Início » 2013 » agosto

Arquivo mensal: agosto 2013

TAURINA auxilia pacientes com EPILEPSIA

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

epilepsia1

Em 29 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

Segundo o médico neurologista, com especialização em nutrologia e medicina ortomolecular, Dr. Arnaldo Velloso da Costa, em seu livro “Magnésio: o que ele pode fazer por você”, o aminoácido TAURINA: “constitui quase 50% dos aminoácidos livres nas células do miocárdio e é capaz de exercer um poderoso efeito de recuperação em sérias complicações cardíacas. Regula o fluxo de cálcio e exerce efeito de corrigia arritmias cardíacas e regular a pressão arterial.

Pode ser usada como tratamento auxiliar de hipertensão arterial e de CRISES EPILÉTICAS, inclusive uma forma rara, a EPILEPSIA AUDIOGÊNICA”. (Batuev A. S., Bragina T.A., Aleksandrov A. S., Riabinskaia E. A. “Audiogenic epilepsy: a morphofunctional analysis”. Zh Vyssh Nerv Deiat Im I P Pavlova 1997 Mar-Apr; 47(2) 431-8.)

É evidente que as doses terapêuticas de taurina necessita de um acompanhamento médico ou de nutricionista.

Curcumina alivia a inflamação do cérebro e estimula novas células cerebrais

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

14634169

Em 28 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. F: (35) 3531-8423.

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA – ENVIE EMAILS PARA: juliocaleiro@hotmail.com
———————————–

A curcumina funciona de forma semelhante ao agente anti-depressivo, em que estimula a produção de neurotransmissores, como serotonina e dopamina, as quais são muitas vezes desequilibradas na depressão (Scientific World Journal. 2009 Nov 1;9:1233-41).

Além disso, a curcumina alivia a inflamação do cérebro, e estimula a neurogênese, isto é, a formação de novas células no cérebro (Mol Ther. 2011 Oct;19(10):1769-79.; Brain Res. 2007 Aug 8;1162:9-18.). Essa função da curcumina é, sem dúvida alguma, extremamente importante em diversas doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer, e doenças auto-imunes, Esclerose Múltipla, e ainda, em casos de depressão (Neurosci Lett. 2010 Nov 5;484(3):201-5.; Nature. 2011 Aug 3;476(7361):458-61; Int Immunopharmacol 9.5 (2009): 575-81; Adv Exp Med Biol. 2007;595:425-51; Adv Exp Med Biol. 2007;595:197-212; J Alzheimers Dis. 2006 Sep;10(1):1-7).

Tempos atrás, acreditavam que o cérebro humano não seria capaz de formar novos neurônios na vida adulta. No entanto, novas pesquisas e estudos desde então, tem refutado essa idéia. Os adultos podem desenvolver novos neurônios em uma região do cérebro chamada hipocampo,onde as memórias são armazenadas. Essa renovação de células cerebrais beneficiam a saúde cerebral em diversos aspectos, podendo reverter estados patológicos graves, como algumas mencionadas no parágrafo anterior.

As doses de curcumina para fins terapêuticos (para tratamento e prevenção de doenças) devem ser avaliadas caso a caso, por meio de um rigoroso acompanhamento médico ou de nutricionista apto a esta natureza de terapia.

*As Referências científicas já constam no corpo do texto.

Como é possível um aumento de 4000% no Transtorno Bipolar? Seria realmente Transtorno Bipolar seu diagnóstico?

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

Como é possível um aumento de 4000% no Transtorno Bipolar? Seria realmente Transtorno Bipolar seu diagnóstico?

Imagem

———————————————————–

(fone do consultório: (35) 3531-8423) – Postado em 27 de Agosto de 2013

A desordem bipolar em crianças americanas aumentou 40 vezes ao longo da última década. Mas agora muitos psiquiatras estão afastando o diagnóstico! Muitos temem que milhares de crianças podem ter sido erroneamente diagnosticadas com o transtorno, e sendo tratadas de forma equivocada! Médicos com excesso de zelo, peculiaridades do sistema de seguro de saúde e de marketing por empresas farmacêuticas, contribuíram para a explosão de diagnósticos bipolares.

De acordo com o ‘Star Tribune’

“As pesquisas novas na área da saúde podem ajudar a próxima geração de crianças problemáticas, mas também levantam questões sobre os danos causados às crianças que não deveriam ter recebido o diagnóstico ou os medicamentos potentes usados para tratá-las”.
—————————————————————————-

By Ed. Dr. Júlio Caleiro

Notícia como essa acima, fica muito claro pra mim que a assustadora prática de “rotina” de prescrever medicamentos antipsicóticos potentes para crianças e na maioria dos casos, um golpe mal concebido de origem  da indústria farmacêutica.  Neste caso, uma reação contra os falsos diagnósticos de transtorno bipolar em crianças pode ser uma das melhores coisas que poderiam acontecer.

No entanto não são apenas as crianças problemáticas que não recebem tratamento adequado e eficaz por um verdadeiro diagnóstico, mas as terapias com drogas prescritas estão agravando ainda mais os seus problemas de saúde levando a outros tipos de doenças.

A ascensão surpreendente do diagnóstico bipolar em crianças!

É por isso que as estatísticas podem ser tão importante: O fato de que o número de crianças americanas com diagnóstico de transtorno bipolar aumentaram em 4.000% em apenas um período de 10 anos (1994-2003), nos leva a perceber que algo deve estar errado.
A possibilidade de um aumento tão radical assim e sendo realmente válido é perto de zero! Outro sinal de que a ‘Big Pharma’ está por trás de grande parte desses crescimentos, é o fato de que quatro vezes mais, o número de crianças abrangidas pelo ‘Medicaid’ recebe medicamentos antipsicóticos em comparação à crianças cujos pais têm seguro de saúde privado. Uma das razões para isso é porque pode ser difícil encontrar um psiquiatra no ‘Medicaid’.[Medicaid também chamado de (Assistência Médica) que é um programa em conjunto aos governos federal e estadual dos EUA, que ajuda a pagar os custos médicos de algumas pessoas e famílias que têm renda e recursos limitados].

Como resultado, muitas dessas crianças recebem a medicação de um pediatra ou médico de família, que pode ou não ser totalmente qualificados para fazer uma avaliação psiquiátrica adequada. Tudo o que está acontecendo é por que eles foram informados por representantes farmacêuticos, ou seja os vendedores e isso não se restringe somente ao EUA, mas também no Brasil.  Acontece na maioria dos países norte e sul americanos!
É o vício de medicar por causa dos “custos” embora os “problemas das crianças” vão muito além de dólares e centavos! Por exemplo, de acordo com o Star Tribune, o custo do tratamento de crianças com drogas anti-psicóticas ultrapassa 6 milhões dólares anualmente só no estado de Minnesota sozinho! Imagina no restante do país!

Novo modelo de tratamento está sendo Definido!

Tornou-se bastante evidente que o diagnóstico de transtorno bipolar é muito mal utilizado, e que muitos indivíduos e  crianças estão sendo erroneamente e posteriormente drogados, sem cumprir os critérios para o diagnóstico. Como mencionado no artigo em destaque, este aumento nos diagnósticos errôneos está sendo atribuída a uma combinação de:

Médicos com excesso de zelo ( protecionista).
Pais desesperados
O sistema de seguro (um médico ou hospital não pode faturar sem um código de diagnóstico, o que exige um diagnóstico de algum tipo de doença já estabelecida).
Agressividade de marketing (e às vezes ilegal) por empresas farmacêuticas.

Esses fatores conspiraram para criar o que o ‘Dr. Stephen Setterberg’, psiquiatra infantil chama de, “Modismo de diagnóstico”, e infelizmente esta é um “moda” que tem a capacidade de destruir vidas”.
Uma dificuldade principal aqui é o fato de que os diagnósticos psiquiátricos são mais completamente subjetivos, com base em um conjunto de sintomas comportamentais. No entanto o perfil bipolar encontradas no ‘Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM)’, foi escrito para adultos e não crianças. Os sintomas de (adulto) bipolar incluem longas crises de depressão e mania, delírios, hipersexualidade e outros comportamentos de risco que impactam suas vidas de trabalho e sociais.

De acordo com a Aliança Nacional da Doença Mental (NAMI), cerca de 7% de todas as crianças atendidas em hospitais psiquiátricos se ajustam aos critérios de transtorno bipolar (muito do que se originou a partir do Dr. Biederman em Harvard, cuja influência sobre esta “epidemia” que irei falar posteriormente.

A reação contra o excesso de diagnóstico de transtorno bipolar já levou a profissão psiquiátrica a reconsiderar os critérios diagnósticos. De acordo com o ‘Star Tribune’, um novo diagnóstico será em breve ‘testadas em campo “, que pode substituir o ‘bipolar’ em muitos outros casos. O novo diagnóstico, chamado ‘Transtorno Dysregulation Mood disruptiva’, se aplicaria a essas “crianças de primeiro grau que sofrem ‘explosões emocionais’ frequentes e em mais de um local, e também ficam irritados entre manifestações.”
Acredito firmemente que não vamos obter uma âncora sobre estes problemas de saúde mental, até fazer um esforço concentrado para fazer as terapias com drogas como último recurso. Isso vai exigir uma mente aberta que é raro hoje em dia. E isso vai exigir uma mudança drástica de estilo de vida, na maioria dos casos.

Infelizmente, o diagnóstico de Transtorno de ‘Humor Dysregulation disruptiva’ provavelmente será classificado como um transtorno “afetivo”, o que significa que tem uma origem biológica, e como tal, inevitavelmente, “exige” um tratamento medicamentoso. É muito lamentável mas a medicina convencional ainda luta contra a idéia de que o corpo é capaz de ‘auto-cura’ e bom funcionamento, dado a um ambiente adequado (boa nutrição, exercício e limitada exposição a toxinas).

Os efeitos secundários perigosos de drogas antipsicóticas

As drogas dadas a crianças com diagnóstico de transtorno bipolar são tipicamente:

Lítio
Os anticonvulsivos (por exemplo, os produtos de valproato Depakote ou outros)
Neurolépticos atípicos (por exemplo, a risperidona, a olanzapina, a ziprasidona, o aripiprazol, quetiapina).

Mesmo que os neurolépticos atípicos são aprovados apenas para adultos, a taxa de crianças tratadas com antipsicóticos atípicos estão crescendo dramaticamente mais rápido do que para adultos. Se nem sequer advogam dar às crianças xarope para tosse, Tylenol ou antibióticos, já que estes por si só são altamente prejudiciais quanto mais os antipsicóticos ou eles misturados! Mas quando você está falando de poderosos psicotrópicos que alteram a mente pelas drogas, estamos entrando em uma história completamente diferente, talvez pior que os antibióticos.

Além do risco iminente de morte, outro problema grave e generalizado causada por essas drogas é o ganho de peso excessivo e problemas metabólicos como diabetes. O efeito varia de acordo com drogas, mas as crianças normalmente ganham duas vezes mais peso nos primeiros seis meses sobre esses medicamentos como deveriam, através do crescimento anormal, adicionando uma média de dois a três centímetros à sua cintura. Muito disso é a gordura abdominal, o que também aumenta o risco de diabetes e doenças cardíacas. Adultos geralmente podem perder peso, podendo entrar talvez em desnutrição.

Alguns especialistas afirmam que o ganho de peso e problemas metabólicos causados pelas drogas, torna difícil concluir que os medicamentos realmente melhoram a vida das crianças a longo prazo.

-Efeitos colaterais muitas vezes levam a polifarmácia e Riscos para a Saúde!

Enquanto alguns especialistas acreditam que os benefícios dos antipsicóticos superam os riscos de saúde para aqueles que realmente são bipolares, podem destruir a vida de quem os recebe desnecessariamente o que não são poucos!
Além disso, a prática da prescrição de dois ou mais fármacos em combinação tem um aumento duplo. As crianças podem receber diferentes medicamentos para tratar uma grande quantidade de sintomas físico, mentais e comportamentais. Muitas vezes, as drogas são adicionados com o surgimento de cada novo-sintoma, sintomas que são interpretados como sinais de um problema de piora ou adicional. No entanto, muitos deles podem ser realmente efeitos secundários da droga em si.

Dr. Carrie Borchardt, um psiquiatra infantil com hospitais infantis e Clínicas de Minnesota estados do artigo em destaque:

“Um número significativo dessas crianças, se você retirar a medicação o  problema e os sintomas desaparecem … e então eles então não serão bipolares, o que na verdade só tinham um problema induzido pela medicação.”

A influência indevida de empresas farmacêuticas no diagnósticos psiquiátricos!

O ‘Dr. Joseph Biederman’, da ‘Harvard Medical School’ é um psiquiatra infantil de renome mundial, cujo trabalho ajudou a impulsionar a explosão do uso de drogas antipsicóticas em crianças. Entre 2000 e 2007, ele ganhou pelo menos US $ 1,6 milhão em taxas de consultoria de fabricantes de medicamentos. No entanto, ele não relatou que uma grande parcela desta renda  era para funcionários da universidade.
O Dr. Biederman e outros pesquisadores podem ter violado regras de pesquisa federais e universitários destinados a policiar os potenciais, e conflitos de interesse. Seus arranjos de consultoria com os fabricantes de medicamentos também eram controversos por causa de sua defesa de usos não aprovados de medicamentos psiquiátricos em crianças. Mas pode ser ainda pior do que isso. De acordo com o ‘Star Tribune’:

“Os documentos produzidos em processos judiciais do Estado contra as empresas farmacêuticas, sugeriram que ele prometeu um estudo positivo – antes de fazer a pesquisa a ‘Johnson & Johnson’, em relação ao uso de seu antipsicótico Risperidal (risperidona), em crianças pré-escolares.” [Grifo meu]

Na última década, o Dr. Biederman e seus colegas promoviam diagnóstico agressivo e tratamento medicamentoso do transtorno bipolar na infância, afirmando que “foi diagnosticado ainda quando crianças e é tratável com drogas assim”. Eu diria que eles tiveram sucesso em sua missão, considerando-se que houve um aumento de 40 vezes no diagnóstico bipolar. Mas a ética questionável do Dr. Biederman só reforça minha suspeita de que esse aumento no diagnóstico decorre mais da ganância que qualquer aumento real no transtorno bipolar na infância.

As drogas não são a resposta aos problemas comportamentais das crianças! E quais seriam então?

Eu percebo que muitos pais decidem colocar seus filhos em uma droga psicotrópica, pois eles acreditam que irá ajudá-los e que eles não teriam outra escolha. De maneira nenhuma! Posso subestimar os desafios que muitos pais passam, ou o tormento que tantas crianças sofrem com problemas emocionais. No entanto, até mesmo os especialistas não conseguem chegar ao acordo sobre a maneira correta de diagnosticar crianças com transtorno bipolar e outros transtornos mentais, o que significa que as chances da criança ser diagnosticada e, posteriormente prejudicada por essas drogas potentes são elevados.

Infelizmente, a questão é ainda mais complicada pelo fato de que pode haver também extrema pressão para dar a seus filhos prescrição de drogas. Em alguns casos, os pais ainda foram acusados de abuso infantil quando eles resistem a drogar seus filhos, e os pais que tentam resistir a esta loucura em suas próprias casas, pode até ter seus filhos retirados pela “justiça”.

Então, pode ser bastante complicado e não há respostas duras e rápidas que serão aplicadas em cada caso.

No entanto, eu sinceramente acredito que o que estamos vendo em muitas dessas crianças “problemáticos” são os efeitos da nutrição inadequada ou deficiente, combinados com toxicidade das fontes de que são inúmeras, hoje, a partir de campos eletromagnéticos para aditivos alimentares e vacinas excessiva, só para citar alguns. Dr. Mercola diz: “..Eu tratei de muitas centenas de crianças com níveis de problemas comportamentais e distúrbios diferentes e tenho visto constantemente melhorarem, uma vez que os efeitos tóxicos subjacentes e as mudanças alimentares foram abordados”.

Assim aos pais, eu acredito que há esperança!

Corrigindo problemas comportamentais sem drogas

Problemas comportamentais em crianças, incluindo o que pode parecer ser sério transtornos mentais, são muito frequentemente relacionada à dieta inadequada, distúrbios emocionais e exposição a toxinas. A maioria das pessoas não conseguem perceber que seu intestino é literalmente o seu segundo cérebro, e realmente tem a capacidade de influenciar significativamente a sua mente, humor e comportamento. Portanto, é lógico que o apoio a saúde do intestino é extremamente importante quando você está tentando resolver qualquer tipo de transtorno mental ou de humor.
Dr. Mercola diz: “..Um dos melhores livros que já li sobre este assunto é ” Síndrome de Psicologia” pela Dra. Natasha Campbell-McBride. Recentemente entrevistei sobre este tema e recomendo fortemente o livro ser leitura obrigatória para qualquer pessoa interessada neste tema, como eu nunca vi uma melhor descrição do problema, e mais importante, estratégias globais para corrigi-lo”.

Aqui estão algumas orientações adicionais para ajudá-lo a responder a estas toxinas subjacentes em seu filho, antes mesmo de você recorrer às drogas:

Limitar ou eliminar a frutose da dieta do seu filho como açúcar / frutose tem sido associada a problemas de saúde mental, como depressão e esquizofrenia.
Evite dar ao seu filho todos os alimentos processados, especialmente aqueles que contêm corantes, aromatizantes e conservantes. Isso inclui carnes vermelha principalmente e cachorros-quentes, que são alimentos básicos comuns em muitos lares.
Substitua refrigerantes, sucos de frutas e leite pasteurizado com água pura. Estes tem uma enorme  quantidade de tóxicos desde o xarope de milho de alto nível de frutose a qual é a principal fonte de calorias em crianças, inclusive para adultos.
Eliminando os açúcares e alimentos processados, também é fundamental suplementar seu filho está com grandes doses regulares de bactérias saudáveis,  com alta qualidade de alimentação sob fermentação, alimentos orgânicos e / ou suplementos probióticos de alta qualidade. O Dr. Júlio Caleiro explica em consulta!
Dê a sua criança alta qualidade, de gorduras omega-3 animal e óleo de krill. Além disso, certifique-se de equilibrar a ingestão de seu filho de ômega-3 e ômega-6 balanceando as duas,  limitando simultaneamente o consumo de óleos vegetais. O Dr. Júlio Caleiro prescreve em consulta.
Incluir o maior número de alimentos orgânicos inteiros, possível na dieta do seu filho tanto para reduzir a exposição a substâncias químicas e aumentar o teor de nutrientes de cada refeição.
Também reduzir ou eliminar os grãos da dieta do seu filho. Sim, mesmo saudáveis grãos integrais orgânicos podem causar problemas como eles também se dividem em açúcares.

Além disso, o trigo, em particular contém altas quantidades de aglutinina de gérmen de trigo (WGA), que podem ter efeitos adversos sobre a saúde mental, devido às suas ações neurotóxicas. Trigo também inibe a produção de serotonina. Neurotransmissores como a serotonina pode ser encontrada não apenas em seu cérebro, mas a maior concentração de serotonina, está envolvido no controle do humor, depressão e agressividade é realmente encontrado em seus intestinos, e não o cérebro. Tente eliminá-los primeiro para 1-2 semanas e veja como se sentirá a melhoreia é radical e surpreendente no seu comportamento ou do seu filho. O Dr. Júlio Caleiro, aplica a dieta fundamentada neste sentindo!
Evite adoçantes artificiais de todos os tipos.
Certifique-se que seu filho divirta-se através de exercícios e brincadeiras ao ar livre. O Adulto também.
Colocá-los no sol para ajudar a manter os níveis ideais de vitamina D, portanto sem as roupas. Os cientistas agora estão começando a perceber a vitamina D está envolvida na manutenção da saúde do seu cérebro, pois descobriu-se recentemente receptores de vitamina D no cérebro, medula espinhal e sistema nervoso central. Há ainda evidências que indicam a vitamina D melhora o processo de desintoxicação do seu cérebro. Para as crianças e mulheres grávidas, recebendo quantidade suficiente de vitamina D é especialmente importante, já que pode desempenhar um papel importante em proteger o cérebro dos bebês de autismo; um verdadeiro remédio para doenças mentais e NEUROLÓGICAS!
Se a exposição ao sol natural não é possível, por qualquer motivo, você pode usar uma cama de bronzeamento seguro ou um suplemento oral de vitamina D3 que o Dr. Júlio Caleiro aplica também em consulta com acompanhamento de exames laboratoriais.
Dê ao seu filho uma forma de abordar as suas emoções. Mesmo as crianças podem se beneficiar da Emotional Freedom Technique (EFT), que você ou um praticante de EFT pode ensiná-los a usar.
Evitar a exposição a metais tóxicos e químicos, substituindo produtos de higiene pessoal, detergentes e produtos de limpeza com todas as variedades naturais. Metais como alumínio, cádmio, chumbo e mercúrio são comumente encontrados em milhares de diferentes produtos alimentares, produtos domésticos, produtos pessoais e um número incontável de produtos industriais e produtos químicos. A presença de metais tóxicos no corpo de seu filho é muito importante por que eles são capazes de causar sérios problemas de saúde, por interferir com o funcionamento biológico normal. Os efeitos sobre a saúde vão desde doenças físicas menores para crônica
———————————————
Referências:

Star Tribune June 23, 2011
The Washington Post March 12, 2012
1 The Washington Post March 12, 2012
2 FDA Atypical Antipsychotic Drugs Information
3 60-Minutes February 11, 2009
4 Citizens Commission on Human Rights International, Pharma-Funded Psychiatrists Behind Bogus Child ‘Bi-Polar’ Epidemic, July 21, 2011
5 The New York Times March 19, 2009
6 MedTV, Abilify side effects
7 US Department of Justice Press Release, January 15, 2009

Evite as estatinas: novos estudos mostram que colesterol não faz nenhum mal!

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

estatina-670xXx80

Em 26 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

Se você tem níveis elevados de colesterol, você deve fazer uso de estatina? Esse é o mantra promovido pela medicina convencional. De fato, as estatinas tem se tornado a classe mais rentável de medicamentos vendidos pela grande indústria farmacêutica. Tenho visto inúmeros pacientes relatando que seus médicos alegam que se não tomarem estatina, eles estarão se colocando em risco de ataque cardíaco. No entanto, não é isso que a pesquisa encontrou. O médico Dr. David Brownstein informa:

“Você sabia que:
1. Não há nenhuma indicação para tomar uma estatina, se você não teve um evento cardíaco.
2. Se você for homem e teve um evento cardíaco, o melhor que as estatinas pode prometer é uma redução aproximada de apenas 1 à 5% na prevenção de ataques cardíacos não-fatais.
3. As estatinas nunca foi provada para prolongar a vida
4. Nas mulheres não há estudos sólidos que demonstram que a estatina é benéfica para qualquer finalidade.”
The Cochrane Collaboration, um grupo independente que não está associado à Grande Indústria Farmacêutica, declarou que: as estatinas não tem um benefício a saúde comprovada em populações de prevenção primária, quando usado nessas circunstâncias não representam uma boa solução nos recursos escassos de saúde” – Therapeutics Letter 77/ March-April 2010.

Um recente estudo de 2013, descobriu que níveis ELEVADOS de colesterol e níveis de LDL em indivíduos com mais de 50 anos foi associado com REDUÇÃO de mortalidade por todas as causas. Comparando dois grupos, um com colesterol abaixo de 190 mg/dl, com idade de 60-70 anos, e outro com colesterol a partir de 190 à 230 mg/dl, este último com nível maior de colesterol apresentou uma REDUÇÃO de 32% na taxa de mortalidade. Aqueles com um nível de colesterol a partir de 230 à 308 mg/dL teve uma taxa de mortalidade REDUZIDA em 33%. Para indivíduos do sexo masculino com colesterol acima de 308 mg/dL, houve um INSIGNIFICANTE aumento de 2% (dois por cento) de risco de mortalidade por qualquer causa.

As mulheres se saíram melhor. Vejamos os resultados:

Em comparação com aqueles com colesterol inferior a 190 mg/dL, as mulheres com com colesterol de 190 à 308 mg/DL tiveram uma REDUÇÃO de 41 à 43% em todas as causas de mortalidade. Da mesma forma que os homens, os níveis de colesterol acima de 308 mg/dL teve um aumento insignificante de 2% em todas as causas de mortalidade (Scandinavian J. of Primary Health Care. 2013;31:172-80).

O médico norte americano Dr. David Brownstein, comentando esse estudo diz:

“Gente, estudo não é nada novo. Baixos níveis de colesterol estão associados com um risco maior de câncer, distúrbios neurológicos e distúrbios musculares. Há muitos estudos que mostram aumento da longevidade em idosos (acima de 59 anos) em quem tem níveis elevados de colesterol. Tenha em mente que o colesterol é necessário para todas as células do corpo a funcionar de forma otimizada. Eu disse em meu livro “Drugs that Don’t Work and Natural Therapies That Do”: você não pode bloquear uma enzima crucial e esperar um bom resultado em longo prazo”. Estatinas bloqueiam a enzima crucial para o corpo HMG-CoA redutase. O resultado deste bloqueio é desastroso, a conseqüência química é a redução do colesterol associado com distúrbios dos sistemas neurológicos e musculares. Marque minhas palavras: o uso generalizado de estatinas será visto como um grande erro na medicina.

Dr. Lair Ribeiro, médico PhD – cardiologista e nutrólogo, lecionando para outros médicos sobre esse assunto diz que:

* Este texto tem como fonte o artigo do médico Dr. David Brownstein, disponível no link:
http://blog.drbrownstein.com/another-nail-in-the-statin-coffin/

Referências:
(1) Therapeutics Letter 77/ March-April 2010
(2) Scandinavian J. of Primary Health Care. 2013;31:172-80

Mamografia pode danificar 10 vezes mais mulheres do que ajudar! PARTE 2

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

PARA UMA “ORIENTAÇÃO EXPRESSA” ENVIA EMAIL PARA: julio caleiro@hotmail.com

Imagem

By; Ed. Dr. Júlio Caleiro

Quase dois milhões de americanos são diagnosticados com câncer a cada ano, e um em cada três irá enfrentar um diagnóstico de câncer em algum momento de suas vidas. No entanto, apesar dos enormes avanços tecnológicos ao longo do último meio século, a medicina ocidental ainda está totalmente perdida para saber como controlar sua prevalência.    Neste momento, está se tornando cada vez mais claro que muitas das estratégias convencionais, do diagnóstico ao tratamento estão cheias de suposições erradas e abordagens que em muitos casos, faz mais mal do que bem.  O que é pior, praticamente nenhuma das estratégias convencionais de fato resolve a raiz do problema.

O Câncer deve ser redefinido?

A ‘NPR’ recentemente entrevistou o Dr. Otis Brawley, diretor médico da ‘American Cancer Society’ sobre a sugestão do ‘Instituto Nacional do Câncer- USA’ para mudar a definição de “câncer.” A razão para isso é porque as publicações de pesquisas mostram que muitos tumores inofensivos estão sendo um tratados como ofensivos, assim causando muito mais mal do que bem.

Conforme relatado por NPR

“Nenhum tratamento é necessário para a maioria dos cânceres, e é por isso que o Instituto Nacional do Câncer recomendou recentemente que a definição de câncer deve ser mudado … Sua nova definição de câncer seria mais estreito do que os padrões atuais”.  O Instituto espera que se manter a palavra ‘câncer’ para alguns diagnósticos iria minimizar tratamentos desnecessários e ajudar na ansiedade e depressão que o paciente adquire.’… Essencialmente, o que tem acontecido é que as nossas tecnologias ficaram tão boas que podemos encontrar alguns “cânceres”, ou coisas que se parecem com câncer, que sabemos agora se deixados sozinhos nunca iria crescer, se espalhar e prejudicar o paciente, tanto no que tange à ser “benigno ou maligno”. Então, nós estamos realmente a tratar algumas lesões que somente parecem câncer, e atuamos desnecessariamente, «[Dr. Brawley diz.]. ‘O que estamos tentando fazer é poupar algumas pessoas aos danos associados com o tratamento DESNECESSÁRIO … ”

De acordo com o Dr. Brawley, estratégias sobre o câncer começaram a mudar como resultado de novas informações. “Por exemplo, cerca de 50-60% dos casos de câncer de próstata provavelmente seria melhor estar sendo observado em vez de tratado. O mesmo vale para o câncer de tireoide e pulmão, onde 20-30% e cerca de 10%, respectivamente devem ser observados ao invés de “tratado”! No caso do câncer de mama, cerca de um terço das mulheres atualmente diagnosticadas com câncer de mama têm tumores inofensivos que não representam ameaça à sua vida.     Conforme descrito pelo ‘New York Times’ escritor Peggy Orenstein.
———————————————-
“…O Câncer de mama não irá matá-la, a doença torna-se mortal quando há metástase espalhando-se para outros órgãos ou os ossos. A detecção precoce é baseado nesta teoria ainda, que remonta ao final do século 19″.  Assim a doença progride de forma consistente a partir de uma única célula, crescendo sequencialmente e em algum ponto invariável até dar um salto mortal. A estratégia é curá-la e em seguida assumir uma forma de encontrar e impedir o desenvolvimento de um tumor, antes que a metástase aconteça. O problema é que não havia provas de que o tamanho de um tumor necessariamente previsse se iria espalhar ou não”;  Um texto extraído de: ‘Robert Aronowitz’, professor de história e sociologia da ciência na Universidade da Pensilvânia e autor de “Unnatural History: “Câncer de mama e da American Society’. “..Médicos endossaram essa ideia de qualquer maneira, em parte por um desejo desesperado de “fazer algo” às pessoas, em parar um flagelo contra o qual se sentiam desamparados e impotentes”.

Apesar dos casos de câncer que são detectados, as taxas de mortalidade permanecem estáveis! A mamografia foi anunciada como a resposta real, e que poderia detectar tumores numa fase muito mais cedo, e assim as mamografias anuais tornaram-se a norma nos EUA e no mundo, porém mais casos de câncer foram detectados na verdade, mesmo que as taxas de mulheres que morrem da doença mantém-se praticamente inalterada. Como Orenstein ressalta, “que deveria ter sido um sinal positivo de que algum aspecto sob tal teoria de ‘detecção precoce’ e diminuição de mortes estatisticamente provadas, mas não, as taxas continuam as mesmas”. Em vez disso, suposições erradas foram flagradas em teorias erradas, e o pensamento geral que permaneceu na detecção do câncer ‘precoce’, ainda continua sendo usada ‘para salvar vidas’.
Assim, muito do foco sobre o câncer e “prevenção” tem sido desviado para detecção precoce,  ignorando uma pergunta  óbvia, que seria: Como podemos evitar a formação de tumores letais em primeiro lugar?
Para todas essas falhas, pesquisas sobreo câncer determinam que a doença é mais complexa do que se pensava anteriormente. Por exemplo: o câncer não necessariamente progride de uma maneira consistente e uniforme. Eles descobriram também que há uma série de tipos geneticamente distintos de câncer de mama, cada um dos quais podem ter diferentes disparadores e respondem de forma diferente aos tratamentos atuais. Estas incluem:

Estrogênio-dependente luminal A e luminal B
HER2-positivo, que produz uma proteína chamada ‘receptor do fator de crescimento epidérmico humano’
Basal-like ou “triplo negativo”, que é a forma mais agressiva de câncer de mama. Seu crescimento não está relacionado com os biomarcadores mais comuns para o câncer de mama (estrogênio, progesterona e HER2), daí a designação de “triplo negativo”.

Análise de 30 Anos de Triagem de câncer de mama Mostram Mamografias faz mais mal do que bem!

No ano passado, o ‘New England Journal of Medicine’  publicou uma análise dos efeitos de rastreio do câncer de mama  nos EUA ao longo dos últimos 30 anos, que constatou que 1,3 milhões de mulheres foram diagnosticadas e tratadas como resultado de exames regulares de mamografias durante esse período de tempo. Além disso, enquanto a detecção de câncer de mama em estágio inicial dobrou desde o advento da mamografia, a incidência de câncer em estágio avançado diminuiu apenas 8% no mesmo período de tempo, sugerindo que a captura e tratamento de tumores mais cedo não elimina automaticamente os casos “mais graves” de câncer de mama.

De acordo com os autores do estudo:

“… O desequilíbrio sugere que há um ‘overdiagnosis’, respondendo por quase um terço de todos os cânceres de mama diagnosticados, e que a triagem é ter na melhor das hipóteses, apenas um pequeno efeito sobre a taxa de morte por câncer de mama.” Como você pode ver, há uma diferença crucial entre as lesões não-malignas / tumores e câncer invasivo. No entanto, no momento é feito pouca diferença entre os dois. Ou é normalmente entregue e recebido como uma sentença de morte! É isso que o ‘Instituto Nacional do Câncer’ propõe uma redesignação de “câncer”.  Eu, pelo menos acredito que pode ser bastante útil! No momento, cerca de 50 mil mulheres americanas são transformados de mulheres saudáveis ​​com lesões não-letais, “sobreviventes” desta  teoria e pensamento científico errado’ que sobreviverão a um encontro com a morte, tiveram que atravessar um ‘Inferno’, sem motivos.

O que essas estatísticas esmagadoras nos mostram é que: não é por que você foi submetido ao um tratamento para o câncer que significa que você tinha um, ou até mesmo uma “sobrevivente do câncer” realmente, O SLOGAN da industria farmacêutica!  Na verdade, se você realmente não tinha câncer e teve um suposto diagnóstico, então você seria realmente apenas uma (“sobrevivente do ‘TRATAMENTO’ do câncer”) e não do próprio em si, meramente um jogo de estatística e marketing. “No entanto todas as mulheres tratadas de câncer que sobrevivem tornam-se parte do tal ‘slogan comercial’, “sobrevivente de câncer”,  estatística esta que é então utilizada para justificar a eficácia do atual sistema de diagnóstico e tratamentos, mesmo que este seja totalmente ultrapassado segundo os estudos atuais!

Mais cuidadosamente a distinção entre nódulos inofensivos e tumores malignos que percorre a um longo caminho, e causa um trauma emocional e físico desnecessário associado com excesso de diagnóstico e tratamento excessivo. Provavelmente, seria também viável ajudar a determinar a eficácia real de vários tratamentos para outros cânceres.

As mulheres precisam se informar melhor!

O dilema agora está em convencer um público petrificado e ignorante, completamente saturado com a “consciência” das consequências letais de câncer, que pode ser de seu interesse a abandonar alguns dos testes de diagnósticos e tratamentos. Este é provável que seja um desafio, porque poucos se atrevem a tomar uma rota menos agressiva quando sua vida pode estar em jogo. Como afirmado por Dr. ‘Orenstein’:
“…Ter medo do câncer é legítimo: como gerimos esse medo, eu percebi que as nossas respostas a ele, nossas emoções em torno dele podem ser manipulados, embalados, comercializados e vendidos, por vezes as mesmas forças que pretendem nos apoiar. Isso pode ludibriar  toda as nossas percepções de triagem para a nossa compreensão do risco pessoal, e de nossas escolhas no tratamento…”.

Mais uma vez, o Dr. Orenstein discute os resultados de outros estudos da seguinte forma:

“Por mais improvável que pareça, estudos têm sugerido que cerca de um quarto dos detectados de ‘câncer de mama’   ‘microscópico câncer’ poderia ter desaparecido por por conta própria sem uso nenhum de tratamento. Explico: Para uma mulher individual em seus 50 anos que já fez todas as mamografias anuais, ainda pode adquirir câncer de mama segundo uma variedade de estudos, e também apenas reduzir o risco de morrer da doença num prazo máximo de 10 anos, ou seja,  por apenas 0,07% : – de 0,53% para 0,46%. Reduções para as mulheres na faixa dos 40 são ainda menores, de 0,35% para 0,3 %, *chega a ser patético. *”[Grifo meu]”.
Afim de tomar decisões melhores informadas, mas também tomar decisões que são menos invasivos pelo medo,  as mulheres precisam ser informadas com todas as suas opções de triagem, incluindo os seus pontos fortes e fracos, os benefícios e riscos! Hoje, as mulheres raramente são informados sobre o fato de que a radiação ionizante é um dos principais contribuintes para o câncer por exemplo, ou seja, que o próprio teste de rotina podem aumentar o risco de câncer de mama, e aí sim, do tipo realmente Letal!

Este é um ponto extremamente importante, considerando a introdução da mamografia 3D, que aumentam exponencialmente a sua exposição à radiação prejudicial que pode levar ao câncer mais tarde. Para saber mais sobre este assunto, consulte o meu artigo anterior sobre mamografias e câncer neste blog.

Resultados de outros estudos avaliando a eficácia da mamografia

O ‘Archives of Internal Medicine’ publicou uma meta-análise de 117 estudos de mamografia, randomizados e controlados. Entre as conclusões foram: as taxas de resultados falso-positivos são altas (20% a 56% após 10 mamografias), e “apesar de algumas mulheres de 50 anos de idade ou mais velhas terem maiores chances de câncer devido às mamografias, isso supera os benefícios e as evidências desta metanálise sugere que mais de 40 mulheres deste grupo até 49 anos de idade, têm esses riscos.”
Um estudo publicado no ‘British Medical Journal’ em dezembro de 2011, confirmou que o rastreamento do câncer de mama pode causar danos as mulheres, especialmente durante os primeiros anos depois de começar a triagem. Este dano é em grande parte devido a cirurgias, como lumpectomias e mastectomias, e outras intervenções (muitas vezes desnecessárias). O estudo destaca as perdas na qualidade de vida de resultados falsos positivos e tratamento desnecessário.
Em setembro de 2010, o ‘New England Journal of Medicine’ publicou o primeiro estudo após anos  examinando a eficácia da mamografia. Seus resultados estão muito longe do que a maioria das autoridades de saúde pública nos querem fazer crer! A linha inferior é que as mamografias parecem ter reduzido as taxas de mortalidade por câncer de apenas 0,4% de mortes por 1.000 mulheres, uma quantidade tão pequena que poderia muito bem ser zero! Dito de outra forma; 2500 mulheres teriam de ser rastreada ao longo de 10 anos, para uma única morte por câncer de mama ou para ser evitado! Conclui-se que o exame de rotina nada mais é do meramente desnecessário e com finalidades comerciais.

Quais as causas de câncer que são atualmente ignorado?

Você realmente tem uma quantidade enorme de controle sobre como suas características genéticas. Seus genes podem expressar ou suprimir dados genéticos, dependendo do ambiente em que se encontra, ou seja, a presença ou ausência de nutrientes adequados, toxinas e até mesmo seus pensamentos e sentimentos que desencadeiam hormônios e outras substâncias químicas em seu corpo. Dra. ‘Susan Love’, uma cirurgiã do câncer de mama e presidente da Fundação de Pesquisa, a Dra. Susan Love comentou sobre essa volta da investigação em 2009, dizendo:
“É emocionante. O que significa que, se todo este material ambiental é certo,  devemos ser capazes de reverter o câncer sem ter que matar as células. Isso poderia abrir toda uma nova maneira de pensar sobre o câncer que seria muito menos agressivo e que na realidade o é”.

A investigação sobre a saúde de nossos ancestrais, também sugere que o câncer é de fato uma doença artificial . Cada vez mais fatores ambientais e de estilo de vida estão sendo apontados como os culpados, e é minha convicção pessoal que o nosso problema do câncer é o resultado de muitas pessoas sendo regularmente expostos a muitos desses fatores tóxicos, que incluem:
Pesticidas e outras exposições químicas sintéticas; “predominância de açúcares e grãos o que provoca o corpo a queimar açúcar em vez de gordura como combustível primário; Tecnologias sem fio, eletricidade suja, e exposição à radiação de diagnóstico médico;  As drogas farmacêuticas; Obesidade, estresse e maus hábitos de sono; A falta de exposição ao sol ( VITAMINA D) e uso de protetores solares, que além de não prevenir câncer de pele, ele pode é gerar um câncer. É altamente improvável que apenas um deles é o único responsável. Pelo contrário, é provavelmente uma combinação de vários deles. Isto significa que o que precisa ser feito é uma revisão completa da maioria das indústrias que nos fornecem tudo, desde alimentos e roupas para produtos de cuidados pessoais, móveis e muito mais. Sim, o que eu estou sugerindo é dramático, e talvez seja por isso que ninguém quer tomar por a “cara a tapa” mas é necessário se quisermos realmente abordar a ascensão meteórica não só contra o câncer, mas muitas outras doenças modernas. Virtualmente, cada coisa que você colocar em sua boca em seu corpo, e em sua casa e empresa precisa ser avaliada pelo seu potencial tóxico”.

Estratégias de Prevenção do Câncer All-Natural! Agora a parte boa!

Minha recomendação para você é não esperar que o sistema mude, mas tomar o assunto em suas próprias mãos, agora! É importante perceber que o rastreio do câncer de qualquer maneira não equivale a prevenção do câncer, e que, embora a detecção precoce é importante, uma série de métodos de rastreio populares foram mostrados causar mais mal do que bem, mamografia em particular.
Na maior revisão de pesquisas sobre estilo de vida e câncer de mama, o Instituto Americano de Pesquisa do Câncer estima que cerca de 40%  dos casos de câncer de mama poderiam ser evitadas se as pessoas fizessem escolhas mais sábias de estilo de vida.  Acredito que essas estimativas são muito baixos, e é mais provável que 75% a 90% dos cânceres da mama podem ser evitados através da aplicação estritamente as recomendações abaixo NUTRICIONAL, OU PARTE DA NUTRIGENÔMICA.

Melhorar a sensibilidade do receptor de insulina. A melhor maneira de fazer isso é evitando açúcar e grãos e certificando-se de que você esteja exercitando o tempo necessário, especialmente com aptidão FÍSICA!
Abordar o preparo de alimentos. Coma pelo menos um terço de alimentos crús. Evite fritar ou grelhar! A fervura, escaldar ou vapor aos seus alimentos é a melhor escolha, com água livre de cloro e flúor. Considere a adição ao combate ao câncer alimentos integrais, ervas, especiarias e suplementos à sua dieta, tais como brócolis , curcumina e resveratrol . Para saber mais sobre a forma como estes alimentos anti-angiogênicas contra o câncer, consulte seu Nutricionista, aqui o Dr. Júlio Caleiro deixa exposto seus contatos: Dramaticamente o tratamento aplicado pelo Dr. Júlio Caleiro,  é eficaz pela alimentação natural pois mata de fome o Câncer e acaba com a obesidade.
Evite carboidratos e açúcar. Reduzir ou eliminar alimentos processados, açúcar / frutose e alimentos à base de grãos de sua dieta. Isso se aplica a todo grãos orgânicos não transformados, eles tendem a quebrar-se rapidamente e elevar seu nível de insulina. A prova é bastante clara que se você quiser evitar o câncer, ou se você tem atualmente o câncer, é absolutamente necessário evitar todas as formas de açúcar, especialmente frutose, que alimenta as células cancerosas e promove o seu crescimento.
Reduzir o aumento de gorduras trans e de proteína. Considere reduzindo os níveis de proteína para um grama por quilograma de peso corporal magro. Seria incomum para a maioria dos adultos precisar de mais de 100 gramas de proteínas e provavelmente perto da metade desse montante. Substitua o excesso de proteínas com gorduras de alta qualidade , tais como ovos orgânicos de galinhas com gema, carnes de pasto de alta qualidade, abacate e óleo de coco.
Beba meio para um litro de suco de vegetais verde orgânico diária. Reveja as minhas instruções em Consulta.
Evite OGM. Evite alimentos geneticamente modificados como eles são normalmente tratados com herbicidas como o Roundup (glifosato), que são susceptíveis de ser cancerígeno a Soja mundial toda ela contaminada pelo Glifosato inclusive no Brasil. Uma equipe de pesquisadores franceses que estudou extensivamente Roundup concluiu que é tóxico para as células humanas, e provavelmente cancerígeno para os seres humanos. Escolha, de preferência localmente alimentos de crescimento frescos e orgânicos.
Evite produtos de soja:  a soja não fermentado é rica em estrógenos vegetais, ou fitoestrógenos, também conhecidos como isoflavonas. Em alguns estudos a soja parece funcionar em conjunto com estrogênio humano para aumentar a proliferação de células da mama, o que aumenta as possibilidades de mutações e células cancerosas.
Normalizar o ômega-3 e ômega-6  em suas proporções de gorduras. Normalizar o seu índice de ômega-3 e ômega-6 de gorduras boas, tomando por exemplo ‘óleo de krill’ de alta qualidade e reduzindo o consumo de óleos vegetais processados.
Otimize sua flora intestinal. Otimizando sua flora intestinal irá reduzir a inflamação e fortalecer a sua resposta imunológica. Pesquisadores descobriram um mecanismo micróbio-dependente através do qual alguns tipos de câncer montam uma resposta inflamatória que alimenta o seu desenvolvimento e crescimento. Eles sugerem que as citocinas inflamatórias inibem e pode retardar a progressão do câncer e melhorar a resposta à quimioterapia se for o que você aceitou.
Adicionando alimento fermentado naturalmente à sua dieta diária é uma maneira fácil de prevenir o câncer ou acelerar a recuperação. Você sempre pode adicionar um suplemento probiótico de alta qualidade, mas os alimentos naturalmente fermentados são os melhores. Natô por exemplo! O Dr. Júlio Caleiro explica como adquirir em consulta!
Exercite-se regularmente. Exercício reduz os níveis de insulina, o que cria um ambiente de baixo teor de açúcar que desestimula o crescimento e disseminação das células cancerosas. Em um estudo de três meses, o exercício foi encontrado para alterar as células imunes em uma forma de combate a doença, em sobreviventes do câncer que tinham acabado de completar a quimioterapia.

Os investigadores e organizações de câncer cada vez mais recomendam fazer o exercício regular, uma prioridade a fim de reduzir o risco de câncer e ajudar a melhorar os resultados do tratamento do câncer. A pesquisa também encontrou evidências sugerindo o exercício pode ajudar a desencadear a apoptose (morte celular programada) em células cancerosas. Idealmente, o seu programa de exercícios deve incluir o equilíbrio, força, flexibilidade, treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT). O Dr. Júlio Caleiro explica em consulta.
Aqui está a principal CHAVE para evitar qualquer tipo de câncer! Otimize o seu nível de vitamina D. Há evidências científicas de que você pode diminuir o risco de câncer em mais da metade simplesmente otimizando seus níveis de vitamina D com a exposição solar adequada e principalmente SUPLEMENTAÇÃO. Seu nível sérico deve manter-se estável em 50-70 ng / ml, mas se você está sendo tratado de câncer, deve FICAR mais perto de 80-90 ng / ml OU BEM MAIS, para o benefício máximo. Isso exige acompanhamento profissional que o Dr. Júlio Caleiro aplica desde 2011.

Se você tomar vitamina D por via oral e tiver câncer, seria muito prudente monitorizar os seus níveis de vitamina D no sangue regularmente, assim como complementando a sua vitamina K2. A deficiência de D3 e K2 é epidêmica. Para saber mais, consulte o meu artigo no blog sobre vitamina D3 e k2: O que você precisa saber sobre a vitamina K2, D e cálcio .
Ter em abundância a vitamina A de forma natural. Há evidências de que a vitamina A desempenha também um papel em ajudar a prevenir o câncer de mama. É melhor obtê-lo a partir de vitamina A em alimentos ricos, ao invés de um suplemento. Suas melhores fontes são as gemas de ovos orgânicos, manteiga crua, leite cru e carne ou fígado de galinha.
Considere Curcumina. Isto é o ingrediente ativo no açafrão e em concentrações elevadas pode ser muito útil em auxiliar o tratamento do câncer de mama e outros. Ela mostra um imenso potencial terapêutico na prevenção de metástases de câncer de mama. É importante saber que a curcumina geralmente não é absorvida tão bem, então eu forneço corretamente as dicas através de Consulta.
Otimize o seu sono. Certifique-se de que você está recebendo o sono restaurador suficiente.  Um sono inadequado pode interferir com a sua produção de melatonina, que está associada com um risco aumentado de resistência à insulina e ganho de peso, ambos os quais contribuem para a virilidade do câncer. O uso da metalonina também é outro fator muito importante. Contrário do que muitos pensam a melatonina não é proibida no Brasil, ela só não é comercializada, portanto adquirir em sites estrangeiros não lhe causará problemas. Mas é importante a consulta com profissional que entenda de dosagens. O Dr. Júlio Caleiro explicita a dose em consulta.
Limitar sua exposição a toxinas. Reduzir sua exposição a toxinas ambientais como pesticidas, herbicidas , produtos de limpeza químicos domésticos, purificadores de ar sintético e cosméticos tóxicos . Evite BPA, ftalatos e outros xenoestrogenos. Estes são estrogênio-like compostos que têm sido associados ao aumento do câncer de mama.
Limitar a sua exposição à radiação. Limite a sua exposição e se proteger de radiação produzida pelos celulares , torres, estações de base e estações Wi-Fi, bem como minimizando sua exposição a partir de exames médicos baseados em radiação, incluindo raios-x dentários, CT digitaliza e mamografias .
Evite a terapia de reposição hormonal sintética. Câncer de mama é um câncer estrógeno-relacionados, e de acordo com um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute, as taxas de câncer de mama para as mulheres caíram em conjunto com a diminuição do uso de terapia de reposição hormonal . (Existem riscos semelhantes para mulheres jovens que usam anticoncepcionais orais. Pílulas anticoncepcionais, que também são compostos de hormônios sintéticos, têm sido associados ao câncer do colo do útero e de mama.) Faça reposição do HORMÔNIOS BIOIDÊNTICOS, com aplicação nutricional juntamente!
Certifique-se de que você não é deficiente de iodo, como há evidência convincente da deficiência de iodo e câncer de mama. Dr. David Brownstein,autor do livro “..Iodo Por que Você Precisa, Por que você não pode viver sem ele..”, é um defensor de iodo CONTRA o câncer de mama. Na verdade, tem propriedades anticancerígenas potentes e tem sido demonstrado que provoca a morte celular em células cancerígenas da mama e da tiróide.

Para mais informações, recomendo a leitura do livro de Dr. Brownstein. Eu tenho pesquisado iodo por algum tempo e eu acredito que a maior parte do que ele diz está é real e verdadeiro.
Stress Management. Estresse por todas as causas é um grande contribuinte para a doença. Mesmo o CDC indica que 85% da doença é influenciada por fatores emocionais. É provável que o estresse e problemas emocionais não resolvidos podem ser mais importantes do que as físicas, por isso certifique-se esta é dirigida. Minha ferramenta favorita para a resolução de desafios emocionais é Emotional Freedom Techniques (EFT)  e psicoterapia. O Dr. Júlio Aplica o EFT em consulta clínica.

O que fazer se você já tem Câncer?

Sem dúvida, a mais poderosa estratégia essencial que conheço para tratar o câncer é matar de fome as células por privá-los de sua fonte de alimento. Ao contrário de suas células do corpo, que pode queimar carboidratos ou gordura para o combustível, as células cancerosas tenham perdido essa flexibilidade metabólica. Dr. Otto Warburg mereceu realmente dado um Prêmio Nobel com mais de 75 anos em descobrir isso, mas praticamente nenhum oncologista realmente usa esta informação. O Dr. Júlio Caleiro aplica o tratamento para matar as células cancerosas de FOME! Consequentemente o câncer, SE É QUE REALMENTE VOCÊ TENHA UM!

Além do tratamento acima, o IODO pode extirpar um tumor, na mama, acompanhe no link abaixo –>

https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/05/19/iodo-em-doses-corretas-trata-e-previne-doencas-relacionadas-a-mama/

——————————————————————————–

Referências:
1 NPR.org 07 de agosto de 2013
2 New York Times, 25 de abril de 2013
3 N Engl J Med 2012; 367:1998-2005
4 New York Times, 25 de abril de 2013
5 Cochrane Database of Systematic Reviews 19 de janeiro de 2011, (1): CD001877
6 New York Times 25 de abril de 2013
7 Ann Intern Med. 03 de abril de 2007, 146 (7) :516-526
8 British Medical Journal, 8 de dezembro de 2011: 343; d7627
9 N Engl J. Med 23 de setembro de 2010: 363 (13); 1203-1210
10 NBC News 29 de dezembro de 2009
11 Nature Reviews Cancer 10, 728-733 (Outubro de 2010)
12 American Institute for Cancer Research, Press Release 01 de setembro de 2009
13 Instituto Americano para Pesquisa do Câncer, Alimentação, Nutrição, Atividade Física e Prevenção do Câncer: uma Perspectiva Global (PDF)
14 Journal of the National Cancer Institute, 2005; 97 (1): 1
15 Investigação do cancro da mama 2003, 5 (3): R59-64
16 Clinical Cancer Research outubro 15, 2005: 11; 7490
17 Dr. Brownstein – Holostic familt Medicina

DR.PhD Mercola

Mamografia pode danificar 10 vezes mais mulheres do que ajudar!

 
 
INFORMATIVO DR. JÚLIO CALEIRO – Imagem

De acordo com recentes descobertas pelo ‘Centro Nordic Cochrane’; Apenas uma (1) em cada 2.000 mulheres rastreadas regularmente durante 10 anos vão realmente beneficiar da triagem para à detecção “precoce” do câncer de mama. Enquanto isso, 10 mulheres saudáveis (de 2000 selecionadas em uma década) vão ser diagnosticada como pacientes de câncer, e serão tratadas desnecessariamente. Em números maiores isso é um desastre!
Estas mulheres terão uma parte do seu peito ou a totalidade da mama removida, e, tipicamente, irão receber a radioterapia e / ou quimioterapia. Este tratamento (para um câncer que era inexistente) aumenta, posteriormente seu risco de morrer de complicações da terapia e / ou de outras doenças relacionadas com a radiação e quimioterapia ( oportunistas), tais como doenças cardíacas e câncer.

Só para ficar anotado a estatística:
2.000 mulheres devem ser rastreadas por 10 anos
200 mulheres terão falsos positivos
10 receberão a cirurgia e / ou quimioterapia, embora elas realmente não tenham câncer.

A TERMOGRAFIA É O EXAME SEGURO NA DETECÇÃO DE ALGUM SUPOSTO CÂNCER!
—————————————————

Referências:

1 NPR.org August 7, 2013
2 New York Times April 25, 2013
3 N Engl J Med 2012; 367:1998-2005
4 New York Times April 25, 2013
5 Cochrane Database of Systematic Reviews January 19, 2011;(1):CD001877
6 New York Times April 25, 2013
7 Ann Intern Med. 3 April 2007;146(7):516-526
8 British Medical Journal, December 8, 2011: 343; d7627
9 N Engl J. Med September 23, 2010: 363(13); 1203-10
10 NBC News December 29, 2009
11 Nature Reviews Cancer 10, 728-733 (October 2010)
12 American Institute for Cancer Research, Press Release September 1, 2009
13 American Institute for Cancer Research, Food, Nutrition, Physical Activity, and the Prevention of Cancer: a Global Perspective (PDF)
14 Journal of the National Cancer Institute 2005; 97(1): 1
15 Breast Cancer Research 2003;5(3):R59-64
16 Clinical Cancer Research October 15, 2005: 11; 7490
17 Dr. Brownstein – Holostic Familt Medicine

EXERCÍCIOS DE LONGA DURAÇÃO E LESÃO CARDÍACA! ALTA INTENSIDADE DE TREINOS E MORTE SÚBITA!

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

PARA UMA ‘ORIENTAÇÃO EXPRESSA’ ENVIE EMAIL PARA:  juliocaleiro@hotmail.com

Imagem

By. Dr. Ed. Júlio Caleiro

Exercício de resistência extrema: Este tipo de exercício, pode ser prejudicial a sua Coração!
       Você passa várias horas na academia ou no clube fazendo atividade física? Ou você evita o trabalho da atividade por completo, porque você simplesmente não tem tempo? Então o que eu estou prestes a te dizer a você será como música para os seus ouvidos: Quando se trata de exercício, menos é melhor! Sim, vou explicar o por quê!
    Está se tornando cada vez mais claro a partir da recente enxurrada de estudos científicos que uma overdose de exercício pode ter efeitos prejudiciais sobre a saúde. Muito exercício, particularmente longas atividade que exige um cardiorrespiratório excelente, como maratona e triatlo, pode fazer mais mal do que bem particularmente para o coração.
    Enquanto a maioria dos americanos estaria bem servido exercitando-se mais, não há nenhuma necessidade de trabalhar por mais de 45 minutos a uma hora, e se você exercer de forma eficaz os treinos devem ser ainda mais curto. Vou mostrar neste artigo leia.

   Colocando o seu coração a bombear sangue com exercícios regulares,  isso proporciona vários benefícios. Conforme a frequência cardíaca aumenta:

        Seu coração bombeia de forma mais eficiente
        A quantidade de oxigênio em seu sangue aumenta
        Capacidade do seu corpo para desintoxicar melhora
        Seu sistema imunológico é ativado
        Aumento de endorfinas, elevando o seu humor e aumenta a quantidade de mitocôndrias, organela responsável pela formação de energia.
        
        Esta é apenas a ponta do iceberg quando se trata dos benefícios do exercício, mas não há ainda um ponto de corte,  do qual o exercício pode realmente prejudicar o seu corpo! Está enganado agora sim, tem!
    Estudos recentes estão nos dando uma melhor compreensão da fisiologia do exercício, e muitas das nossas noções do passado foram viradas de cabeça para baixo.

Uma overdose de exercício pode sair pela culatra!

    Exercício em excesso ou incorretamente realizado pode se voltar contra a sua saúde, de várias de maneiras. Por exemplo, isso pode ocorrer quando você se exercita muito ou muito intenso.  Seu corpo pode entrar em um estado catabólico, no qual os tecidos quebram para formar energia.   O excesso de cortisol (hormônio do estresse) pode ser liberado, o que não só contribui para o catabolismo, mas também para doenças crônicas.  Você pode desenvolver lesões microscópicas em suas fibras musculares (que pode não curar, se você continuar no excesso de exercício), e risco aumentado de lesões.  Seu sistema imunológico pode ser enfraquecido;  Você pode desenvolver insônia, especialmente se o seu treino é no período da tarde ou à noite. No entanto, o risco mais grave envolve danificar o seu coração, ou pior ainda, de morte súbita cardíaca que será o foco deste artigo.

Você está correndo o risco de morte súbita?

    Você foi, sem dúvida atordoado com a notícia ocasional de um atleta de elite, de repente caiu morto! Estas contas não são tão raros assim como se poderia esperar, e ciência está finalmente mostrando alguma luz sobre a causa. Maratonistas e triatletas têm sido tradicionalmente visto como a imagem perfeita de fitness, a inveja de “hobby” e atletas profissionais iguais. Correr uma maratona é em muitos “Bucket-List”!
    Mas são as exigências físicas deste tipo de treinamento realmente saudável ou mesmo seguro? A última pesquisa sugere que não! O treinamento de alta resistência coloca estresse extraordinário em seu coração. Claro que o músculo geralmente tem que se tornar mais forte, mas em extremo elevado de estresse pode ter o efeito oposto e seu músculo cardíaco não é exceção disso.
    Corrida de longa distância leva a altos níveis de estresse oxidativo, inflamação e danos aos seus tecidos do coração, produzindo respostas fisiológicas agudas que podem desencadear um evento cardíaco.  O risco parece ser maior se você é um homem de meia-idade, devido às diferenças de gênero e mudanças que normalmente acompanham o envelhecimento. Os homens são duas a três vezes mais propensos de sofrer uma parada cardíaca súbita, em questão do exercício. Em 1984 a ‘NEJM’ publicou um estudo e descobriu que você tem sete vezes mais probabilidade de ter um acidente cardíaco durante o exercício do que parado. Então, vamos dar uma olhada para a enxurrada de estudos emergentes ao longo dos últimos anos, e a relação de lesão cardíaca relacionada ao exercício.

Oito estudos científicos que você deve levar em consideração!

    1. De acordo com um estudo apresentado no Congresso Cardiovascular Canadense 2010, em Montreal, o exercício regular reduz o risco cardiovascular por um fator de 2 a 3, mas o exercício vigoroso estendido realizada durante uma maratona por exemplo aumenta o risco cardíaco (7 -sete vezes)!
    2. Em um estudo de 2011 publicado no ‘Journal of Applied Physiology’, os pesquisadores recrutaram um grupo de homens mais velhos e todos os membros do ‘Maratona Clube 100’ (tendo eles completado um mínimo de 100 maratonas). Metade dos homens mostraram o músculo cardíaco cicatrizes como um resultado desta execução. Especificamente também a metade destes homens tinham completado o mais longo circuito resistência. Se correr maratonas fosse benefício ao sistema cardiovascular, este grupo teria os corações mais saudáveis e portanto não foi isso que exames posteriores mostraram!
    3. Um estudo em ratos 2011, publicado na revista ‘Circulation’ foi projetado para imitar a carga de exercício extenuante diário de maratonistas ao longo de 10 anos. Todos os ratos tinham corações normais e saudáveis ​​no início do estudo, mas, no final, a maioria deles tinha desenvolvido “difusas cicatrizes e algumas mudanças estruturais, semelhantes às mudanças observadas nos atletas de endurance em humanos”. E continua não para por aí!
    4. Um estudo de 2012 no ‘European Heart Journal’ descobriu que atletas de resistência a longo prazo sofrem de diminuição da função do ventrículo direito do coração e aumento das enzimas cardíacas (marcadores de lesão cardíaca), após a corrida de resistência, o que pode ativar a formação de plaquetas e coagulação súbita. Doze por cento -12%,  dos atletas tinha cicatrizes detectáveis em seu músculo cardíaco uma semana de após.
    5. Um estudo de 2010 apresentado pelo ‘American College of Cardiology’ mostrou que corredores de endurance têm placas mais calcificadas nas artérias (o que também aumenta o risco de demência e acidente vascular cerebral) do que aqueles que não têm resistência de atletas.
    6. Um estudo alemão 2011 revelou uma incidência muito alta de aterosclerose carotídea e periférica entre maratonistas masculino.
    7. Um estudo de 2006 selecionou 60 participantes não-elite das Maratonas de Boston de 2004 e 2005, utilizando ecocardiografia e marcadores biológicos. Os investigadores encontraram diminuição da função sistólica do ventrículo direito nos corredores, causado por um aumento na inflamação e uma diminuição no fluxo de sangue.
    8. Uma pesquisa feita por ‘Dr. Arthur Siegel’, diretor de Medicina Interna no ‘Hospital McLean da Universidade de Harvard’, também descobriu que a corrida de longa distância leva o atleta a altos níveis de inflamação que pode desencadear eventos cardíacos.

Débito cardíaco elevado pode ‘rasgar’ Seu tecido cardíaco!

    Como você pode ver a partir dos estudos acima, a pesquisa está convergindo em torno dos riscos consideráveis ​​que os exercícios do tipo ‘cárdio’ de alta resistência representam para o seu coração. Quando você se envolver neste tipo de treinamento, o seu coração não tem muito o que fazer já que ele simplesmente responde a sinais bioquímicos de seu corpo a rampa até o débito cardíaco, a fim de manter-se com o seu nível de esforço gerado. Você não pode “sentir a dor” como sinal e é nesse ponto que pode ser uma situação de risco de vida.
    Exercício extremo faz com que seu coração aumente maciçamente o débito cardíaco, o que pode ter de sustentar por várias horas, dependendo da duração e intensidade da sua atividade.
    Seu coração bombeia cerca de cinco litros de sangue por minuto quando você está sentado. Mas quando você está correndo, sobe para 25 e 30, e ele não foi projetado para fazer isso por horas a fio, dia após dia. Ele entra em um estado de “sobrecarga de volume” que se estende as paredes do músculo do coração, literalmente quebram as fibras separadas.

    O problema é que muitos atletas de endurance não permitem que seus corpos parem para se recuperar totalmente entre as sessões. Eles costumam viver em um estado pós-treino perpétuo, que basicamente se assemelha ao stress crônico e oxidativo, danos de repetição ao músculo do coração aumenta a inflamação, o que leva a um aumento da formação de placa, pois a placa é o curativo que o corpo faz ou seja reveste as artérias por substâncias inflamatórias.    Com o tempo, à medida que mais dano é causado, o alargamento do coração (hipertrofia), e formas cicatrizes (fibrose cardíaca) serão disseminadas. Exames de ressonância magnética de maratonistas de longa resistência,  revelam abundante cicatrizes por todo o seu coração. Os cientistas também mediram os níveis de enzimas cardíacas elevadas após o exercício extremo, exatamente após um ataque cardíaco, o que só pode significar uma coisa: este tipo de exercício é prejudicial coração das pessoas!

O treinamento de resistência pode produzir arritmias perigosas, fibrose do miocárdio, hipertrofia e Aterosclerose!

    Embora os pesquisadores ainda não compreendem todos os fatores neste processo, eles têm teorizado que a alta de exercício de resistência leva à fadiga cardíaca, em seguida, uma enxurrada de catecolaminas e adrenalina, que então aciona arritmias (ritmos cardíacos anormais). Uma arritmia comum é a fibrilação atrial, comumente conhecido como “A-fib.” A-fib é epidemia entre os atletas de resistência, o que os configura para  um grande aumento no risco de acidente vascular cerebral. Maratonistas acima de 50 anos de idade têm um aumento de cinco vezes na A-fib.
    Arritmias podem evoluir para uma parada cardíaca completa. De acordo com o Dr. James O’Keefe, o cardiologista pesquisa ex-atletas de elite, 50%  das mortes ocorrem em maratona justamente no final da corrida, provavelmente devido a este estresse acumulado no coração. Dr. O’Keefe resume o fenômeno inteiro bem na sua Mayo Clinic e relata:

        “Dados recentes sugerem que o treinamento crônico, competindo em provas de resistência extremas, como maratonas, ultramaratonas, triatlos distância ironman, e corridas de bicicleta de muito longa distância, pode causar sobrecarga transitória aguda de volume do átrio e ventrículo direito, com reduções temporárias no ventrículo direito de fração de ejeção, elevação de biomarcadores cardíacos, os quais retornam ao normal dentro de 1 semana.  Ao longo de meses a anos de ferimentos repetitivos, este processo em alguns indivíduos pode conduzir a fibrose do miocárdio desigual, particularmente nas aurículas do septo interventricular, e do ventrículo direito, a criação de um substrato para as arritmias atriais e ventriculares. Além disso, o exercício sustentado em excesso de longo prazo, pode estar associado a calcificação da artéria coronária, disfunção diastólica, e enrijecimento da parede de grandes artérias “.

Nossos antepassados ​​não corriam mais de 20 milhas por vez.

    Nossos antepassados ​​na era ‘Paleolítica’ fazia caminhada, com sprints ocasionais, mas não estendia a execução. Corriam o tempo suficiente para escapar das garras de um tigre, mas não houve maratonas acontecendo em todo o cerrado Africano. Um novo estudo dá mais credibilidade para os benefícios da caminhada contra a corrida, achando que o exercício de intensidade moderada (caminhada) produz benefícios iguais de saúde com exercício de intensidade vigorosa (em execução), com reduções de risco semelhantes para hipertensão, hipercolesterolemia, diabetes e doença arterial coronariana.
    Nos últimos 30 anos, o número de pessoas correndo maratonas aumentou 20 vezes, enquanto a obesidade triplicou. Phidippides foi o primeiro “maratonista”, um mensageiro grego que morreu repentinamente após a execução de mais de 175 milhas em dois dias, 280km. As mudanças que estão sendo observados no tecido cardíaco de corredores de longa distância, especialmente em seus ventrículos direito e ambos os átrios, levaram alguns médicos a chamar a condição de “Phidippides Cardiomiopatia”.

    Eu quero ser perfeitamente claro que não sou completamente contra a execução. Se isso for feito de forma adequada, pode ser uma parte efetiva de seu plano de condicionamento físico geral e pode até mesmo ajudá-lo a viver melhor. Mas você deve mantê-lo moderado, e encontrar a sua própria “zona de segurança” com seu Professor de Educação física, e exames médico, Cardiologista.

    Dr. O’Keefe recomenda a execução não mais de 20 km por semana, distribuídos por três a quatro dias, a uma velocidade de cerca de cinco quilômetros por hora. Se você correr mais longe ou mais rápido do que isso, você pode perder todos os benefícios e os riscos de saúde podem subir para a magnitude baixa, literalmente de acordo com a ciência. A declaração escrita por Hipócrates há 2.500 anos acertou com precisão na cabeça:

      “A quantidade certa de nutrição e exercício físico, não muito pouco, nem exagerado é o caminho mais seguro para a saúde”.

O uso de suplementos são viáveis como: Coenzima Q10 na sua forma ativa, Creatina, amino BCAA, Whey Protein, Vitamina D, cálcio, iodo, manganês,  glutamina, vitaminas com complexo B na sua melhor forma, vitamina C,  magnésio, zinco, fósforo, Ferro. E sem dúvida uma alimentação adequada e balanceada pelo seu(a) Nutricionista Esportivo.

Evitar uso de medicações, para dor e ou inflamação. Não tomar medicação sem orientação do seu médico.
——————————————————————————————-
Referências:

    1 NIH
    2 Bloomberg June 21, 2013
    3 J Appl Physiol June 2011
    4 Circulation 2011
    5 European Heart Journal 2012
    6 American College of Cardiology 59th Annual Scientific Sessions March 2010
    7 Med Sci Sports Exerc July 2011
    8 Circulation 2006
    9 Am J Cardiol October 2001
    10 Today Health December 2012
    11 Intern Emerg Med 2006
    12 American Heart Association AFib
    13 Mark’s Daily Apple July 9, 2013
    14 Mayo Clinic Proceedings 2012
    15 Arterioscler Thromb Vasc Biol May 2013
    16 Clin Cardiol February 2012
    17 University of Queensland Australia School of Medicine July 2012
    18 IMMDA March 2010

‘Enxaquecas’ como enfrentar e tratar de forma eficaz?

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

PARA UMA ‘ORIENTAÇÃO EXPRESSA’ ENVIE EMAIL PARA: juliocaleiro@hotmail.com

Imagem

By Dr. Júlio Caleiro  – Postado dia 23 de Agosto de 2013.

Enxaquecas como enfrentar e tratar de forma eficaz?

—————————————————————————————–
    A enxaqueca é um dos problemas de saúde mais comuns em todo o mundo e mais prevalente do que o diabetes, epilepsia e asma todos juntos.  É também uma das 20 maiores causas de incapacidade entre os adultos. Mais de 37 milhões de americanos sofrem de enxaquecas, quase 5 milhões deles vivendo pelo menos um ataque de enxaqueca por mês. Ao todo, cerca de 13% da população do mundo sofrem com enxaquecas, em maior ou menor grau.  A condição é mais prevalente entre as mulheres, com cerca de 15-18% em todo mundo, em comparação com 6 a 7% dos homens. Cerca de 60% das mulheres afetadas têm enxaqueca menstrual relacionados, ou seja, elas tendem a coincidir com o seu ciclo menstrual.
    Apesar de sua prevalência, a enxaqueca ainda é uma das doenças mais mal compreendidas pelos médicos.
    Além de latejante, “queimante”, que pode ou não, ser unilateral, algumas apresentam “auras” antes do início, enquanto outros não o tem. Também pode haver náuseas, vômitos, febre, calafrios, sudorese, e / ou sensibilidade à luz, som e cheiro. Aqueles que nunca tiveram uma enxaqueca antes pode ficar bastante assustado com os sintomas neurológicos, que podem simular um acidente vascular cerebral, onde você começa a ter perturbações da visão, e até mesmo a perda de curto prazo visual e / “enxergando” manchas ou linhas onduladas, e / ou formigamento no braço ou perna.

Enxaqueca pode estar relacionada com a estrutura do vaso sanguíneo anormal

    Uma teoria de longa data era de que a enxaqueca é causada por alterações vasculares no cérebro, de constrição inicial dos vasos sanguíneos e uma queda no fluxo de sangue, seguido por dilatação e alongamento dos vasos sanguíneos, o que ativa os neurônios de dor sob sinalização.
    Pesquisas mais recentes têm negado essa teoria, no entanto alguns pesquisadores eventualmente determinam que a enxaqueca não são precedidas por constrição e diminuição do fluxo sanguíneo, mas sim por um aumento do fluxo sanguíneo de quase 300%. Apesar disso, a circulação parece normal, ou até mesmo um pouco menor uma vez que o ataque está em pleno andamento.  Mais recentemente, um pequeno estudo observacional descobriu que indivíduos que tem enxaqueca, tendem a ter uma estrutura de vasos sanguíneos diferente em seus cérebros em comparação com aqueles que não tem enxaquecas.
    Três tipos de sujeitos de ensaio foram incluídos no estudo. Dos 170 pacientes, 56 tinham enxaqueca com aura, 61 tinham enxaqueca sem aura, e 53 foram incluídos como controles.
    Usando a angiografia por ressonância magnética, os pesquisadores examinaram a estrutura dos vasos sanguíneos e as mudanças no fluxo sanguíneo cerebral, com foco em um sistema de artérias que fornecem sangue ao cérebro chamado de “círculo de Willis.”  Eles descobriram que um círculo incompleto de ‘Willis’ era significativamente mais comum em pessoas que tem a enxaqueca, com ou sem aura, em comparação com o grupo de controle (73% e 67% versus 51%, respectivamente).  Como resultado, em comparação com aqueles com um círculo completo de Willis os que tiveram um círculo incompleto apresentaram maior assimetria do fluxo sanguíneo cerebral hemisférica. De acordo com um dos autores do estudo, Dr. John Detre, MD, professor de neurologia e radiologia ele diz:

        “Anormalidades em círculo de Willis e o fluxo de sangue eram mais proeminentes na parte de trás do cérebro, onde o córtex visual está localizado. Isso pode ajudar a explicar por que as auras de enxaqueca mais comuns consistem em sintomas visuais, como distorções de visão, manchas ou linhas onduladas “.

Outras hipóteses

    Há outras hipóteses. Por exemplo, uma meta-análise de 29 estudos de associação do genoma recentemente identificadas, 5 regiões genéticas ligadas ao aparecimento da enxaqueca, e outras 12 regiões de susceptibilidade genéticas relacionadas com a enxaqueca. Além disso, eles também descobriram um colossal  de 134 regiões genéticas que aparecem para aumentar a susceptibilidade da enxaqueca.

    Outra estudo publicado este ano sugere que a cauterização, dor latejante que é a sensação de um tipo enxaqueca pode ser devido a hiperatividade da dor e sinalização de neurônios sensoriais no cérebro.
    A terceira hipótese é que a enxaqueca surge como resultado de um distúrbio do sistema nervoso, provavelmente em no cérebro, embora a maioria das regiões do cérebro não registra ou transmiti sinais de dor, uma rede de nervos chamado  ‘sistema nervo trigêmeo’ pode ser a causa. A dor é transmitida através da rede trigeminal para uma área em seu tronco cerebral chamado núcleo trigemial.
    De lá, ela é transmitida para o córtex sensorial no cérebro, que está envolvida na consciência da dor e outros sentidos. O primeiro, ativa os nervos trigêmeo, desencadeando a enxaqueca. No entanto ainda está em debate, mas alguns pesquisadores acreditam que a onda de liberação de neurotransmissores através da córtex, pode estimular diretamente os nervos trigêmeos, desencadeando a reação em cadeia que termina com a transmissão dos sinais de dor. Nenhuma hipótese ainda surgiu para explicar a ocorrência de enxaqueca em todos os doentes. Além dos já mencionados, outras teorias incluem:
        Mudanças na serotonina. Quando os níveis de queda, os vasos sanguíneos incluindo aqueles no cérebro tornam-se inchado e inflamado, o que pode levar a dor da enxaqueca.
        A interrupção das energias sutis que circulam por todo o corpo, juntamente com as questões emocionais não resolvidas que se manifestam em seu corpo, como dores de cabeça.
        A deficiência de vitamina B. Num estudo, os suplementos de vitamina B6, B12 e ácido fólico foram encontrados para produzir uma redução de duas vezes na enxaqueca durante um período de seis meses. Estudos anteriores, como um estudo de 2004 no ‘European Journal of Neurology’, também têm relatado que altas doses de B2 (riboflavina) pode ajudar a prevenir ataques de enxaqueca.

Enxaqueca comum!

    Os fatores ambientais parecem desempenhar um papel importante no desencadeamento de uma crise de enxaqueca. Embora existam muitos gatilhos potenciais e que desencadeia a enxaqueca, a seguir estão alguns dos mais comumente relatados:
    Comida e Bebida: Muitas pessoas experimentam a enxaqueca quando ingerem certos alimentos, especialmente: trigo, laticínios, açúcar, conservantes ou aditivos químicos artificiais, curado ou carnes processadas, bebidas alcoólicas (especialmente o vinho tinto e cerveja), aspartame, cafeína, e MSG. A cafeína também podem desencadear um ataque – e, por vezes alterações e excesso de sono passando do horário de se levantar, e insônia: Ambos, falta de sono e excesso de sono pode desencadear uma enxaqueca.
     Hormônios: Algumas mulheres têm enxaqueca antes ou durante a menstruação, durante a gravidez ou durante a menopausa. Outros podem começar a enxaqueca por medicamentos hormonais, como pílulas anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal.
    Alergias: Incluindo alergias alimentares e sensibilidades alimentares e sensibilidades químicas Estresse / Pós-stress: Qualquer tipo de trauma emocional podem desencadear a enxaqueca, mesmo após o estresse.
    Estímulos externos: Luzes brilhantes, luzes fluorescentes, barulhos e cheiros fortes (mesmo queridos ou agradável) pode desencadear uma enxaqueca.
    Desidratação e / ou fome: Saltar refeições ou em jejum prolongado também são desencadeadores comuns, além esforço físico: exercício extremamente intenso ou mesmo sexo intenso,  foi relacionado por trazer enxaquecas, mudanças climáticas, e / ou mudanças de altitude.

São alergias alimentares causando sua enxaqueca?

    Pesquisando na literatura médica no ‘PubMed.gov’ utilizando os termos de busca “enxaqueca” e “alergias alimentares”  forneceu quase 160 diferentes estudos, deste tipo, então não descarte essa conexão potencial! Um estudo randomizado, ‘duplo cross-over’ publicado em 2010 descobriu que seis semanas de restrição ao longo da dieta produziu uma redução estatisticamente significativa na enxaquecas em pessoas diagnosticadas, com enxaqueca sem aura. Alguns dos melhores alimentos indutores de enxaqueca identificadas incluem:
    Leite de vaca, trigo e glúten (incluindo iogurte e sorvete) alguns cereais, Açúcar de cana
    Levedura de milho, e cerveja.
    Aspartame e MSG – (Glutamato monossódico), presente em muitos produtos de panificação.    

    Eu aconselho evitar tantos alimentos processados ​​quanto possível, pois eles contêm uma variedade de corantes, aromatizantes, conservantes e outros aditivos que possam promover dores de cabeça e enxaquecas, além de outros sintomas de alergia alimentar. Perguntas que podem ajudá-lo a determinar se você pode ou não ter uma sensibilidade ou alergia alimentar:

        Você experimenta inchaço após as refeições, gases, arrotos freqüentes, ou qualquer tipo de problemas digestivos?
        Você tem prisão de ventre crônica ou diarreia?
        Você tem um nariz entupido após as refeições?
        Tem baixo nível de energia ou se sente sonolento depois de comer?

    Se você responder sim a qualquer destas perguntas, você deve investigar mais. Manter um diário alimentar detalhado é o caminho mais fácil para começar a rastrear os alimentos potencialmente indutoras de enxaqueca, procure seu Nutricionista para que possa adequar um cardápio específico. Tenha em mente que a dieta de eliminação e enxaqueca não é o único benefício para a saúde que você pode adquirir, mas também identificar alergias ou sensibilidades. A eliminação de antígenos de alimentos também é fundamental para a saúde do intestino. Tenho escrito muito sobre este tema, como a ciência médica está agora começando a perceber o quão importante o seu intestino é, não apenas para a saúde física e digestiva, a ciência Nutricional ou especificamente os Nutricionistas já o praticam a anos dieta específicas para regularizar as funções complexas do intestino, além disso a saúde emocional e psicológica também são fatores importantes.

    Uma das melhores coisas que você pode fazer se acha que está sofrendo de uma alergia alimentar é fazer um desafio de eliminação. Basta remover todos os alimentos que contêm ou que você acredita que é alérgico e veja se os seus sintomas melhoram ao longo dos próximos dias. Se você não tem uma ideia de quais alimentos você é alérgico, poderá sugerir ao seu médico pedir exames para detectá-los. Tenha em mente que, dependendo da sua frequência de enxaqueca comum, você pode precisar de evitar o alimento suspeito (s) por algumas semanas, afim de avaliar se aquele alimento teve um efeito ou não.

    Para confirmar os resultados, você deverá reintroduzir o alimento ou a bebida (com o estômago vazio). Se o alimento suspeito é o culpado geralmente você vai ser capaz de sentir os sintomas da alergia voltar dentro de uma hora, embora a enxaqueca às vezes pode ter um intervalo de tempo mais longo do que o inchaço ou sonolência.

Cuidado com aspartame e MSG – GLUTAMATO MONOSSÓDICO – PRESENTE NOS PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO!

    Ambos, aspartame e MSG são conhecidos por causar dores de cabeça e provocar a enxaqueca. O aspartame pode também desencadear outro sintoma neurológico, tais como distúrbios visuais e formigamento nas extremidades. Eu realmente diagnostico com facilidade sob consulta nutricional, através de uma anamnese clínica detalhada.
    Um dos principais problemas com aspartame é o metanol  que se forma no corpo. O Metanol age como um cavalo de Tróia, que está sendo realizado em tecidos sensíveis no organismo, como o cérebro, onde uma enzima chamada álcool desidrogenase (ADH) converte em formaldeído. Este por sua vez, pode causar estragos com proteínas sensíveis ao DNA.
    Todos os outros animais têm um mecanismo de proteção que permite o metanol ser decomposto em ácido fórmico inofensivo, mas de acordo com aspartame o especialista ‘Dr. Woodrow Monte’, diz: “… há um grande problema bioquímico com metanol em seres humanos, porque os seres humanos simplesmente não têm esse mecanismo metabólico de proteção…”.  Provavelmente o organismo vai reconhecer de forma sintomática o envenenamento por metanol, que incluem dor de cabeça, enxaqueca latejante, zumbido nos ouvidos, tonturas, náuseas, distúrbios gastrointestinais, fraqueza, vertigem, calafrios, lapsos de memória, dormência e tiro as dores nas extremidades, distúrbios de comportamento, e neurite.

Dieta para alívio da enxaqueca

    Um grande número de pessoas têm se livrado das dores de cabeça pela dieta Paleo, que podem ser resumidas como “qualquer alimento que pode ser comido sem ser processado.” Isso significa que não há grãos, pão ou massa,  é sem leite pasteurizado, mas inclui muitas frutas e vegetais frescos, algumas nozes e óleos, juntamente com pescado selvagem, aves orgânicas e carnes magras alimentados com capim. Eu aplico a dieta Paleo em meu consultório já a alguns anos, com resultados surpreendentes em várias questões de saúde.
    Eu acredito que colocar o ser humano com um retorno à “comida de verdade” é uma das intervenções mais profundas para o século 21. Nós temos estado tão longe dos alimentos que somos projetados a ficarmos doentes por motivos variados. Voltar ao básico e orientar-se à dieta verdadeira de alimentos frescos, inteiros e não transformados, ou seja obter a alimentação “real” pode apresentar melhoras sobre a saúde, independentemente de quais problemas de saúde que você vem enfrentando. Você pode facilmente moldar sua dieta em torno dos princípios da dieta ‘Paleo’, seguindo o meu plano de nutrição aplicado em consulta.

 Dicas naturais para aliviar a enxaqueca

    Prevenção de enxaquecas começa por evitar os gatilhos para esta. Na maioria das vezes, isso significa comer alimentos integrais saudáveis ​​(evitando os mais industrializados) e equilibrar o seu stress de forma eficaz. Seguindo meu plano de alimentação parece reduzir enxaquecas em cerca de 80% segundo relatos. É uma mudança de estilo de vida, não uma solução rápida e fácil. Evitando trigo, grãos, açúcar refinado, gorduras trans-saturadas.

    O exercício regular também pode ajudar a manter a enxaqueca distante, melhorando a sua resposta ao estresse, juntamente com as condições inflamatórias subjacentes que podem desencadear enxaquecas. Idealmente, essas são as coisas poderá focar de modo que possa reduzir as enxaquecas completamente, além de fomentar o uso de no mínimo 2,4 LITROS de água alcalina por dia. Além disso você poderá fazer algumas estratégias alternativas tais como:
    Estimular a capacidade analgésico natural do seu corpo. Ao colocar pressão sobre um nervo apenas sob sua sobrancelha, você pode fazer com que a glândula pituitária libere endorfinas analgésicas imediatamente . Os recém-chegados em consulta no meu consultório eu  utilizo em processo simples que por si só alcançam o alívio de 50% a 80% por cento do tempo e, em muitos casos a redução é completa e permanente.
    Tome um par de colheres de chá de pimenta caiena em um copo de água. As endorfinas são liberadas pelo cérebro quando o ‘Cayenne’ atinge o seu estômago. Outra alternativa é a engolir um bocado de pasta de ‘wasabi’ cheiro verde de maçã. Um estudo descobriu que o cheiro alivia significativamente a dor da enxaqueca. Isso também pode alternar com outros aromas que você gosta, a consulta com um aromaterapeuta pode ser benéfico.
    Quente / Frio compressa: Alternate compressas quentes e frias em sua testa e / ou atrás do pescoço. Massagem nas orelhas, os lóbulos das orelhas, e a “coroa” de sua cabeça – o anel de músculos que circundam sua cabeça é bem proveitoso.
——————————————————————————————
Referências:
    1 The Migraine Trust
    2 Migraine.com
    3 PLoS One 8(7): e71007
    4 Huffington Post July 26, 2013
    5 Nature Genetics 45, 912–917
    6 Huffington Post June 24, 2013
    7 Huffington Post April 22, 2013
    8 Scientific American July 21, 2013
    9 NutraIngredients.com April 2, 2009
    10 European Journal of Neurology 2004 Jul;11(7):475-7
    11 http://www.ncbi.nlm.nih.gov
    12 Cephalalgia 2010 Jul;30(7):829-37
    13 Lancet 1979 May 5;1(8123):966-9
    14 Sun Sentinel June 18, 2013

MERCOLA

AUTISMO E REVESTIMENTO DE VINIL OU VINÍLICO EM RESIDÊNCIAS, FTALATOS E VITAMINA D

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

AUTISMO E REVESTIMENTO DE VINIL OU VINÍLICO EM RESIDÊNCIAS, FTALATOS E VITAMINA D

Imagem

By; Dr. Júlio Caleiro – Publicado em 22 de Agosto de 2013.

===============================================================

Ftalatos:  Uma Investigação científica em 2009 descobriu que as crianças que viviam em casas com pisos de vinil, tinham duas vezes mais probabilidade de ter autismo cinco anos depois, em comparação com aqueles com madeira ou linóleo. Pisos de vinil podem emitir produtos químicos chamados ftalatos, que são amplamente utilizados como amaciadores de plástico encontrados em muito produtos além do piso de vinil, tais como:  Sprays, perfumes, cosméticos, brinquedos, cortinas, finalizadores de madeira, lubrificantes, certos dispositivos médicos e muito mais, tudo contêm ftalatos.

Os investigadores sugeriram que muitos produtos químicos em especial os ftalatos podem contribuir para o autismo, interrompendo hormonas não só em crianças pequenas, mas também nos seios inclusive em lactantes.

Além  do Vinil a deficiência de vitamina D é um grande fator que desencadeia o autismo: Há também uma ligação entre a deficiência de vitamina D em mulheres grávidas e o salto proporcional no autismo, que tem sido destacado por Dr. John Cannellvi.   O receptor de vitamina D aparece em uma ampla variedade de tecido cerebral precoce no desenvolvimento fetal, ou seja a vitamina D e os receptores ativados. A Dra. Campbell-McBride, muito famosa nos EUA,  que curou seu próprio filho de autismo, está convencida de que as crianças autistas nascem com cérebros perfeitamente normais e órgãos sensoriais também perfeitamente normais, mas que a flora intestinal ANORMAL foi passada da mãe para o filho, apresentando então um intestino com toxicidade, posteriormente refletida no cérebro. Em crianças com a síndrome (GAPS), a toxicidade que flui de seu intestino ao longo dos órgãos chega assim no cérebro e literalmente entope o cérebro com toxicidade, impedindo-o de realizar a sua função normal e processar as informações sensoriais.

——————————————————————————–

Referências:

*      Centers for Disease Control March 29, 2012                

VITAMINA ‘D’ NO TRATAMENTO DE DOENÇAS AUTOIMUNES E VÁRIAS OUTRAS!

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

By, Dr. Júlio Caleiro Pimenta – NUTRICIONISTA

===================================================

EFEITO DA VITAMINA D SOBRE A PSORÍASE, LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO, VITILIGO E MUITAS OUTRAS.  ABAIXO AS IMAGENS POSTADAS E EXTRAÍDAS DO VÍDEO DO DR. CÍCERO GALLI COIMBRA- NEUROLOGISTA PhD,  demonstrando a eficácia do tratamento ignorado pela maioria dos médicos, na Câmara dos Deputados em Brasília. Assista ao vídeo na íntegra aqui –> https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=RlLYCP7wgkw#t=92Imagem

ImagemImagemImagem

esclerose-multipla

Extrato de cereja tem atividade anti-inflamatória natural comparável a ibuprofeno e naproxeno!

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–
cerejas

Em 21 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone: (35) 3531-8423.

Por um motivo desconhecido, o órgão de fiscalização FDA nos EUA (equivalente a ANVISA no Brasil) proibia os produtores de cerejas em citar estudos científicos mostrando que as cerejas possuem antocianinas únicas e outros compostos que naturalmente apresentam efeitos anti-inflamatórios potentes (Behav Brain Res. 2004 Aug 12;153(1):181-8.; J Agric Food Chem. 2001;49:4924-9; J Nat Prod. 1999;62:294-6; J Biomed Biotechnol. 2004;5:253-8.)

Conforme estudo científico, estes compostos possuem atividades anti-inflamatórias comparáveis a medicamentos como IBUPROFENO (Advil) e NAPROXENO (Aleve), mas sem os severos efeitos secundários destes medicamentos no organismo (Seeram NP, Momin RA, Nair MG, Bourquin LD. Cyclooxygenase inhibitory and antioxidant cyanidin glycosides in cherries and berries. Phytomedicine. 2001 Sep;8(5):362-9.). Aqui já se percebe a surpreendente potente função anti-inflamatória das cerejas.

O tratamento padrão para dor muscular e inflamação tem sido com medicamentos anti-inflamatórios não-esteróides. Mas, eles podem ter efeitos colaterais mortais, incluindo hemorragia gástrica, ataque cardíaco e insuficiência renal, por isso, a busca por agentes naturais ganhou maior atenção (Clin Drug Investig. 2012 Feb;32 Suppl 1:53-63.; Mol Nutr Food Res. 2010;55:74-82).

Os compostos encontrados em cerejas modulam inúmeros meios para se proteger contra outras condições associadas com a inflamação, incluindo: câncer, doenças cardiovasculares, síndrome metabólica e doença de Alzheimer (Crit Rev Food Sci Nutr. 2011 Jan;51(1):1-12.; Molecules. 2010 Oct 12;15(10):6993-7005.; J Agric Food Chem. 2009 Feb 25;57(4):1239-46.; Curr Mole Med. March 2003;3(2):149-59.). Em um surpreendente estudo, verificaram que os componentes da cereja promoveram uma redução em 65% de mortes prematuras por doenças cardiovasculares (FASEB J. Apr 2011;25(Meeting Abstract Supplement):980.10.).

Um dos mais potentes flavonóides são as antocianinas, e as cerejas fornecem ALTOS níveis de antocianinas, e com isso, entregam uma importante atividade antioxidante e anti-inflamatória. As cerejas foram classificas em 14º lugar entre os 50 melhores alimentos de maior teor de antioxidantes por porção, superando essas fontes de antioxidantes contidos, até mesmo, no chocolate amargo e no vinho vermelho (Am J Clin Nutr. 2006;84:95-135). Com isso, verificaram os pesquisadores que as cerejas promovem proteção contra o câncer (Cancer Lett. 2003 May 8;194(1):13-9.; Cancer Chemoth Pharm. 2009 June;64(1):201-11.), regula a glicose no corpo, sendo um IMPORTANTE auxílio para quem tem DIABETES (Recent Pat Endocr Metab Immune Drug Discov. 2012 Jan;6(1):67-72.).

Enumerarei alguns dos vários benefícios do extrato de cerejas, de forma resumida. Vejamos:

1. Extrato de cereja protege os músculos

A cereja é benéfica aos praticantes de atividade física, pois diminui a dor muscular pós exercício, protegendo contra lesão muscular, e acelerando a recuperação muscular (Am J Vet Res. 2009 Jun;70(6):758-63.; Journal Int Soc Sports. 2010;7:1; Scand J Med Sci Sports. 2010;20:843-52; Br J Sports Med. 2006;40:679-83.; Med Sci Sports Exerc. 2011;43:1544-51.).

2. Extrato de cereja trata OSTEOARTRITE

O extrato de cereja apresentou benefícios em casos de OSTEOARTRITE. Em um estudo de 2007, pesquisadores do Instituto de Pesquisa Baylor deu cerejas em forma de pílulas para pacientes com osteoartrite de joelho. Após 8 semanas, metade dos indivíduos apresentaram uma SIGNIFICATIVA MELHORA na dor e funções do joelho (http://media.baylorhealth.com/releases/Can-Cherries-Relieve-the-Pain-of-Osteoarthritis.)

Em 2013, um outro estudo, controlado por placebo, foi apresentado na reunião anual do American College of Sports Medicine, antes de sua publicação. Os cientistas mediram os impactos da cereja sobre os biomarcadores inflamatórios séricos de pacientes com osteoartrite inflamatória ((Pacientes com osteoartrite inflamatória ou erosiva são aqueles que sofrem de sinais súbitos de inflamação, tais como vermelhidão, dor e inchaço). O estudo incluiu 20 pacientes do sexo feminino entre 40 e 70 anos que tinham dores moderadas de osteoartrite. Os pacientes consumiram doses de suco de cereja, e outro grupo uma bebida ‘controle’, durante 3 semanas. Os pacientes que consumiram suco de cereja apresentaram diminuição significativa da inflamação, com redução dos níveis da proteína C reativa (Kuehl KS, Elliot DL, Sleigh A, Smith J. Efficacy of tart cherry juice to reduce inflammation biomarkers among women with inflammatory osteoarthritis. J Food Stud. 2012;1:14-25.).

Todos esses resultados comprovam os benefícios do extrato de cereja para pacientes com osteoartrite, e o melhor, sem os efeitos adversos dos medicamentos tradicionais.

3. Extrato de Cereja trata de ácido úrico elevado e gota

O Extrato de cereja apresentou excelentes resultados nos casos de gota e elevado ácido úrico no sangue. A esse respeito, o médico norte americano Dr. Joseph Mercola diz:

“Em um estudo com mais de 600 pessoas com gota, aqueles que comiam uma porção de meia xícara de cerejas por dia (10 a 12 cerejas), ou o extrato de cereja, tiveram um risco de 35% menor de um ataque de gota. Aqueles que comeram mais cerejas, até três porções em dois dias, tiveram uma redução maior ainda, de 50% no risco de ataque – (Arthritis & Rheumatism Vol. 64, Issue 10.) Elas [as cerejas] contém compostos poderosos, como antocianinas e bioflavonóides que são conhecidos para combater a inflamação. Eles também pode ser benéfico em razão do seu impacto sobre os níveis de ácido úrico. A gota ocorre quando os processos metabólicos que controlam a quantidade de ácido úrico no sangue não conseguem fazer seu trabalho de forma eficaz. Estudos descobriram que comer duas porções de cerejas a noite, provoca uma redução de 15% do ácido úrico, de óxido nítrico e dos níveis da proteína C reativa (que estão associados com doenças inflamatórias como a gota) – J Nutr. 2003 Jun;133(6):1826-9. Consumir suco de cereja diariamente durante 4 semanas pode diminuir seus níveis de ácido úrico (The FASEB Journal. 2011;25:339.2).”

4. Extrato de cereja reduz inflamação crônica da obesidade

A inflamação crônica aumenta significativamente o risco de uma série de condições, incluindo câncer e doenças do coração (Proc Natl Acad Sci USA. 2012 Oct 16;109 Suppl 2:17281-8.). Todavia, poucos sabem que a obesidade pode ser tanto causa como consequencia de uma inflamação crônica (J Clin Endocrinol Metab. 2004;89(6):2548-5; Br J Nutr. 2011 Dec;106 Suppl 3:S5-78.). Em indivíduos obesos, os depósitos de gordura na barriga geram uma torrente de moléculas pró-inflamatórias conhecido como CITOCINAS. Se nada for feito, estas CITOCINAS desencadeiam uma cascata de destruição que pode levar a uma série de doenças degenerativas ( J Neurosci. 2012 Jul 25;32(30):10201-10.; Obes Res. 2003 Apr;11(4):525-31.)

Pesquisadores demonstraram que humanos adultos obesos ou com sobrepeso que consumiram uma dose diária de suco de cereja, por 4 semanas, apresentaram significativa redução da inflamação (FASEB J. April 2011;25 (Meeting Abstract Supplement):339.2.). Cereja é uma ferramenta potente para inibir a inflamação crônica relacionada à obesidade, o que pode até mesmo inibir a própria obesidade em si.

5. Extrato de cereja tem ação anti-câncer

Estudos tem mostrado que as antocianinas encontradas em cerejas (Prunus cerasus L) pode DESLIGAR genes envolvidos no desenvolvimento de câncer, os quais incluem genes para a proliferação celular e inflamação, e por angiogênese (formação de novos vasos sanguineos para alimentar um tumor (Curr Mole Med. March 2003;3(2):149-59.; Cancer Lett. 2008 Oct 8;269(2):281-90.; Biochemistry (Mosc). 2004 Jan;69(1):75-80, 1 p preceding 75).

AS antocianinas podem também desencadear a apoptose, a morte celular programada, QUE FAZ COM QUE AS CÉLULAS PRÉ-CANCEROSAS SE ‘AUTO-DESTROEM’ (Int J Oncol. 2003 Sep;23(3):705-12.)
Em 2011, uma revisão de estudos concluíram que as cerejas exercem uma VARIEDADE de efeitos anti-cancerígenos (McCune LM, Kubota C, Stendell-Hollis NR, Thomson CA. Cherries and health: a review. Crit Rev Food Sci Nutr. 2011 Jan;51(1):1-12).

6. Extrato de cereja previne doenças do coração

Níveis elevados do colesterol LDL é um fator de aparecimento da aterosclerose e outras doenças cardiovasculares (CurrAtheroscler Rep. 2013 Apr;15(4):312.). Um estudo com animais, verificaram que o extrato de cereja promoveu redução do colesterol, da gordura corporal, do peso, e gordura abdominal. Ainda as cerejas promoveram redução da inflamação em locais como barriga e coração, locais ligados a riscos de doenças cardíacas ( FASEB J. 2010 April;24(Meeting Abstract Supplement):335.1.; FASEB J. 2011 March;25(Meeting Abstract Supplement):980.10.; FASEB J. 2008 March;22(Meeting Abstract Supplement):702.7.).

Em 2011, os cientistas relataram uma diminuição de 26% nos níveis de colesterol em ratos que receberam pó de cereja, bem como uma redução de 65% na mortalidade precoce. Esta menor mortalidade foi acreditado por ser devido à melhoria da saúde cardiovascular (FASEB J. 2011 March;25(Meeting Abstract Supplement):980.10.).

Em seres humanos, os pesquisadores investigaram o impacto do suco de cereja nos níveis de triglicérides. Eles relataram em 2011 que o consumo de uma dose diária de suco de cereja reduziram os triglicérides por mais de 17% em média! – FASEB J. April 2011;25 (Meeting Abstract Supplement):339.2.

Juntos, esses estudos sugerem que cerejas promovem a saúde cardiovascular, diminuindo de forma segura dos níveis de colesterol e triglicérides, bem como outros fatores de risco.

7. Promove defesa em face de doenças Neurodegenerativas

A combinação do envelhecimento com extresse oxidativo pode causar a morte de alguns neurônios em determinas regiões do cérebro, contribuindo para surgimento de doenças neurodegeranativas como doença de Alzheimer, Parkinson, Huntington’s, bem como esclerose lateral amiotrófica – ELA, e declínio cognitivo geral (Biochem. J.2001;358:547-57.; Drugs Aging.2001;18(9):685-716.; Progr. Neurobiol. 2000;60:409-70.). Um relatório científico concluiu que as fontes de compostos polifenólicos, como as cerejas, tem uma função neuroprotetora (Biochem. J.2001;358:547-57.).

As cerejas possuem substancias bioativas que são caracterizadas por apresentaram benefícios múltiplos contra doenças degenerativas (Crit Rev Food Sci Nutr. 2011 Jan;51(1):1-12.; J Agric Food Chem. 2005;53:9921-7.). Os pesquisadores ao verificarem que as cerejas são ricas em compostos fenólicos, incluindo as antocianinas, descreveram-nas como possuindo ‘uma forte atividade anti-neurodegenerativa.” – Kim DO, Heo HJ, Kim YJ, Yang HS, Lee CY. Sweet and sour cherry phenolics and their protective effects on neuronal cells. J Agric Food Chem. 2005;53:9921-7.

É bom saber que há duas formas de extrato de CEREJA: Prunus cerasus L e Prunus avium L.. Particularmente, indico o extrato de cereja ‘Prunus cerasus L’ por ser mais rica em antocianinas e bioflavonóides. Mas, ambas as formas apresentam resultados benéficos à saúde.

Os benefícios são diversos, e aqui, foram relatados apenas alguns deles. Um produto natural que é comparável a potentes medicamentos anti-inflamatórios como naproxeno, e ibuprofeno, sem apresentar os efeitos adversos destes, não pode ser ignorado no tratamento de saúde das pessoas, que padecem das respectivas doenças inflamatórias, concorda?

Aplique os princípios da nutrição funcional em seu tratamento de saúde!

– Lifeextension.com

Flúor tem atividade ‘anti-tireóide’

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

labfa-tireoide-corte-475x240

Em 19 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Um estudo clínico relatou que doses de apenas 2 à 3 miligramas de flúor (dose que geralmente os americanos recebem naturalmente por dia) foram suficientes para reduzir a atividade da tireóide em pacientes com hipertireoidismo (http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/08/13/fluoride-and-thyroid-dysfunction.aspx).

Uma análise recente feito nos EUA, estima-se que o adulto americano consome cerca de 3mg de flúor diariamente, e alguns fazem ingestão diária de 6 mg ou mais. Este dado possivelmente é semelhante no Brasil, onde o tratamento de água recebe doses de flúor. (EPA (U.S. Environmental Protection Agency). 2010. Fluoride: Exposure and Relative Source Contribution Analysis. Health and Ecological Criteria Division. Office of Water. Washington, D.C.).

Ainda mais preocupante, no entanto, são as doses de flúor em crianças. A ingestão de flúor superiores a 0.7mg por dia, coloca a criança em risco de disfunção endócrina. Estima-se que as crianças entre 1 a 3 anos consomem mais de 1,5mg de flúor por dia, ou mais de duas vezes a quantidade necessária para induzir a alteração da função da tireóide. Estas exposições crônicas podem ter efeitos profundos e ao longo da vida no desenvolvimento social, físico, sexual e intelectual global das crianças.

Considerando que as doses de 2mg de flúor chegaram a ser utilizadas para tratar uma tireóide com grande atividade (hipertireoidismo) é evidente que a ingestão diária desta mesma dose gerará ou facilitará o quadro geral de hipotireoidismo em pessoas saudáveis. O tema é muito preocupante, pois há ligação entre o hipotireoidismo em mulheres grávidas e a redução de QI em crianças, e ainda, como contribuição para o desenvolvimento de autismo.

Com o hipotireoidismo, observam-se sintomas como: mãos e pés frios, baixa temperatura corporal, sensibilidade ao frio, sensação de estar sempre gelado, dores de cabeça, insônia, pele seca, olhos inchados, perda de cabelo, unhas quebradiças, dores articulares, constipação, esgotamento mental, fadiga, infecções freqüentes, voz rouca, zumbido nos ouvidos, tonturas perda de libido e ganho de peso (às vezes, incontrolável).

Assista o vídeo do médico Dr. Lair Ribeiro, nutrólogo e cardiologista, abordando o presente tema:

Referências

1. Maumené E. 1854. Compt Rend Acad Sci 39:538.
2. Connett P, Beck J, Micklem HS. 2010. The Case Against Fluoride. How Hazardous Waste Ended Up in Our Drinking Water and the Bad Science and Powerful Politics That Keep It There. Chelsea Green Publishing: White River Junction, VT. 372 Pp. / Ding Y, Gao Y, Sun H, et al. 2011. The relationships between low levels of urine fluoride on children’s intelligence, dental fluorosis in endemic fluorosis areas in Hulunbuir, Inner Mongolia, China. J Hazard Mater. Feb 28;186(2-3):1942-6. / Xiang Q, Liang Y, Chen B, et al. 2010. Serum fluoride level and children’s Intelligence Quotient in two villages in China. Env Health Persp (Online 17 Dec 2010). doi:10.1289/ehp.1003171.
3. Lin FF, Aihaiti HX, Zhao J, et al. 1991. The relationship of a low-iodine and high-fluoride environment to subclinical cretinism in Xinjiang. IDD Newsletter 7(3):24-25.
4. EPA (U.S. Environmental Protection Agency). 2010. Fluoride: Exposure and Relative Source Contribution Analysis. Health and Ecological Criteria Division. Office of Water. Washington, D.C.
5. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/08/13/fluoride-and-thyroid-dysfunction.aspx
6. Galletti P, Joyet G. Effect of Fluorine on Thyroidal Iodine Metabolism in Hyperthyroidism. Journal of Clinical Endocrinology.
7. http://www.lef.org//magazine/mag2006/apr2006_report_oral_02.htm
8. National Research Council. 2006. Fluoride in Drinking Water: A Scientific Review of EPA’s Standards. National Academies Press: Washington, DC.

Saúde tireoidiana: L-Tirosina ‘versus’ hormônios sintéticos T3-T4, qual o melhor para a saúde?

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

labfa-tireoide-corte-475x240

Em 15 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

Um estudo de 2004 descobriu que a administração de L-Tirosina (aminoácido básico) leva a uma redução significativa do TSH [o que é positivo para quem sofre do hipotireoidismo], e melhoria do humor no inverno em comparação com o placebo. Já os hormônios sintéticos T4-T3 combinados, conduziram a um agravamento no estado de espírito dos pacientes tanto no verão como no inverno, e NENHUMA melhoria foi observada.

Assim, vê-se a efetividade do uso de um nutriente essencial à tireóide para o restabelecimento de suas naturais funções.

Ademais, um estudo italiano publicado na revista Reproductive Biology and Endocrinology intitulado “Levotiroxina e câncer de pulmão em mulheres: a importância do estresse oxidativo” indicou a possibilidade de o hormônio sintético T4 levotiroxina (nomes comerciais: Synthroid, PuranT4, Levoid, Euthyrox), usado para tratar milhões de pessoas diagnosticadas com hipotireoidismo, em aumentar o risco de câncer de pulmão. O estudo sugere que o estresse oxidativo gerado pelo T4 sintético, é uma das causas de doenças crônicas e câncer.

Dessa forma, antes de realizar o tratamento de ‘reposição’ hormonal, verifique a possibilidade de dar à sua tireoide os nutrientes básicos e essenciais para o seu saudável funcionamento.

Dr. Lair Ribeiro, médico PhD cardiologista e nutrólogo, ao abordar sobre a importância da Tirosina e Iodo para a saúde da tireoide informa que:

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências:

1. South Med J. 2004 Jan;97(1):30-4. PMID http://www.greenmedinfo.com/article/amino-acid-tyrosine-superior-synthetic-t4t3-combination-reducing-tsh-and-improving-mood
2. http://www.greenmedinfo.com/blog/study-millions-treated-hypothyroidism-risk-lung-cancershttp://www.rbej.com/content/pdf/1477-7827-11-75.pdf

Extrato de Cereja e vitamina C tratam eficazmente de ácido úrico elevado no sangue [hiperuricemia]

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
——————————————————————–

acidourico

Em 14 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 3531-8423.

A hiperuricemia se caracteriza pelo elevado nível de ácido úrico no sangue, que é um fator de alto risco para desenvolvimento de doenças como gota, hipertensão, síndrome metabólica. Gota é uma das mais antigas formas conhecidas e mais comum de artrite, é uma doença de deposição de cristais de urato monossódico (principalmente) nas articulações e outros tecidos.

O ácido úrico é o produto final do metabolismo das purinas em seres humanos. Purinas são componentes de nucleosídeos, os blocos de construção de DNA e RNA. O ácido úrico é, portanto, um ‘produto de resíduos metabólico’ com baixa solubilidade em fluidos do corpo, mas o seu papel como um antioxidante primário nos fluídos corporais, sugere que ele deve ser mantido em níveis suficientes no sangue. Geralmente, o limite é de 8,6mg/dl em homens e 7,1 mg/dl em mulheres (apesar de alguns laboratórios e grupos de investigação usarem limites diferentes). Níveis de ácido úrico acima destes limites são considerados como hiperuricemia.

Todavia, o médico norte-americano Dr. Joseph Mercola traz informação mais atualizada a respeito:

De acordo com as últimas pesquisas, a faixa mais segura para o ácido úrico está entre 3 e 5,5 miligramas por decilitro. Dr. Richard Johnson, professor de medicina na Universidade do Colorado, sugere que os níveis de ácido úrico ideais são, provavelmente, em torno de: 4 mg/dL para homens e 3,5 mg/dL para mulheres.”

A hiperuricemia está associada a maior risco de gota (artrite), pedras nos rins ou bexiga (litíase urinária). A presença de cálculos de oxalato de cálcio é de 10 à 30 vezes maior em pacientes com gota do que aqueles sem gota. Além disso, é fator de risco para doenças cardiovasculares, aumento no rico de eventos coronarianos, insuficiência cardíaca, pressão alta, acidente vascular cerebral, síndrome metabólica, diabetes tipo 2 (Arthritis Care Res. 2011;63(1):102–11; Int. J. Cardiol. 2010;142(3):279–287; Arthritis Care Res. 2011;63(1):102–110; Curr Rheumatol Rep 2010; 12:108–17; Rheumatology (Oxford). 2009;48 Suppl 2:ii2–ii8; Rheumatology 2010; 49:2400–7; Arthritis Rheum. 2011;63(10):3136–3141) .

Quais nutrientes podem auxiliar EFICAZMENTE no tratamento de hiperuricemia?

O principal deles é o extrato de CEREJA (Prunus cerasus L ou Prunus avium L.). Particularmente, indico o extrato de cereja ‘Prunus cerasus L’ por ser mais rica em antocianinas e bioflavonóides. Mas, ambas as formas apresentam resultados benéficos à saúde.
As cerejas, rica em polifenóis antioxidantes, são utilizadas tradicionalmente para o tratamento de gota e num estudo de 1950, ficou demonstrada a diminuição da duração e gravidade dos ataques de gota em pessoas que fizeram suplementação com cerejas (Tex Rep Biol Med . 1950;8(3):309-11). Duas investigações mais recentes tem demonstrado o papel de cerejas na gestão de gota. Após uma única dose de 280g de cerejas, os níveis de ácido úrico no sangue em 10 mulheres saudáveis diminuiu em 14% após 5 horas, com uma diminuição de marcadores de inflamação (PCR) – . J Nutr. 2003;133(6):1826–1829. Um segundo estudo com 100 pacientes com gota, passaram a ingerir uma quantidade de suco concentrado de cereja por 4 à 6 meses, e que revelou uma diminuição nos marcadores de inflamação, bem como redução em 50% dos ataques de gota em 92% dos pacientes(Jancin B. Cherry Juice Flowing in Gout Treatment Pipeline. Family Practice News. 2010.).

A esse respeito, Dr. Joseph Mercola diz que:

“Em um estudo com mais de 600 pessoas com gota, aqueles que comiam uma porção de meia xícara de cerejas por dia (10 a 12 cerejas), ou o extrato de cereja, tiveram um risco de 35% menor de um ataque de gota. Aqueles que comeram mais cerejas, até três porções em dois dias, tiveram uma redução maior ainda, de 50% no risco de ataque – (Arthritis & Rheumatism Vol. 64, Issue 10.) Elas [as cerejas] contém compostos poderosos, como antocianinas e bioflavonóides que são conhecidos para combater a inflamação. Eles também pode ser benéfico em razão do seu impacto sobre os níveis de ácido úrico. A gota ocorre quando os processos metabólicos que controlam a quantidade de ácido úrico no sangue não conseguem fazer seu trabalho de forma eficaz. Estudos descobriram que comer duas porções de cerejas a noite, provoca uma redução de 15% do ácido úrico, de óxido nítrico e dos níveis da proteína C reativa (que estão associados com doenças inflamatórias como a gota) – J Nutr. 2003 Jun;133(6):1826-9. Consumir suco de cereja diariamente durante 4 semanas pode diminuir seus níveis de ácido úrico (The FASEB Journal. 2011;25:339.2).”

Além da cereja, a vitamina C em altas doses, exerce um efeito na redução de ácido úrico, através da inibição da enzima xantina oxidase. Em uma ampla revisão de 13 ensaios clínicos randomizados de suplementação de vitamina C, em um total de 556 adultos com função renal normal, foi observada uma redução média de ácido úrico no sangue de 0.35ml/dL para cada dose média de 500mg/dia por 30 dias (Arthritis Care Res. 2011;63(9):1295–1306.).

É bom, também, manter sempre bons níveis de vitamina D3, zinco e magnésio no organismo, para que a saúde se fortaleça naturalmente.

Referências:
1. Grayson PC, Kim SY, LaValley M, Choi HK. Hyperuricemia and incident hypertension: a systematic review and meta-analysis. Arthritis Care Res. 2011;63(1):102–110.
2. Grayson PC, Kim SY, LaValley M, Choi HK. Hyperuricemia and incident hypertension: a systematic review and meta-analysis. Arthritis Care Res. 2011;63(1):102–110.
3. Blau LW. Cherry diet control for gout and arthritis. Tex Rep Biol Med . 1950;8(3):309-11.
4. Jacob RA, Spinozzi GM, Simon VA, et al. Consumption of cherries lowers plasma urate in healthy women. J Nutr. 2003;133(6):1826–1829.
5. Jancin B. Cherry Juice Flowing in Gout Treatment Pipeline. Family Practice News. 2010.
6. Juraschek SP, Miller ER III, Gelber AC. Effect of oral vitamin C supplementation on serum uric acid: A meta-analysis of randomized controlled trials. Arthritis Care Res. 2011;63(9):1295–1306.
7. Dao HH, Harun-Or-Rashid M, Sakamoto J. Body compos- ition and metabolic syndrome in patients with primary gout in Vietnam. Rheumatology 2010; 49:2400–7.
8. Zhu Y, Pandya BJ, Choi HK. Prevalence of gout and hyperuricemia in the US general population: The National Health and Nutrition Examination Survey 2007-2008. Arthritis Rheum. 2011;63(10):3136–3141.
9. Feigelson P. The inhibition of xanthine oxidase in vitro by trace amounts of I-ascorbic acid. J Biol Chem 1952;197:843–50.
10. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2012/10/15/cherries-reduce-gout-attack-risks.aspx
11. http://www.lef.org/protocols/immune_connective_joint/gout_02.htm

A vitamina D3 é indispensável no tratamento de diabetes

diabetes

Em 13 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA – ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com

Dr. Júlio Caleiro Aplica o Tratamento à base de vitamina D3!
————————————————————-

A vitamina D desempenha uma importante função no tratamento do diabetes. Pessoas com diabetes (ambos os tipos I e II) tem níveis ainda baixos de vitamina D em comparação com a população em geral (Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 Jun;39(2):419-46, table of contents; Mol Cell Endocrinol. 2011 Dec 5;347(1-2):106-20.). A deficiência de vitamina D faz aumentar em 91% a probabilidade da progressão para a resistência à insulina ou ‘pré-diabetes (mesmo para aqueles com o açúcar normal no sangue). Além disso, a deficiência de vitamina D mais do que dobra o risco de progressão para o diabetes tipo II (Cardiovasc Diabetol. 2013;12:17).

Esta estreita ligação entre vitamina D e diabetes é devido aos receptores da vitamina D, que são encontrados em células produtoras de insulina no pâncreas e no fígado, gordura e tecido muscular, os quais influenciam no destino da glicose no seu sangue (Endocrinol Metab Clin North Am. 2010 Jun;39(2):419-46, table of contents.).

Por exemplo, as células brancas do sangue, chamadas macrófagos, tem receptores de vitamina D. Quando os macrófagos são analisados a partir de diabéticos, eles exibem um elevado teor de gordura, o que contribui para um aumento do risco cardiovascular dos pacientes diabéticos. No entanto, quando as células são tratadas em laboratório com vitamina D, cessam a absorção de gordura e com isso, o diminui o risco cardiovascular(Circulation. 2009 Aug 25;120(8):687-98).

Da mesma forma, em relação aos controles saudáveis, os animais em laboratório DIABÉTICOS apresentaram baixos níveis de insulina e baixos receptores de vitamina D em seus cérebros, e apresentaram mais gordura corporal, altos níveis de inflamação, danos ao DNA, e um desempenho ruim em testes de memória e cognição (lembre-se que a doença de Alzheimer tem sido chamada de ‘diabetes do cérebro’). Mas, com a suplementação de vitamina D, todas essas funções são restauradas para níveis próximos aos normais, incluindo melhora cognitiva (saúde cerebral). Esta descoberta mostra o potencial da vitamina D para ajudar a reverter o processo de diabetes.(J Nutr Biochem. 2011 May;22(5):418-25; J Diabetes Complications. 2012 Sep-Oct;26(5):363-8; Nutr Res. 2008 Nov;28(11):783-90.)

As alterações inflamatórias em animais diabéticos, como em humanos, levam a um aumento da gordura no fígado, uma condição conhecida como doença hepática gordurosa não alcoólica. Quando diabéticos humanos com marcadores inflamatórios elevados foram suplementados com vitamina D diariamente, a inflamação reduziu substancialmente(Hepatology. 2012 Apr;55(4):1103-11; Diabetes Metab Res Rev. 2012 Jul;28(5):424-30.).

Uma notável notícia é que a vitamina D diminui a progressão do pré-diabetes ao diabetes (Am J Clin Nutr. 2011 Aug;94(2):486-94.).

A suplementação de vitamina D também beneficia aqueles que já tem o diabetes. Os diabéticos que receberam uma importante dose de vitamina D no iogurte apresentaram quedas significativas no nível de açúcar no sangue em jejum, na resistência à insulina, na circunferência da cintura, e índice de massa corporal, em comparação com o grupo do controle (que não recebeu a vitamina D) – Am J Clin Nutr. 2011 Apr;93(4):764-71.

Estudos mostram que a suplementação com vitamina D3 pode reduzir a pressão arterial, colesterol total, colesterol LDL, fatores de risco para doenças cardíacas e renais para diabéticos (Saudi J Kidney Dis Transpl. 2012 Nov;23(6):1215-20). Tratamento com vitamina D3 também reduz significativamente os níveis de proteína na urina, um marcador de doença renal (J Med Assoc Thai. 2012 Mar;95 Suppl 3:S41-7.).

Vitamina D, diabetes e a Gestação!

Por que a vitamina D é tão importante para as mulheres grávidas e recém-nascidos?

Manter os níveis ideais de vitamina D é facilmente uma das estratégias mais importantes para mulheres grávidas, justamente para manter a si mesmos e seus bebês saudáveis.
Nos EUA os pesquisadores ‘Hollis e Wagner’ divulgou recentemente os resultados impressionantes a partir do que é considerado o primeiro estudo científico que atenda aos critérios mais rigorosos para a “investigação baseada em evidências” em vitamina D e gravidez.
Seus resultados foram discutidos em uma recente conferência internacional de pesquisa de vitamina D em Brugge , Bélgica, e incluíram:
Mães que tomaram vitamina D em DOSES CORRETAS TIVERAM durante a gravidez menor risco de parto prematuro reduzido pela metade e risco reduzido para diabetes gestacional. Os bebês prematuros nascidos de mulheres que tomam altas doses de vitamina D foram reduzidos pela metade em ambos. Também houve menos bebês que nasceram prematuramente. As mulheres que tomam doses corretas de vitamina D tiveram uma redução de 25% em infecções, particularmente as infecções respiratórias tais como constipações e gripe , bem como de infecções menores da vagina e as gengivas. As ” morbidades centrais da gravidez ” foram reduzidos em 30% nas mulheres que tomaram a altas doses de vitamina D. (incluindo diabetes, pressão arterial elevada, e pré -eclâmpsia – um aumento potencialmente mortal da pressão arterial e de fluidos). Os bebês recebendo as maiores quantidades de vitamina D após o nascimento tiveram menos resfriados e menos eczema.

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA – ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com
———————————————
Alerto que o tratamento à base de vitamina D3 deve ser feito necessariamente com acompanhamento médico ou de nutricionista aptos a esta natureza de terapia.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências científicas:
1. Takiishi T, Gysemans C, Bouillon R, Mathieu C. Vitamin D and diabetes. Endocrinol Metab Clin North Am.2010 Jun;39(2):419-46, table of contents.
2. Wolden-Kirk H, Overbergh L, Christesen HT, Brusgaard K,
Mathieu C. Vitamin D and diabetes: its importance for beta cell and immune function. Mol Cell Endocrinol.2011 Dec 5;347(1-2):106-20.
3. Huang Y, Li X, Wang M, et al. Lipoprotein lipase links vitamin D, insulin resistance, and type 2 diabetes: a cross-sectional epidemiological study. Cardiovasc Diabetol. 2013;12:17.
4. Oh J, Weng S, Felton SK, et al. 1,25(OH)2 vitamin d inhibits foam cell formation and suppresses macrophage cholesterol uptake in patients with type 2 diabetes mellitus. Circulation. 2009 Aug 25;120(8):687-98.
5. Kumar PT, Antony S, Nandhu MS, Sadanandan J, Naijil G, Paulose CS. Vitamin D3 restores altered cholinergic and insulin receptor expression in the cerebral cortex and muscarinic M3 receptor expression in pancreatic islets of streptozotocin induced diabetic rats. J Nutr Biochem. 2011 May;22(5):418-25.
6. Meerza D, Naseem I, Ahmed J. Effect of 1, 25(OH)(2) vitamin D(3) on glucose homeostasis and DNA damage in type 2 diabetic mice. J Diabetes Complications. 2012 Sep-Oct;26(5):363-8.
7. Siddiqui SM, Chang E, Li J, et al. Dietary intervention with vitamin D, calcium, and whey protein reduced fat mass and increased lean mass in rats. Nutr Res. 2008 Nov;28(11):783-90.
8. Roth CL, Elfers CT, Figlewicz DP, et al. Vitamin D deficiency in obese rats exacerbates nonalcoholic fatty liver disease and increases hepatic resistin and Toll-like receptor activation. Hepatology. 2012 Apr;55(4):1103-11.
9. Shab-Bidar S, Neyestani TR, Djazayery A, et al. Improvement of vitamin D status resulted in amelioration of biomarkers of systemic inflammation in the subjects with type 2 diabetes. Diabetes Metab Res Rev. 2012 Jul;28(5):424-30.
10. Mitri J, Dawson-Hughes B, Hu FB, Pittas AG. Effects of vitamin D and calcium supplementation on pancreatic beta cell function, insulin sensitivity, and glycemia in adults at high risk of diabetes: the Calcium and Vitamin D for Diabetes Mellitus (CaDDM) randomized controlled trial. Am J Clin Nutr. 2011 Aug;94(2):486-94.
11. Nikooyeh B, Neyestani TR, Farvid M, et al. Daily consumption of vitamin D- or vitamin D + calcium-fortified yogurt drink improved glycemic control in patients with type 2 diabetes: a randomized clinical trial. Am J Clin Nutr. 2011 Apr;93(4):764-71.
12. Bonakdaran S, Hami M, Hatefi A. The effects of calcitriol on albuminuria in patients with type-2 diabetes mellitus. Saudi J Kidney Dis Transpl. 2012 Nov;23(6):1215-20.
13. Krairittichai U, Mahannopkul R, Bunnag S. An open label, randomized controlled study of oral calcitriol for the treatment of proteinuria in patients with diabetic kidney disease. J Med Assoc Thai. 2012 Mar;95 Suppl 3:S41-7.
14. lifeextension.com

16. Obstetrical and Gynecological Survey 65(4): April 2010
Experimental Biology 2010, April 24-28, 2010, Anaheim, California
Eurekalert April 25, 2010

Benefícios do óleo de coco no hipotireoidismo, emagrecimento, sistema imune, e saúde cerebral

Post_Oleo_de_Coco_set012-Cópia1

Em 11 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Sintomas como mãos e pés frios, baixa temperatura corporal, sensibilidade ao frio, sensação de estar sempre gelado, dores de cabeça, insônia, pele seca, olhos inchados, perda de cabelo, unhas quebradiças, dores articulares, constipação, esgotamento mental, fadiga, infecções freqüentes, voz rouca, zumbido nos ouvidos, tonturas perda de libido e ganho de peso (às vezes, incontrolável), pode estar associado a uma disfunção da tireóide (hipotireoidismo).

Há estudos apontando que a principal causa de problemas com o peso (especialmente em mulheres), está relacionada a uma disfunção da tireóide. Muitos óleos alimentares (ex: óleo vegetal de soja) afetam negativamente a função da tireóide. O fisiologista Dr. Ray Peat Ph.D, escreveu que: “Óleos poliinsaturados tem um importante efeito na interferência na função da glândula da tireóide. Óleos insaturados bloqueiam a secreção do hormônio da tireóide, o seu movimento no sistema circulatório, e a resposta dos tecidos ao hormônio. Quando o hormônio da tireóide é essencialmente baixo, o corpo é geralmente exposto a níveis elevados de estrogênio. O hormônio da tireóide é necessário para a utilização e eliminação do colesterol” (http://raypeat.com/articles/articles/unsaturated-oils.shtml).

Dra. Cherie Calbom, nutricionista clínica em St Luke Medical Center, Bellevue, Washington, mestre em nutrição pela Universidade de Bastyr, e autora de diversos livros sobre alimentação e saúde, dentre eles, o livro “Dieta do Coco: O ingrediente secreto que ajuda a perder peso” explica que:

O óleo de coco é uma gordura saturada composta principalmente por ácidos gordos de cadeia média [também conhecida como triglicerídeos de cadeia média] são conhecidos por aumentar o metabolismo e promover a perda de peso. O óleo de coco também pode elevar a temperatura corporal basal, aumentando o metabolismo. Esta é uma boa notícia para as pessoas que sofrem com baixa função da tireóide. Vários estudos tem mostrado que os triglicerídeos de cadeia média promovem a perda de peso.

O médico Dr. Wilson Rondó, médico nutrólogo e ortomolecular, especializado na Clinique Du Mail La Rochelle, na França, autor de 7 livros, explica que:

“A associação de gorduras saturadas de cadeia média com vitaminas A e D melhora as funções da tireóide e combate o acúmulo de gorduras. Seu consumo constante queima aproximadamente 200 calorias a mais por dia. Sem precisar alterar a alimentação, basta isso para perder cerca de 3kg de gordura em um mês”. E continua informando que: O óleo de coco melhora a função da tireóide. Quando as pessoas com hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoidiano) começam a consumir o óleo de coco, elas frequentemente referem aumento de energia pela melhora da função tireoidiana. Muitos individuos que sofrem com problemas de tireoide são capazes de eliminar a medicação para tireoide até completamente quando começam a consumir óleo de coco. Obviamente você não deve nunca suspender a medicação sem consultar seu médico.”Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó.

O médico norte americano Dr. Joseph Mercola, diz que: Você pode se surpreender ao saber que a gordura saturada presente naturalmente no óleo de coco, na verdade, tem alguns benefícios incríveis para a saúde, como:
a) Promove a saúde do coração (Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century, part 2.)
b) Promove a pera de peso, quando necessário (Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity, Lipids, 2009 Jul;44(7):593-601.)
c) Fortalece o sistema imunológico (Dr. Mary G. Enig, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century.)
d) Auxilia um metabolismo o saudável (g, Ph.D., F.A.C.N. Source: Coconut: In Support of Good Health in the 21st Century. [6] Baba, N 1982. Enhanced thermogenesis and diminished deposition)
e) Proporcional energia imediata (Bruce Fife, ND. Coconut Oil and Medium-Chain Triglycerides.)
f) Matem a pele saudável e jovem
g) Apóia o funcionamento adequado da tireóide (Raymond Peat Newsletter, Coconut Oil, reprinted at http://www.heall.com.)

Ademais, 50% do teor de gordura do óleo de coco é uma gordura raramente encontrada na natureza, o ácido láurico. O corpo converte o ácido láurico em monolaurina, que tem efeito anti-viral, anti-bacteriano e anti-protozoário (Defaunation Effects of Medium Chain Fatty Acids and Their Derivatives on Goat Rumen Protozoa).

Dr. Mercola informa que: “Monolaurina é um monoglicerídeo que pode efetivamente destruir vírus, tais como: HPV, herpes; sarampo, vírus da gripe, várias bactérias patogênicas, protozoários como giárdia lamblia. O ácido láurico é um poderoso destruidor de vírus e bactérias, e o óleo de coco contem o ácido láurico em maior quantidade que qualquer outro na Terra.”

Dr. Rondó destaca ainda que “para indivíduos com Mal de Alzheimer, o óleo de coco pode ser a chave não só para prevenir, mas mesmo para reverter a doença.” – Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó.

Referências (algumas referências já constam no corpo do texto):

1. Óleo de Coco, A gordura saudável, Dr. Wilson Rondó
2. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/10/22/coconut-oil-and-saturated-fats-can-make-you-healthy.aspx
3. http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2003/11/08/thyroid-health-part-two.aspx

Atrofia muscular espinhal é tratável com vitamina B12, ácido fólico e CoQ10

slide-1-728

‘Na mudança de atitude não há mal que não se mude’.

(PARA UMA ORIENTAÇÃO) – ENVIE EMAIL PARA:   juliocaleiro@hotmail.com

Em 10 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório (35) 3531-8423.

Em maio de 2001, o Jornal Molecular Cell publicou um estudo informando que ácido fólico e a vitamina B12 diminuem os sintomas da atrofia muscular espinhal, uma doença causada por baixos níveis de SMN, uma proteína de limpeza exigidas por todas as células. Quando as células não tem níveis adequados de SMN, os neurônios motores que controlam a atividade de grupos musculares são as primeiras células que se degeneram, de modo que os principais grupos musculares não recebem estimulação de maneira adequada. Muitos pacientes com a doença morrem enquanto bebes, e outros são afetados mais tarde na vida, e seus sintomas variam de pessoa para pessoa.

Os pesquisadores acreditavam que a variação e o início dos sintomas seriam devidos a modificadores genéticos, mas os pesquisadores da ‘University of Pennsylvania School of Medicine’ acreditam que essas diferenças podem estar relacionadas com a vitamina B12 e a ingestão de ácido fólico. Os pesquisadores observaram que para o correto funcionamento da proteína SMN no organismo, é exigida a presença de vitamina B12 e ácido fólico (http://www.med.upenn.edu/dreyfusslab/publications/2001FriesenMolCell1111.pdf).

Os pesquisadores, Dr. Gideon Dreyfuss, PhD, Isaac Norris, professor de Bioquímica e Howard Hughes da Medical Institute concluíram que: “nosso trabalho levanta a possibilidade de que o ácido fólico e vitamina B12 podem ser úteis na redução (mesmo se apenas ligeiramente) da gravidade da doença em alguns pacientes com atrofia muscular espinhal”.

Além da vitamina B12 e ácido fólico, há estudo científico indicando que a Coenzima Q10 pode auxiliar significativamente no tratamento de quem sofre de doenças neuromusculares, como é o caso da atrofia muscular espinhal. Um estudo com pacientes acometidos de doenças neuromusculares graves (incluindo Doença de Duchene, Becker e distrofias membro-cintura, distrofia miotônica) o uso de coenzima Q10 durante 3 meses trouxe melhorias importantes nos pacientes. Verificou-se uma melhora surpreendente no desempenho físico dos pacientes. E os autores do estudo concluíram que: pessoas que sofrem destas distrofias musculares [e OUTRAS SEMELHANTES] devem ser tratadas com Coenzima Q10 indefinidamente.

Veja o depoimento de um paciente com atrofia muscular espinhal III, após uma semana de tratamento com base nos princípios da nutrição funcional aplicados pelo Dr. Júlio Caleiro:

Em 09/08/2013: “Olá. Faz apenas uma semana que venho me tratando com algumas vitaminas e suplementos que o Dr. Júlio Caleiro me receitou, para diminuir um tipo de atrofia que possuo. AMIOTROFIA ESPINHAL TIPO III. Esse tipo de patologia afeta os membros inferiores e superiores levando um paciente para a cadeira de rodas ao decorre dos anos de vida.E estou obtendo em apenas uma semana uma ótima melhora no meu corpo como mais força e os músculos estão mais ativo. Isso é impressionante. Volto a falar mais desse assunto logo mais.” – Fábio Santos -SP. (link: https://nutricaobrasil.wordpress.com/depoimentos-tratamento-dr-julio-caleiro/)

Em 28/10/2013: 

Olá pessoal…. Venho por meio desta mensagem dizer que depois de 17 anos, percebo que parei de atrofiar…Graças o tratamento aplicado pelo DOUTOR JÚLIO. Fazem aproximadamente 3 meses que estou me tratando com uma receita super otimista…e posso dizer que já ganhei uma considerável tonalidade de músculos e considerável força…. tornando meu dia a dia mais fácil, sei que ainda tenho que ganhar muito mais músculos mas já se tornou visível para minha família e meus amigos o ganho de músculos e força…. Agora comecei uma segunda receita e assim que tiver algum resultado volto a falar com vocês….Forte Abraço a todos. – Fábio Santos – SP. (link: https://nutricaobrasil.wordpress.com/depoimentos-tratamento-dr-julio-caleiro)

Particularmente, considero indispensável, também, manter ótimos níveis de vitamina D3, k2-Mk7, omega 3, iodo, e magnésio no organismo, para que haja um correto e verdadeiro fortalecimento de saúde, tornando o corpo mais fortalecido e equilibrado de maneira saudável.

O tratamento deve ter o NECESSÁRIO E IMPRESCINDÍVEL acompanhamento médico ou de nutricionista aptos a esta natureza de terapia.

Página no facebook: https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas

Referências:
1. SMN, the Product of the Spinal Muscular Atrophy Gene, Binds Preferentially to Dimethylarginine-Containing Protein Targets – Molecular Cell, Volume 7, Issue 5, 1111-1117, 25 May 2001 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11389857
2. Biochim Biophys Acta 1995 May 24;1271(1):281-6 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7599221
3. Proc Natl Acad Sci U S A 1985 Jul;82(13):4513-6 – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3859873

* Matéria atualizada em 12/11/2013.

Acelerador de PRÓTONS, não supera tratamento tradicional contra câncer, e pode causar outros problemas graves!

Imagem

By, Dr. Júlio Caleiro    –      juliocaleiro@hotmail.com

—————————————————————-

Acelerador de PRÓTONS, não supera tratamento tradicional contra câncer, e pode causar outros problemas graves!

Em uma descoberta provável de adicionar combustível para o debate sobre tratamentos para câncer de próstata e outros, a terapia de ‘prótons’ não forneceu nenhum benefício a longo prazo sobre a ‘radiação tradicional’, apesar dos custos muito mais elevados, de acordo com um estudo de 30 mil beneficiários do ‘Medicare’ publicado quinta-feira no ‘Journal of the National Instituto do Câncer’. A ‘Radioterapia Proton’ usa partículas atômicas para tratar o câncer, em vez de raios-X e, teoricamente poderia atingir os tumores com mais precisão. Mas isso requer um acelerador de partículas mais ou menos o tamanho de um campo de futebol, que normalmente custaria cerca de US $ 180 milhões.

A credibilidade na superioridade da terapia de prótons por algum motivo, provocou uma corrida armamentista entre os principais centros médicos do mundo. Dez aceleradores de prótons estão em operação em os EUA, e mais nove estão em desenvolvimento, incluindo dois pela Clínica Mayo e um por Centro de Câncer Memorial Sloan-Kettering e um consórcio de outros hospitais em New York City.
Ion Beam Applications da Bélgica é o principal fabricante. Outros incluem Hitachi Ltd., Varian Medical Systems Inc. e Mevion Medical Systems Inc. Críticos, citaram a terapia de feixe de prótons como uma nova tecnologia cara com nenhuma vantagem comprovada! O ‘Medicare’ paga mais de 32 mil dólares americanos por paciente para a terapia de prótons, comparado com menos de 19 mil dólares americanos para a radiação, de acordo com o estudo.
Alguns 242.000 homens em os EUA são diagnosticadas com câncer de próstata a cada ano, e muitos oncologistas e especialistas em política de saúde dizem que a condição é excessivamente tratada.
A maioria dos cânceres de próstata são de crescimento lento, de modo que muitos homens poderiam evitar o tratamento e, finalmente, morrer de outra coisa, dizem os especialistas. Mas cerca de 28 mil homens americanos morrem anualmente de câncer de próstata agressivo que não são tratados a tempo, por isso a maioria dos homens optam por tratar os tipos de câncer como medida de precaução, seja com radioterapia ou cirurgia.

Terapia Proton-beam tem sido objeto de acalorado debate entre os urologistas, oncologistas,  e analistas de custos de cuidados de saúde. A terapia não é considerada mais eficaz do que o padrão de radiação, ou cirurgia, na estabilização ou regressão do câncer. E a experiência do paciente é quase o mesmo que com a radiação padrão: Os pacientes geralmente têm tratamentos diários, de segunda a sexta-feira, durante cerca de oito semanas. Cada tratamento é indolor e dura cerca de cinco minutos, e os efeitos colaterais idênticos as demais terapias.

Quais métodos poderiam eliminar o câncer sem efeitos colaterais graves, assim como a própria radiação e quimioterapia?

 Sem dúvida alguma a Vitamina D:  Há milhares de evidências científicas de que você pode diminuir o risco de câncer em mais da metade simplesmente otimizando seus níveis de vitamina D com a exposição solar adequada ou tomando vitamina D por via oral.
        Se você toma vitamina D por via oral e tiver câncer, é muito prudente monitorar e manter os seus níveis de vitamina D no sangue regularmente em níveis terapêuticos, assim como complementar com vitamina K2, a deficiência K2 é realmente o que produz os sintomas de toxicidade da vitamina D em doses mais altas. Para saber mais, consulte o meu artigo no blog sobre vitamina k2:
        Dormir: Certifique-se que você está recebendo o suficiente sono restaurador. Sono inadequado pode interferir com a sua produção de melatonina, que está associada com um risco aumentado de resistência à insulina e ganho de peso, ambos os quais contribuem para a aumentar suas chances de ter câncer.
        A exposição a toxinas: Reduza a sua exposição a toxinas ambientais como pesticidas, herbicidas, produtos de limpeza químicos domésticos, purificadores de ar sintético e cosméticos tóxicos.
        A exposição à radiação: Limite a sua exposição e proteger-se da radiação produzida pelos celulares, torres, estações de base e estações Wi-Fi, bem como minimizando sua exposição a partir de exames médicos à base de radiação, incluindo dental raios-x, tomografias, e mamografias. Leia meu artigos sobre alternativa à realização de mamografias – Termografias.
        Gerenciamento do Estresse: O estresse por todas as causas é um grande contribuinte para a doença. Mesmo o CDC indica que 85 por cento da doença é influenciada por fatores emocionais.E provável que o estresse e problemas emocionais não resolvidos podem ser mais importantes do que as físicas. Minha ferramenta favorita para a resolução de desafios emocionais é Emotional Freedom Techniques (EFT), ou psicoterapia com seu psicólogo.

O que fazer se você tem Câncer?

    Sem dúvida, a mais poderosa estratégia essencial que conheço para tratar o câncer é matar de fome as células por privá-los de sua fonte de alimento. Ao contrário de suas células do corpo, que pode queimar carboidratos ou gordura para o combustível, as células cancerosas tenham perdido essa flexibilidade metabólica. Dr. Otto Warburg recebeu o Prêmio Nobel com mais de 75 anos por descobrir isso, mas praticamente nenhum oncologista realmente usa esta informação!

   Marque sua consulta, ou peça sua orientação expressa no email abaixo:

      juliocaleiro@hotmail.com
—————————————————————

Referências:
 The Wall Street Journal.
 Cancer Facts & Figures 2013

A saúde mitocondrial determina o tempo e qualidade de vida da pessoa

longevidade

Em 08 de agosto de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório: (35) 3531-8423.

Alguma vez já se perguntou quanto tempo você vai viver? A resposta provavelmente poderá ser encontrada nas capacidades celulares produtoras de energia chamadas de MITOCÔNDRIAS.

De acordo com um número crescente de biólogos celulares, o número e a funcionalidade das mitocôndrias determinam o tempo de vida da pessoa, isto é, sua longevidade (Pflugers Arch. 2010 Jan;459(2):277-89.; Curr Aging Sci. 2009 Mar;2(1):12-27; Clin Sci (Lond). 2004 Oct;107(4):355-64).

Quando somos jovens, estamos relativamente protegidos contra a deterioração mitocondrial, e ao envelhecermos, as mudanças dentro de nossas células levam à destruição das mitocôndrias, o que abre caminho para o envelhecimento e doenças (Ann NY Acad Sci. 1998 Nov 20;854:155-70; Mutat Res. 2002 Nov 30;509(1-2):127-51.; Free Radic Biol Med. 2000 Aug;29(3-4):222-30.; Exp Biol Med (Maywood). 2002 Oct;227(9):671-82; PNAS. 2001;98(18):10469-74.).

Em 2007, os cientistas fizeram uma descoberta sobre reversão notável da idade. Danos ao DNA mitocondrial tornam se permanentes após uma década do início da disfunção mitocondrial, e este dano é reversível (Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2007 Nov;10(6):688-92.).

Há três passos que podem restaurar a saúde mitocondrial do corpo, que são:
1. aumentar as defesas naturais do DNA mitocondrial do corpo por meio da Coenzima Q10 – CoQ10;
2. estimular a criação de novas mitocôndrias com PQQ – pyrroloquinoline quinone;
3. apoiar o sistema de defesa mitocondrial do corpo com “Shitajit”.

Aqui, trataremos, inicialmente, a ação da Coenzima Q10. Em outras oportunidades, abordaremos as duas seguintes substâncias, PQQ e Shitajit.

Por que as mitocôndrias são tão importantes?

Segundo o médico, Dr. Lair Ribeiro, PhD cardiologista e nutrólogo, a tendência é considerar que as ‘mitocondriopatias’ são a base de TODAS as doenças.

Encontrada no interior das células do corpo, as mitocôndrias são responsáveis pela produção de nossa principal fonte de energia, o trifosfato de adenosina(ATP). A ATP fornece, pelo menos, 95% da energia celular que alimenta TODAS as funções da vida. Todavia, um subproduto de geração de energia chamado de radicais livres atacam a estrutura da membrana celular. As mitocôndrias são os alvos mais fáceis de danos dos radicais livres, já que elas estão localizadas onde estes radicais livres são produzidos.

Os estudos indicam fortemente que ao longo do tempo, os danos acumulados ao DNA das mitocôndrias resultam em distúrbios metabólicos (tais como diabetes) e doenças degenerativas (tais como o Azheimer) – Lancet. 1989;1(8639):642-5; Toxicol Appl Pharmacol. 2006 Apr 15;212(2):167-78; Diabetes. 2013 Mar;62(3):672-8.; Acta Neuropathol. 2012 Aug;124(2):199-20; Prog Neuropsychopharmacol Biol Psychiatry. 2011 Mar 30;35(2):320-30). Disfunção mitocondrial ocorre principalmente em órgãos e tecidos que tem alta demanda por energia, e isso explica o motivo do tecido cardiovascular e os neurônios do cérebro estarem entre os mais suscetíveis (Am J Pathol. 2009 Sep;175(3):927-39.).

Quando somos jovens, estamos bastante protegidos contra a deterioração mitocondrial porque nossos corpos produzem substancias para defender as mitocôndrias do ataque dos radicais livres. No entanto, à medida que envelhecemos, essa proteção diminui, nos preparando para um ciclo destrutivo que acelera o envelhecimento e doenças. Os jovens não tem praticamente nenhum dano mitocondrial (PNAS. 2001;98(18):10469-74.; Proc Natl Acad Sci USA. 2005 Apr 12;102(15):5618-23; Ann N Y Acad Sci. 1998 Nov 20;854:202-13; Acta Neuropathol. 2012 Feb;123(2):157-71)

Assim, os cientistas descobriram uma chave para retardar e até mesmo reverter o processo “natural” de envelhecimento, que seria uma substancia a qual visa revitalizar a proteção mitocondrial em face de radicais livres (Acta Neuropathol. 2012 Feb;123(2):157-71). Eles descobriram esta solução mitocondrial em uma substancia que já poderia estar em sua dieta: coenzima Q10.

Coenzima Q10 protege as mitocôndrias. Os cientistas estabeleceram que a coenzima Q10 é um nutriente essencial para a função normal mitocondrial, ou seja, produção e transferência de energia (J Inherit Metab Dis. 2013 Jan;36(1):63-73; Biochim Biophys Acta. 2005;1706:174-83.; Hum Mol Genet. 2007;16:1091-7.). Quando caem os níveis de CoQ10, há disfunção mitocondrial (J Inherit Metab Dis. 2013 Jan;36(1):63-73.).

Estudos descobriram que quando as células ou organismos são deficientes em CoQ10, a ação oxidativa mitocondrial aumenta o estresse e o envelhecimento é acelerado (Nutrition. 2012 Nov-Dec;28(11-12):1200-3.) A suplementação provoca um significativo abrandamento do processo de envelhecimento e promove longevidade (Exp Gerontol. 2012 Mar;47(3):276-9; Mech Ageing Dev. 2004 Jan;125(1):41-6.).

Um estudo com ratos, comprovou-se que quando suplementados com CoQ10, houve um aumento de 24% da vida útil máxima e um aumento de 11,7% na media de vida. Em termos humanos, com base na expectativa de vida de 78,5 anos, esse aumento é traduzido em uma média de 9 anos de aumento na esperança de vida ( http://www.cdc.gov/nchs/fastats/lifexpec.htm. Accessed May 14, 2013.)

A CoQ10 age em um conjunto multi-alvo de mecanismos epigenéticos que não só o envelhecimento, mas também protegem as mitocôndrias relacionadas a uma variedade de doenças (J Med Food. 2011 Apr;14(4):391-7; Exp Gerontol. 2007 Aug;42(8):798-806; Nutrition. 2012 Jul;28(7-8):767-7). Estudos mostram que a CoQ10 protege contra distúrbios de saúde, como doenças neurogenerativas (J Geriatr Psychiatry Neurol. 2012 Mar;25(1):43-50.) , melhora a função pulmonar (Biofactors. 2005;25(1-4):235-40; Clin Investig. 1993;71(8 Suppl):S162-6), protege contra os efeitos da glicose elevada no diabetes e síndrome metabólica (Biofactors. 2012 Nov-Dec;38(6):416-21; Blood Coagul Fibrinolysis. 2009 Jun;20(4):248-51; Eur J Clin Nutr. 2002 Nov;56(11):1137-42.), oferece defesa impressionante contra doença cardiovascular (J Card Fail. 2006 Aug;12(6):464-72; Atherosclerosis. 2011 Jun;216(2):395-401; Kardiologiia. 2011;51(6):26-31).

Estudos em animais demonstraram que a suplementação com CoQ10 reduziu o estresse oxidativo [geradora de inflamação corporal] e reduz a formação de placas de beta-amilóide (associada com a doença de Alzheimer), resultando numa melhoria significativa do desempenho cognitivo e memória (J Alzheimers Dis. 2008 Jun;14(2):225-34; J Mol Neurosci. 2008 Feb;34(2):165-71; J Mol Neurosci . 2010 May;41(1):110-3; J Alzheimers Dis. 2011;27(1):211-23).

Estudos em humanos, 4 à 6 semanas de suplementação de CoQ10 foi comprovado em melhorar a função sistólica cardíaca e fração de ejeção (J Card Fail. 2006 Aug;12(6):464-72; Atherosclerosis. 2011 Jun;216(2):395-401). Em um estudo de 5 anos com idosos, a CoQ10 combinado com selênio reduziu a taxa de mortalidade por doença cardiovascular em mais da metade! (Alehagen U, Johansson P, Bjornstedt M, Rosen A, Dahlstrom U. Cardiovascular mortality and N-terminal-proBNP reduced after combined selenium and coenzyme Q10 supplementation: A 5-year prospective randomized double-blind placebo-controlled trial among elderly Swedish citizens. Int J Cardiol. 2012 May 22.)

Autores de um estudo concluíram que a “CoQ10 é um avanço científico no tratamento da insuficiência cardíaca crônica” (Int J Tissue React. 1990;12(3):155-62.).

Por fim, sugiro que assistam o trecho desta aula ministrada pelo Dr. Lair Ribeiro:

Aplique os fundamentos da nutrição funcional em sua vida!

*Todas as referências científicas foram citadas no corpo do texto.
– Lifeextension.com

Por que a medicina não permitirá que haja cura para o câncer?

PARA UMA ORIENTAÇÃO EXPRESSA ENVIA EMAIL PARA:   juliocaleiro@hotmail.com

Imagem

Por que a medicina não vai permitir que haja cura para o câncer?

Júlio Caleiro , 03 de agosto de 2013.    

By Dr. Ed. Julio Caleiro

      Imagine um avião comercial que caiu e houve algumas mortes envolvidas. Você pode ter certeza de que faria a manchete de todos os grandes jornais. Bem, temos o equivalente a 8-10 aviões quebrando todos os dias com todos a bordo a morrer de câncer.  Quase dois milhões de americanos são diagnosticados com câncer a cada ano, e uma em cada três pessoas vai ser atingido com um diagnóstico de câncer em algum momento de suas vidas, apesar dos enormes avanços tecnológicos ao longo do último meio século.
    A medicina ocidental está muito perto de encontrar uma “cura do câncer”, mas enquanto isso não acontece o câncer torna-se uma epidemia mundial de proporções assustadoras! As estatísticas falam por si:

        No início de 1900, uma em cada 20 pessoas desenvolveram câncer
        Na década de 1940, uma em cada 16 pessoas desenvolveram câncer
        Na década de 1970, era um em cada 10
        Hoje, é um em três!

    De acordo com o CDC, cerca de 1.660.290 (1.660.000) novos casos de câncer deverão ser diagnosticados em 2013. Se as taxas globais de mortalidade estão caindo, por que as taxas de incidência continua a aumentar? A resposta é simples: Os 40 anos de “guerra contra o câncer” foi uma farsa!
    A epidemia de câncer é um sonho para a ‘Big Pharma’, e suas campanhas para silenciar a cura do câncer tem sido ferozes, exibido no documentário abaixo no fim deste artigo, Câncer: Cura proibida!

A Máquina de Câncer

    Por favor, entenda que o câncer é um grande negócio! A indústria do câncer está gastando praticamente seus recursos multimilionários de dólares em estratégias de prevenção eficazes, tais como orientações dietéticas, exercícios e educação obesidade isso gera emprego e muito dinheiro embora muitas vezes ineficazes da maneira que é direcionada.  Por que eles iriam atirar sua fonte de dinheiro? Se eles podem manter a máquina bem, e em funcionamento? Pois vão continuar a fazer grandes lucros em medicamentos de quimioterapia, radioterapia, procedimentos, diagnósticos e cirurgias.  O paciente típico de câncer gasta 50 mil dólares para combater à doença. As drogas da quimioterapia estão entre os mais caros de todos os tratamentos, muitas variando de US $ 3.000 a US $ 7.000 para um fornecimento de um mês, sem contar a ineficácia da maioria delas.
    Se a indústria do câncer permitir uma cura, então a sua base de pacientes vão embora. Faz mais sentido manter um fluxo constante de pacientes com câncer vivos, mas doentes, e voltar para mais “tratamentos” procedimentos etc… Como esse monstro social surgiu?

    O documentário em destaque é extremamente informativo. Ele detalha como a indústria farmacêutica em parceria com a Associação Médica Americana (AMA), em um plano engenhoso para ultrapassar o sistema de saúde em quatro etapas fáceis, rápidas, de volta no início de 1900. Em poucas palavras, foi algo como isto:
        Banqueiros internacionais que possuem as empresas farmacêuticas e químicas, ganharam o controle sobre o sistema de educação médica mais de 100 anos atrás, *e no Brasil não fica para trás, há um controle entre parcerias entre esses bem parecido, inclusive no controle das especialidades médicas na formação profissional, e o direcionamento de novos profissionais pelo Brasil, talvez colocando o sistema nas mãos para controle de apenas alguns* ( grifo nosso).
   Eles deram subsídios para a AMA  as ‘escolas médicas líderes’ em troca de assentos em seu conselho e a capacidade de controlar a política.   Finalmente, eles inteligentemente projetaram o controle de praticamente todas as agências reguladora federal relativa à prática da medicina nos Estados Unidos.

Lema “Não se atreva a curar ninguém! ‘

    Apesar das enormes quantias de dinheiro canalizados para pesquisa do câncer hoje, dois em cada três pacientes com câncer será morto dentro de cinco anos depois de receber na totalidade ou parte do tratamento do câncer padrão, ou seja: a trindade da oncologia ‘cirurgia, radioterapia e quimioterapia’. Isto não é muito surpreendente quando se considera que dois dos três são cancerígenas? Sim! Um estudo estimou quais são os benefícios de cura da quimioterapia, ou seja:  cerca de 1 em cada 20 pessoas! Levando em consideração multi fatores para determinar a causa da suposta ‘cura’.

    Ao longo dos últimos cem anos, uma série de tratamentos naturais contra o câncer têm sido desenvolvidas e utilizadas com sucesso no tratamento de pacientes nos EUA e outros países. Todos foram veementemente minadas, silenciadas, e empurradas para debaixo do tapete pelo monopólio médico, como alguns médicos e pesquisadores atacaram o sistema, untada, foram enviados para a prisão e profissionalmente arruinados por se atrever a desafiar o establishment médico, e que eu revelarei abaixo para qualquer um ler mesmo que possa acontecer comigo como houve com esses médicos, aqui no Brasil.

    A fim de proteger o monopólio médico, qualquer tratamento natural viável é recebido com grande oposição por parte das indústrias farmacêuticas e médicos. As empresas farmacêuticas não têm interesse em agentes naturais que não podem patentear como é o caso da Vitamina D, porque interferem com o seu fluxo de receita. Eles tomam medidas extremas para evitar que a verdade sobre tratamentos naturais eficazes (ameaças competitivas) de atingir o público, e usam a mídia para proliferar como se fosse algo apenas “alternativo” sem eficácia.

    A FDA é agora associada da PDUFA (Prescription Drug User Fee Act), também financiado pelas empresas farmacêuticas e é cúmplice neste processo. Restringem a concorrência sob o pretexto de proteger o público, quando a realidade é que eles estão protegendo os lucros das empresas farmacêuticas.

 Vou mostrar 12 Estratégias de Prevenção e tratamento do Câncer que eles não querem que você Saiba!

    Há tanta coisa que você pode fazer para diminuir o risco de câncer e se curar! Mas por favor, não espere até chegar ao diagnóstico, você tem que tomar medidas preventivas AGORA! É muito mais fácil prevenir o câncer do que tratá-lo, uma vez que ele toma conta! Eu acredito que você pode praticamente eliminar o risco de câncer e de doenças crônicas e melhorar radicalmente as suas chances de recuperar de câncer, se você atualmente tem seguido estas estratégias relativamente simples.
        Preparação de alimentos: Não coma alimentos Fast-food. Retire a Fritura da sua vida, exceto se for em óleo de coco extra virgem. Dê preferência a alimentos feito sob vapor, legumes principalmente. Coma alimentos integrais, ervas, especiarias e suplementos à sua dieta, tais como brócolis, curcumina e resveratrol. Para saber mais sobre a forma como estes alimentos anti-angiogênicas na luta contra o câncer, consulte o Dr. Júlio Caleiro ou mesmo aqui no Blog: “.
Mate o câncer de fome:    Carboidratos e açúcar: Reduzir ou eliminar alimentos processados, açúcar / frutose, e alimentos baseado em grãos de sua dieta. Isso se aplica a todo grãos orgânicos eles tendem a quebrar-se rapidamente no organismo e elevar seu nível de insulina. A prova é bastante clara que se você quiser evitar o câncer, ou você tem atualmente o câncer, é absolutamente necessário evitar todas as formas de açúcar, especialmente frutose que alimenta as células cancerosas e promove o seu crescimento. Verifique se o seu consumo total de frutose é cerca de 25 gramas no máximo por dia, incluindo frutas.
        Proteína e gordura: Considere reduzir os níveis de proteína com um grama por quilo de peso corporal. Seria incomum para a maioria dos adultos precisar de mais de 100 gramas de proteína, e provavelmente perto da metade desse montante. Substitua o excesso de proteínas com gorduras de alta qualidade, tais como ovos orgânicos de galinhas, carnes  de gado de pasto de alta qualidade, abacate e óleo de coco, manteiga.
        OGM: evitar alimentos geneticamente modificados como eles são normalmente tratados com herbicidas como o Roundup (glifosato), e provavelmente cancerígeno. Uma equipe de pesquisadores franceses que estudou extensivamente Roundup concluiu que é tóxico para as células humanas, e provavelmente cancerígeno para os seres humanos. Escolha alimentos frescos, cultivados localmente, de preferência orgânicos.
        ‘Animal-Based’ gorduras omega-3: normalizar suas proporções de ômega-3 e ômega-6, tomando óleo de krill  de alta qualidade e reduzindo o consumo de óleos vegetais processados.
        Os probióticos naturais: Otimizando sua flora intestinal irá reduzir a inflamação e fortalecer a sua resposta imunológica. Pesquisadores descobriram um mecanismo micróbio-dependente através do qual, alguns tipos de câncer montam uma resposta inflamatória que alimenta o seu desenvolvimento e crescimento. Eles sugerem que as citocinas inflamatórias inibem e pode retardar a progressão do câncer, e melhorar a resposta à quimioterapia se for ter que realizar, dentre as 3 alternativas do sistema. A quimioterapia é a menos agressiva entre elas.
        Adicionando alimento fermentado naturalmente à sua dieta diária, é uma maneira fácil de prevenir o câncer ou acelerar a sua recuperação. Você sempre pode adicionar um suplemento probiótico de alta qualidade, bem como os alimentos naturalmente fermentados são os melhores.
        Exercício: O exercício reduz os níveis de insulina, o que cria um ambiente de baixo teor de açúcar que desestimula o crescimento e disseminação das células cancerosas. Em um estudo de três meses, o exercício foi mostrado alterar as células imunes de uma forma a combater a doença mais potente em sobreviventes do câncer que tinham acabado de completar a quimioterapia
        Os investigadores e organizações de câncer cada vez mais recomendam fazer o exercício regular uma prioridade, a fim de reduzir o risco de câncer e ajudar a melhorar os resultados do câncer. A pesquisa também encontrou evidências que o exercício pode ajudar a desencadear a apoptose (morte celular programada) em células cancerosas. Idealmente, o seu programa de exercícios deve incluir o equilíbrio, força, flexibilidade, treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT). Para obter ajuda para começar, procure um professor habilitado.
       Em sem dúvida alguma a Vitamina D:  Há milhares de evidências científicas de que você pode diminuir o risco de câncer em mais da metade simplesmente otimizando seus níveis de vitamina D com a exposição solar adequada ou tomando vitamina D por via oral.
        Se você toma vitamina D por via oral e tiver câncer, é muito prudente monitorar e manter os seus níveis de vitamina D no sangue regularmente em níveis terapêuticos, assim como complementar com vitamina K2, a deficiência K2 é realmente o que produz os sintomas de toxicidade da vitamina D em doses mais altas. Para saber mais, consulte o meu artigo no blog sobre vitamina k2:
        Dormir: Certifique-se que você está recebendo o suficiente sono restaurador. Sono inadequado pode interferir com a sua produção de melatonina, que está associada com um risco aumentado de resistência à insulina e ganho de peso, ambos os quais contribuem para a aumentar suas chances de ter câncer.
        A exposição a toxinas: Reduza a sua exposição a toxinas ambientais como pesticidas, herbicidas, produtos de limpeza químicos domésticos, purificadores de ar sintético e cosméticos tóxicos.
        A exposição à radiação: Limite a sua exposição e proteger-se da radiação produzida pelos celulares, torres, estações de base e estações Wi-Fi, bem como minimizando sua exposição a partir de exames médicos à base de radiação, incluindo dental raios-x, tomografias, e mamografias. Leia meu artigos sobre alternativa à realização de mamografias – Termografias.
        Gerenciamento do Estresse: O estresse por todas as causas é um grande contribuinte para a doença. Mesmo o CDC indica que 85 por cento da doença é influenciada por fatores emocionais.E provável que o estresse e problemas emocionais não resolvidos podem ser mais importantes do que as físicas. Minha ferramenta favorita para a resolução de desafios emocionais é Emotional Freedom Techniques (EFT), ou psicoterapia com seu psicólogo.

O que fazer se você já tem Câncer

    Sem dúvida, a mais poderosa estratégia essencial que conheço para tratar o câncer é matar de fome as células por privá-los de sua fonte de alimento. Ao contrário de suas células do corpo, que pode queimar carboidratos ou gordura para o combustível, as células cancerosas tenham perdido essa flexibilidade metabólica. Dr. Otto Warburg recebeu o Prêmio Nobel com mais de 75 anos por descobrir isso, mas praticamente nenhum oncologista realmente usa esta informação!

   Marque sua consulta, ou peça sua orientação expressa no email acima.

http://www.youtube.com/watch?v=gWLrfNJICeM
——————————————————————-
Referências: