Início » EVIDÊNCIAS » Cuba e a Revolução – A exportação de médicos em mais de 60 países e outras informações!

Cuba e a Revolução – A exportação de médicos em mais de 60 países e outras informações!

CUBA

Imagem

Ed. Dr. Júlio Caleiro – NUTRICIONISTA

http://globotv.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/v/governo-de-cuba-anuncia-fim-do-sistema-com-duas-moedas/2905615/

Cuba, da Revolução até os dias atuais, e seu Desenvolvimento!

As transformações e a experiência acumuladas desde o triunfo da Revolução em 1959 no âmbito científico, assistencial, de recursos humanos e materiais não ficam circunscritas ao país. Cuba compartilha o que tem, dentro e fora de suas fronteiras, como expressão da essência humanista da Revolução e exemplo da possibilidade de que prevaleça um mundo mais solidário e justo.

São mais de 40 mil os trabalhadores da saúde que prestam seu serviço em 68 países do mundo, em praticamente todos os continentes. Menção especial merecem as ações de colaboração dos médicos cubanos nos programas da Aliança Bolivariana para os povos de nossa América (Alba), particularmente a Operação Milagre para doentes com problemas de visão, que, desde 2004 até hoje, beneficiou mais de dois milhões de pessoas de 34 países de nossa América, considerada por muitos “o maior programa de solidariedade médica da história”; e os estudos para a identificação de doenças genéticas e deficiências, realizados também na Venezuela, na Bolívia, em São Vicente e Granadinas, no Equador e na Nicarágua, que permitem aos governos desses países brindar o atendimento que demandam as pessoas carentes de assistência médica e material.

Esse é o motivo pelo qual, apesar da topografia dos lugares onde se encontram as brigadas médicas cubanas, em geral lugares mais inacessíveis, essas mantêm entre si semelhanças e algumas diferenças, sendo o denominador comum do trabalho de médicos, enfermeiras e técnicos nos lugares onde prestam serviço, certamente, visão social e vocação irrenunciável de lutar para aliviar a dor dos mais necessitados, entrega sem limites e disposição de compartilhar, também, o saber científico com os outros, imersos no rosto triste da pobreza num mundo onde prevalece ainda a injustiça.

HIV – AIDS  E CUBA!

O HIV/ AIDS, apesar de constituir no mundo de hoje uma verdadeira ameaça à continuidade do gênero humano, em Cuba, como resultado da adoção de estratégias temporãs e com um grupo de Governo para a coordenação da resposta nacional à epidemia, conseguiu-se manter uma lenta progressão da doença, com uma prevalência de 0,03 %, catalogada como a mais baixa de América e uma das mais baixas do mundo.
O Sistema de Saúde de Cuba sofreu durante o período 1990-1996 os efeitos restritivos na disponibilidade de recursos pela crise econômica mundial e o desaparecimento da antiga URSS e dos países de Europa socialista, as conseqüências da aplicação de políticas neoliberais em América Latina

Professores, Dentistas e médicos –

Fidel Castro deu educação e saúde ao povo cubano!
Alguns índices de qualidade até melhoraram após a revolução de 1959. Mas a verdade é que Cuba já mandava bem nessas áreas

Os números não mentem: Cuba tem sistemas invejáveis de educação e saúde, com índices de eficiência dignos de país desenvolvido. Quase não há analfabetos na ilha, enquanto o número de professores, médicos e leitos de hospital por habitante é o maior da América Latina. Mas não foi a revolução de Fidel Castro, levada a cabo em 1959, que deu tudo isso ao povo cubano. Embora o regime comunista adore propagandear essas “conquistas”, Cuba já apresentava bons indicadores de desenvolvimento social e humano antes de Fidel chegar ao poder.

A revolução teve efeito positivo sobre alguns desses indicadores. O número de médicos e dentistas, por exemplo, era de 128 para cada 100 mil habitantes em 1957 (3º melhor índice da América Latina). Hoje, é de 680 (1º lugar entre os países latino-americanos). Por outro lado, algumas estatísticas são desfavoráveis para a era Fidel. Exemplo: em 1957, o consumo diário de calorias por cubano era o 3º maior da América Latina. Passadas 5 décadas de regime comunista, Cuba agora está em 11º lugar.

Dinheiro por fora

Não faltam dissidentes ou críticos de Fidel Castro apontando para a suposta falácia da educação e da saúde na ilha. Para eles, os recursos financeiros aplicados nessas duas áreas são insuficientes e tudo funciona muito mais para turistas e caciques políticos que para o cidadão cubano comum.

“O embargo econômico [imposto pelos americanos há quase 50 anos, em 1961] atrapalha, claro, mas é curioso notar como a falta de investimentos não prejudica o atendimento de saúde aos estrangeiros e à elite do Partido Comunista”, diz a antropóloga Katherine Hirschfeld, professora-assistente da Universidade de Oklahoma, nos EUA, e autora de um detalhado estudo sobre a sociedade cubana no final da década de 1990. De acordo com a neurocirurgiã e dissidente política Hilda Molina (que continua vivendo na ilha, embora seja uma das vozes mais afiadas contra o regime cubano), quem paga um dinheiro extra por baixo dos panos recebe atendimento mais rápido e eficiente. Segundo Hilda, existiria até uma tabela de preços informal para serviços que deveriam ser, além de eficientes, gratuitos para todo mundo. Furar a fila de um raio X, por exemplo, custaria entre US$ 50 e US$ 60 — uma pequena fortuna para os padrões de vida em Cuba.

—————————————

Estatísticas –

• SAÚDE
MORTALIDADE INFANTIL (mortos por 1000 nascidos)
1957 – 32 / 1º na América Latina 13º no mundo
HOJE – 5,82 / 1º na América Latina 43º no mundo

O avanço de Cuba foi enorme – redução de 82% na taxa de mortalidade.

• EDUCAÇÃO
ALFABETIZADOS (em % da população)
1957 – 76% / 3º lugar na América Latina
Hoje – 99,8% / 1º lugar na América Latina

INVESTIMENTO NA EDUCAÇÃO (em % do PIB)
1957 – 23% / 1º na América Latina
Hoje – 10% / 1º na América Latina

ANOS NA ESCOLA (em média)
1957 – 9 / 3º na América Latina
Hoje – 20,5 / 1º na América Latina

A escola é obrigatória por 9 anos, mas os cubanos passam muito mais do que isso estudando. Eles tiram notas bem mais altas em exames internacionais que os estudantes de outros países latino-americanos.

MÉDICOS E DENTISTAS (para cada 100 mil habitantes)
1957 – 128 / 3º lugar na América Latina
Hoje – 680 / 1º lugar na América Latina

Nos últimos 50 anos, o país multiplicou por 5 o número de profissionais de saúde. Nos últimos anos, o problema tem sido a exportação dos profissionais mais capacitados para trabalhar no exterior.

———————————————————————-

AGRICULTURA – EXPLORAR OS RECURSOS DA LOCALIDADE
Atualmente a agricultura urbana e suburbana em Cuba constitui um dos sete programas principais do Ministério da Agricultura, explicou para esta Agência o doutor Nelso Companioni, diretor de Agricultura Urbana e Suburbana do Instituto de Pesquisas Fundamentais na Agricultura Tropical (Inifat). “Se noutros países a agricultura urbana é tratada como ação de subsistência, cá é um programa oficial, de caráter popular, onde o objetivo principal é produzir alimentos e cuidar os recursos naturais que têm a ver com essa produção, para o fornecimento local”, ressaltou o especialista.
Recordou que o programa iniciou no fim da década de 80 do passado século, quando se organizou o Movimento Nacional do Organopônicos, tão utilizado no país que foi preciso constituir o Grupo Nacional do Organopônicos. Uma década depois foi criado o Grupo Nacional de Agricultura Urbana e Suburbana em 2009.
Sempre sobre uma base popular e com uso dos recursos das próprias localidades, terras abandonadas e lixos viraram em organopônicos, áreas semi- protegidas e terrenos familiares. O que começou com o propósito de cultivar vegetais, hortaliças e outros, se espalharam até abranger 30 subprogramas, entre eles: frutíferos, bananas, florestais, café e cacau, flores, medicinais, apicultura, sementes, capacitação, avícola e aquicultura.
Segundo Companioni o país conta com um sistema de produção de alimentos que se afasta do uso dos fertilizantes químicos, a partir do uso de abonos orgânicos que ajudam à restituição da fertilidade das terras na obtenção de produtos de alta qualidade e não poluídos.
“Esta é a agricultura do futuro no mundo. Hoje temos um forte movimento agroecológico que nos permite ir deitando fora os insumos industriais que são caros e são fatores de contaminação”, frisou.
FORTE IMPACTO SOCIAL
Hoje este programa se fortalece como fonte de emprego, com forte impacto social, pois centenas de milhares de pessoas encontram nele seu sustento, afirmou Companioni, quem é também secretário executivo do Grupo Nacional de Agricultura Urbana e Suburbana. Nos últimos 10 anos, disse, o programa da agricultura urbana gerou empregos que flutuam entre os 340 mil e 380 mil. Entretanto, disse, a suburbana prognostica finalizar o quinto ano do programa com 143 mil imóveis, modalidades que hoje se potencializam e são localizadas numa área de 10 quilômetros à redonda das capitais provinciais. Quanto às culturas, Companioni mencionou que existem oito mil e 232 hectares nas que se apanham mais de um milhão 52 mil toneladas de vegetais, hortaliças e artigos importantes do programa.
O objetivo- disse- é chegar aos 10 mil hectares e atingir um milhão 200 mil toneladas desses alimentos, visando que cada morador do país consumir 300 gramas diárias, cifra média estabelecida no mundo como a requerida para o melhor desenvolvimento humano.
Tais experiências dos especialistas cubanos são compartilhadas com vários países, no intuito de impulsionar a agricultura familiar ou sustentável em pequena escala, dentre esses países, Venezuela, Uruguai, México e nações das Antilhas Menores, enquanto se desenha um programa para o Haiti.
        O desenvolvimento e consolidação da agricultura urbana e suburbana ao longo desta ilha caribenha foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), que o destaca como um modelo para ser usado no mundo, impactado por eventos climatológicos e a adiada crise econômica e alimentar.
Contudo a ONU nomeou o ano 2014 como Ano da Agricultura Familiar, tema no que, em opinião de Companioni, Cuba pode desempenhar um papel de grande impacto.

——————————————————————————–

Referências:

( OMS, Unesco).

1-http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40142011000200008&script=sci_arttext

2-www.scribd.com/doc/…/Sistema-de-saude-em-Cuba
3-www.portalmedico.org.br/revista/…/evolucien.html
4-http://embacu.cubaminrex.cu/Default.aspx?tabid=2214
5-http://blig.ig.com.br/otroglodita/2010/03/24/hospital-mazzorra-cuba-26-assassinados/

6-http://super.abril.com.br/cotidiano/fidel-castro-deu-educacao-saude-ao-povo-cubano-620289.shtml

7-http://convencao2009.blogspot.com.br/2013/08/agricultura-urbana-e-suburbana.html


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: