Início » EVIDÊNCIAS » O alho é utilizado de forma medicinal há mais de 3.000 anos antes de Cristo: saiba o porquê!

O alho é utilizado de forma medicinal há mais de 3.000 anos antes de Cristo: saiba o porquê!

DSC_0270

Em 27 de novembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

O alho pertence a família das Liláceas (assim como a Aloe Vera) e apresenta excelentes propriedades medicinais. Há diversas variedades de alho, a mais comum é o Allium sativum. O alho é utilizado de forma medicinal desde a antiguidade. Há registro do povo babilônico (3.000 anos Antes de Cristo) terem usado o alho para tratamento de enfermidades do aparelho respiratório, infecções cutâneas, inclusive lepra, além com o fim de expelir as amebas e vermes intestinais.

Moisés (da Bíblia) menciona o alho como uma planta milagrosa. No Egito, o alho é mencionado pelo historiador Heródoto, como utilizado diariamente pelos operários. Atualmente, os egípcios tomam o alho antes das competições esportivas. Na Grécia, Aristóteles menciona o alho dizendo que “ele ajuda na cura da hidrofobia e é um bom tônico laxante”. Hipócrates (460 antes de Cristo) recomendava o alho aos desportistas que competiam nos jogos olímpicos.

Escritos chineses que datam de 2.700 antes de Cristo, descrevem alho para tratar muitas doenças e para aumentar vigor. Na Índia, a medicina ayurvédica recomenda alho para aumentar a energia e tratar resfriados e fadiga.

A pesquisadora e professora da  Tufts University School of Medicine – EUA, Dra. Carmia Borek (PhD) informa que “estudos mostram que o alho protege contra a infecção e inflamação, reduz o risco de doença cardíaca , e tem efeitos anti-cancerígenos e anti-envelhecimento.”

Uma conferência internacional ocorrida em novembro de 1998, na California – EUA, organizado pelo Instituto Nacional do Câncer e pela Universidade Estadual da Pensilvania, reuniu cerca de 200 pesquisadores e profissionais de saúde de 12 países. Na conferencia ficou claro a partir dos estudos apresentados que o extrato de alho envelhecido desodorizado foi mais eficaz que o alho fresco em grande parte por causa dos ‘compostos orgânicos’ solúveis em água, que tem uma ampla gama de ação e são altamente biodisponíveis.

Estudos em ratos mostram que o extrato de alho envelhecido e solúvel em água, impediu a lesão cerebral por isquemia e reperfusão.

Estudos em humanos confirmam estimulação imunológica por alho. Os indivíduos que receberam uma certa dose de extrato de alho envelhecido, durante três semanas, mostraram um aumento de 155,5% na atividade das células imunológicas natural killer que mata invasores e células cancerosas.

Estudos recentes mostram que o extrato de alho em pó contém substâncias que matam Heliobacter pylori, um organismo virulento que cresce no estômago e é considerado por ser causador de úlceras e câncer de estômago.

Dra. Borek PhD informa ainda:

“O efeito anti-câncer de dietas ricas em alho tem sido demonstrado em mais de 12 estudos epidemiológicos na China , Itália e Estados Unidos. As dietas ricas em alho reduziu o risco de estômago e câncer de cólon. Outros estudos com animais mostram que o extrato de alho envelhecido protege contra estágios precoces e tardios de desenvolvimento de câncer no cólon, glândulas mamárias , pele, estômago e esôfago. Entre os compostos do extrato de alho mostrando prevenção de promoção do tumor é alicina , um flavonóide que também impede a formação de prostaglandinas, substâncias semelhantes a hormônios que são ativos no aumento da inflamação, a agregação de plaquetas e o crescimento do tumor.”

O médico e pesquisador Dr. Joseph Mercola informa:

O alho parece ser eficaz contra: E. coli.; Staphylococcus aureus; Clostridium perfringens; Salmonella spp. O alho não só mata bactérias patogênicas [causadoras de doenças] mas também mata rotavírus que é responsável por muitos casos de diarréias.”

Segundo o médico cardiologista e especialista em nutrologia, membro da Academia de Ciências de Nova York, professor de medicina na Universidade Estácio de Sá e na Universidade Moderna de Lisboa, Dr. Sérgio Puppin, em seu livro “Alimentos Certos Hábitos Saudáveis”:

“…a alicina é que confere ao alho propriedades simplesmente fantásticas. Dentre inúmeras ações, destacamos:

  1. Afina o sangue, substituindo com vantagens a ação da aspirina
  2. Aumenta o bom colesterol (HDL) e diminui o mau colesterol (LDL).
  3. Ajuda a controlar a pressão arterial
  4. Previne e ajuda a tratar processos infecciosos, principalmente relacionados a fungos (sapinhos) e vírus (estados gripais)
  5. Aumenta a imunidade, ajudando pacientes no tratamento de cânceres e aqueles submetidos a quimioterapia, segundo recente pesquisa realizada em Israel.
  6. Tem ação desintoxicante
  7. Tem ação energizante, melhora a fadiga e ajuda a combater o estresse.
  8. Além de retardar o envelhecimento, é considerado afrodisíaco.

Considerando todas essas propriedades, por que excluí-lo do tratamento de saúde, ou até mesmo, da promoção de saúde (prevenção)? Reflita!

*Todo suplementação de nutrientes deve ter indicação médica ou de nutricionista, aptos a esta natureza de terapia da nutrição funcional.

Referências:

    1. Abdulllah T. et al. (1989). Enhancement of natural killer cell activity in AIDS with garlic. Onkologie 21:52-53
    2. Amagase H. (1998) Intake of garlic and its components. Nutritional and Health Benefits of Garlic as a Supplement Conference, Newport Beach CA. 4 (Abstract)
    3. Amagase, H., Schaffer, E.M.,& Milner J. (1996) Dietary components modify the ability of garlic to suppress 7, 12,-dimethyl (a anthracene induced DNA adducts. J. Nut. 126:817-824
    4. Block, E.(1985) The chemistry of garlic and onion. Sci. Am 252: 114-119
    5. Borek C. Maximize Your Healthspan with Antioxidants. 1995. Keats Publishing, New Canaan, Conn.
    6. Borek, C.(1993) Molecular mechanisms in cancer induction and prevention. Environ Health Perspectives 101: 237-245
    7. Borek, C. (1991) Free radical processes in multistage carcinogenesis. Free Rad. Res. Comm. 1991 12 745-750
    8. Brosche T. and Platt N. Knoblauch Terapie und zelullaere immunoabweher in Alter(1994). Phytoter 15: 23-24
    9. Freeman, F. & Kodera, Y. (1995) Garlic Chemistry: Stability of S-(2-Propenyl) 2-Propene-1-sulfinothioate (Allicin) in blood, solvents and simulated physiological fluids. J. Agr. and Food Chemistry 43:2332-2338
    10. Ide, N. and Lau, B.H. S. (1997) Garlic compounds protect vascular endothelial cells from oxidized low density lipoprotein-induced injury. J Pharm Pharmacol. 49: 908-911
    11. Imai, J., Ide, N., Nagae, S., Moriguchi, T.,Matsuura, H. & Itakura, Y. (1994) Antioxidants and free radical scavenge effects of aged garlic extract and its constituents. Planta Med 60: 417-420
    12. Kojima, R., Epstein, C.J. Mizui, T., Carlson, E. & Chan, P.H. (1994) Protective effects of aged garlic extracts on doxorubicin-induced cardiotoxicity in the mouse. Nutr. Cancer 22:163-173
    13. Lau, B.H. S. (1989) Detoxifying, radioprotective and phagocyte-enhancing effects of garlic. Int. Nutr. Rev. 9:27-31
    14. Lawson, L.D., Ransom, D.K. & Hughs (1992) Inhibition of whole blood platelet aggregation by compounds in garlic clove extracts and commercial garlic products. Thromb Res 65: 141-156
    15. Milner, J. A. (1996) Garlic: Its anticarcinogenic and antimutagenic properties. Nut. Rev 54: S82-S-86
    16. Moriguchi, T., Saito, H. & Nishyama, N. (1997) Anti-aging effect of aged garlic extract in the inbred brain atrophy mouse model. Clin. and Exp. Pharmachol. and Physiol. 24: 235-242
    17. Neil, H.A. et al. Garlic powder in the treatment of moderate hyperlipidemia: a controlled trial and meta-analysis.
    18. Nishino, H.,Nishino,A.,Takayasu,A., Iwashima, Y.,Itakura,y., Kodera, Y., Matsuura, H.,& Fuwa, T. (1990) Antitumor-promoting activity of Allixin, a stress compound produced by garlic. The Cancer Journal. 3:20-21
    19. Numagami, Y., sato, S., & Onishi, T. (1996) Attenuation of rat ischemic brain damage by aged garlic extracts: A possible protecting mechanism as an antioxidants. Neurochem Int. 29: 135-143
    20. Nutritional and Health Benefits of Garlic as a Supplement Conference, Newport beach CA (1998). 1-70. Abstracts
    21. Steiner, M. (1996) A double blind cross over study in moderately hypercholesterolemic men that compare the effect of Aged Garlic Extract and placebo administration on blood lipids and platelet function. Am. J. Clin. Nutr. 64:866-870
    22. Steinmetz, K.A., Kushi, L.H., Bostick, R.M., Folsom A.R & Potter, J.D. (1994) Vegetables, fruit and colon cancer in the Iowa Women’s Study. Am. J. Epidemiol. 139:1-5
    23. Wei, Z. & Lau, B.H.S. (1998) Garlic inhibits free radical generation and augments antioxidant enzyme activity in vascular endothelial cells. Nutr. Res. 18: 61-70
    24. . Oregano, Other Essential Oils Destroy Strep Pneumonia Cells
    25.  Garlic Lowers Heart Disease Risk
    26.  Garlic Keeps the Ticks Away
    27.  Garlic May Prevent Cancer
    28. Evidence Mounts For Garlic’s Antimicrobial, Cholesterol-Lowering Effects
    29. Mercola.com 
    30. Lifeextension.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: