Início » EVIDÊNCIAS » Vírus do Herpes pode desencadear a Esclerose Múltipla, inclusive sob uma possível “Remissão”!

Vírus do Herpes pode desencadear a Esclerose Múltipla, inclusive sob uma possível “Remissão”!

Para uma ORIENTAÇÃO EXPRESSA ENVIE EMAIL PARA:  juliocaleiro@hotmail.com

Imagem

Vírus do Herpes pode desencadear a Esclerose Múltipla, inclusive sob uma possível “Remissão”!

By; Edição – Dr Júlio Caleiro  –   30 de Julho de 2013.

——————————-
     Uma cepa de vírus da herpes chamado o HHV-6, desempenha um papel importante no desenvolvimento da esclerose múltipla (MS). Pesquisadores do Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame, em Bethesda, Maryland, escreve que a etiologia viral para a EM tem sido muito suspeita, e que “….recentemente o herpesvírus humano HHV-6, um vírus beta-herpes recém encontrado tem sido relatado estar presente em placas de indivíduos com Esclerose Múltipla”.
     O vírus infecta a maioria das pessoas nos primeiros anos de vida, e é conhecido por estar presente em 90% dos adultos americanos. Se o vírus HHV-6 está realmente por trás da Esclerose Múltipla, então nós também precisamos saber por que a infecção com um vírus tão comum provoca doenças em tão poucas pessoas! Um estudo de 36 pacientes com EM constatou que 35% deles tinham níveis detectáveis ​​do ativo HHV-6 no soro. Dos pacientes com a forma mais comum da doença, a forma recorrente-remitente, 70% apresentaram um aumento da resposta imune ao vírus.
    Os autores listam quatro características de HHV-6 que o tornam um candidato etiológica plausível para EM. Em primeiro lugar, a infecção primária com o vírus tende a ocorrer nos dois primeiros anos de vida e provoca a Roséola. Além disso, os vírus do herpes são conhecidos por infectar as células nervosas, e as proteínas do HHV-6 têm sido mostrados ser expresso em lesões da EM. O Herpes vírus também tende a reativar um sistema debilitado, o que significa que o vírus pode permanecer latente em células nervosas e causar a doença novamente em uma data posterior. Os pesquisadores observam que os mesmos fatores associados à EM e exacerbações têm sido associados a reativação do vírus herpes.
      Indivíduos que fazem uso de altas doses de vitamina D no intuito de regredir a Esclerose Múltipla pode em dado momento, voltar a ter surtos e consequentemente os sintomas, até que o vírus entre em latência ou inativos.  Até 350 mil norte-americanos têm Esclerose Múltipla, que atinge mais frequentemente pessoas entre as idades de 20 a 40, e é mais comum em mulheres do que em homens. Os sintomas da doença incluem visão turva, fraqueza muscular, perda de sensibilidade, e problemas com a balança.
      Portanto é de extrema importância a erradicação e diminuição da cepa do vírus do Herpes, justamente se o indivíduo tenha apresentado Roseola ainda quando criança, ou sob as formas de Esclerose já citado.
      Herpes é uma infecção viral muito comum onde há muita confusão, não só porque existem diferentes tipos de herpes, mas o herpes oral também é frequentemente confundida com aftas (também conhecida como herpes labial), que é uma condição completamente diferente.

Primeiro de tudo, herpes podem ser divididos em duas infecções primárias

    Herpes simples
    Herpes zoster

A infecção por herpes simples afetará uma das duas áreas primárias e, portanto, geralmente categorizados como:

    Herpes oral
    O herpes genital

Mas a infecção por herpes simples também tem sido associado a uma série de outras condições clínicas mesmo que ainda seja ausente os sintomas acima já citadas, tais como:

    A paralisia de Bell
    A esclerose múltipla
    Doença de Alzheimer

A condição mais comum, que vou discutir aqui, é a herpes oral que é comumente confundidas com aftas. No entanto, é importante entender que há uma diferença distinta e clara entre essas duas condições; Há uma grande diferença entre herpes labial e herpes oral! As aftas, estomatites, também conhecida como herpes labial, são ulcerações dolorosas que normalmente ocorrem dentro da boca, na parte interna da bochecha, ou às vezes até mesmo na língua.
Elas podem aparecer devido a um problema autoimune – normalmente uma reação ao chocolate, frutas cítricas, ou trigo. É importante perceber que as aftas não respondem a qualquer tipo de intervenção do herpes, uma vez que não é uma infecção viral, mas uma condição autoimune, por isso as doenças auto imunitárias estão muito envolvidas nesta condição patológica.

Se você tentar usar métodos terapêuticos anti-herpes para aftas, elas simplesmente não vão funcionar! Felizmente, há uma série de terapias naturais que você pode usar para infecções de herpes, aplicadas pelo Dr. Júlio Caleiro, Nutricionista. Terapias naturais para infecções e eliminação do vírus muito eficazes, inclusive para deixar o vírus na sua forma latente, evitando assim o acionamento do sistema imune para prevenção do Herpes e das doenças autoimunes, tal como a Esclerose Múltipla.

Os seguintes remédios prescritos pelo Dr. Júlio Caleiro têm sido eficazes no tratamento de infecções de herpes, apoiado por uma variedade de estudos.

    Lisina (um aminoácido essencial)
    Aloe Vera ( existe 100 tipos dela, somente uma é funcional).
    Erva-cidreira (Melissa officinalis em T.M adequado)
    Resveratrol (um antioxidante muito potente a partir de sementes de uva, na sua forma mais ativa)
    Alho ( na forma de extrato)
    A lactoferrina (uma proteína antimicrobiana potente encontrada no colostro)
—————————————————-
Referências:

-Nature Medicine (1997;3:1394-1397)
-British Medical Journal 2002;325:1128


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: