, e o metabolismo melhorou. Br J Nutr. 1994 Mar;71(3):437-47. Segundo o médico, Dr. José Carlos Souto: “O metabolismo não depende muito do que você come ou deixa de comer, e sim de sua quantidade de massa magra (músculos)…ou seja, o que vai manter seu metabolismo basal alto é a musculação (única forma de criar massa magra). A restrição calórica, quando associada à musculação, não leva a perda de massa magra.”

Consulte o nutricionista de sua confiança, adepto a esta terapia.

Referências:

  1. BBC News January 2, 2013
  2. MSNBC: Best-selling authors talk about their book “The 8-Hour Diet.”
  3. Eurekalert, Study finds routine periodic fasting is good for your health, and your heart, April 3, 2011
  4. Journal of Applied Physiology July 28, 2005: 99(6); 2128-2136
  5. American Journal of Cardiology 2008 Oct 1;102(7):814-819
  6. American Journal of Cardiology 2012 Jun 1;109(11):1558-62
  7. Washington Post December 31, 2012
  8. British Journal of Diabetes & Vascular Disease March/April 2013 vol. 13 no. 2 68-72
  9. Medical News Today April 30, 2013
  10. Am J Clin Nutr. 2005 Jan;81(1):69-73.
  11. Br J Nutr. 1994 Mar;71(3):437-47.
  12. Journal of AmericanCollege of Nutrtion 1999; 18(1): 115-121.
  13. Diabetes care 1999; 22: 684-691.
  14. Diabetes care 2002; 25: 431-438.
  15. MEDICAL SCIENCES. 2009. Vol. 64a, No. 5, 575-580.
  16. Medicne and Science in Sports and Exercise. 1995; 27(9): 1243-51.
  17. Acta Physiologica> 2009; (6): 1-9.

‘Jejum intermitente’ é uma técnica nutricional que promove emagrecimento rápido e gera inúmeros benefícios à saúde!

jejum

Em 23 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.  – Para uma Orientação Expressa – envia email para –  juliocaleiro@hotmail.com

JEJUM INTERMITENTE  –  a Dieta é rápida, perde peso, fica saudável e vive mais tempo com o segredo simples! Dr. Michael Mosley, médico norte americano, sugere que a melhor maneira de perder peso é comer normalmente durante cinco dias por semana, e jejum rápido em dois dias. Em dias de jejum ele recomenda cortar sua comida até ¼ de suas calorias diárias normais, ou cerca de 600 calorias para homens e cerca de 500 para as mulheres, além de muita água e chá.

O próprio Dr. Mosley afirma ter perdido 19 quilos em dois meses seguindo esta recomendação, mas o aspecto mais surpreendente não é a perda de peso, é a ausência de fome e os desejos de açúcar uma vez adaptado. O seu desejo de comer alimentos não saudáveis parece desaparecer, pelo menos esta foi a minha experiência.

Eu prefiro pensar em jejum intermitente como um estilo de vida em vez de uma dieta. É uma forma de vida e alimentação que podem ajudá-lo a viver uma vida mais longa e saudável. Eu ja testei e comprovei o jejum intermitente antes mesmo de se tornar-‘mainstream’, fazia isso com facilidade aos finais de semana em tempo de catecismos protestante.

Na entrevista à BBC em destaque, o Dr. Mosley também aponta a importância do treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) – especialmente em conjunto com o jejum, a inatividade física é realmente mais prejudicial para a sua saúde do que a falta de exercício formal como proposto por Dr. Mosley, sempre com orientação do Professor de Educação Física, e com realização de exames de sangue antes. Ele recomenda levantar-se a cada 15-20 minutos, se você tem um trabalho sentado para evitar os riscos de saúde associados com a sessão prolongada de inatividade.

Dr Mercola diz “…HIIT , que é uma parte fundamental do meu programa de Fitness Peak, e é outro aspecto da saúde ideal que eu venho tentando falar aos meus leitores, já desde os meados de 2000 quando a ciência por trás dela estava mostrando sinais de ser realmente boa. Agora está finalmente começando a funcionar como uma prova de que realmente funciona como anunciado, e está se tornando cada vez mais evidente à medida que as pessoas estão praticando.

Tornando o jejum intermitente como Recomendação Principal de Saúde e emagrecimento.

Em notícia relacionada, MSNBC3 recentemente apresentado por ‘David Zinczenko e Peter Moore’, co-autores de outro livro com o mesmo Tema, expondo os benefícios de saúde do jejum intermitente diz:

Os americanos podem aparar suas cinturas e gastar menos tempo sentado na mesa de jantar! Em “A Dieta de 8 horas”,  best-sellers autores ‘David Zinczenko e Peter Moore’ argumentam que as pessoas podem perder peso (e combater a nossa cultura de se alimentar 24 horas sem parar) por apenas consumir alimentos durante um conjunto período de tempo de 8 horas.”

Esta é uma outra versão do jejum intermitente  em que você simplesmente restringe sua alimentação diária a uma janela de tempo específico. Zinczenko e Moore recomendam uma janela de oito horas o que é favorável e conveniente para a maioria das pessoas, mas você pode restringi-la ainda mais – até 4 a 6 horas ou ainda bem rígido em torno de 2 horas de alimentação naquele dia, ou mesmo o quadro mais simples de 8 horas. Isso significa comer apenas entre as horas de 11:00 até 19:00 uma alimentação correta proposta por Nutricionista sob a adaptação do Jejum Intermitente, que realmente entenda do processo. Essencialmente isso equivale a simplesmente saltar o almoço e fazer, por exemplo de sua primeira refeição do dia o Café da manhã naquele horário. Sempre com orientação do(a) Nutricionista ressalto!

Lembre-se, você não precisa passar fome! Essa não é a estratégia proposta pelo autores. Não é  obrigado a restringir a quantidade de alimentos que você come neste tipo de plano alimentar diário com horas marcadas, apenas escolher alimentos saudáveis e ter cuidado para minimizar carboidratos e substituí-los por gorduras saudáveis, como o óleo de coco, azeite de oliva, azeitonas, manteiga, ovos, abacate e nozes, castanhas de cajú..etc..

Normalmente leva várias semanas para mudar para o modo de queima de gordura, mas quando o fizer os seus desejos por alimentos não saudáveis e carboidratos parece desaparecer por completo,  você é realmente capaz de queimar a gordura armazenada e não tem que confiar em nova dose de carboidratos para combustível energético.

Discutindo a “A Dieta de 8 horas” sob jejum Intermitente!

“Considere isto; em 2007 American Journal of Clinical Nutrition’, os pesquisadores dividiram os participantes do estudo em dois grupos, e cada grupo tinha comer o mesmo número de calorias – o suficiente para eles manter seu peso. A única diferença: Um grupo comeu todas as suas calorias em três refeições durante o dia, enquanto o outro praticava o jejum intermitente, comia o mesmo número de caloria mas em um período de tempo limitado.

Entre os resultados: Os participantes que comeram em um período de tempo menor teve alteração significativa da composição corporal incluindo a redução da massa de gordura.” Ou seja, o jejum intermitente provou ser mais eficaz.

Parte da queima de calorias vem simplesmente do corpo, e vai encontrar energia na sua própria barriga. Mas, parte dele também é de uma fonte surpreendente: de acordo com a pesquisa da Panda, restringindo o período de tempo durante o qual você se alimenta, faz com que seu corpo queime mais calorias durante o dia. É isso mesmo: quanto mais tempo você passa se alimentando, mais o seu metabolismo fica preguiçoso. Mas, encaixar sua ingestão de alimentos com intervalo de 8 anos, o seu corpo queimará mais calorias dias e noite. E, as evidencias mostram que a perda de peso é apenas o começo da variedade de benefícios que o jejum intermitente pode gerar.

Tenha em mente que a forma do jejum pode ser melhor de acordo com a individualidade de cada um, isto e, de acordo com o peso, saúde, e metas em atividades físicas (ganho de músculos, competição e etc). Se o seu objetivo é de uma vida mais longa e saudável

Qual seu objetivo? Seu objetivo de viver uma vida longa e saudável? Ou você é um atleta competitivo ou elite? O jejum intermitente pode surpreender muitas pessoas a aprender que não se pode alcançar a máxima de fitness e máxima longevidade e fertilidade, ao mesmo tempo. Cada objetivo requer uma estratégia diferente, e não vai fornecer resultados finais iguais. Por exemplo, atletas de elite normalmente têm dificuldade em engravidar, a sua aptidão foi maximizada em detrimento da sua fertilidade, já que os hormônios femininos dependem de uma quantidade suficiente de gordura corporal.

Além disso, é importante a escolha dos alimentos certos. A nutrição adequada é importante quando em jejum e a escolha dos bons alimentos é o primeiro passo. O senso comum lhe levará a usar o jejum combinado com alimentos altamente processados e dieta rica em toxina desnaturada, e assim, é possível trazer muitos danos à saúde, já que não está fornecendo ao seu corpo o combustível para uma boa saúde. Logo, é indispensável um acompanhamento com profissional habilitado, até que aprenda a realizar esta terapia nutricional de maneira segura.

Como comer de forma programada pode promover a saúde geral e longevidade

Além de remover os seus desejos de açúcar e lanches, derretendo os quilos de gordura em excesso, tornando-se muito mais fácil de manter o peso corporal saudável, a ciência moderna também confirmou que existem muitas outras boas razões para jejuar de forma intermitente, tais como:

  1. Normalizar a sua sensibilidade a insulina e leptina, que é fundamental para uma boa saúde. A resistência insulina (que é o que você começa quando sua sensibilidade à insulina cai) é um fator de contribuição principal para quase todas as doenças crônicas, a partir de diabetes à doenças cardíacas até o câncer.
  2. Normalizar os níveis de grelina, também conhecido como ‘hormônio da fome’
  3. Promover produção do HGH, que desempenha um papel importante na saúde fitness, retardando o processo de envelhecimento.
  4. Reduzir os níveis de triglicérides
  5. Reduzir a inflamação e diminuir os danos dos radicais livres
  6. Melhora o metabolismo. Ao contrário do que se pode pensar, o jejum intermitente não prejudica o metabolismo, e há estudo onde pessoas ficaram em jejum por até 3 dias, e o metabolismo melhorou. Br J Nutr. 1994 Mar;71(3):437-47. Segundo o médico, Dr. José Carlos Souto: “O metabolismo não depende muito do que você come ou deixa de comer, e sim de sua quantidade de massa magra (músculos)…ou seja, o que vai manter seu metabolismo basal alto é a musculação (única forma de criar massa magra). A restrição calórica, quando associada à musculação, não leva a perda de massa magra.”

Consulte o nutricionista de sua confiança, adepto a esta terapia.

Referências:

  1. BBC News January 2, 2013
  2. MSNBC: Best-selling authors talk about their book “The 8-Hour Diet.”
  3. Eurekalert, Study finds routine periodic fasting is good for your health, and your heart, April 3, 2011
  4. Journal of Applied Physiology July 28, 2005: 99(6); 2128-2136
  5. American Journal of Cardiology 2008 Oct 1;102(7):814-819
  6. American Journal of Cardiology 2012 Jun 1;109(11):1558-62
  7. Washington Post December 31, 2012
  8. British Journal of Diabetes & Vascular Disease March/April 2013 vol. 13 no. 2 68-72
  9. Medical News Today April 30, 2013
  10. Am J Clin Nutr. 2005 Jan;81(1):69-73.
  11. Br J Nutr. 1994 Mar;71(3):437-47.
  12. Journal of AmericanCollege of Nutrtion 1999; 18(1): 115-121.
  13. Diabetes care 1999; 22: 684-691.
  14. Diabetes care 2002; 25: 431-438.
  15. MEDICAL SCIENCES. 2009. Vol. 64a, No. 5, 575-580.
  16. Medicne and Science in Sports and Exercise. 1995; 27(9): 1243-51.
  17. Acta Physiologica> 2009; (6): 1-9.

 

TRATAMENTO “ALTERNATIVO” EM ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA – ENTREVISTA CONCEDIDA À RÁDIO IMPERADOR DE FRANCA- SP.

Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 19 de Dezembro de 2013.

Entrevista concedida ao Jornalista Beto Pereira da Rádio Imperador de Franca, falando sobre o revolucionário tratamento à base de Vitamina D3 e outros compostos, no tratamento e prevenção da Esclerose Lateral Amiotrófica.

Ceramidas trata de pele seca, dermatite, eczemas e ainda protege a pele do envelhecimento precoce

Uma pele saudável é uma pele protegida. Não deixe de usar protetor solar!

Em 17 de dezembro de 2013, Julio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

No ano 2000, os suplementos orais de ceramida receberam aprovação governamental no Japão para uso geral, embora as mulheres japonesas já estavam ingerindo ceramidas concentradas no alimento típico konjac há vários anos. – www.fda.gov/ohrms/dockets/dockets/95s0316/95s-0316-rpt0275-04-Udell-vol211.pdf.

As ceramidas também são encontradas na pele humana naturalmente, e seus níveis diminuem drasticamente com o avanço da idade. Ceramidas vegetais ingeridas oralmente tem mostrado eficácia na reposição daquelas perdidas pelo envelhecimento e também em razão de danos da pele.Uma pesquisa sugere que este método de reposição por via oral melhora a funcionalidade das ceramidas e gera resultados não observados através de aplicação direta na pele, tópica. (Boisnic, Beranger JY, Branchet MC. Anti-elastase and anti-radicalar effect of ceramides. Product Research Report. Hitex)

Com o envelhecimento da pele aumenta-se a necessidade de se repor ceramidas. Mais do que apenas um problema cosmético, o envelhecimento da pele expõe a riscos significativos para a saúde a partir de microorganismos infecciosos, radiação UV, aumento a susceptibilidade à dermatites por contato de substancias químicas ambientais. É preciso que a pele esteja em seu melhor funcionamento, a fim de regular adequadamente a temperatura do corpo, sintetizar quantidades ideais de vitamina D e fornecer estímulos sensoriais do meio ambiente.

Estudos confirmam um declínio do teor de ceramida no envelhecimento da pele humana, possivelmente devido a um declínio na atividade da enzima que ajuda a fornecer ceramidas na forma utilizável para a pele (J Dermatol Sci. 1990 Mar;1(2):79-83.)

Em um estudo pesquisadores testaram a e eficácia de uma dose de ceramidas e os resultados foram notáveis, a fórmula restaurou quase completamente quem sofria de pele seca e coceira em 95%. – J Med Esth et Chir Derm. 2007 Dec; 34(136):239-42. Esses lipídeos vegetais não só hidratam, mas combatem doenças como eczema e dermatite, e dão suprote a integridade estrutural da pele para evitar rugas e linhas finas.

A superfície da pele representa a principal barreira ao ambiente externo, e como tal, é a primeira linha de defesa contra infecção microbiana. Os lipídios na superfície da pele, incluindo as ceramidas, compreendem uma parte principal de uma barreira antimicrobiana. Quando esta barreira se torna comprometida, em razão, por exemplo, da idade, inúmeros problemas de saúde podem surgir.

No caso da dermatite atópica, as concentrações de ceramida na pele são diminuídas Am Acad Dermatol. 2001 Jul;45(1 Suppl):S29-32.) e geralmente possuem concetranções mais elevadas de bactérias, especialmente Staphylococcus aureus sobre a superfície da pele (Br J  ermatol. 1998 Dec;139 Suppl 53:13-6.). Um estudo confirmou que o aumento da colonização pela bactéria Staphylococcus aureus está correlacionada com a redução de ceramidas da superfície da pele, e essa bactéria tem potencial significativo de causar infecções (J Invest Dermatol. 2002 Aug;119(2):433-9.; Br J Dermatol. 1998 Dec;139 Suppl 53:1-3.; Clin Microbiol Infect. 2001 Jun;7(6):301-7.; Burns. 2002 Dec;28(8):738-44.).

S. Pyogenes é outra bactéria que é causa comum de infecções de pele, incluindo, erisipela e celulite, que são caracterizadas pela proliferação das bactérias nas camadas profundas da pele (J Hosp Infect. 1997 Mar;35(3):207-14.).

A dermatite atópica, como outras condições inflamatórias da pele, é uma condição relacionada ao sistema imunológico. Por isso, os corticosteróides tópicos e outros agentes imunossupressores são os pilares da terapia convencional, mas os riscos de toxidade a partir destes agentes é alto, especialmente em crianças. Um estudo destinado a investigar a patogênese da dermatite de contato alérgica e outras doenças inflamatórias da pele descobriram que reparar a ruptura na barreira por ceramidas, aliado a medicações tópicas, alivia a dermatite atópica em criançasJ Am Acad Dermatol. 2002 Aug;47(2):198-208.

Num outro estudo, onde 560 pacientes com dermatite alérgica e dermatite irritante foram tratados com ceramidas com combinação de corticosteróides tópicos por 8 semanas, e outro grupo só com corticosteróides. Constatou-se que os indivíduos que usaram ceramidas em combinação com corticosteróides experimentaram maior alívio, em comparação com aqueles que usaram apenas corticosteróides. Contact Dermatitis. 2001 Nov;45(5):280-5.

Terapia com ceramida também provou ser eficaz no combate a coceira e inflamação causada por eczema. Além disso, o tratamento de ceramida foi mostrado para normalizar a pele e reduzir os sintomas em pacientes que sofrem desta condição. Cutis. 2007 Dec;80(6 Suppl):2-16.

*Todas as referências científicas estão citadas no corpo do artigo.

Ácido aspártico e Zinco restauram níveis de testosterona, concluem estudos.

testosterona

 

Em 17 de dezembro de 2013, por Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

O Ácido D-aspártico é um aminoácido presente no organismo humano sua formação ocorre pela conversão do Ácido L-aspártico em Ácido D-aspártico mediado pela enzima ‘racemase D-aspartato. A ingestão deste suplemento ajuda na estimulação dos níveis de testosterona de forma fisiológica, que ocorre por atuação do hormônio luteinizante.

Tem sido empregado para:

•  Ajuda a restaurar os níveis de testosterona; 

•  Ganho de força muscular; 

•  Tratar a fadiga crônica;

•  Melhora da infertilidade masculina

Além do ácido aspártico, o zinco também tem sido demonstrado em restaurar os níveis de testosterona. Em um estudo, verificou-se que o zinco provocou aumento acentuado nos níveis de testosterona após 6 semanas, em homens com níveis baixos deste hormônio (Arch Androl. 1981 Aug;7(1):69-73.). Da mesma forma, outra pesquisa mostrou que a restrição do zinco levou a diminuição significativa nos níveis de testosterona, enquanto que a suplementação produziu um importante aumento (Nutrition. 1996 May;12(5):344-8.). Neste estudo, concluíram que o zinco desempenha um importante papel na modulação dos níveis de testosterona em homens.

Em mais estudos, verificou-se que o zinco está envolvido em todos os aspectos da reprodução masculina, incluindo o metabolismo da testosterona, a formação do esperma e a motilidade espermática (J Coll Physicians Surg Pak. Nov 2005;15(11):671-3.) Outro exemplo da utilidade do zinco foi comprovado em um estudo com 37 homens inférteis com diminuição dos níveis da testosterona e baixas contagens de espermatozóides. Os homens receberam uma alta dose de zinco por dia, durante 45 à 50 dias. Na quase totalidade dos pacientes, os níveis de testosterona aumentaram bastante, e a contagem de esperma aumentou entre 8 à 20 milhões (Arch Androl. 1981 Aug;7(1):69-73).

Todavia, as dosagens devem ser indicadas por um nutricionista ou médico, que compreenda a terapia acima.

Referências:

1. Topo, A.; Soricelli,  et al., The role and molecular mechanism
of D-aspartic acid in the release and synthesis of LH and testosterone in humans and rats. Reprodutive Biology and Endocrinology; 7:120; 2009.

2.  Ann Intern Med. 1996 Jul 15;125(2):142-4

3. Arch Androl. 1981 Aug;7(1):69-73
4. Nutrition. 1996 May;12(5):344-8.
5. J Coll Physicians Surg Pak. Nov 2005;15(11):671-3.
6. Arch Androl. 1981 Aug;7(1):69-73
7. Harvard, School Med, 2000

 

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) E OS RESULTADOS SURPREENDENTES COM A ELIMINAÇÃO DO GLUTAMATO!

Imagem

Em 14 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423. – Para uma orientação expressa envia emails para: juliocaleiro@hotmail.com

Na Esclerose Lateral Amiotrófica verifica-se um excesso da atividade do glutamato no sistema nervoso central que o medicamento Rilutek® faz o bloqueio (bloqueio de glutamato). Rilutek funciona por retardar o aparecimento e progressão dos sintomas, porque bloqueia a atividade neurológica excessiva e destrói a toxicidade promovida pelo glutamato. As estimativas sobre o tempo que prolonga a vida útil varia de acordo com o fabricante do medicamento. A Aventis Pharma afirma que de três a quatro meses é a média. Por que apenas alguns meses? Eu tenho algumas perguntas: E se os pacientes fossem colocados em uma dieta livre de glutamato ao invés de usar esse medicamento? Será que a expectativa de vida aumentaria em anos ao invés de meses? E então o que dizer em abordar as questões de pesticidas e toxinas, bem como a conexão com metal pesado? Agora podemos estender a expectativa de vida de 10, 20, 30 ou mais anos? Creio que a resposta é SIM, e não tenho que procurar muito para encontrar provas! Vamos aos estudos.

Estudos:

1. ” Jeffrey Rothstein descobriu uma anomalia que parece ser generalizada em pacientes com E.L.A esporádica “. Rothstein e sua equipe de pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, apresentou provas de que uma proteína do cérebro chamada EAAT2 está mal feita em quase metade dos pacientes estudados . Esta proteína desativa e recicla o neurotransmissor glutamato e uma deficiência poderia conduzir a uma acumulação de glutamato . O glutamato é tóxico para células em concentrações elevadas e os investigadores entendem como sendo a causa de morte dos neurônios que controlam os músculos .

” … glutamato excessivo fere os neurônios cultivados por estimulação de Ca2 + ( cálcio ), e este é verificado em ser envolvido numa variedade de doenças neurológicas . ” Glutamate neurotoxicity and diseases of the nervous system. Choi DW. Neuron 1988;1:623-634.

2. ” Excitotoxicidade é um mecanismo comum visto em muitas doenças neurológicas, incluindo acidente vascular cerebral, traumatismo cerebral, infecções do sistema nervoso central, doenças autoimunes , esclerose múltipla, toxicidade de metais pesados ​​, tumores cerebrais, e a maioria das doenças neurodegenerativas … incluindo a doença de Lou Gehrig (Esclerose Lateral Amiotrófica) –  Excitoxicity: A possible central mechanism in fluoride neurotoxicity. Blaylock, R. Fluoride 2004;37(4); 301-314 Research Review 301.

3. “Esclerose Lateral Amiotrófica é uma doença neurodegenerativa fatal que foi verificada para ser tratada por um longo tempo. No entanto, evidências recentes em homens indica que as estratégias antiglutamatérgicos são os primeiros a ter uma influência na sua patogênese e em retardar o processo da doença” – Antiglutamate therapy of ALS – which is the next step?A.C. Ludolph, T. Meyer, and M.W. Riepe. Dept. of Neurology. University of Ulm, Federal Republic of Germany

4. “Excitotoxidade mediada por glutamato tem sido implicado como uma causa desta degeneração progressiva.”- Altered AMPA and cannabinoid receptor trafficking in motor neurons of ALS model mice: Implications for excitotoxicity.P. Zhao, M.E. Abood, E.C. Beattie. Research Inst., California Pacific Med Ctr., San Francisco, CA Oct. 2006.

5. Os defeitos no transporte neurotransmissor glutamato pode ser um componente importante de neurotoxidade crônica em doenças como esclerose lateral amiotrófica…nós desenvolvemos um modelo de toxidade lento em cultura organotípicas medula espinhal…” Ao inibir o transporte de glutamato houve retardamento da degeneração dos neurônios motores da medula espinhal. Chronic inhibition of glutamate uptake produces a model of slow neurotoxicity. Jeffrey D. Rothstein et al. JohnHopkinsUniversity. Proc. Natl. Acad. Sci. USA Vol 90, pp 6591-6595, July 1993 Neurobiology.

6. “Juntamente com ionotrópico e receptores metabotrópicos de glutamato, o antiportador cistina/glutamato pode desempenhar um papel fundamental na patologia no sistema nervoso central. Elevados níveis de glutamato extracelular inibe a importação de cistina, o que resulta na depleção de glutationa e uma forma de lesão de células do chamado ‘toxidade de glutamato oxidativo’. Glutamato oxidativo pode ser um componente da cascata de excitotocidade. David Schubert e Dana Piasecki . The Journal of Neuroscience , 1 de outubro de 2001. 21 ( 19 ) : 7455-7462 .

7. L-glutamato é o principal neurotransmissor excitatório no sistema nervoso central dos mamíferos…a disfunção dos transportadores [EAAT1 EAAT2 e em células gliais] no cérebro estão implicados na patologia de doenças neurodegenerativas, tais como esclerose lateral amiotrófica. Transporters for L-glutamate: An update on their molecular pharmacology and pathological involvement.PM Beart and RD O’Shea. British Journal of Pharmacology (2007) 150, 5-17.

Onde você está recebendo o glutamato? Em todos os lugares. …Graças ao John Erb, pesquisador no desenvolvimento do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade e autor do livro  “The Slow Poisoning of America, the cause of ADHD is no longer a mystery” que diz: “estas doenças parecem ser causadas por um aditivo alimentar conhecida como glutamato monossódico – MSG. John Erb explica: glutamato monossódico é adicionado aos alimentos por causa de suas qualidades viciantes, ou seja.: “é a nicotina da comida”. Ele é altamente reativo no cérebro humano e outros órgãos. John Erb comenta: A FDA (órgão semelhante a ANVISA no Brasil) não tem limites sobre a quantidade de MSG que podem ser adicionados nos alimentos, apesar de tão pouco, tais como como duas colheres terem sido a causa direta de convulsões epilépticas e mortes nos animais, como cães”.

A resposta é uma droga para bloquear o glutamato? É dessa forma que a indústria farmacêutica e médica pensam. Qual foi a vez que seu médico lhe disse para fazer uma dieta excluindo cuidadosamente o glutamato, e que isso iria ajudá-lo? Não,  eles desconhecem o glutamato nos alimentos, ao invés disso eles procuram um medicamento para bloquear o glutamato. De fato, o único medicamento aprovado pela FDA para o tratamento de esclerose lateral amiotrófica é o Riluzol. Riluzol bloqueia os efeitos do glutamato através da diminuição da libertação de glutamato, e bloqueia a capacidade de se ligar aos seus receptores, o que diminui a excitotocidade que leva à morte celular. Demonstrou-se por prolongar o tempo de sobrevivência em doentes com E.L.A por apenas dois meses. Alguns poderiam dizer que é um progresso. Eu digo que você não pode bloquear completamente qualquer coisa no corpo se não eliminá-lo sua ingestão completamente. O que o corpo precisa é de equilíbrio – homeostase!

* O texto está fundamentado e baseado no artigo do Dr. David Steenblock, pesquisador e médico osteopata, graduado na Faculdade de Medicina Osteopática Indes Moines , Iowa (EUA), e é diretor do “The Brain Therapeutics Medical Clinic” in Mission Viejo, California- EUA. Na pós-graduação (1964-1967) , ele foi premiado com um NIH Cardiovascular Fellowship e ganhou o grau de Mestre em Bioquímica. Seu treinamento de pós-doutorado incluiu um estágio clínico na Providence Hospital, em Seattle, Washington, três anos na Medical Center da Universidade Case Western Reserve e um ano no Oregon Health Sciences University. Aplica tratamento com ótimos resultados para paralisia cerebral, esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, doença de Parkinson, degeneração macular e perda de memória.

ATENÇÃO! O NUTRICIONISTA É O PROFISSIONAL QUALIFICADO EM PRESCRIÇÃO DE DIETAS E SUPLEMENTAÇÃO, INCLUSIVE EM DIETAS RESTRITIVAS COMO À RESTRIÇÃO EM 100% DO GLUTAMATO EM PACIENTES COM E.L.A E OUTRAS.

O Dr. Júlio Caleiro aplica este tratamento na exclusão do Glutamato, e prescreve os demais compostos que são indicados exclusivamente em pacientes acometidos de ELA. Para uma orientação expressa envia email para:  juliocaleiro@hotmail.com

Todas as referências científicas constam no corpo do texto.

Glutamato é ‘a nicotina do alimento’ e gera grave toxidade no cérebro, concluem vários estudos.

logo4

Em 14 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423

Na Esclerose Lateral Amiotrófica verifica-se um excesso da atividade do glutamato no sistema nervoso central que o medicamento Rilutek® faz o bloqueio (bloqueio de glutamato). Rilutek funciona por retardar o aparecimento e progressão dos sintomas, porque bloqueia a atividade neurológica excessiva e destrói a toxicidade promovida pelo glutamato. As estimativas sobre o tempo que prolonga a vida útil varia de acordo com o fabricante do medicamento. A Aventis Pharma afirma que de três a quatro meses é a média. Por que apenas alguns meses? Eu tenho algumas perguntas: E se os pacientes fossem colocados em uma dieta livre de glutamato ao invés de usar esse medicamento? Será que a expectativa de vida aumentaria em anos ao invés de meses? E então o que dizer em abordar as questões de pesticidas e toxinas, bem como a conexão com metal pesado? Agora podemos estender a expectativa de vida de 10, 20, 30 ou mais anos? Creio que a resposta é SIM, e não tenho que procurar muito para encontrar provas! Vamos aos estudos.

Estudos:

1. ” Jeffrey Rothstein descobriu uma anomalia que parece ser generalizada em pacientes com E.L.A esporádica “. Rothstein e sua equipe de pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, apresentou provas de que uma proteína do cérebro chamada EAAT2 está mal feita em quase metade dos pacientes estudados . Esta proteína desativa e recicla o neurotransmissor glutamato e uma deficiência poderia conduzir a uma acumulação de glutamato . O glutamato é tóxico para células em concentrações elevadas e os investigadores entendem como sendo a causa de morte dos neurônios que controlam os músculos .

” … glutamato excessivo fere os neurônios cultivados por estimulação de Ca2 + ( cálcio ), e este é verificado em ser envolvido numa variedade de doenças neurológicas . ” Glutamate neurotoxicity and diseases of the nervous system. Choi DW. Neuron 1988;1:623-634.

2. ” Excitotoxicidade é um mecanismo comum visto em muitas doenças neurológicas, incluindo acidente vascular cerebral, traumatismo cerebral, infecções do sistema nervoso central, doenças autoimunes , esclerose múltipla, toxicidade de metais pesados ​​, tumores cerebrais, e a maioria das doenças neurodegenerativas … incluindo a doença de Lou Gehrig (Esclerose Lateral Amiotrófica) –  Excitoxicity: A possible central mechanism in fluoride neurotoxicity. Blaylock, R. Fluoride 2004;37(4); 301-314 Research Review 301.

3. “Esclerose Lateral Amiotrófica é uma doença neurodegenerativa fatal que foi verificada para ser tratada por um longo tempo. No entanto, evidências recentes em homens indica que as estratégias antiglutamatérgicos são os primeiros a ter uma influência na sua patogênese e em retardar o processo da doença” – Antiglutamate therapy of ALS – which is the next step?A.C. Ludolph, T. Meyer, and M.W. Riepe. Dept. of Neurology. University of Ulm, Federal Republic of Germany

4. “Excitotoxidade mediada por glutamato tem sido implicado como uma causa desta degeneração progressiva.”- Altered AMPA and cannabinoid receptor trafficking in motor neurons of ALS model mice: Implications for excitotoxicity.P. Zhao, M.E. Abood, E.C. Beattie. Research Inst., California Pacific Med Ctr., San Francisco, CA Oct. 2006.

5. Os defeitos no transporte neurotransmissor glutamato pode ser um componente importante de neurotoxidade crônica em doenças como esclerose lateral amiotrófica…nós desenvolvemos um modelo de toxidade lento em cultura organotípicas medula espinhal…” Ao inibir o transporte de glutamato houve retardamento da degeneração dos neurônios motores da medula espinhal. Chronic inhibition of glutamate uptake produces a model of slow neurotoxicity. Jeffrey D. Rothstein et al. JohnHopkinsUniversity. Proc. Natl. Acad. Sci. USA Vol 90, pp 6591-6595, July 1993 Neurobiology.

6. “Juntamente com ionotrópico e receptores metabotrópicos de glutamato, o antiportador cistina/glutamato pode desempenhar um papel fundamental na patologia no sistema nervoso central. Elevados níveis de glutamato extracelular inibe a importação de cistina, o que resulta na depleção de glutationa e uma forma de lesão de células do chamado na toxidade de glutamato oxidativo . Glutamato oxidativo pode ser um componente da cascata de excitotocidade. David Schubert e Dana Piasecki . The Journal of Neuroscience , 1 de outubro de 2001. 21 ( 19 ) : 7455-7462 .

7. L-glutamato é o principal neurotransmissor excitatório no sistema nervoso central dos mamíferos….disfunção dos transportadores [EAAT1 EAAT2 e em células gliais] no cérebro estão implicados na patologia de doenças neurodegenerativas, tais como esclerose lateral amiotrófica. Transporters for L-glutamate: An update on their molecular pharmacology and pathological involvement.PM Beart and RD O’Shea. British Journal of Pharmacology (2007) 150, 5-17.

Onde você está recebendo o glutamato? Em todos os lugares. …Graças ao John Erb, pesquisador no desenvolvimento do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade e autor do livro  “The Slow Poisoning of America, the cause of ADHD is no longer a mystery” que diz: “estas doenças parecem ser causadas por um aditivo alimentar conhecida como glutamato monossódico – MSG. John Erb explica: glutamato monossódico é adicionado aos alimentos por causa de suas qualidades viciantes, ou seja.: “é a nicotina da comida”. Ele é altamente reativo no cérebro humano e outros órgãos. John Erb comenta: A FDA (órgão semelhante a ANVISA no Brasil) não tem limites sobre a quantidade de MSG que podem ser adicionados nos alimentos, apesar de tão pouco, tais como como duas colheres terem sido a causa direta de convulsões epilépticas e mortes nos animais, como cães”.

A resposta é uma droga para bloquear o glutamato? É dessa forma que a indústria farmacêutica e médica pensam. Qual foi a vez que seu médico lhe disse para fazer uma dieta excluindo cuidadosamente o glutamato, e que isso iria ajudá-lo? Não,  eles desconhecem o glutamato nos alimentos, ao invés disso eles procuram um medicamento para bloquear o glutamato. De fato, o único medicamento aprovado pela FDA para o tratamento de esclerose lateral amiotrófica é o Riluzol. Riluzol bloqueia os efeitos do glutamato através da diminuição da libertação de glutamato, e bloqueia a capacidade de se ligar aos seus receptores, o que diminui a excitotocidade que leva à morte celular. Demonstrou-se por prolongar o tempo de sobrevivência em doentes com E.L.A por apenas dois meses. Alguns poderiam dizer que é um progresso. Eu digo que você não pode bloquear completamente qualquer coisa no corpo se não eliminá-lo sua ingestão completamente. O que o corpo precisa é de equilíbrio – homeostase!

* O texto está fundamentado e baseado no artigo do Dr. David Steenblock, pesquisador e médico osteopata, graduado na Faculdade de Medicina Osteopática Indes Moines , Iowa (EUA), e é diretor do “The Brain Therapeutics Medical Clinic” in Mission Viejo, California- EUA. Na pós-graduação (1964-1967) , ele foi premiado com um NIH Cardiovascular Fellowship e ganhou o grau de Mestre em Bioquímica. Seu treinamento de pós-doutorado incluiu um estágio clínico na Providence Hospital, em Seattle, Washington, três anos na Medical Center da Universidade Case Western Reserve e um ano no Oregon Health Sciences University. Aplica tratamento com ótimos resultados para paralisia cerebral, esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, doença de Parkinson, degeneração macular e perda de memória.

ATENÇÃO! O NUTRICIONISTA É O PROFISSIONAL QUALIFICADO EM PRESCRIÇÃO DE DIETAS E SUPLEMENTAÇÃO, INCLUSIVE EM DIETAS RESTRITIVAS COMO À RESTRIÇÃO EM 100% DO GLUTAMATO EM PACIENTES COM E.L.A E OUTRAS.

Todas as referências científicas constam no corpo do texto.

Homeopatia pode eliminar o mercúrio do organismo e restaurar a saúde, conclui estudo.

maxresdefault

Em 13 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

É sabido que a contaminação por mercúrio é fonte de inúmeras doenças.  O médico Dr. Joseph Mercola diz que:

 “Doenças autoimunes se desenvolvem quando o sistema imunológico ataca tecidos próprios ou proteínas do seu corpo, porque eles foram contaminados por toxinas ou alguma outra influencia ambiental. E lembre-se esse desequilíbrio, essa influencia tóxica, se origina de seus sistema digestivo ou  na parede do intestino.”

 Em outra oportunidade, o médico Dr. Mercola informa ainda;

 “O cérebro é o principal alvo para os metais pesados, o que resulta em muitos sintomas neurológicos, incluindo depressão e ansiedade, irritabilidade e perda de memória. Sobrecarga de mercúrio pode até mesmo levar a grandes neurológicas como Alzheimer e doença de Parkinson. …

Os metais pesados ​​também se direcionam os seus rins , fígado, coração , hipófise e glândulas de tireóide, e aumentam o risco no desenvolvimento de diabetes tipo 2 . Na verdade , um protocolo de desintoxicação de mercúrio pode melhorar significativamente a sensibilidade à insulina e síndrome metabólica.”

 Segundo um estudo científico, verificou-se que um homem de 54 anos de idade, tinha uma síndrome semelhante a esclerose lateral amiotrófica, após uma breve, mas intensa exposição ao mercúrio elementar. A síndrome foi resolvida quando seus níveis de mercúrio urinário caíram. [JAMA. 1983 05 de agosto, 250 (5) :642-3.]

Logo, eliminar a contaminação por mercúrio no organismo é um processo de cura para inúmeras doenças, e está comprovado por estudo cientifico que a homeopatia pode ser eficaz nessa tarefa.

Avaliou-se a ação terapêutica da homeopatia em pacientes contaminados por mercúrio, a partir de observação clínica e laboratorial de 52 pacientes com histórico, sinais e sintomas de exposição ao mercúrio. Foram distribuídos cega e randomicamente em 2 grupos: o grupo placebo, e o grupo que fez uso do medicamento homeopático ‘Mercurius solubilis’ (em dois tipos de dosagens). Os pacientes foram submetidos a dosagem de mercúrio sérica, urinária e no cabelo de antes do início do tratamento, com 30 e 60 dias.  Estatística realizada com teste t de Student; análise de variância com medidas  repetidas, a diferença significativa foi estabelecida no valor-p<0,05.

 O resultado foi que houve  uma redução significativa dos níveis de mercúrio no cabelo dos indivíduos tratados com a medicação homeopática, com indícios do aumento da excreção urinária de mercúrio. A medicação homeopática se mostrou eficaz como quelante de metais, mobilizando mercúrio dos tecidos impregnados. O medicamento homeopático Mercúrius S., nas diluições utilizada no estudo, se mostraram efetivas no tratamento das contaminações mercuriais, levando a diminuição dos sintomas no grupo tratado com ultradiluição frente ao grupo controle, ao final do tratamento.

Logo, se a causa dos sintomas ou patologias está relacionada a contaminação por mercúrio, o tratamento deve ser direcionado na eliminação natural deste metal. Se a causa não for tratada, nenhum tratamento terá bons resultados. Verificada a intoxicação por mercúrio, e promovida uma dieta de detoxificação (eliminação de toxinas), com inclusão de nutrientes específicos, a saúde se restaura naturalmente.

Referência

  1. Revista de Homeopatia 2011;74(3):38
  2. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/07/31/dr-natasha-campbell-mcbride-on-gaps-nutritional-program.aspx
  3. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2013/01/13/mercury-detoxification-protocol.aspx

“Há correlação direta entre os níveis de iodo pré-natais e o QI (quociente de inteligência) da criança”, diz o médico Dr. David Brownstein

resize-500x334_gravida-com-azia-135631

Por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: (35) 3531 8423.

Dr. David Brownsteinmédico norte-americano, autor do livro ‘Iodine: Why You Need It, Why You Can’t Live Without It’ (Iodo: por que você precisa e por que não pode viver sem), é graduado pela Universidade de Michigan e Wayne State University School of Medicine. É professor clínico de Medicina da Wayne State University School of Medicine. É membro da Academia de Médicos de Família, da Academia Americana de Medicina Preventiva e da Sociedade de Acupuntura de Michigan e da Academia Americana de Acupuntura Médica.

Dr. Brownstein informa que:

“A deficiência de iodo está ocorrendo em taxas de epidemia. É importante para as mulheres em idade fértil garantir seus níveis suficientes de iodo antes de engravidar. Por que? Há muitos estudos, alguns que datam de quase 100 anos, que encontraram uma correlação direta entre os níveis de iodo pré-natais e o QI da criança (quociente de inteligência). No entanto, não é apenas um QI reduzido que resulta da diminuição da disponibilidade de iodo para o feto. Níveis de iodo rebaixados no pré-natal também estão associados com muitas doenças da infância, como autismo e  transtorno de déficit de atenção e hiperatividade – TDAH. Não tenho dúvidas de que a epidemia de distúrbios de comportamento na infância está a ser causado, em parte, pela deficiência de iodo.

 Ao longo dos últimos 40 anos, como os níveis de iodo caíram mais de 50%, a taxa de doenças autoimunes da tireóide tem aumentado a taxas de epidemia. Não podemos viver sem o iodo. Finalmente, gostaria de tirar qualquer preocupação de que o uso de iodo irá causar transtornos de hipotireoidismo ou outro problema na tireóide. Eu acredito que maioria dos distúrbios da tireóide – do hipotireoidismo a doenças autoimunes da tireóide, são causadas, em parte, da ingestão insuficiente de iodo juntamente com o aumento da exposição de iodetos tóxicos (flúor e brometo). Garantir os níveis de iodo adequados podem ajudar a conseguir a sua saúde ideal.”

Alerto que a sugestão de dosagem de 150mcg ou 250mcg (para grávidas) de iodo diário pela medicina convencional, tem apenas a finalidade de evitar o bócio, mas é ainda significativamente insuficiente para garantir níveis adequados de iodo para a saúde ideal. Para uma saúde plena as dosagens são bastante superiores, e devem ser analisadas caso a caso.

Referência:

http://blog.drbrownstein.com/dr-bs-newest-iodine-book-now-available/

OMEGA 3 ajuda na redução do triglicérides, diz estudo.

home-hipertensao-colesterol

Em 10 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

Por que triglicérides alto é um perigo para a saúde?

Triglicérides acumulam em vários órgãos, onde exercem inúmeros efeitos prejudiciais, o mais proeminente é no coração. Eles influenciam a expressão de genes relacionados à suscetibilidade da doença na artéria coronária. Acumulando no coração, reduzem a função ventricular esquerda de maneira peculiar para pessoas com desordens metabólicas.

Triglicérides também desencadeiam o aumento da ativação plaquetária, aumentando substancialmente o risco de formação de coágulos perigosos. Triglicérides elevados aumentar incidência de acidente vascular cerebral.

Triglicérides elevados contribuem para a elevação de três vezes do risco de doença cardiovascular observado em pessoas com síndrome metabólica, pessoas com diabetes tipo 2. Pessoas com alto teor de triglicerídeos no fígado tem pior circulação sanguínea e o metabolismo energético no coração é prejudicado.

E qual é a faixa segura dos níveis de triglicérides no organismo?

Segundo as conclusões de pesquisadores e médicos mais recentes é de que o triglicérides deve estar abaixo de 80 mg/dL.  (Para aprofundar no assunto, sugiro a leitura desta matéria: http://www.lef.org/magazine/mag2009/may2009_Heart-Attack-Risk-Factors_02.htm)

Mas, há uma boa notícia. Recente estudo avaliou doses de OMEGA 3 sobre marcadores biológicos de risco na doença cardiovascular, inflamação e triglicérides.

Participaram do estudo 26 voluntários por oito semanas todos  apresentavam níveis alterados de triglicérides em torno de 150/500  mg/dl e idade média de 44 anos.

O estudo confirma que a suplementação de OMEGA 3 em dose maiores teve efeito na redução de maneira SIGNIFICATIVA do triglicérides.

Alerto, todavia, que é preciso ter cautela na escolha do omega 3 e em suas dosagens, sob pena de estar fazendo uma suplementação completamente inócua. É preciso acompanhamento médico ou de nutricionista para avaliar a dosagem a ser realizada para cada situação.

 

Referência:

1. Sarwar N, Sandhu MS, Ricketts SL, et al. Triglyceride-mediated pathways and coronary disease: collaborative analysis of 101 studies. Lancet. 2010 May 8;375(9726):1634-9.

2. Kisfali P, Polgar N, Safrany E, et al. Triglyceride level affecting shared susceptibility genes in metabolic syndrome and coronary artery disease. Curr Med Chem. 2010;17(30):3533-41.

3. de las Fuentes L, Waggoner AD, Brown AL, Davila-Roman VG. Plasma triglyceride level is an independent predictor of altered left ventricular relaxation. J Am Soc Echocardiogr. 2005 Dec;18(12):1285-91.

4. de Man FH, Nieuwland R, van der Laarse A, et al. Activated platelets in patients with severe hypertriglyceridemia: effects of triglyceride-lowering therapy. Atherosclerosis. 2000 Oct;152(2):407-14.

5. Ebinger M, Heuschmann PU, Jungehuelsing GJ, Werner C, Laufs U, Endres M. The Berlin ‘Cream&Sugar’ Study: the prognostic impact of an oral triglyceride tolerance test in patients after acute ischaemic stroke. Int J Stroke. 2010 Apr;5(2):126-30.

6. De Flines J, Scheen AJ. Management of metabolic syndrome and associated cardiovascular risk factors. Acta Gastroenterol Belg. 2010 Apr-Jun;73(2):261-6.

7. Alberti KG, Eckel RH, Grundy SM, et al. Harmonizing metabolic syndrome: a joint interim statement of the International Diabetes Federation Task Force on Epidemiology and Prevention; National Heart, Lung, and Blood Institute; American Heart Association; World Heart Federation; International Atherosclerosis Society; and International Association for the Study of Obesity. Circulation. 2009 Oct 20;120(16):1640-5.

8. Rijzewijk LJ, Jonker JT, van der Meer RW, et al. Effects of hepatic triglyceride content on myocardial metabolism in type 2 diabetes. J Am Coll Cardiol. 2010 Jul 13;56(3):225-33.

9. Skulas-Ray AC et al. American Journal of Clinical Nutrition. 2011; 93:243-252

10. Medpharma

Dieta da proteína [ATKINS] aumenta o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, diz estudo.

agefoto_rf_photo_of_woman_experiencing_chest_pain

Em 08 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

Mulheres que comem regularmente uma dieta de baixos níveis de carboidratos e altos níveis de proteínas (low carbohydrate-high protein – LCHP), como a dieta Atkins, estão em maior risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral do que aqueles que não fazem esta dieta, sugere um estudo publicado no site do British Medical Journal.

De acordo com os autores do estudo, os defensores da dieta Atkins que muitas vezes incluem grandes quantidades de gorduras saturadas, enfrentam um aumento de 60% no risco de doença cardiovascular. Os resultados são uma preocupação, dizem eles, porque muitos jovens podem realizar esta dieta e enfrentar o risco de doença cardíaca por muitos anos.

Os efeitos na saúde em longo prazo da dieta Atkins e dietas semelhantes tem sido uma preocupação de muitos médicos. Eles temem que as dietas ricas em gordura podem promover não só doença cardiovascular, mas também o câncer. Para tentar lançar luz sobre o assunto, uma equipe de cientistas realizaram um estudo com aproximadamente 44 mil mulheres suecas com idade entre 30 e 49 anos, com média de acompanhamento de 15 anos.

Fatores suscetíveis de influenciar os resultados foram levados em conta, incluindo o tabagismo, uso de álcool, diagnóstico de hipertesão arterial, nível geral de atividade, e ingestão de gordura saturada/insaturada.

Após estas variáveis, os resultados mostraram que ao longo de um período de 15 anos, ocorreram 1270 eventos cardiovasculares, e mais da metade foram de doença isquêmica do coração e 23% acidente vascular cerebral.  As incidências de desfechos cardiovasculares aumentaram com uma pontuação crescente a cada nível maior de proteína, e com diminuição proporcional em carboidrato.

Os autores concluíram que a dieta de alta proteína e baixo carboidrato (LCHP) aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Em outros estudos, verificam efeitos adversos graves em crianças que realizaram a dieta de alto consumo de proteína e baixos carboidratos. Já foi verificado que, por ano, cerca de uma a cada 20 crianças que fazem a dieta cetogênica (alta proteína e baixo carboidrato), desenvolveram pedras nos rins, em comparação de um em vários milhões da população em geral – J Child Neurol. 2007 Apr;22(4):375-8.

Num outro estudo, em crianças que seguiram a dieta cetogência durante 6 anos, a incidência de pedras nos rins foi de 25%, e ainda, para agravar, verificou-se retardamento no crescimentohttp://pmid.us/17109786. O retardamento no crescimento foi também observado em outro estudo, após 2 anos de dieta cetogênica em crianças. Ao interromperem a dieta, voltaram a se desenvolver (altura) normalmente –http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22749312.

A dieta deve ser equilibrada, com níveis adequados de bons carboidratos, boas gorduras e proteínas, e com isso, o emagrecimento ocorre de maneira saudável.

Para mais informações dos efeitos ruins à saúde da dieta da proteína, sugiro a leitura desta outra matéria:

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/11/05/dieta-da-proteina-e-seus-graves-riscos-a-saude/

Fonte:

1. http://www.newsmaxhealth.com/Headline/Atkins-style-diets-increase-cardio-risks-cardiovascular-high-protein-low-carbohydrate-saturated-fats/2012/06/26/id/483061

2. http://www.bmj.com/press-releases/2012/06/25/experts-warn-significant-cardiovascular-risk-atkins-style-diets

Alendronato! A droga utilizada para Osteoporose afeta o Coração, também pode causar Derrames Embólicos, Úlceras, Insuficiência Renal, Danos ao fígado e outros!

Imagem

Mulheres que usam o Alendronato tem 2 vezes mais probabilidade de desenvolver fibrilação atrial ( tremor da na parte superior do coração) que é o tipo mais comum de batimento cardíaco cronicamente irregular, (Arritmia).
O Adendronato é a droga mais utilizada para a osteoporose, doença esta que enfraquece os ossos. A FDA aprovou a primeira versão genérica em fevereiro de 2008. A droga foi associada com um risco 86% por cento maior de fibrilação atrial em comparação com quem nunca ter usado a droga. A fibrilação atrial pode causar palpitações, desmaios  fadiga, ou insuficiência cardíaca congestiva. Eles também podem levar a derrames embólicos!
Referência: (Archives of Internal Medicine April 28, 2008; 168(8):826-31).
——————————————————————-
By Ed. Dr. Júlio Caleiro – Publicado em 07 de Dezembro de 2013.  

Agende um consulta, ou peça sua ‘Orientação Expressa’ através do email – juliocaleiro@hotmail.com
——————————————————————-

A osteoporose afeta uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens com idade superior a 50 anos, em grande parte porque muitos não tem se quer uma noção básica sobre o que podem fazer para evitar esse problema comum.
Ao todo ela afeta mais de 25 milhões de americanos! Além disso perto de 1,2 milhões de fraturas ósseas nos Estados Unidos a cada ano estão relacionadas à osteoporose.

Drogas como Alendronato no entanto estão lonje de ser a solução para este problema!

O que há de errado com o Alendronato? O Alendronato usa a mesma classe química dos (fosfonatos), o que é exatamente o que se usa por exemplo em produtos de limpeza para remover resíduos de uma panela suja de gorduras.
Este produto químico é um veneno metabólico que realmente mata os osteoclastos! Os osteoclastos são as células que quebram os ossos para que então os OSTEOBLASTOS possam reconstrui-los. No osso saudável normal esta repartição e posterior reconstrução do osso são processos interligados corretamente ambos envolvidos no rejuvenescimento normal do osso. Na osteoporose a taxa de reabsorção óssea (decomposição – feita pelos osteoclastos) excede a taxa de formação óssea  osteoblastos) o que resulta numa diminuição da massa óssea.

É bastante claro que se matar então os osteoclastos os ossos poderiam ficar mais densos! Simples né? No entanto o que eles (Empresas Farmacêuticas) não dizem é que na verdade os ossos tornam-se mais fracos, embora mais densos!
Por quê? Porque o osso é uma estrutura dinâmica que requer a remoção de osso saudável e substituição por osso novo, para que realmente seja reconstituído de uma maneira eficaz e forte. O Alendronato não constrói ossos novos! Ele só mata as células que destroem os ossos de modo desequilibrado num indivíduo com osteoporose, e que o osso não está passando por seu processo de regeneração natural, formando ossos fortes num processo de reversão de osteoporose nem mesmo evitando à progressão desta. É trágico que drogas como o Alendronato são autorizados a continuar sendo apontado como a resposta ótima para a osteoporose, quando se tem tantos efeitos colaterais prejudiciais!

O fato de que a droga pode quase dobrar o risco de desenvolver fibrilação atrial, de acordo com os pesquisadores, um “efeito adverso completamente inesperado e até então desconhecida” da droga. No entanto muitos outros efeitos adversos já foram descobertos , incluindo :

Aumento do risco de úlceras
Danos ao fígado
Inflamação gástrica e esofágica
insuficiência renal
As reações da pele
A hipocalcemia (cálcio no sangue é demasiado baixo)
Osteonecrose (morte do osso da mandíbula)
Inflamações oculares graves e possível cegueira!

Portando não faz sentido tomar um medicamento para a osteoporose que pode literalmente apodrecer o osso do maxilar, dar-lhe úlceras,  danificar o fígado e causar insuficiência cardíaca ou acidente vascular cerebral! Tenho certeza de que a esperança da Merck é que você possa ser cego o suficiente para não enxergar isso!

Como Fortalecer seus ossos com segurança e naturalmente?

Estas orientações simples Nutricionais podem ajudar você a manter ou aumentar a sua resistência óssea de forma segura e natural, sem o uso de drogas que possam causar -lhe ainda mais danos!

Se você tem baixa densidade óssea ou se preocupa em tornar-se um problema no futuro, aumente o consumo de vegetais e alimentos funcionais pois é a melhor alternativa! Se você acha que é difícil comer a quantidade recomendada de vegetais que você necessita diariamente pelo seu Nutricionista, você também pode tentar fazer sucos de vegetais orientado por este profissional.

-Manter um equilíbrio saudável entre ômega-6 e ômega-3 em sua dieta.
-Coma de acordo com seu tipo nutricional. Isto irá assegurar que você está recebendo nutrientes suficientes para os seus ossos, e também vai ajudar a corrigir o seu ômega-6 e ômega- 3.
-Considere a suplementação com vitamina K2. A vitamina K serve como a “cola” biológica que ajuda a ligar o cálcio em sua matriz óssea.
-Obtenha quantidades suficientes de vitamina D, de preferência a partir de uma boa quantidade de exposição ao sol. Vitamina D constrói a sua densidade óssea, ajudando o seu corpo a absorver cálcio. Boas quantidade de magnésio também é sugerida com parte de um tratamento Nutricional.
-Exercício. Estudos mostram que o exercício é tão importante para a sua saúde óssea, juntamente com uma dieta equilibrada em cálcio.
-Considere a progesterona natural, o que pode aumentar sua força e densidade óssea! Ela faz isso servindo como um promotor de crescimento para os osteoblastos (células que constroem ossos). No entanto tenha de atenção que em geral, cremes de progesterona não pode ser uma boa alternativa. Existem outras alternativas melhores e mais seguras.
-Evite refrigerantes e açúcares o que pode aumentar o dano ósseo, descalcificando ainda mais seus ossos.

As Drogas como etidronato, risedronato, pamidronato são similares aos mesmos efeitos tóxicos acima relatado e outros piores.
———————————————————

Referências:

1-Archives of Internal Medicine April 28, 2008; 168(8):826-31
2-Eurekalert April 28, 2008
3-American Journal of Clinical Nutrition Jun 2007, 85(6):1586-91
4-American Journal of Epidemiology Oct 2007, 166(12):1409-19
5-American Journal of Clinical Nutrition Mar 2004, 79(3):362-71
6- Mercola

Ácido málico gera melhoras significativas em pessoas com fibromialgia e síndrome de fadiga crônica

6636965GG

Em 04 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL –juliocaleiro@hotmail.com


 

By, Dr. Júlio Caleiro

Ácido málico é uma substancia natural encontrada em frutas e legumes. Uma das mais ricas fontes de ácido málico é a maçã. Essa substancia está presente naturalmente em células do nosso corpo. Possui muitos benefícios relacionados à saúde, tais como aumentar a imunidade, estimular o metabolismo, manutenção da saúde oral, redução do risco de envenenamento por acúmulo de metais tóxicos (ex: alumínio) e promove uma pele mais lisa e firme.

Ácido málico: conexão com a síndrome da fadiga crônica e fibromialgia

Um de seus benefícios mais significativos reside na sua capacidade para estimular o metabolismo e aumentar a produção de energia. Esta ação está ligada ao importante papel que desempenha no processo conhecido como ciclo de Krebs – em homenagem ao Sir Hans Krebs, um bioquímico britânico nascido na Alemanha.

Krebs venceu o premio Nobel de Fisiologia em 1953 por descrever como ocorre a complexa série de reações bioquímicas dentro das células do corpo por transformar as proteínas, gorduras e carboidratos em água e energia. Este processo necessita de um fornecimento constante de vitaminas, enzimas, e agentes químicos, tais como o ácido málico, a fim de manter o corpo em funcionamento correto, 24 horas por dia.

O ciclo de Krebs é vital para a nossa existência e sem ele a produção de energia fica literalmente parada. Por isso, é essencial que tenha um fornecimento adequado de ácido málico, a fim de promover o funcionamento eficiente deste ciclo.

O ácido málico desempenha um papel vital na melhoria do desempenho muscular global, revertendo a fadiga muscular após o exercício, reduzindo o cansaço, níveis baixos de energia, bem como melhora a clareza mental (raciocínio – saúde cerebral). Essas ações podem tornar o ácido málico um tratamento benéfico para quem sofre de fibromialgia e síndrome da fadiga crônica (ambas essas condições envolvem dor muscular, sensibilidade articular e baixos níveis de energia). Em resumo, o ácido de malato proporciona uma melhorar o desempenho muscular, aumentar o desempenho cognitivo e aumento de estoques de glicogênio. Logo, é também indicado aos praticantes de atividade física (ex: atletas, fisioculturistas e etc). – Farmakol Toksikol. 1988 May-Jun;51(3):21-5. Links [Effect of malic acid salts on physical work capacity and its recovery after exhausting muscular activity]

Segundo o Dr. Jay Goldstein, diretor do Instituto da Síndrome da Fadiga Cronica nos Estados Unidos: “O ácido málico é seguro, barato e deve ser considerado em uma abordagem terapêutica válida para pacientes com síndrome da fadiga crônica.

Um estudo de 6 meses conduzido por cientistas do Departamento de Medicina da University of Texas Health Science Centre – EUA, examinou a eficácia de uma dosagem significativa de ácido málico e magnésio por dia, em 24 pacientes com fibromialgia. Metade dos pacientes receberam o tratamento, e outra metade apenas placebo.

No final do estudo, todos os pacientes tratados com ácido málico e magnésio experimentaram melhoras significativas nos seus sintomas, incluindo menos dor, rigidez muscular, e perspectiva mental mais positiva, sem quaisquer efeitos colaterais. Dr. Russel que liderou a pesquisa de cientistas concluiu: “os dados sugerem que o ácido málico e magnésio são seguros e podem ser benéficos no tratamento de pacientes com fibromialgia.

Ácido málico gera uma grande variedade de benefícios

Além de aumentar os níveis de energia , o ácido málico é também um efetivo quelante de metal. Isto significa que é capaz de se ligar a metais potencialmente tóxicos que podem estar acumulados no corpo, tais como o alumínio ou chumbo, e inativá-los. A sobrecarga de metais pesados tem sido associada a problemas graves, como doenças do fígado e cérebro, gerando distúrbios como a doença de Alzheimer.

O ácido málico também ajuda a manter a higiene oral. Ele estimula a produção de saliva, o que reduz o número de bactérias nocivas que circulam na boca, dentes e gengivas. Ele atua também como anti-séptico, o que também ajuda a assegurar que os gemes na boca sejam mantidos a um nível mínimo, e assim reduz consideravelmente o risco de infecções.

Para adicionar à lista de benefícios, o ácido málico também ajuda a manter a pele boa e saudável. É classificado como um ácido alfa-hidroxi, um termo bioquímico utilizado para descrever ácidos de frutas, que são utilizados em muitos produtos cosméticos devido a sua capacidade em ajudar a esfoliar a pele, e atuar como suaves peelings faciais. Isso ajuda a aparência da pele mais saudável e firme.

A suplementação de ácido málico deve ser feito com acompanhamento médico ou de nutricionista, para uma correta abordagem, eis que é necessário a conjugação de outros nutrientes para obtenção dos melhores resultados. Uma das principais fontes (na suplementação) é o malato de magnésio.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências:

1. Russell IJ, Michalek JE, Flechas JD. J Rheumatol 1995, 22(5):953-958

2. Fernandes-Naglik L, Downes J, Shirlaw R. Oral Dis 2001, 7(5):276-280

3. Abraham G, Flechas J. J Nutr Med 1992, 3:49-59

4. Journal of Nutritional and Environmental Medicine, 1992, Vol. 3, No. 1 : Pages 49-59

5. Farmakol Toksikol. 1988 May-Jun;51(3):21-5. Links [Effect of malic acid salts on physical work capacity and its recovery after exhausting muscular activity]

6. Physiol. Res. 56: 213-220, 2007 Effects of L-Malate on Physical Stamina and Activities of Enzymes Related to the Malate-Aspartate Shuttle in Liver of Mice

7. The Influence of Supplementing Malic Acid Nutrient on Boxers’ Anti-fatigue Ability LIU Gang,FENG Mei-yun,ZHANG Ying,GAO Ying,FAN Qing-min(Beijing Sport University,Beijing 100084,China)

Correta suplementação de magnésio pode reverter 22 condições patológicas, segundo a médica Dra. Carolyn Dean

1-MAGNESIUMMIRACLE

Em 4 de dezembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531 8423.

Segundo a médica norte-americana Dra. Carolyn Dean, especialista em nutrição, e pesquisadora há vários anos sobre os benefícios do magnésio para a saúde humana, diretora da ‘Nutritional Magnesium Association’, autora de mais de 30 livros sobre saúde, de entre eles, “How To Change Your Life With Magnesium” (Como mudar sua vida com o magnésio), The Magnesium Miracle (O milagre do magnésio), chegou a seguinte conclusão:

 “A deficiência de magnésio provoca ou faz gerar as seguintes 22 condições, em que a introdução de magnésio por uma dieta rica em magnésio ou por meio de suplementação, pode aliviar as mesmas 22 condições:

 1. Ansiedade e ataques de pânico

2. Asma

3. Coágulos de sangue

4. Doença intestinal

5. Cistite

6. Depressão

7. Desintoxicação

8. diabetes e síndrome metabólica

9. fadiga

10. doença cardíaca

11. hipertensão

12. hipoglicemia

13. insônia

14. doença renal

15. doença hepática

16 enxaqueca

17. condições músculo-esqueléticas

18. problemas de nervos

19. obstetrícia e ginecologia – síndrome pré-menstrual, dismenorréia (cólicas durante a menstruação), infertilidade, contrações prematuras, pré-eclampsia, eclampsia.

20. osteoporose

21 síndrome de Raynaud

22. Cárie dentária”

 Tudo isso ocorre, pois o magnésio participa em mais de 300 funções do nosso corpo, é um maestro no correto funcionamento do organismo (http://ods.od.nih.gov/factsheets/magnesium.asp). Logo, é evidente que sua deficiência desencadeia uma série de disfunções no organismo, em que com sua correta reposição chega a ser possível reverter a maioria delas.

Alerto, todavia, que há diversas formas de magnésio. Há formas de magnésio que são pouco absorvidas pelo organismo (ex: o óxido de magnésio é absorvido em apenas 4%). É preciso avaliar a forma mais adequada para cada pessoa, de acordo com as necessidades individuais.

Muitas pessoas fazem uso de forte medicação (muitos com altos preços) para aquelas condições, e a causa pode ser simples: deficiência de magnésio. Procure um nutricionista ou médico de sua confiança e como diz a pesquisadora e médica Dra. Dean: muda a sua vida com o magnésio!

Referências:

1. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2004/08/07/miracle-magnesium.aspx

3. http://ods.od.nih.gov/factsheets/magnesium.asp

2. http://drcarolyndean.com/

PANELAS – PODE SER UM PERIGO PARA SUA SAÚDE!

By Ed. Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista, publicado em 02 de Dezembro de 2013.

Image

O perigo pode estar na sua cozinha! Vamos falar um pouco sobre Panelas e perigos para a saúde!

As panelas antiaderentes contém ácido perfluorooctanoico ( PFOA), uma substância química sintética utilizada na produção e cria uma superfície escorregadia interna e com acabamento antiaderente.

Panelas antiaderente é um perigo!

      Uma vez aquecidas  panelas antiaderentes chegará rapidamente a temperaturas em que liberam gases tóxicos no ar. E não é preciso muito calor para fazer isso, o revestimento começa a quebrar e liberar toxinas a uma temperatura de apenas 446 °F, ou 230ºC. Não bastaria banir as tais frigideiras escorregadias para resolver o impasse. Uma infinidade de produtos — tecidos à prova d’água, produtos de limpeza, componentes eletrônicos, carros e até naves espaciais — leva Teflon® na fórmula. Fala-se muito da frigideira porque ela é, de longe, a mais temida! A explicação é simples: o utensílio vai ao fogo. “O PTFE se decompõe a partir de 342 graus Celsius”, avisa a nutricionista Késia Quintaes, autora de uma tese de doutorado sobre panelas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).  PTFE -” Nome científico do revestimento Teflon®, marca registrada da DuPont. Trata-se de um polímero — espécie de plástico — cuja fórmula leva carbono e flúor. Bastante inerte e estável, não corrói, tem baixíssimo índice de atrito e não reage com outros produtos químicos). Nessa temperatura o material perde sua característica antiaderente e libera uma fumaça indesejável. “O PTFE parece se decompor em uma variedade de produtos, inclusive em PFOA. Não sei se a comida que entrou em contato com o material retém uma quantidade moderada de PFOA. Infelizmente não é só o PFOA que preocupa. “O superaquecimento dessas panelas gera radicais livres reativos que podem produzir muitas substâncias nocivas, contaminando os alimentos e o ar”, enfatiza João Pedro Simon Farah, professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP). “Os gases oriundos da degradação do PTFE são altamente tóxicos”, confirma a veterinária Silvia Neri Godoy, do Ministério do Meio Ambiente. “Em aves, causam o rompimento de pequenos vasos sangüíneos, hemorragia pulmonar e morte.” Silvia pesquisou o tema com a veterinária Marta Brito, da USP, que acrescenta: “Há trabalhos que relatam dificuldade respiratória em seres humanos após o uso contínuo de panelas de Teflon®.” E – detalhe – se a superfície antiaderente estiver com um arranhãozinho, isso tudo aconteceria mais facilmente.

Então porque é que o PFOA tão perigoso?

Em estudos com animais , o PFOA causou riscos para a saúde como:

    Alterações graves nos órgãos, incluindo o cérebro, próstata, fígado, timo, e os rins, mostrando toxicidade .
    Morte de vários filhotes de ratos, devido à exposição ao PFOA .
    Alterações na hipófise em ratos fêmea, com todas as doses. A hipófise controla o crescimento, a reprodução e muitas funções metabólicas. As alterações na dimensão da pituitária indicam toxicidade!
    PFOA tem sido associada com tumores em pelo menos quatro órgãos diferentes em testes em animais, e tem sido implicado em um aumento no câncer da próstata em trabalhadores da fábrica que expõe ao PFOA.

 A solução é usar panelas de cerâmica, livres de alúminio, flúor e outros tóxicos.

——————————————————————

Referências:

1- Dr. Mercola

2- Revista, Saúde!

As Novas diretrizes para o “tratamento” do colesterol pode dobrar o número de pessoas a usar esta droga. Mesmo que estes estejam perfeitamente saudáveis!

Image

As Novas diretrizes para o “tratamento” do colesterol pode dobrar o número de pessoas a usar esta droga. Mesmo que estes estejam perfeitamente saudáveis!

————————————————————————-

By; Ed. Dr. Júlio Caleiro – Publicado em 01 de Dezembro de 2013.

Um em cada quatro americanos com mais de 45 anos atualmente toma uma droga do tipo ‘estatinas’, apesar do fato de existirem mais de 900 estudos que comprovem seus efeitos adversos, que causam uma gama de problemas musculares até aumento do risco de câncer.  Agora as novas diretrizes de tratamento para o colesterol “elevado”  provavelmente dobrará o número de americanos que em breve usarão estas drogas.  As novas diretrizes estabelecidas no relatório de 2013 da ACC / ‘AHA Guideline’ no tratamento do colesterol no sangue para reduzir o risco cardiovascular aterosclerótica em adultos, foram emitidas pela ‘American Heart Association e pelo American College of Cardiology’ em 12 de novembro.

As diretrizes de tratamento atualizados concentram-se em fatores de riscos, em vez dos níveis reais de colesterol.

O relatório foi preparado por um painel de “especialistas” que doaram seu tempo, e é ostensivamente com base na análise de ensaios clínicos randomizados. Não surpreendentemente, os membros do painel são filiados em mais de 50 empresas de medicamentos diferentes, muitos dos quais têm um interesse financeiro no resultado destes relatórios. Um dos autores tem até estoque em uma dessas empresas de negligência médica.

De acordo com o New York Times, “vários membros do comitê acabaram abandonando este painel de investigação porque eram descontentes com os rumos que o comitê estava tomando”

Como Que as novas orientações afeta você?

Conforme explicado pela ‘American Heart Association’, as novas diretrizes aconselham os médicos olharem para certos fatores de risco a fim de determinar se um paciente deve tomar um medicamento estatina, ou se ele(a) deve simplesmente se concentrar em mudanças de estilo de vida saudáveis. O problema é que praticamente ninguém vai cair na última categoria. Se você responder “sim” a qualquer uma das quatro questões seguintes, o protocolo de tratamento exige uma droga estatina:

Você tem doença cardíaca?
Você tem diabetes? ( tipo 1 ou tipo 2 )
É o colesterol LDL acima de 190?
É o risco de um ataque cardíaco maior do que 7,5 por cento de período de 10 anos?

O cálculo para determinar o fator de risco de ataque cardíaco foi desenvolvido por um comitê presidido pelo Dr. Donald Lloyd- Jones. Ele explicou a calculadora de risco cardiovascular, a CNN:

“… Fomos capazes de gerar equações de risco muito robustas para homens brancos não-hispânicos e mulheres, bem como afro-americanos homens e mulheres. Essas equações levam em consideração idade, sexo, raça, total e HDL (“bom ” colesterol), níveis de pressão arterial, estado do tratamento da pressão arterial  bem como diabetes e tabagismo atual. Cada um desses fatores é atribuído um valor numérico e pode ser usado para determinar o percentual de risco individual usando uma calculadora online..”.

O Dr. Stephen Sinatra escreveu um artigo em profundidade em que dizima cada um destas quatro diretrizes de tratamento. De acordo com ele as novas orientações são no máximo de 20-25 por cento exato, e aqui está o porquê:
Os critérios de doenças cardíacas, embora possa ser apropriado para homens mais velhos, realmente não funciona para as mulheres. Não há dados que demonstram que os benefícios das ‘estatinas’ superam os riscos para a saúde em mulheres de riscos, que incluem diabetes e câncer de mama.

Segundo o Dr. Sinatra : ” na minha opinião as únicas mulheres que deveriam estar em uso de estatinas são aqueles com doença arterial coronariana avançada que continuam a deteriorar-se apesar de intervenções no estilo de vida serem melhores. Eu acredito que menos de um por cento das mulheres com doença arterial coronariana se enquadram nesta categoria.
Em suma, dando uma droga que provoca diabetes para alguém que já tem diabetes é absurda! Ela só pode piorar a situação! Além do mais os dados indicam que as estatinas podem causar calcificação arterial em homens diabéticos que tomam a droga! Em terceiro lugar as estatinas podem causar cataratas que é um problema comum em diabéticos! O medicamento pode  por conseguinte aumentar esses riscos.
Isto poderia ser apropriado se você tem hipercolesterolemia familiar genética, pois isso faz você ser resistente a medidas tradicionais do colesterol ser normalizado tais como dieta e exercício. Esta condição é bastante rara, afetando uma em cada 500! Na ausência desta situação genética o tratamento dos níveis elevados de LDL tem pouca validade.
Como você verá abaixo o cálculo do risco de ataque cardíaco em 10 anos foi “programado”  de tal forma a tornar todos pacientes dependente de estatina.  Além disso o Dr. Sinatra ressalta que a complexidade de estimar riscos com base em idade, raça, pressão arterial, tabagismo e outros critérios é bastante susceptível de conduzir a prescrição e excesso de zelo.

A calculadora de risco Cardiovascular que basicamente avalia quem não se qualifica de imediato por ter doença cardíaca, diabetes ou colesterol LDL elevado e parece ter algumas falhas muito significativas! E novamente não é de surpreender que as falhas são perceptíveis propositais, pois a grande maioria das pessoas acabam por ter um risco maior do que 7,5% de um ataque cardíaco nos próximos  ’10 anos’ de vida.
Uma estratégia muito inteligente de fato: cria-se um teste que praticamente garante que todo aquele que tem certa porcentagem, será um candidato para estes medicamentos caros que estão em busca de ter as pessoas cativas para o resto de suas vidas. De acordo com um artigo de 17 de novembro, no New York Times o Dr. Steven Nissen (citado anteriormente) manifestou-se contra a implementação destas diretrizes.
” Um grande embaraço para os grupos de saúde” a calculadora parece superestimar muitos riscos, tanto que ela poderia erroneamente sugerir que milhões de pessoas poderiam ser candidatas a drogas como ‘estatina’. O problema aparente levou um cardiologista líder, ex-presidente do ‘American College of Cardiology’, pedindo a suspensão da implementação das novas diretrizes.

“É impressionante “, disse … Dr. Steven Nissen … “Precisamos de uma pausa para avaliar melhor essa abordagem antes que ela seja implementada de forma generalizada. ” Estamos cercados por um verdadeiro desastre em termos de credibilidade “, disse o Dr. Peter Libby, o chefe do departamento de medicina cardiovascular ‘Brigham’ e do Hospital da Mulher.”.

As estatinas são uma péssima alternativa para a Medicina Preventiva.

Tem-se inventado uma justificativa bizarra para estas ações, tentando fazer parecer que as novas recomendações estão focadas na prevenção através de modificações no estilo de vida, juntamente com a terapia com estatina. Esta é uma má aplicação da palavra ” prevenção”, uma vez que estas drogas não podem abordar as condições subjacentes do coração ou doenças cardiovasculares. Ainda mais chocante eles aparentemente decidiram ignorar completamente a pesquisa recente mostrando que as estatinas podem efetivamente mimetizar os efeitos benéficos do exercício físico, que é uma das estratégias de prevenção de doenças cardíacas primárias!

Mas a maior ” farsa ” de tudo é que as estatinas são direcionadas como um braço da “medicina preventiva” para proteger a saúde do coração e na verdade pode realmente ter efeitos prejudiciais sobre seu coração. Por exemplo, um estudo publicado no ano passado na revista ‘Atherosclerosis’, mostrou que o uso de estatinas está associado a um aumento de 52 por cento de prevalência e extensão da placa coronária calcificada em comparação aos não -usuários. E a calcificação da artéria coronária é a principal característica da doença cardíaca potencialmente letal. Que tipo de prevenção é essa?

Estatinas anulam os benefícios dos exercícios!

Um dos principais benefícios do exercício é o impacto benéfico que tem sobre a sua saúde do coração, e exercícios físicos é uma estratégia fundamental para manter naturalmente os níveis de colesterol saudáveis. Se você tomar um medicamento estatina é provável que você perca todo e qualquer benefício para a saúde proveniente do exercício. Como relatado anteriormente pelo ‘New York Times’! Em estudos anteriores os pesquisadores demonstraram que as estatinas reduzem o risco de um ataque cardíaco em pessoas com ALTO RISCO de 10 a 20 por cento. Para cada redução dos níveis de colesterol no sangue de 1- milimols por litro (milimols mensura o número real de moléculas de colesterol na corrente sanguínea ), e isso equivalente cerca de uma gota por 40 pontos nos níveis de LDL.

Enquanto isso melhorar o seu condicionamento aeróbico até por uma pequena porcentagem através de exercícios, também foi encontrada a diminuir a probabilidade de alguém de morrer prematuramente em até 50 por cento. Mas, até o presente estudo nenhum experimento tinha explorado as interações de drogas com estatinas e exercícios. E os resultados como se vê são preocupantes.
O estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology, descobriu que o uso de estatinas levou a reduziu drasticamente os benefícios da aptidão do exercício, e em alguns casos na verdade fazendo com que o voluntário fosse menos apto do que antes. Os resultados mostraram que: “… Em média os participantes não medicados melhorou seu condicionamento aeróbio em mais de 10 por cento após 12 semanas, supervisionados em um programa de exercícios. Atividade mitocondrial aumentou 13 por cento..”.
Os voluntários que tomam 40 mg de sinvastatina melhora a sua aptidão por um mero 1,5 por cento  em média, e alguns tinham reduzido sua capacidade aeróbia no final do programa de condicionamento físico de 12 semanas. Atividade  e a quantidade mitocondrial diminuiram uma média de 4,5 por cento.

De acordo com o autor principal do estudo John P. Thyfault professor de nutrição e fisiologia do exercício na Universidade de Missouri, ‘ aptidão aeróbica baixa é um dos melhores indicadores” de morte prematura. E se as estatinas impedirem as pessoas de elevar a sua aptidão através de exercícios, então isso é uma preocupação!”

Como as estatinas podem Desfazer os benefícios da aptidão física e piorar a saúde do coração?

A chave para entender por que as estatinas impedem que seu corpo colha os benefícios normais do exercício, consiste em compreender o que estas drogas fazem à sua mitocôndria que são a câmara de energia de suas células e responsável pela utilização da energia para todas as funções metabólicas.
O principal combustível para suas mitocôndrias é Coenzima Q10 ( CoQ10) que é um dos principais mecanismos de danos das estatinas em geral que parece estar relacionada à depleção de CoQ10. Isso também explica por que certos usuários de estatina acabam piorando seu condicionamento aeróbico após um regime de fitness estável.

É sabido desde há muitas décadas que o exercício ajuda a construir e fortalecer os músculos mas a pesquisas mais recentes revelaram que esta é apenas a ponta do iceberg quando se trata dopotencial do exercício pode desempenhar sobre a saúde. Em 2011 uma revisão publicada na ‘Applied Physiology’ e ‘Nutrition and Metabolism’ apontou que o exercício induz alterações no conteúdo das enzimas mitocondriais, e da atividade desta organela  podendo aumentar a sua produção de energia celular e assim fazendo diminuir o risco de doença crônica.

As Novas Diretrizes é uma forma astuta para promover a venda das estatinas sem o colesterol ter nehuma Culpa!

As probabilidades são maiores que 100 para 1 que, se você está tomando uma estatina você realmente não precisaria! O único subgrupo que pode se beneficiar são aqueles que nasceram com um defeito genético chamado hipercolesterolemia familiar como já dito acima, pois isso torna resistentes às medidas tradicionais do ‘colesterol’.

Advertências especiais para usuários de estatina

As estatinas são inibidores da HMG -CoA redutase o que significa que agem bloqueando a enzima no fígado que é responsável por fazer o colesterol (HMG- CoA ). Mas lembre-se  o seu corpo necessita de colesterol – é importante na produção de membranas celulares, hormônios, vitamina D e ácidos biliares que ajudam a digerir a gordura. O colesterol também ajuda a suas memórias no cérebro e é vital para a sua função neurológica! Há também fortes indícios de que ter muito pouco colesterol aumenta o risco de câncer, perda de memória, doença de Parkinson, os desequilíbrios hormonais, acidente vascular cerebral, depressão, suicídio e comportamento violento.
Como mencionei anteriormente existem mais de 900 estudos que demonstram os efeitos nocivos das estatinas! Para saber mais sobre as estatinas por favor, procure no meu blog toda as informações correlacionadas. Também é importante lembrar que as estatinas causa graves defeitos congênitos e nunca deve ser usado por uma mulher que está grávida, ou a planejar uma gravidez. Se for prescrito é simplesmente negligência médica!

Outro factor a ter em mente é que as estatinas não podem ser tomadas com outras drogas que potencialmente salvam vidas, como antibióticos. Segundo, a pesquisa canadense recente aponta pacientes – principalmente os idosos que tomam medicamentos para baixar o colesterol como o Lipitor, deve evitar a claritromicina antibióticos eritromicina. Estes antibióticos inibem o metabolismo das estatinas. Concentrações da droga aumenta no sangue e pode fazer danos aos rins e levar a morte .

Estatina drogas podem destruir sua saúde de várias maneiras

As estatinas também foram mostrados para aumentar o risco de diabetes por meio de uma série de diferentes mecanismos , por isso, se você não foi posto em uma estatinaporque você tem diabetes, você pode acabar com um diagnóstico de diabetes por cortesia da droga. Dois destes mecanismos incluem :

O aumento da resistência à insulina o que pode ser extremamente prejudicial para a sua saúde. O aumento da resistência à insulina contribui para a inflamação crônica em seu corpo e inflamação é a marca da maioria das doenças! Na verdade o aumento da resistência à insulina pode levar a doenças cardíacas o que novamente, é a principal razão para tomar uma estatina em primeiro lugar dentro do novo Painél do Colesterol. Ele também pode promove aumento da gordura da barriga, pressão alta, ataques cardíacos, fadiga crônica, a interrupção da tireóide e doenças como Parkinson, Alzheimer e câncer.
Eleva também o nível de açúcar no sangue! Quando você come uma refeição que contém amido e açúcar uma parte do excesso do açúcar vai para o seu fígado, em seguida é armazenado como colesterol e triglicérides.  As Estatinas trabalha impedindo o fígado de fazer colesterol. Como resultado seu fígado retorna o açúcar para a corrente sanguínea o que aumenta os seus níveis de açúcar no sangue.
—————————————————————————————-

Referências:

1 American Heart Association November 12, 2013
2 Journal of the American College of Cardiology November 2013 [Epub ahead of print]
3 New York Times November 12, 2013
4 American Heart Association November 12, 2013
5 American Heart Association, 2013 CV Risk Calculator
6 CNN November 13, 2013
7 Drsinatra.com November 13, 2013
8 New York Times November 17, 2013
9 New York Times November 17, 2013
10 New York Times November 17, 2013
11 American Heart Association November 12, 2013
12 Atherosclerosis August 24, 2012: 225(1):148-53
13 New York Times May 22, 2013
14 Journal of the American College of Cardiology April 10, 2013 [Epub ahead of print]
15 New York Times May 22, 2013
16 Applied Physiology, Nutrition and Metabolism 2011 Oct;36(5):598-607
17 Science Daily August 12, 2013
18 Annals of Internal Medicine 2013 Jun 18;158(12):869-76
19 New York Times November 2, 2011
20 Time magazine November 22, 2013

A alimentação é Medicina -Instituto Hipocrates!

Image

“O Instituto de Saúde Hipócrates demonstra como os alimentos podem ser usados como remédio”.

By. Ed. Dr. Júlio Caleiro – Publicado em 01 de Dezembro de 2013.

————————————————————

O Instituto de Saúde Hipócrates, situado no sul da Flórida  é um dos mais antigos centros de saúde complementares do mundo. Dr. Brian Clement começou com a organização em 1975 e assumiu a direção em 1980.
Ele também é o autor de uma série de três volumes de livros acadêmicos chamados ‘a comida é Medicina’ A evidência científica refletindo sobre o trabalho realizado no Instituto nos últimos 60 anos, combinado com a evidência científica que saem de instituições de pesquisas tais como Harvard, Oxford, Cambridge, Princeton e Stanford.

O Instituto foi fundado por uma mulher chamada Anne Wigmore que, em 1952 foi diagnosticada com câncer de cólon estágio IV. Seus médicos disseram que ela tinha cerca de três meses de vida.  “Bem, graças a Deus pela sua história, “diz o Dr. Clement: “Na Europa a sua avó era uma médica da aldeia. Ela viu sua avó uma médica singular que usava ervas e plantas. Ela adotou isso e curou-a de seu câncer”.
Após seu retorno a Boston , Massachusetts, Wigmore decidiu compartilhar sua experiência e ajudar outras pessoas que sofriam de doenças debilitantes e letais. E assim o Instituto de Saúde Hipócrates nasceu em Boston em 1956.
Hoje, seis décadas depois o Instituto está na vanguarda em termos de uso de alimentos e outras estratégias de estilo de vida como a medicina. Quando o Dr. Clement primeiro se juntou à equipe, ele foi enviado para a Europa. “Passei três anos lá, trazendo de volta a mensagem de dietas, de alimentos crus à base de plantas e correu ao centro original da vida alimentar, chamado Humlegaarden – que foi iniciada há mais de 100 anos na Dinamarca pela Dra. Kristine Nolfi MD, que reverteu o câncer de mama com a alimentação. Voltou em 1980 e assumiu a direção “.

O que você pode aprender no Instituto de Saúde Hipócrates?

Atualmente cerca da metade dos pacientes do Instituto estão interessados ​​na prevenção de doenças. A outra metade são bastante doente. As pessoas vêm de todo o mundo para aprender a melhorar e recuperar a saúde neste retiro de saúde de “estilo spa”.  Quatro abordagens nutricionais verdadeiramente poderosas ensinadas no instituto são:

Jejum intermitente alterando a captação de energia de “carboidratos para a queima das gorduras estocadas”.
Comer alimentos crus, incluindo quantidades boas de brotos
Evitar açúcares, alimentos refinados e alimentos processados​​. Evitar todos os sucos de frutas.
Mudando a proteína de má qualidade para proteína de alta qualidade.

Com relação à última da lista acima, Dr. Clement explica:

” … Cada um desses quatro aspectos acima listados, são clinicamente pesquisado e nós estabelecemos evidência  concreta sobre como eles funcionam quimicamente em nosso corpo.
“O que temos visto recentemente depois de 60 anos e trabalho com centenas de milhares de pessoas é que, quando nós reduzimos a quantidade de proteína ideal para cada indivíduo minimizamos os efeitos negativos da digestão, nosso organismo melhora a digestão das proteínas quebrando-as em aminoácidos corretamente, é justamente aí que mora a base do equilíbrio da saúde.
“Os nossos colegas da Europa mostraram uma outra dimensão de glicação, os produtos finais da glicação avançada (AGEs ). Na Alemanha eles nos mostraram que as proteínas quando digeridas com açúcares cria-se uma outra estrutura de assimilação e não os aminoácidos intactos. O que compõe uma proteína são aminoácidos, e estes devem estar em sua estrutura natural original, para uma boa digestão e funcionalidade orgânica.
Esta estrutura das proteínas digeridas com carboidratos é um enigma para a bioquímica humana, o sistema imunológico não sabe o que fazer com ela. Ela corre solta e realmente causando a morte das células produzindo radicais livres potentes. Dietas ricas em proteínas à base de grãos de soja e açúcares, não só de açúcar branco e de beterraba vermelha, mas xarope de milho também,  acaba matando células e criando radicais livres. Isso é o que se chama de Glicação –  AGE. ”

Em 1992, Johns Hopkins pesquisou maneiras naturais para destruir o  câncer. Uma dieta rica em vegetais crucíferos foi identificado como um fator que reduziu a incidência. Pesquisas adicionais identificou o brócolis como tendo algumas das atividades anti- câncer mais potentes! Desde então, quando finalmente olhou para sementes de brócolis germinadas os pesquisadores descobriram que a fitoquímica nos brotos matou dezenas de cânceres, dez vezes mais eficaz do que brócolis maduro!
A razão pela qual eles ensinam que os brotos são um alimento principal do Instituto é porque os brotos, dependendo da variedade ao todo são 10 a 30 vezes mais nutritivos do que os melhores vegetais orgânicos.
Semente de girassol e ervilha são brotos no topo da lista, em termos de seu perfil nutricional  cada um sendo tipicamente cerca de 30 vezes mais nutritivos do que os vegetais orgânicos. Enquanto você pode plantar uma variedade de feijão diferentes, as nozes, sementes e grãos, brotos em geral têm os seguintes atributos benéficos :

O suporte para a regeneração celular!

Poderosas fontes de antioxidantes, minerais, vitaminas e enzimas que protegem contra danos dos radicais livres, são alcalinizantes e possuem efeito corpo,  protege contra doenças incluindo cânceres assim como muitos tumores ácidos. Um ambiente abundantemente rico em oxigênio também pode ajudar a proteger contra o crescimento anormal de células, vírus e bactérias que não podem sobreviver em um ambiente rico em oxigênio e são exterminados instantaneamente.
Fitonutrientes encontrados em alimentos crus, como couve são a chave para reverter a doença de câncer. Esta é uma abordagem de senso comum para a saúde, mas a visão de muitas pessoas tem sido obscurecida por vida moderna.
Brotos pode de fato ser uma das soluções mais óbvias para a desnutrição e a fome em todo o mundo devido à pobreza. Eles são baratos e simples de crescer, em praticamente qualquer clima quando cultivada dentro de casa pode fornecer até 30 vezes mais nutrientes do que os vegetais cultivados organicamente! Com quase nenhum dinheiro você pode comer o mais saudável da alimentação durante todo o ano. Manter sementes para germinação é fácil. As sementes são relativamente simples para armazenar e durar por um longo tempo e geram benefícios maravilhosos, quando adequados com o jejum intermitente. O jejum intermitente pode ser feito entre 2 a 3 vezes na semana, entre 14 a 24horas consecutivos, ou somente atrasando o horário de um almoço ou jantar por 1 a 2 horas. O jejum intermitente pode promover saúde demonstrado pelo itens listados abaixo.

-Normalizar a sua sensibilidade à insulina, o que é fundamental para uma boa saúde como a resistência à insulina que é um fator de contribuição principal para quase todas as doenças crônicas, a partir do diabetes à doenças cardíacas e até câncer.
– Normalizando os níveis de grelina, também conhecido como ” hormônio da fome “.
-Promover a produção (HGH), que desempenha um papel importante na saúde, fitness e retardando o processo de envelhecimento, hormônio de crescimento humano.
-Reduzir os níveis de triglicérides
-Reduzir a inflamação e diminuir os danos dos radicais livres
—————————————————————————-
Referências:

http://www.hippocratesinst.org/
– MERCOLA