Início » 2013 » agosto (Página 3)

Arquivo mensal: agosto 2013

A vitamina D3 é indispensável no tratamento de diabetes

diabetes

Em 13 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA – ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com

Dr. Júlio Caleiro Aplica o Tratamento à base de vitamina D3!
————————————————————-

A vitamina D desempenha uma importante função no tratamento do diabetes. Pessoas com diabetes (ambos os tipos I e II) tem níveis ainda baixos de vitamina D em comparação com a população em geral (Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 Jun;39(2):419-46, table of contents; Mol Cell Endocrinol. 2011 Dec 5;347(1-2):106-20.). A deficiência de vitamina D faz aumentar em 91% a probabilidade da progressão para a resistência à insulina ou ‘pré-diabetes (mesmo para aqueles com o açúcar normal no sangue). Além disso, a deficiência de vitamina D mais do que dobra o risco de progressão para o diabetes tipo II (Cardiovasc Diabetol. 2013;12:17).

Esta estreita ligação entre vitamina D e diabetes é devido aos receptores da vitamina D, que são encontrados em células produtoras de insulina no pâncreas e no fígado, gordura e tecido muscular, os quais influenciam no destino da glicose no seu sangue (Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 Jun;39(2):419-46, table of contents.).

Por exemplo, as células brancas do sangue, chamadas macrófagos, tem receptores de vitamina D. Quando os macrófagos são analisados a partir de diabéticos, eles exibem um elevado teor de gordura, o que contribui para um aumento do risco cardiovascular dos pacientes diabéticos. No entanto, quando as células são tratadas em laboratório com vitamina D, cessam a absorção de gordura e com isso, o diminui o risco cardiovascular(Circulation. 2009 Aug 25;120(8):687-98).

Da mesma forma, em relação aos controles saudáveis, os animais em laboratório DIABÉTICOS apresentaram baixos níveis de insulina e baixos receptores de vitamina D em seus cérebros, e apresentaram mais gordura corporal, altos níveis de inflamação, danos ao DNA, e um desempenho ruim em testes de memória e cognição (lembre-se que a doença de Alzheimer tem sido chamada de ‘diabetes do cérebro’). Mas, com a suplementação de vitamina D, todas essas funções são restauradas para níveis próximos aos normais, incluindo melhora cognitiva (saúde cerebral). Esta descoberta mostra o potencial da vitamina D para ajudar a reverter o processo de diabetes.(J Nutr Biochem. 2011 May;22(5):418-25; J Diabetes Complications. 2012 Sep-Oct;26(5):363-8; Nutr Res. 2008 Nov;28(11):783-90.)

As alterações inflamatórias em animais diabéticos, como em humanos, levam a um aumento da gordura no fígado, uma condição conhecida como doença hepática gordurosa não alcoólica. Quando diabéticos humanos com marcadores inflamatórios elevados foram suplementados com vitamina D diariamente, a inflamação reduziu substancialmente(Hepatology. 2012 Apr;55(4):1103-11; Diabetes Metab Res Rev. 2012 Jul;28(5):424-30.).

Uma notável notícia é que a vitamina D diminui a progressão do pré-diabetes ao diabetes (Am J Clin Nutr. 2011 Aug;94(2):486-94.).

A suplementação de vitamina D também beneficia aqueles que já tem o diabetes. Os diabéticos que receberam uma importante dose de vitamina D no iogurte apresentaram quedas significativas no nível de açúcar no sangue em jejum, na resistência à insulina, na circunferência da cintura, e índice de massa corporal, em comparação com o grupo do controle (que não recebeu a vitamina D) – Am J Clin Nutr. 2011 Apr;93(4):764-71.

Estudos mostram que a suplementação com vitamina D3 pode reduzir a pressão arterial, colesterol total, colesterol LDL, fatores de risco para doenças cardíacas e renais para diabéticos (Saudi J Kidney Dis Transpl. 2012 Nov;23(6):1215-20). Tratamento com vitamina D3 também reduz significativamente os níveis de proteína na urina, um marcador de doença renal (J Med Assoc Thai. 2012 Mar;95 Suppl 3:S41-7.).

Vitamina D, diabetes e a Gestação!

Por que a vitamina D é tão importante para as mulheres grávidas e recém-nascidos?

Manter os níveis ideais de vitamina D é facilmente uma das estratégias mais importantes para mulheres grávidas, justamente para manter a si mesmos e seus bebês saudáveis.
Nos EUA os pesquisadores ‘Hollis e Wagner’ divulgou recentemente os resultados impressionantes a partir do que é considerado o primeiro estudo científico que atenda aos critérios mais rigorosos para a “investigação baseada em evidências” em vitamina D e gravidez.
Seus resultados foram discutidos em uma recente conferência internacional de pesquisa de vitamina D em Brugge , Bélgica, e incluíram:
Mães que tomaram vitamina D em DOSES CORRETAS TIVERAM durante a gravidez menor risco de parto prematuro reduzido pela metade e risco reduzido para diabetes gestacional. Os bebês prematuros nascidos de mulheres que tomam altas doses de vitamina D foram reduzidos pela metade em ambos. Também houve menos bebês que nasceram prematuramente. As mulheres que tomam doses corretas de vitamina D tiveram uma redução de 25% em infecções, particularmente as infecções respiratórias tais como constipações e gripe , bem como de infecções menores da vagina e as gengivas. As ” morbidades centrais da gravidez ” foram reduzidos em 30% nas mulheres que tomaram a altas doses de vitamina D. (incluindo diabetes, pressão arterial elevada, e pré -eclâmpsia – um aumento potencialmente mortal da pressão arterial e de fluidos). Os bebês recebendo as maiores quantidades de vitamina D após o nascimento tiveram menos resfriados e menos eczema.

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA – ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com
———————————————
Alerto que o tratamento à base de vitamina D3 deve ser feito necessariamente com acompanhamento médico ou de nutricionista aptos a esta natureza de terapia.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências científicas:
1. Takiishi T, Gysemans C, Bouillon R, Mathieu C. Vitamin D and diabetes. Endocrinol Metab Clin North Am.2010 Jun;39(2):419-46, table of contents.
2. Wolden-Kirk H, Overbergh L, Christesen HT, Brusgaard K,
Mathieu C. Vitamin D and diabetes: its importance for beta cell and immune function. Mol Cell Endocrinol.2011 Dec 5;347(1-2):106-20.
3. Huang Y, Li X, Wang M, et al. Lipoprotein lipase links vitamin D, insulin resistance, and type 2 diabetes: a cross-sectional epidemiological study. Cardiovasc Diabetol. 2013;12:17.
4. Oh J, Weng S, Felton SK, et al. 1,25(OH)2 vitamin d inhibits foam cell formation and suppresses macrophage cholesterol uptake in patients with type 2 diabetes mellitus. Circulation. 2009 Aug 25;120(8):687-98.
5. Kumar PT, Antony S, Nandhu MS, Sadanandan J, Naijil G, Paulose CS. Vitamin D3 restores altered cholinergic and insulin receptor expression in the cerebral cortex and muscarinic M3 receptor expression in pancreatic islets of streptozotocin induced diabetic rats. J Nutr Biochem. 2011 May;22(5):418-25.
6. Meerza D, Naseem I, Ahmed J. Effect of 1, 25(OH)(2) vitamin D(3) on glucose homeostasis and DNA damage in type 2 diabetic mice. J Diabetes Complications. 2012 Sep-Oct;26(5):363-8.
7. Siddiqui SM, Chang E, Li J, et al. Dietary intervention with vitamin D, calcium, and whey protein reduced fat mass and increased lean mass in rats. Nutr Res. 2008 Nov;28(11):783-90.
8. Roth CL, Elfers CT, Figlewicz DP, et al. Vitamin D deficiency in obese rats exacerbates nonalcoholic fatty liver disease and increases hepatic resistin and Toll-like receptor activation. Hepatology. 2012 Apr;55(4):1103-11.
9. Shab-Bidar S, Neyestani TR, Djazayery A, et al. Improvement of vitamin D status resulted in amelioration of biomarkers of systemic inflammation in the subjects with type 2 diabetes. Diabetes Metab Res Rev. 2012 Jul;28(5):424-30.
10. Mitri J, Dawson-Hughes B, Hu FB, Pittas AG. Effects of vitamin D and calcium supplementation on pancreatic beta cell function, insulin sensitivity, and glycemia in adults at high risk of diabetes: the Calcium and Vitamin D for Diabetes Mellitus (CaDDM) randomized controlled trial. Am J Clin Nutr. 2011 Aug;94(2):486-94.
11. Nikooyeh B, Neyestani TR, Farvid M, et al. Daily consumption of vitamin D- or vitamin D + calcium-fortified yogurt drink improved glycemic control in patients with type 2 diabetes: a randomized clinical trial. Am J Clin Nutr. 2011 Apr;93(4):764-71.
12. Bonakdaran S, Hami M, Hatefi A. The effects of calcitriol on albuminuria in patients with type-2 diabetes mellitus. Saudi J Kidney Dis Transpl. 2012 Nov;23(6):1215-20.
13. Krairittichai U, Mahannopkul R, Bunnag S. An open label, randomized controlled study of oral calcitriol for the treatment of proteinuria in patients with diabetic kidney disease. J Med Assoc Thai. 2012 Mar;95 Suppl 3:S41-7.
14. lifeextension.com

16. Obstetrical and Gynecological Survey 65(4): April 2010
Experimental Biology 2010, April 24-28, 2010, Anaheim, California
Eurekalert April 25, 2010

Benefícios do óleo de coco no hipotireoidismo, emagrecimento, sistema imune, e saúde cerebral

Post_Oleo_de_Coco_set012-Cópia1

Em 11 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Sintomas como mãos e pés frios, baixa temperatura corporal, sensibilidade ao frio, sensação de estar sempre gelado, dores de cabeça, insônia, pele seca, olhos inchados, perda de cabelo, unhas quebradiças, dores articulares, constipação, esgotamento mental, fadiga, infecções freqüentes, voz rouca, zumbido nos ouvidos, tonturas perda de libido e ganho de peso (às vezes, incontrolável), pode estar associado a uma disfunção da tireóide (hipotireoidismo).

Há estudos apontando que a principal causa de problemas com o peso (especialmente em mulheres), está relacionada a uma disfunção da tireóide. Muitos óleos alimentares (ex: óleo vegetal de soja) afetam negativamente a função da tireóide. O fisiologista Dr. Ray Peat Ph.D, escreveu que: “Óleos poliinsaturados tem um importante efeito na interferência na função da glândula da tireóide. Óleos insaturados bloqueiam a secreção do hormônio da tireóide, o seu movimento no sistema circulatório, e a resposta dos tecidos ao hormônio. Quando o hormônio da tireóide é essencialmente baixo, o corpo é geralmente exposto a níveis elevados de estrogênio. O hormônio da tireóide é necessário para a utilização e eliminação do colesterol” (http://raypeat.com/articles/articles/unsaturated-oils.shtml).

Dra. Cherie Calbom, nutricionista clínica em St Luke Medical Center, Bellevue, Washington, mestre em nutrição pela Universidade de Bastyr, e autora de diversos livros sobre alimentação e saúde, dentre eles, o livro “Dieta do Coco: O ingrediente secreto que ajuda a perder peso” explica que:

O óleo de coco é uma gordura saturada composta principalmente por ácidos gordos de cadeia média [também conhecida como triglicerídeos de cadeia média] são conhecidos por aumentar o metabolismo e promover a perda de peso. O óleo de coco também pode elevar a temperatura corporal basal, aumentando o metabolismo. Esta é uma boa notícia para as pessoas que sofrem com baixa função da tireóide. Vários estudos tem mostrado que os triglicerídeos de cadeia média promovem a perda de peso.

O médico Dr. Wilson Rondó, médico nutrólogo e ortomolecular, especializado na Clinique Du Mail La Rochelle, na França, autor de 7 livros, explica que:

“A associação de gorduras saturadas de cadeia média com vitaminas A e D melhora as funções da tireóide e combate o acúmulo de gorduras. Seu consumo constante queima aproximadamente 200 calorias a mais por dia. Sem precisar alterar a alimentação, basta isso para perder cerca de 3kg de gordura em um mês”. E continua informando que: O óleo de coco melhora a função da tireóide. Quando as pessoas com hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoidiano) começam a consumir o óleo de coco, elas frequentemente referem aumento de energia pela melhora da função tireoidiana. Muitos individuos que sofrem com problemas de tireoide são capazes de eliminar a medicação para tireoide até completamente quando começam a consumir óleo de coco. Obviamente você não deve nunca suspender a medicação sem consultar seu médico.”Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó.

O médico norte americano Dr. Joseph Mercola, diz que: Você pode se surpreender ao saber que a gordura saturada presente naturalmente no óleo de coco, na verdade, tem alguns benefícios incríveis para a saúde, como:
a) Promove a saúde do coração (Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century, part 2.)
b) Promove a pera de peso, quando necessário (Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity, Lipids, 2009 Jul;44(7):593-601.)
c) Fortalece o sistema imunológico (Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century.)
d) Auxilia um metabolismo o saudável (g, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century. [6] Baba, N 1982. Enhanced thermogenesis and diminished deposition)
e) Proporcional energia imediata (Bruce Fife, ND. Coconut Oil and Medium-Chain Triglycerides.)
f) Matem a pele saudável e jovem
g) Apóia o funcionamento adequado da tireóide (Raymond Peat Newsletter, Coconut Oil, reprinted at http://www.heall.com.)

Ademais, 50% do teor de gordura do óleo de coco é uma gordura raramente encontrada na natureza, o ácido láurico. O corpo converte o ácido láurico em monolaurina, que tem efeito anti-viral, anti-bacteriano e anti-protozoário (Defaunation Effects of Medium Chain Fatty Acids and Their Derivatives on Goat Rumen Protozoa).

Dr. Mercola informa que: “Monolaurina é um monoglicerídeo que pode efetivamente destruir vírus, tais como: HPV, herpes; sarampo, vírus da gripe, várias bactérias patogênicas, protozoários como giárdia lamblia. O ácido láurico é um poderoso destruidor de vírus e bactérias, e o óleo de coco contem o ácido láurico em maior quantidade que qualquer outro na Terra.”

Dr. Rondó destaca ainda que “para indivíduos com Mal de Alzheimer, o óleo de coco pode ser a chave não só para prevenir, mas mesmo para reverter a doença.” – Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó.

Referências (algumas referências já constam no corpo do texto):

1. Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó
2. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/10/22/coconut-oil-and-saturated-fats-can-make-you-healthy.aspx
3. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2003/11/08/thyroid-health-part-two.aspx

Atrofia muscular espinhal é tratável com vitamina B12, ácido fólico e CoQ10

slide-1-728

‘Na mudança de atitude não há mal que não se mude’.

(PARA UMA ORIENTAÇÃO) – ENVIE EMAIL PARA:   juliocaleiro@hotmail.com

Em 10 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Em maio de 2001, o Jornal Molecular Cell publicou um estudo informando que ácido fólico e a vitamina B12 diminuem os sintomas da atrofia muscular espinhal, uma doença causada por baixos níveis de SMN, uma proteína de limpeza exigidas por todas as células. Quando as células não tem níveis adequados de SMN, os neurônios motores que controlam a atividade de grupos musculares são as primeiras células que se degeneram, de modo que os principais grupos musculares não recebem estimulação de maneira adequada. Muitos pacientes com a doença morrem enquanto bebes, e outros são afetados mais tarde na vida, e seus sintomas variam de pessoa para pessoa.

Os pesquisadores acreditavam que a variação e o início dos sintomas seriam devidos a modificadores genéticos, mas os pesquisadores da ‘University of Pennsylvania School of Medicine’ acreditam que essas diferenças podem estar relacionadas com a vitamina B12 e a ingestão de ácido fólico. Os pesquisadores observaram que para o correto funcionamento da proteína SMN no organismo, é exigida a presença de vitamina B12 e ácido fólico (http://www.med.upenn.edu/dreyfusslab/publications/2001FriesenMolCell1111.pdf).

Os pesquisadores, Dr. Gideon Dreyfuss, PhD, Isaac Norris, professor de Bioquímica e Howard Hughes da Medical Institute concluíram que: “nosso trabalho levanta a possibilidade de que o ácido fólico e vitamina B12 podem ser úteis na redução (mesmo se apenas ligeiramente) da gravidade da doença em alguns pacientes com atrofia muscular espinhal”.

Além da vitamina B12 e ácido fólico, há estudo científico indicando que a Coenzima Q10 pode auxiliar significativamente no tratamento de quem sofre de doenças neuromusculares, como é o caso da atrofia muscular espinhal. Um estudo com pacientes acometidos de doenças neuromusculares graves (incluindo Doença de Duchene, Becker e distrofias membro-cintura, distrofia miotônica) o uso de coenzima Q10 durante 3 meses trouxe melhorias importantes nos pacientes. Verificou-se uma melhora surpreendente no desempenho físico dos pacientes. E os autores do estudo concluíram que: pessoas que sofrem destas distrofias musculares [e OUTRAS SEMELHANTES] devem ser tratadas com Coenzima Q10 indefinidamente.

Veja o depoimento de um paciente com atrofia muscular espinhal III, após uma semana de tratamento com base nos princípios da nutrição funcional aplicados pelo Dr. Júlio Caleiro:

Em 09/08/2013: “Olá. Faz apenas uma semana que venho me tratando com algumas vitaminas e suplementos que o Dr. Júlio Caleiro me receitou, para diminuir um tipo de atrofia que possuo. AMIOTROFIA ESPINHAL TIPO III. Esse tipo de patologia afeta os membros inferiores e superiores levando um paciente para a cadeira de rodas ao decorre dos anos de vida.E estou obtendo em apenas uma semana uma ótima melhora no meu corpo como mais força e os músculos estão mais ativo. Isso é impressionante. Volto a falar mais desse assunto logo mais.” – Fábio Santos -SP. (link: https://nutricaobrasil.wordpress.com/depoimentos-tratamento-dr-julio-caleiro/)

Em 28/10/2013: 

Olá pessoal…. Venho por meio desta mensagem dizer que depois de 17 anos, percebo que parei de atrofiar…Graças o tratamento aplicado pelo DOUTOR JÚLIO. Fazem aproximadamente 3 meses que estou me tratando com uma receita super otimista…e posso dizer que já ganhei uma considerável tonalidade de músculos e considerável força…. tornando meu dia a dia mais fácil, sei que ainda tenho que ganhar muito mais músculos mas já se tornou visível para minha família e meus amigos o ganho de músculos e força…. Agora comecei uma segunda receita e assim que tiver algum resultado volto a falar com vocês….Forte Abraço a todos. – Fábio Santos – SP. (link: https://nutricaobrasil.wordpress.com/depoimentos-tratamento-dr-julio-caleiro)

Particularmente, considero indispensável, também, manter ótimos níveis de vitamina D3, k2-Mk7, omega 3, iodo, e magnésio no organismo, para que haja um correto e verdadeiro fortalecimento de saúde, tornando o corpo mais fortalecido e equilibrado de maneira saudável.

O tratamento deve ter o NECESSÁRIO E IMPRESCINDÍVEL acompanhamento médico ou de nutricionista aptos a esta natureza de terapia.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências:
1. SMN, the Product of the Spinal Muscular Atrophy Gene, Binds Preferentially to Dimethylarginine-Containing Protein Targets – Molecular Cell, Volume 7, Issue 5, 1111-1117, 25 May 2001 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11389857
2. Biochim Biophys Acta 1995 May 24;1271(1):281-6 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7599221
3. Proc Natl Acad Sci U S A 1985 Jul;82(13):4513-6 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3859873

* Matéria atualizada em 12/11/2013.

Acelerador de PRÓTONS, não supera tratamento tradicional contra câncer, e pode causar outros problemas graves!

Imagem

By, Dr. Júlio Caleiro    –      juliocaleiro@hotmail.com

—————————————————————-

Acelerador de PRÓTONS, não supera tratamento tradicional contra câncer, e pode causar outros problemas graves!

Em uma descoberta provável de adicionar combustível para o debate sobre tratamentos para câncer de próstata e outros, a terapia de ‘prótons’ não forneceu nenhum benefício a longo prazo sobre a ‘radiação tradicional’, apesar dos custos muito mais elevados, de acordo com um estudo de 30 mil beneficiários do ‘Medicare’ publicado quinta-feira no ‘Journal of the National Instituto do Câncer’. A ‘Radioterapia Proton’ usa partículas atômicas para tratar o câncer, em vez de raios-X e, teoricamente poderia atingir os tumores com mais precisão. Mas isso requer um acelerador de partículas mais ou menos o tamanho de um campo de futebol, que normalmente custaria cerca de US $ 180 milhões.

A credibilidade na superioridade da terapia de prótons por algum motivo, provocou uma corrida armamentista entre os principais centros médicos do mundo. Dez aceleradores de prótons estão em operação em os EUA, e mais nove estão em desenvolvimento, incluindo dois pela Clínica Mayo e um por Centro de Câncer Memorial Sloan-Kettering e um consórcio de outros hospitais em New York City.
Ion Beam Applications da Bélgica é o principal fabricante. Outros incluem Hitachi Ltd., Varian Medical Systems Inc. e Mevion Medical Systems Inc. Críticos, citaram a terapia de feixe de prótons como uma nova tecnologia cara com nenhuma vantagem comprovada! O ‘Medicare’ paga mais de 32 mil dólares americanos por paciente para a terapia de prótons, comparado com menos de 19 mil dólares americanos para a radiação, de acordo com o estudo.
Alguns 242.000 homens em os EUA são diagnosticadas com câncer de próstata a cada ano, e muitos oncologistas e especialistas em política de saúde dizem que a condição é excessivamente tratada.
A maioria dos cânceres de próstata são de crescimento lento, de modo que muitos homens poderiam evitar o tratamento e, finalmente, morrer de outra coisa, dizem os especialistas. Mas cerca de 28 mil homens americanos morrem anualmente de câncer de próstata agressivo que não são tratados a tempo, por isso a maioria dos homens optam por tratar os tipos de câncer como medida de precaução, seja com radioterapia ou cirurgia.

Terapia Proton-beam tem sido objeto de acalorado debate entre os urologistas, oncologistas,  e analistas de custos de cuidados de saúde. A terapia não é considerada mais eficaz do que o padrão de radiação, ou cirurgia, na estabilização ou regressão do câncer. E a experiência do paciente é quase o mesmo que com a radiação padrão: Os pacientes geralmente têm tratamentos diários, de segunda a sexta-feira, durante cerca de oito semanas. Cada tratamento é indolor e dura cerca de cinco minutos, e os efeitos colaterais idênticos as demais terapias.

Quais métodos poderiam eliminar o câncer sem efeitos colaterais graves, assim como a própria radiação e quimioterapia?

 Sem dúvida alguma a Vitamina D:  Há milhares de evidências científicas de que você pode diminuir o risco de câncer em mais da metade simplesmente otimizando seus níveis de vitamina D com a exposição solar adequada ou tomando vitamina D por via oral.
        Se você toma vitamina D por via oral e tiver câncer, é muito prudente monitorar e manter os seus níveis de vitamina D no sangue regularmente em níveis terapêuticos, assim como complementar com vitamina K2, a deficiência K2 é realmente o que produz os sintomas de toxicidade da vitamina D em doses mais altas. Para saber mais, consulte o meu artigo no blog sobre vitamina k2:
        Dormir: Certifique-se que você está recebendo o suficiente sono restaurador. Sono inadequado pode interferir com a sua produção de melatonina, que está associada com um risco aumentado de resistência à insulina e ganho de peso, ambos os quais contribuem para a aumentar suas chances de ter câncer.
        A exposição a toxinas: Reduza a sua exposição a toxinas ambientais como pesticidas, herbicidas, produtos de limpeza químicos domésticos, purificadores de ar sintético e cosméticos tóxicos.
        A exposição à radiação: Limite a sua exposição e proteger-se da radiação produzida pelos celulares, torres, estações de base e estações Wi-Fi, bem como minimizando sua exposição a partir de exames médicos à base de radiação, incluindo dental raios-x, tomografias, e mamografias. Leia meu artigos sobre alternativa à realização de mamografias – Termografias.
        Gerenciamento do Estresse: O estresse por todas as causas é um grande contribuinte para a doença. Mesmo o CDC indica que 85 por cento da doença é influenciada por fatores emocionais.E provável que o estresse e problemas emocionais não resolvidos podem ser mais importantes do que as físicas. Minha ferramenta favorita para a resolução de desafios emocionais é Emotional Freedom Techniques (EFT), ou psicoterapia com seu psicólogo.

O que fazer se você tem Câncer?

    Sem dúvida, a mais poderosa estratégia essencial que conheço para tratar o câncer é matar de fome as células por privá-los de sua fonte de alimento. Ao contrário de suas células do corpo, que pode queimar carboidratos ou gordura para o combustível, as células cancerosas tenham perdido essa flexibilidade metabólica. Dr. Otto Warburg recebeu o Prêmio Nobel com mais de 75 anos por descobrir isso, mas praticamente nenhum oncologista realmente usa esta informação!

   Marque sua consulta, ou peça sua orientação expressa no email abaixo:

      juliocaleiro@hotmail.com
—————————————————————

Referências:
 The Wall Street Journal.
 Cancer Facts & Figures 2013

A saúde mitocondrial determina o tempo e qualidade de vida da pessoa

longevidade

Em 08 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: (35) 3531-8423.

Alguma vez já se perguntou quanto tempo você vai viver? A resposta provavelmente poderá ser encontrada nas capacidades celulares produtoras de energia chamadas de MITOCÔNDRIAS.

De acordo com um número crescente de biólogos celulares, o número e a funcionalidade das mitocôndrias determinam o tempo de vida da pessoa, isto é, sua longevidade (Pflugers Arch. 2010 Jan;459(2):277-89.; Curr Aging Sci. 2009 Mar;2(1):12-27; Clin Sci (Lond). 2004 Oct;107(4):355-64).

Quando somos jovens, estamos relativamente protegidos contra a deterioração mitocondrial, e ao envelhecermos, as mudanças dentro de nossas células levam à destruição das mitocôndrias, o que abre caminho para o envelhecimento e doenças (Ann NY Acad Sci. 1998 Nov 20;854:155-70; Mutat Res. 2002 Nov 30;509(1-2):127-51.; Free Radic Biol Med. 2000 Aug;29(3-4):222-30.; Exp Biol Med (Maywood). 2002 Oct;227(9):671-82; PNAS. 2001;98(18):10469-74.).

Em 2007, os cientistas fizeram uma descoberta sobre reversão notável da idade. Danos ao DNA mitocondrial tornam se permanentes após uma década do início da disfunção mitocondrial, e este dano é reversível (Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2007 Nov;10(6):688-92.).

Há três passos que podem restaurar a saúde mitocondrial do corpo, que são:
1. aumentar as defesas naturais do DNA mitocondrial do corpo por meio da Coenzima Q10 – CoQ10;
2. estimular a criação de novas mitocôndrias com PQQ – pyrroloquinoline quinone;
3. apoiar o sistema de defesa mitocondrial do corpo com “Shitajit”.

Aqui, trataremos, inicialmente, a ação da Coenzima Q10. Em outras oportunidades, abordaremos as duas seguintes substâncias, PQQ e Shitajit.

Por que as mitocôndrias são tão importantes?

Segundo o médico, Dr. Lair Ribeiro, PhD cardiologista e nutrólogo, a tendência é considerar que as ‘mitocondriopatias’ são a base de TODAS as doenças.

Encontrada no interior das células do corpo, as mitocôndrias são responsáveis pela produção de nossa principal fonte de energia, o trifosfato de adenosina(ATP). A ATP fornece, pelo menos, 95% da energia celular que alimenta TODAS as funções da vida. Todavia, um subproduto de geração de energia chamado de radicais livres atacam a estrutura da membrana celular. As mitocôndrias são os alvos mais fáceis de danos dos radicais livres, já que elas estão localizadas onde estes radicais livres são produzidos.

Os estudos indicam fortemente que ao longo do tempo, os danos acumulados ao DNA das mitocôndrias resultam em distúrbios metabólicos (tais como diabetes) e doenças degenerativas (tais como o Azheimer) – Lancet. 1989;1(8639):642-5; Toxicol Appl Pharmacol. 2006 Apr 15;212(2):167-78; Diabetes. 2013 Mar;62(3):672-8.; Acta Neuropathol. 2012 Aug;124(2):199-20; Prog Neuropsychopharmacol Biol Psychiatry. 2011 Mar 30;35(2):320-30). Disfunção mitocondrial ocorre principalmente em órgãos e tecidos que tem alta demanda por energia, e isso explica o motivo do tecido cardiovascular e os neurônios do cérebro estarem entre os mais suscetíveis (Am J Pathol. 2009 Sep;175(3):927-39.).

Quando somos jovens, estamos bastante protegidos contra a deterioração mitocondrial porque nossos corpos produzem substancias para defender as mitocôndrias do ataque dos radicais livres. No entanto, à medida que envelhecemos, essa proteção diminui, nos preparando para um ciclo destrutivo que acelera o envelhecimento e doenças. Os jovens não tem praticamente nenhum dano mitocondrial (PNAS. 2001;98(18):10469-74.; Proc Natl Acad Sci USA. 2005 Apr 12;102(15):5618-23; Ann N Y Acad Sci. 1998 Nov 20;854:202-13; Acta Neuropathol. 2012 Feb;123(2):157-71)

Assim, os cientistas descobriram uma chave para retardar e até mesmo reverter o processo “natural” de envelhecimento, que seria uma substancia a qual visa revitalizar a proteção mitocondrial em face de radicais livres (Acta Neuropathol. 2012 Feb;123(2):157-71). Eles descobriram esta solução mitocondrial em uma substancia que já poderia estar em sua dieta: coenzima Q10.

Coenzima Q10 protege as mitocôndrias. Os cientistas estabeleceram que a coenzima Q10 é um nutriente essencial para a função normal mitocondrial, ou seja, produção e transferência de energia (J Inherit Metab Dis. 2013 Jan;36(1):63-73; Biochim Biophys Acta. 2005;1706:174-83.; Hum Mol Genet. 2007;16:1091-7.). Quando caem os níveis de CoQ10, há disfunção mitocondrial (J Inherit Metab Dis. 2013 Jan;36(1):63-73.).

Estudos descobriram que quando as células ou organismos são deficientes em CoQ10, a ação oxidativa mitocondrial aumenta o estresse e o envelhecimento é acelerado (Nutrition. 2012 Nov-Dec;28(11-12):1200-3.) A suplementação provoca um significativo abrandamento do processo de envelhecimento e promove longevidade (Exp Gerontol. 2012 Mar;47(3):276-9; Mech Ageing Dev. 2004 Jan;125(1):41-6.).

Um estudo com ratos, comprovou-se que quando suplementados com CoQ10, houve um aumento de 24% da vida útil máxima e um aumento de 11,7% na media de vida. Em termos humanos, com base na expectativa de vida de 78,5 anos, esse aumento é traduzido em uma média de 9 anos de aumento na esperança de vida ( http://www.cdc.gov/nchs/fastats/lifexpec.htm. Accessed May 14, 2013.)

A CoQ10 age em um conjunto multi-alvo de mecanismos epigenéticos que não só o envelhecimento, mas também protegem as mitocôndrias relacionadas a uma variedade de doenças (J Med Food. 2011 Apr;14(4):391-7; Exp Gerontol. 2007 Aug;42(8):798-806; Nutrition. 2012 Jul;28(7-8):767-7). Estudos mostram que a CoQ10 protege contra distúrbios de saúde, como doenças neurogenerativas (J Geriatr Psychiatry Neurol. 2012 Mar;25(1):43-50.) , melhora a função pulmonar (Biofactors. 2005;25(1-4):235-40; Clin Investig. 1993;71(8 Suppl):S162-6), protege contra os efeitos da glicose elevada no diabetes e síndrome metabólica (Biofactors. 2012 Nov-Dec;38(6):416-21; Blood Coagul Fibrinolysis. 2009 Jun;20(4):248-51; Eur J Clin Nutr. 2002 Nov;56(11):1137-42.), oferece defesa impressionante contra doença cardiovascular (J Card Fail. 2006 Aug;12(6):464-72; Atherosclerosis. 2011 Jun;216(2):395-401; Kardiologiia. 2011;51(6):26-31).

Estudos em animais demonstraram que a suplementação com CoQ10 reduziu o estresse oxidativo [geradora de inflamação corporal] e reduz a formação de placas de beta-amilóide (associada com a doença de Alzheimer), resultando numa melhoria significativa do desempenho cognitivo e memória (J Alzheimers Dis. 2008 Jun;14(2):225-34; J Mol Neurosci. 2008 Feb;34(2):165-71; J Mol Neurosci . 2010 May;41(1):110-3; J Alzheimers Dis. 2011;27(1):211-23).

Estudos em humanos, 4 à 6 semanas de suplementação de CoQ10 foi comprovado em melhorar a função sistólica cardíaca e fração de ejeção (J Card Fail. 2006 Aug;12(6):464-72; Atherosclerosis. 2011 Jun;216(2):395-401). Em um estudo de 5 anos com idosos, a CoQ10 combinado com selênio reduziu a taxa de mortalidade por doença cardiovascular em mais da metade! (Alehagen U, Johansson P, Bjornstedt M, Rosen A, Dahlstrom U. Cardiovascular mortality and N-terminal-proBNP reduced after combined selenium and coenzyme Q10 supplementation: A 5-year prospective randomized double-blind placebo-controlled trial among elderly Swedish citizens. Int J Cardiol. 2012 May 22.)

Autores de um estudo concluíram que a “CoQ10 é um avanço científico no tratamento da insuficiência cardíaca crônica” (Int J Tissue React. 1990;12(3):155-62.).

Por fim, sugiro que assistam o trecho desta aula ministrada pelo Dr. Lair Ribeiro:

Aplique os fundamentos da nutrição funcional em sua vida!

*Todas as referências científicas foram citadas no corpo do texto.
– Lifeextension.com

Por que a medicina não permitirá que haja cura para o câncer?

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA ENVIA EMAIL PARA:   juliocaleiro@hotmail.com

Imagem

Por que a medicina não vai permitir que haja cura para o câncer?

Júlio Caleiro , 03 de agosto de 2013.    

By Dr. Ed. Julio Caleiro

      Imagine um avião comercial que caiu e houve algumas mortes envolvidas. Você pode ter certeza de que faria a manchete de todos os grandes jornais. Bem, temos o equivalente a 8-10 aviões quebrando todos os dias com todos a bordo a morrer de câncer.  Quase dois milhões de americanos são diagnosticados com câncer a cada ano, e uma em cada três pessoas vai ser atingido com um diagnóstico de câncer em algum momento de suas vidas, apesar dos enormes avanços tecnológicos ao longo do último meio século.
    A medicina ocidental está muito perto de encontrar uma “cura do câncer”, mas enquanto isso não acontece o câncer torna-se uma epidemia mundial de proporções assustadoras! As estatísticas falam por si:

        No início de 1900, uma em cada 20 pessoas desenvolveram câncer
        Na década de 1940, uma em cada 16 pessoas desenvolveram câncer
        Na década de 1970, era um em cada 10
        Hoje, é um em três!

    De acordo com o CDC, cerca de 1.660.290 (1.660.000) novos casos de câncer deverão ser diagnosticados em 2013. Se as taxas globais de mortalidade estão caindo, por que as taxas de incidência continua a aumentar? A resposta é simples: Os 40 anos de “guerra contra o câncer” foi uma farsa!
    A epidemia de câncer é um sonho para a ‘Big Pharma’, e suas campanhas para silenciar a cura do câncer tem sido ferozes, exibido no documentário abaixo no fim deste artigo, Câncer: Cura proibida!

A Máquina de Câncer

    Por favor, entenda que o câncer é um grande negócio! A indústria do câncer está gastando praticamente seus recursos multimilionários de dólares em estratégias de prevenção eficazes, tais como orientações dietéticas, exercícios e educação obesidade isso gera emprego e muito dinheiro embora muitas vezes ineficazes da maneira que é direcionada.  Por que eles iriam atirar sua fonte de dinheiro? Se eles podem manter a máquina bem, e em funcionamento? Pois vão continuar a fazer grandes lucros em medicamentos de quimioterapia, radioterapia, procedimentos, diagnósticos e cirurgias.  O paciente típico de câncer gasta 50 mil dólares para combater à doença. As drogas da quimioterapia estão entre os mais caros de todos os tratamentos, muitas variando de US $ 3.000 a US $ 7.000 para um fornecimento de um mês, sem contar a ineficácia da maioria delas.
    Se a indústria do câncer permitir uma cura, então a sua base de pacientes vão embora. Faz mais sentido manter um fluxo constante de pacientes com câncer vivos, mas doentes, e voltar para mais “tratamentos” procedimentos etc… Como esse monstro social surgiu?

    O documentário em destaque é extremamente informativo. Ele detalha como a indústria farmacêutica em parceria com a Associação Médica Americana (AMA), em um plano engenhoso para ultrapassar o sistema de saúde em quatro etapas fáceis, rápidas, de volta no início de 1900. Em poucas palavras, foi algo como isto:
        Banqueiros internacionais que possuem as empresas farmacêuticas e químicas, ganharam o controle sobre o sistema de educação médica mais de 100 anos atrás, *e no Brasil não fica para trás, há um controle entre parcerias entre esses bem parecido, inclusive no controle das especialidades médicas na formação profissional, e o direcionamento de novos profissionais pelo Brasil, talvez colocando o sistema nas mãos para controle de apenas alguns* ( grifo nosso).
   Eles deram subsídios para a AMA  as ‘escolas médicas líderes’ em troca de assentos em seu conselho e a capacidade de controlar a política.   Finalmente, eles inteligentemente projetaram o controle de praticamente todas as agências reguladora federal relativa à prática da medicina nos Estados Unidos.

Lema “Não se atreva a curar ninguém! ‘

    Apesar das enormes quantias de dinheiro canalizados para pesquisa do câncer hoje, dois em cada três pacientes com câncer será morto dentro de cinco anos depois de receber na totalidade ou parte do tratamento do câncer padrão, ou seja: a trindade da oncologia ‘cirurgia, radioterapia e quimioterapia’. Isto não é muito surpreendente quando se considera que dois dos três são cancerígenas? Sim! Um estudo estimou quais são os benefícios de cura da quimioterapia, ou seja:  cerca de 1 em cada 20 pessoas! Levando em consideração multi fatores para determinar a causa da suposta ‘cura’.

    Ao longo dos últimos cem anos, uma série de tratamentos naturais contra o câncer têm sido desenvolvidas e utilizadas com sucesso no tratamento de pacientes nos EUA e outros países. Todos foram veementemente minadas, silenciadas, e empurradas para debaixo do tapete pelo monopólio médico, como alguns médicos e pesquisadores atacaram o sistema, untada, foram enviados para a prisão e profissionalmente arruinados por se atrever a desafiar o establishment médico, e que eu revelarei abaixo para qualquer um ler mesmo que possa acontecer comigo como houve com esses médicos, aqui no Brasil.

    A fim de proteger o monopólio médico, qualquer tratamento natural viável é recebido com grande oposição por parte das indústrias farmacêuticas e médicos. As empresas farmacêuticas não têm interesse em agentes naturais que não podem patentear como é o caso da Vitamina D, porque interferem com o seu fluxo de receita. Eles tomam medidas extremas para evitar que a verdade sobre tratamentos naturais eficazes (ameaças competitivas) de atingir o público, e usam a mídia para proliferar como se fosse algo apenas “alternativo” sem eficácia.

    A FDA é agora associada da PDUFA (Prescription Drug User Fee Act), também financiado pelas empresas farmacêuticas e é cúmplice neste processo. Restringem a concorrência sob o pretexto de proteger o público, quando a realidade é que eles estão protegendo os lucros das empresas farmacêuticas.

 Vou mostrar 12 Estratégias de Prevenção e tratamento do Câncer que eles não querem que você Saiba!

    Há tanta coisa que você pode fazer para diminuir o risco de câncer e se curar! Mas por favor, não espere até chegar ao diagnóstico, você tem que tomar medidas preventivas AGORA! É muito mais fácil prevenir o câncer do que tratá-lo, uma vez que ele toma conta! Eu acredito que você pode praticamente eliminar o risco de câncer e de doenças crônicas e melhorar radicalmente as suas chances de recuperar de câncer, se você atualmente tem seguido estas estratégias relativamente simples.
        Preparação de alimentos: Não coma alimentos Fast-food. Retire a Fritura da sua vida, exceto se for em óleo de coco extra virgem. Dê preferência a alimentos feito sob vapor, legumes principalmente. Coma alimentos integrais, ervas, especiarias e suplementos à sua dieta, tais como brócolis, curcumina e resveratrol. Para saber mais sobre a forma como estes alimentos anti-angiogênicas na luta contra o câncer, consulte o Dr. Júlio Caleiro ou mesmo aqui no Blog: “.
Mate o câncer de fome:    Carboidratos e açúcar: Reduzir ou eliminar alimentos processados, açúcar / frutose, e alimentos baseado em grãos de sua dieta. Isso se aplica a todo grãos orgânicos eles tendem a quebrar-se rapidamente no organismo e elevar seu nível de insulina. A prova é bastante clara que se você quiser evitar o câncer, ou você tem atualmente o câncer, é absolutamente necessário evitar todas as formas de açúcar, especialmente frutose que alimenta as células cancerosas e promove o seu crescimento. Verifique se o seu consumo total de frutose é cerca de 25 gramas no máximo por dia, incluindo frutas.
        Proteína e gordura: Considere reduzir os níveis de proteína com um grama por quilo de peso corporal. Seria incomum para a maioria dos adultos precisar de mais de 100 gramas de proteína, e provavelmente perto da metade desse montante. Substitua o excesso de proteínas com gorduras de alta qualidade, tais como ovos orgânicos de galinhas, carnes  de gado de pasto de alta qualidade, abacate e óleo de coco, manteiga.
        OGM: evitar alimentos geneticamente modificados como eles são normalmente tratados com herbicidas como o Roundup (glifosato), e provavelmente cancerígeno. Uma equipe de pesquisadores franceses que estudou extensivamente Roundup concluiu que é tóxico para as células humanas, e provavelmente cancerígeno para os seres humanos. Escolha alimentos frescos, cultivados localmente, de preferência orgânicos.
        ‘Animal-Based’ gorduras omega-3: normalizar suas proporções de ômega-3 e ômega-6, tomando óleo de krill  de alta qualidade e reduzindo o consumo de óleos vegetais processados.
        Os probióticos naturais: Otimizando sua flora intestinal irá reduzir a inflamação e fortalecer a sua resposta imunológica. Pesquisadores descobriram um mecanismo micróbio-dependente através do qual, alguns tipos de câncer montam uma resposta inflamatória que alimenta o seu desenvolvimento e crescimento. Eles sugerem que as citocinas inflamatórias inibem e pode retardar a progressão do câncer, e melhorar a resposta à quimioterapia se for ter que realizar, dentre as 3 alternativas do sistema. A quimioterapia é a menos agressiva entre elas.
        Adicionando alimento fermentado naturalmente à sua dieta diária, é uma maneira fácil de prevenir o câncer ou acelerar a sua recuperação. Você sempre pode adicionar um suplemento probiótico de alta qualidade, bem como os alimentos naturalmente fermentados são os melhores.
        Exercício: O exercício reduz os níveis de insulina, o que cria um ambiente de baixo teor de açúcar que desestimula o crescimento e disseminação das células cancerosas. Em um estudo de três meses, o exercício foi mostrado alterar as células imunes de uma forma a combater a doença mais potente em sobreviventes do câncer que tinham acabado de completar a quimioterapia
        Os investigadores e organizações de câncer cada vez mais recomendam fazer o exercício regular uma prioridade, a fim de reduzir o risco de câncer e ajudar a melhorar os resultados do câncer. A pesquisa também encontrou evidências que o exercício pode ajudar a desencadear a apoptose (morte celular programada) em células cancerosas. Idealmente, o seu programa de exercícios deve incluir o equilíbrio, força, flexibilidade, treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT). Para obter ajuda para começar, procure um professor habilitado.
       Em sem dúvida alguma a Vitamina D:  Há milhares de evidências científicas de que você pode diminuir o risco de câncer em mais da metade simplesmente otimizando seus níveis de vitamina D com a exposição solar adequada ou tomando vitamina D por via oral.
        Se você toma vitamina D por via oral e tiver câncer, é muito prudente monitorar e manter os seus níveis de vitamina D no sangue regularmente em níveis terapêuticos, assim como complementar com vitamina K2, a deficiência K2 é realmente o que produz os sintomas de toxicidade da vitamina D em doses mais altas. Para saber mais, consulte o meu artigo no blog sobre vitamina k2:
        Dormir: Certifique-se que você está recebendo o suficiente sono restaurador. Sono inadequado pode interferir com a sua produção de melatonina, que está associada com um risco aumentado de resistência à insulina e ganho de peso, ambos os quais contribuem para a aumentar suas chances de ter câncer.
        A exposição a toxinas: Reduza a sua exposição a toxinas ambientais como pesticidas, herbicidas, produtos de limpeza químicos domésticos, purificadores de ar sintético e cosméticos tóxicos.
        A exposição à radiação: Limite a sua exposição e proteger-se da radiação produzida pelos celulares, torres, estações de base e estações Wi-Fi, bem como minimizando sua exposição a partir de exames médicos à base de radiação, incluindo dental raios-x, tomografias, e mamografias. Leia meu artigos sobre alternativa à realização de mamografias – Termografias.
        Gerenciamento do Estresse: O estresse por todas as causas é um grande contribuinte para a doença. Mesmo o CDC indica que 85 por cento da doença é influenciada por fatores emocionais.E provável que o estresse e problemas emocionais não resolvidos podem ser mais importantes do que as físicas. Minha ferramenta favorita para a resolução de desafios emocionais é Emotional Freedom Techniques (EFT), ou psicoterapia com seu psicólogo.

O que fazer se você já tem Câncer

    Sem dúvida, a mais poderosa estratégia essencial que conheço para tratar o câncer é matar de fome as células por privá-los de sua fonte de alimento. Ao contrário de suas células do corpo, que pode queimar carboidratos ou gordura para o combustível, as células cancerosas tenham perdido essa flexibilidade metabólica. Dr. Otto Warburg recebeu o Prêmio Nobel com mais de 75 anos por descobrir isso, mas praticamente nenhum oncologista realmente usa esta informação!

   Marque sua consulta, ou peça sua orientação expressa no email acima.

http://www.youtube.com/watch?v=gWLrfNJICeM
——————————————————————-
Referências:

O óleo de coco ajuda na luta contra o diabetes

óleo- de- coco-beneficios-óleo- de -coco (8)

Em 04 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

O óleo de coco é uma poderosa fonte de energia imediata para o corpo, uma função geralmente realizada na dieta pelos carboidratos simples. O óleo de coco não produz um pico de insulina na corrente sanguínea.

O óleo de coco age sobre o corpo como um carboidrato, sem os efeitos da insulina relacionados com o alto consumo de carboidratos em longo prazo.

Diabéticos e aqueles com condições de pré-diabetes devem procurar imediatamente o benefício de uma fonte de energia de ação rápida que não produza um pico de insulina em seu corpo. O óleo de coco adicionado às dietas de diabéticos e pré-diabeticos foi realmente comprovado para ajudar a estabilizar o ganho de peso, e pode diminuir drasticamente a probabilidade de obter o diabetes tipo 2 (Overfeeding with a diet of medium-chain triglycerides impedes accumulation of body fat, Clinical Nutrition, 28:595.).

A nutricionista Karin Honorato, especialista em nutrição clínica, e nutrição funcional, informa ainda que: A gordura do coco ajuda a equilibrar os níveis de glicose no sangue, evitando que você tenha crises de hipoglicemia ou até mesmo aumente a sua insulina, que é aquele hormônio que acumula gordura no abdômen”. A gordura do coco, de acordo com a nutricionista, também possui o hormônio antienvelhecimento. “Ela é excelente como forma de embelezamento. Essa gordura ajuda muito a evitar a flacidez, melhora o tônus muscular e até alivia olheiras”, diz Karin Honorato.

Outro benefício da gordura de coco citado pela nutricionista é o auxílio na absolvição do cálcio e do magnésio, “melhorando a saúde óssea”, e também age no sistema nervoso, “aliviando fadiga, cansaço e falta de energia”.

Referências:

1. Overfeeding with a diet of medium-chain triglycerides impedes accumulation of body fat, Clinical Nutrition, 28:595.).
2. http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2011/09/coqueiro-pode-nos-oferecer-tudo-que-precisamos-diz-nutricionista.html