Início » EVIDÊNCIAS » A Dieta revolucionária da Dra. Wahls para regredir a Esclerose Múltipla

A Dieta revolucionária da Dra. Wahls para regredir a Esclerose Múltipla

Para uma ORIENTAÇÃO EXPRESSA ENVIE EMAIL PARA: juliocaleiro@hotmail.com

Publicado por Dr. Júlio Caleiro 30 de Julho de 2013

Imagem

—————————————————

By.Dr. Júlio Caleiro
   Fone do consultório: (35) 3531-8423.   

A esclerose múltipla (EM) é uma doença crônica, degenerativa dos nervos no cérebro e coluna vertebral, causados ​​por um processo de desmielinização.  A mielina é o isolamento, substância cerosa em torno dos nervos no sistema nervoso central. Quando a mielina é danificada por um processo de doença auto-imune ou auto-destrutiva do corpo, a função dos nervos deterioram ao longo do tempo, resultando em um número de sintomas, incluindo:

        Fraqueza muscular
        Desequilíbrio, ou perda de coordenação
        Astigmatismo e perda de visão
        Tremores

    No vídeo exposto no final deste artigo, o Dra. Terry Wahls conta a inspiradora história de como ela reverteu a esclerose múltipla simplesmente mudando a sua dieta! Se não for apto ao inglês use o tradutor no próprio vídeo.

Nutrição para o seu cérebro e sistema nervoso central

    Através da sua investigação sobre a Esclerose ( EM), o Dra. Wahls descobriu que, por algum motivo desconhecido que vai além dos sintomas vulgarmente conhecidos, os cérebros dos doentes de E.M também tendem a encolher. Isso despertou a sua curiosidade, e levou-a para a investigação de outras doenças que têm o encolhimento do cérebro semelhante, ou seja, Huntington, Parkinson e doença de Alzheimer. Um denominador comum entre essas doenças é mal funcionamento mitocondrial. As mitocôndrias são como pequenas “baterias” em suas células que controlam o fornecimento de energia para a célula, desde que você consuma os nutrientes corretos, senão correrá o risco do mau funcionamento mitocondrial, é o resultado óbvio de uma má nutrição.   Ela descobriu que três nutrientes, em particular, são essenciais para a função mitocondrial adequada:

        De origem animal gordura ômega-3
        Creatina
        Coenzima Q10 (CoQ10), ou melhor ainda a versão reduzida conhecido como ubiquinol

    Apenas adicionando os três nutrientes acima na dieta, o declínio da doença começou a acontecer. Mas ela não estava melhorando rapidamente, assim ela continuou a investigar através da pesquisa médica em busca de uma resposta. Quando ela descobriu o Instituto de Medicina Funcional, e então a Dra. Wahls começou a encontrar mais pistas.

    Como mencionado anteriormente, a mielina é um isolante uma substância cerosa que reveste os nervos em seu sistema nervoso central. A mielina também precisa de nutrientes específicos para funcionar adequadamente, tais como:

        Vitamina B1
        Vitamina B9
        Vitamina B12 ( forma e dose adequada)
        Ômega-3 ( doses adequadas distribuída)
        Iodo ( doses corretas)

    Além disso, os neurotransmissores no cérebro precisa de enxofre e B6 para o funcionamento ideal. Eventualmente,  a Dra. Wahls projetou em seu próprio plano de alimentar, com base nos nutrientes que ela agora sabia que ela precisaria para o sistema mitocondrial ideal, mielina, e função de neurotransmissores, sabe-se que o organismo pode criar alguns nutrientes mas outros devem ser fornecidos através de sua dieta.
    Uma grande parte dos Brasileiros comem grandes quantidades de alimentos processados, que são carregados com xarope de frutose de milho, grãos e aditivos químicos prejudiciais de todos os tipos, tais como MSG e adoçantes artificiais como aspartame. Infelizmente, este tipo de dieta é uma receita quase infalível para doença crônica. Não só recebe substâncias de que você não precisa,  além  simplesmente não estar recebendo nutrientes suficientes reais!

    Enquanto dois terços dos adultos americanos têm agora ou excesso de peso ou obesidade, muitos, se não a maioria deles são também simultaneamente desnutridos.

        Dra. Wahls alterou sua dieta para a dieta Paleo a do estilo dos homens caçadores na idade antiga que você poderá adquirir com o Nutricionista Júlio Caleiro, sob uma breve Orientação Expressa.   Ela eliminou alimentos processados, cereais e amidos (que inclui batatas e milho). Surpreendentemente, ela começou a notar uma melhoria significativa em apenas três meses, e na marca de nove meses de sua nova dieta, ela foi capaz de ir em um passeio de bicicleta de 18 milhas! Isto é surpreendente quando se considera que nos últimos sete anos, sua condição se deterioraria a tal ponto que ela tinha que se sentar em uma cadeira de gravidade zero reclinada, e só podia andar distâncias curtas usando o andador.
A estratégia alimentar descrita acima é somente uma pequena parte da dieta, para que os leitores possam ter noção de como funciona.
——————————

    Esse é o poder da nutrição!

    Eu gostaria de acrescentar  mais algumas sugestões, no entanto. Dois fatores, em particular, que podem ter um impacto profundo são a inclusão de doses de vitamina D e a retirada de adoçantes artificiais como o aspartame. A Deficiência de vitamina D pode desempenhar um papel importante na EM, e a toxicidade do aspartame tem sido conhecida para imitar as doenças como a esclerose múltipla. Abordando estes dois itens devem estar no topo da lista que devem ser seguidos juntamente com a dieta.

As ligações entre a falta de exposição ao sol, o vírus Epstein-Barr, e MS

    Otimizando seus níveis de vitamina D, que é uma das melhores coisas que você pode fazer para sua saúde em geral, é também uma das melhores estratégias preventivas contra doenças auto-imunes como a esclerose múltipla. Um grande número de estudos têm confirmado que o risco de EM aumenta quanto mais longe você mora da Linha equador. De facto, a falta de luz solar foi identificada como um fator de risco para o EM tão cedo quanto 1922. Nos Estados Unidos, o risco de desenvolver EM praticamente dobra se o indivíduo passar a sua infância até a idade de 15 anos,  nos estados do Norte do que no sul ou seja mais longe da linha do equador.

    Outro fator de risco previamente estabelecido é o vírus de Epstein-Barr, (EVB) o qual causa a febre glandular. Mais de uma década atrás, os pesquisadores alemães demonstraram a associação entre EBV e Esclerose Múltipla, mostrando que, em contraste com populações de controle, 100% dos pacientes com EM tinham anticorpos contra o EBV! Os autores sugeriram que o EBV pode desempenhar um papel indireto na Esclerose Múltipla como um ativador do processo da doença subjacente.

Acesse o vídeo aqui –> http://www.youtube.com/watch?v=KLjgBLwH3Wc#at=450
——————————————————-
Referências:

    The Paleo Diet
    1 Multiple Sclerosis 2009;15:891-8
    2 Neurology 2011;76:1410-4
    3 See Ref 2
    4 Neuroepidemiology 1992
    5 Neuroepidemiology 1993


4 Comentários

  1. Tania Maria Sousa S ilva disse:

    Tenho esclerose multipla. Moro em Salvador -BA. Gostaria de receber a dieta da Dra. Wahls . Obrigada. Tania

  2. tenho amiotrofia muscular espinhal e gostaria de receber a dieta da dra Wahs adorei saber que existe uma luz no fim do túnel e podemos reverter .obrigado Teresinha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: