Início » 2013 » outubro (Página 3)

Arquivo mensal: outubro 2013

A QUIMIOTERAPIA PODE FAZER MAIS MAL DO QUE BEM! SAIBA O POR QUE?

Imagem

Agente sua consulta – 35 3531-8423 – São Sebastião do Paraíso – MG – BRASIL.

Para uma orientação expressa – envia email para:  juliocaleiro@hotmail.com

———————————————————————————————————-

By; Ed. Dr. Júlio Caleiro – NUTRICIONISTA

A QUIMIOTERAPIA PODE FAZER MAIS MAL DO QUE BEM! SAIBA O POR QUE?

Médicos estão mais cautelosos na oferta de tratamento do câncer para pacientes terminais, como a quimioterapia que muitas vezes pode fazer mais mal do que bem , sugere um estudo. ‘O Confidential Enquiry Nacional’ ( NCEPOD ) constatou que mais de quatro em cada dez pacientes que receberam quimioterapia no final da vida, sofreram efeitos potencialmente fatais das drogas e o tratamento era ” inadequado” em cerca de um quinto dos casos.  Em um estudo com mais de 600 pacientes com câncer que morreram dentro de 30 dias após receber o tratamento, a quimioterapia provavelmente foi a causa que apressou a morte em 27% dos casos, concluiu o inquérito.

By. Ed; Dr. Júlio Caleiro

Nos paradigmas dos meios de saúde convencionais, a quimioterapia é o tratamento para o câncer. As pessoas estão pagando até US $ 10.000 por mês e às vezes mais por essas drogas nos EUA, e com a expectativa de que os curará da doença, ou em hospitais dados como filantrópico. No entanto são medicamentos altamente tóxicos, muitas vezes darão aos pacientes apenas mais alguns meses de vida, ou pior acabam matando prematuramente ou até mesmo causando outros tipos de câncer. A maior desvantagem de um tratamento convencional como a quimioterapia é que destrói as células saudáveis ​​por todo o corpo junto com as células cancerosas . Um efeito colateral comum e mortal da quimioterapia é a destruição das células que se multiplicam rapidamente tais como:

• A medula óssea , que produz sangue
• Sistema digestivo
• Sistema reprodutivo
• folículos pilosos

Neste estudo mais recente, o ‘ The Confidential Enquiry Nacional’ em Resultado positivo e morte do paciente ( NCEPOD ) constatou que mais de 4 em cada 10 pacientes que receberam quimioterapia no final de vida experimentou efeitos potencialmente fatais! E depois de analisar dados de mais de 600 pacientes com câncer que morreram dentro de 30 dias do recebimento do tratamento, constatou-se que a quimioterapia acelerou ou causou a morte de 27% dos casos.

” A maioria dos pacientes com câncer neste país morrem por causa da quimioterapia, que não cura o câncer de mama, cólon ou pulmão”! Isto foi documentado por mais de uma década e no entanto, os médicos ainda utilizam quimioterapia para lutar contra esses tumores “, disse o Dr. Allen Levin , MD , autor de ‘A Cura do Câncer’.
Apesar de sua reputação como o tratamento padrão OURO para o câncer, a quimioterapia tem uma taxa de sucesso de sobrevida de apenas 5 anos, e pouco mais de 2% para todos os tipos de câncer, segundo um estudo publicado na revista ‘Clinical Oncology’ em dezembro de 2004 .

Se você ou alguém que você ama foi diagnosticado com câncer, exorto-vos a fazer a pesquisa para direcioná-los a tomar uma decisão informada sobre qual curso de tratamento a realizar. Uma decisão como esta é simplesmente importante em apenas nas mãos de seu médico a favor da quimioterapia, que eu costumo de chamar de “fel” para os doentes “sedentos” de cura.

A ” Quimioterapia ” a “terapia” mais indicada em casos de câncer!

A “American Cancer Society” estimava que, só no ano de 2008,  745 mil homens e 692 mil mulheres seriam diagnosticadas com câncer. Em 2018 , esta doença é projetada para ser o assassino número UM de todos os americanos , jovens e velhos.

O caminho para virar esse jogo é duplo :

1 . Prevenir o câncer
2 . Ter um tratamento para o câncer de eficácia e segurança

Este último requisito na verdade já está disponível, e você pode usá-lo  não só para prevenir o câncer, mas também para tratá-lo. O que é isso ? Chama-se, Vitamina D sob acompanhamento e tratamento.

O Calcitriol , o hormônio esteroide mais potente em seu corpo que é produzido em grandes quantidades nos tecidos de indivíduos cheios de vitamina D. No entanto, em pacientes com câncer a vitamina D é muitas vezes de baixa oferta.O calcitriol tem sido mostrado induzir a diferenciação de células e controlar a sua proliferação correta – em termos simples , protege contra o câncer. Pessoas com baixo nível de vitamina D são menos capazes de fazer calcitriol ( vitamina D ativada ) em uma quantidade suficiente para exercer o controle sobre a proliferação de células que são necessárias para reduzir o câncer.

Níveis otimizados de vitamina D irá trabalhar em sinergia com praticamente todas as outras formas de tratamento do câncer. Existem mais de 830 estudos científicos revisado mostrando sua eficácia no tratamento do câncer dentre vários outros tipos de doenças. Repito, quase 1000 estudos direcionados somente ao câncer e uso da Vitamina D.
Dr. Mercola diz: “..Eu acredito que é negligência chega a ser ‘criminosa” não otimizar os níveis de vitamina D no tratamento de alguém com câncer. Os níveis de vitamina D devem ser aumentada para 80-90 ng / ml, no mínimo.

Os passos essenciais para prevenir o câncer

Normalizando seus níveis de vitamina D reduz o risco de câncer em mais de 50 por cento , mas há uma série de outras estratégias que são igualmente importantes em seu plano de prevenção do câncer. Uma das principais medidas está a gerir a sua saúde emocional. A maioria das doenças é causada por emoções,  gerenciados de forma negativa; Se você se concentrar na dor, miséria e dor, é provável que você vai experimentar e atrair mais dele para sua vida.
No entanto, se você manter o foco no que você quer experimentar e colocar um pouco de energia para as escolhas de estilo de vida saudável, seu corpo vai responder de acordo com seu humor, isso ficou demonstrado em uma variedade de estudos clínicos controlados. Antes que você perceba você vai começar a sentir-se muito melhor.

Assim, encontrar uma ferramenta que irá apagar permanentemente o curto-circuito neurológico, você poderá desativar os genes do câncer. Uma das melhores abordagens para o processamento de suas emoções negativas é a Técnica de Libertação Emocional (EFT ), e eu recomendo fortemente.

“Dr. Ryke Geerd Hamer” também tem feito um trabalho maravilhoso com sua técnica ‘Medicine New alemão’ para resolver conflitos emocionais como o primeiro passo na cura de doenças .
As outras dicas que eu recomendo, incluem:

• Comer bem para o seu tipo nutricional
• Exercício
• Evitar alimentos processados ​​, cereais e açúcares (para controlar e reduzir os níveis de insulina )
• Normalizar a sua proporção de ômega -3 e ômega- 6, tomando um óleo de krill de alta qualidade ou óleo de peixe e reduzir a ingestão da maioria dos óleos vegetais processados
• Dormir bem com sono de alta qualidade

E sem dúvida uma dieta balanceada, com otimização dos nívies de IODO, Vitamina D3 e Zinco.
—————————————————————————————-

ATENÇÃO: A QUALQUER SINTOMA O MÉDICO, FARMACÊUTICO, NUTRICIONISTA, PSICÓLOGO E DEMAIS ÁREAS DEVERÃO SER CONSULTADOS. NÃO NECESSARIAMENTE NESTA ORDEM.

—————————————————————————————-
Referências:
-Times Online November 12, 2008

https://www.youtube.com/watch?v=z_YWHso4B-M&feature=player_embedded

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15630849

http://exame.abril.com.br/ciencia/noticias/quimioterapia-pode-estimular-crescimento-do-cancer

http://healthland.time.com/2012/08/07/how-chemotherapy-may-trigger-tumors-resistance/

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2013/07/13/burzynski-cancer-film.aspx

Medicamentos para demência não funcionam satisfatoriamente

demencia-350-300

Em 09 de outubro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

 

Há duas classes de medicamentos que estão atualmente disponíveis para tratar demência e doenças como Alzheimer. Estes remédios são conhecidos como estimuladores cognitivos e incluem método de inibição da colinesterase e método de inibição de NMDA. Todavia, como afirma o médico e pesquisador Dr. David Brownstein: você não pode bloquear uma enzima crucial e esperar um bom resultado em longo prazo.

Um estudo recente analisou a eficácia dos medicamentos utilizados para tratar a disfunção cognitiva. Os autores do estudo  examinaram 15.554 artigos e encontraram oito estudos clínicos randomizados e três relatórios que atenderam os critérios. Eles não encontraram efeitos significativos destes medicamentos na função cognitiva. Descobriram que esses medicamentos estão associados a efeitos adversos, como náusesas, vômitos e diarréia.

Os autores concluíram que os medicamentos potenciadores da função cognitiva não melhoram a cognição ou sua função em pacientes com comprometimento cognitivo leve.

A epidemia da demência tem causas comuns, e a principal vem de desequilíbrios nutricionais e intoxicação de metais pesados. É possível iniciar um tratamento para demência precoce com nutrientes, dentre eles, vitaminas B12, B1 e B6. Outra causa da demência tem origem na toxidade do metal pesado. É sabido que o mercúrio e outros metais pesados podem perturbar o funcionamento neurológico normal. Se um paciente está em estágio inicial de demência, identificado a toxidade de metais pesados, e em seguida, aplicando terapia desintoxicante, pode-se verificar ótimos resultados, o que faz toda diferença no tratamento.

É preciso entender que envelhecimento não tem que estar associado com a demência: há tratamento nutricionial, conforme descrito acima.

Referências:

Canadian Medical Associate Journal.  2013.  DOI:10.1503

Este texto está fundamentado na matéria do médico e pesquisador Dr. David Brownstein, disponível no link:

http://blog.drbrownstein.com/dementia-drugs-do-not-work/

Melatonina ataca o Mal de Parkinson em vários momentos críticos da doença

MAL-DE-PARKINSON

Em 07 de outubro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Estudos em animais demonstraram que a suplementação de melatonina pode prevenir e em certa medida, reverter as alterações no comportamento e função motora induzida pela doença de Parkinson (Eur J Pharmacol. 2008 Oct 10;594(1-3):101-8; ISRN Neurol. 2012;2012:360379; Pharmacol Biochem Behav. 2011 Oct;99(4):704-11).

A doença de Parkinson rouba de suas vítimas do movimento normal, e isso ocorre através da perda de neurônios que produzem o neurotransmissor dopamina ( Eur J Pharmacol. 2008 Oct 10;594(1-3):101-8).

Parkinson tem algumas semelhanças com a doença de Alzheimer. Ambos podem conduzir a demência. Ambos são resultados da oxidação, no caso de Parkinson focada em regiões do cérebro que controlam o movimento e equilíbrio (Acta Pharmacol Sin. 2006 Jan;27(1):41-9.) E, em ambas as doenças, a morte de células cerebrais e de disfunção é causada por um aumento anormal e acúmul de proteína inflamatória. Na doença de Parkinson, a proteína é a chamada alfa-sinucleína (Neurobiol Aging. 2012 Sep;33(9):2172-8;  J Pineal Res. 2012 Jan;52(1):128-37.).

Trabalhando com vários modelos de laboratório da doença de Parkinson, os cientistas demonstraram que a melatonina pode atacar a doença de Parkinson em cada um dos seus momentos críticos:

a)      Impede a produção da proteína alfa-sinucleína em células do cérebro, e promove a limpeza desta proteína tóxica (Neurobiol Aging. 2012 Sep;33(9):2172-85; J Pineal Res. 2012 Jan;52(1):128-37.);

b)      Inverte as alterações inflamatórias observadas nos cérebros de pessoas com Parkinson (Histol Histopathol. 2013 Feb 27.);

c)       Restaura a atividade normal de uma enzima chave envolvida na produção de dopamina (Neuro Endocrinol Lett. 2002 Apr;23 Suppl 1:20-3.;  Free Radic Res. 2010 Nov;44(11):1304-16.).

A capacidade da melatonina para prevenir e reverter as alterações no comportamento e na função motora induzida pela doença é o resultado de uma maior sobrevivência das células produtoras de dopamina que se tornam danificadas ou destruídas pela doença de Parkinson (Free Radic Res. 2010 Nov;44(11):1304-16.; Parkinsonism Relat Disord. 2009 May;15(4):307-14.; J Pineal Res. 2009 Nov;47(4):293-300).

Para mais informações, sugiro a leitura das seguintes matérias:

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/05/08/paciente-apresenta-significativa-regressao-dos-sintomas-do-mal-de-parkinson-2/

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/08/01/vitamina-d-reduz-a-progressao-da-doenca-de-parkinson/

*As referências científicas estão todas citadas no corpo do texto.

lifeextension.com

Como se prevenir eficazmente ao câncer de mama?

cancermamagde1

Em 04 de outubro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone: (35) 3531-8423. São Sebastião do Paraíso-MG.

Outubro é o mês da consciência do câncer de mama, uma campanha anual projetado para a conscientização sobre a doença. Sobre esta grave doença, o médico norte-americano e pesquisador da ‘Life-Extension’  Dr. Michael Smith informa o seguinte:

“até o momento, sabemos que a manutenção de um peso saudável, exercício e evitando o álcool são boas maneiras de proteção [ao câncer de mama]. Mas existem outras medidas de proteção que podem ser tomadas? Há certamente. Na verdade, a nova pesquisa sugere que BAIXOS NÍVEIS DE VITAMINA D pode realmente aumentar o risco de câncer de mama. Assim, otimizar o seu nível sanguíneo de vitamina D deve ser uma prioridade, se o seu objetivo é prevenir o câncer de mama e viver uma vida longa e saudável.”

Sabe-se, ainda, que conforme estudo científico: Vitamina D3 reduz o risco de câncer de mama em 77%! (Am J Clin Nutr. 2007 Jun;85(6):1586-91.). Em contrapartida, o médico Dr. Victor Sorrentino informa o seguinte:

Mulheres com deficiência de Vitamina D apresentam risco aumentado em 253% de desenvolvimento do câncer colorretal. – Clin J Am Soc Nephrol. 2008 Jun 11″.

Sabe-se, ainda, que muitas mulheres realizam a prevenção ao câncer de mama por meio de mamografias periódicas. Todavia, Dr. Wilson Rondó, médico especialista em cirurgia vascular, medicina ortomolecular e terapias antioxidantes (The Robert W. Bradford Institute Califórnia – U.S.A.) informa o seguinte:

Mas, por que a mamografia de rotina seria antiética? A mamografia expõe o seu corpo a uma radiação que pode ser mil vezes maior do que a exposição ao RaioX de tórax, o que aumenta a probabilidade do desenvolvimento de câncer. Além disso, na mamografia a leve compressão nos seios, muitas vezes dolorosa para a maioria das mulheres, pode espalhar células cancerosas. Segundo o Dr. Samuel Epstein, um dos tops experts em câncer, “os seios da mulher na premenopausa são altamente sensíveis à radiação. A cada 1 rad de aumento de exposição aumenta-se o risco de câncer de seio em cerca de 1%, o que cumulativamente promove 10% de aumento de risco de câncer de mama a cada década de avaliação”.

O médico Dr. Victor Sorrentino informa também:

E agora lhes pergunto: fazer exames periódicos e tentar detectar precocemente se você está ou não com câncer, adianta alguma coisa no sentido da prevenção, ou seja, de não desenvolver câncer? Isto é que a medicina chama de prevenção?
 
Queridos amigos, prevenção não é diagnóstico precoce, isto é prevenção da morte pelo câncer, pois aqui sim está uma ótima forma de se prevenir de fato a EXISTÊNCIA de câncer de mama e de intestino, que é fazendo suplementação de vitamina D.

“A vitamina D, entre outros, é o melhor anti-câncer que conheço.” (Dr. Lair Ribeiro, médico nutrólogo e cardiologista PhD)

Referências:

  1. http://blog.lef.org/2013/09/low-vitamin-d-increases-breast-cancer.html
  2. youtube.com/watch?v=BS1ZuAcGmrg
  3. http://www.youtube.com/watch?v=AXz8B4p6_B0
  4.  Lappe JM, Travers-Gustafson D, Davies KM, Recker RR, Heaney RP. Vitamin D and calcium supplementation reduces cancer risk: results of a randomized trial. Am J Clin Nutr. 2007 Jun;85(6):1586-91
  5. http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2012/03/esta-e-capsula-que-poderia-estar.html
  6. http://www.drrondo.com/sera-mesmo-a-mamografia-um-beneficio-para-a-sua-saude-desconfie/

Vitamina C auxilia significativamente pacientes com intolerância ao glúten

gluten1

Em 03 de outubro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423

Dr. Luis Romariz, médico pós graduado Harvard Medical School, e pela Medical School of Yale University, traz a seguinte importante informação:

“Adicionou-se vitamina C a culturas de tecido intestinal de doentes com doença celíaca – forma grave de intolerância ao glúten – e o resultado foi dramático, os vários factores inflamatórios (INF-a & y, TNF, IL-13, 16, 17) foram pura e simplesmente abolidos! Afinal, parece haver outras manifestações de falta de vitamina C, para além do escorbuto! Já sabíamos que os pré e pró bióticos minoravam as manifestações alérgicas e inflamatórias da doença celíaca, mas agora temos mais armas ao nosso dispor para reverter a intolerância ao glúten.”

Por essa razão, vê-se que é ESSENCIAL considerar a hipótese de se utilizar doses de vitamina C àqueles pacientes com doença celíaca ou com intolerância e sensibilidade ao glúten. A vitamina C poderá dar uma melhor qualidade de vida aos pacientes com intolerância ou sensibilidade ao glúten, diminuindo drasticamente os fatores de inflamação. Se a intolerância ao glúten é capaz de gerar ou intensificar doenças neurológicas graves,  com a abolição dos fatores de inflamação associados à intolerância ao glúten, os benefícios poderão ser sentidos amplamente, com diminuição ou reversão de diversas doenças associadas.

Informo, todavia, que como as doses são terapêuticas, geralmente altas doses, é indispensável acompanhamento médico ou com nutricionista que compreenda desta terapia.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referência:

http://anti-envelhecimento.blogs.sapo.pt/360190.html