Início » EVIDÊNCIAS » O PERIGO DAS ESTATINAS! O COLESTEROL ESTÁ LONGE DE CAUSAR PROBLEMAS CARDÍACOS!

O PERIGO DAS ESTATINAS! O COLESTEROL ESTÁ LONGE DE CAUSAR PROBLEMAS CARDÍACOS!

Imagem

PARA UMA ‘ORIENTAÇÃO EXPRESSA’ ENVIE SEU EMAIL PARA JULIOCALEIRO@HOTMAIL.COM

Por  Dr. Júlio Caleiro

A uma confusão entre profissionais de que os níveis elevados de colesterol são responsáveis por doenças do coração, e se as estatinas que são as drogas indicadas para o colesterol “elevado”,  são realmente a solução adequada para reduzir o risco de doença cardíaca!  O documentário abaixo em vídeo, ‘estatinas Nation – The Great Cholesterol Cover-Up’, lança uma ‘luz’ sobre este tema. O filme está disponível para visualização gratuita para apenas 7 dias, então por favor compartilhe amplamente o mais rapidamente possível.
    Como observado no vídeo, a doença cardíaca é a causa principal de morte em todo o mundo, a forma mais comum das quais é a doença cardíaca coronária (CHD). CHD afeta os vasos sanguíneos que fornecem sangue ao coração, levando-os a se estreitar, restringindo assim a quantidade de oxigênio fornecido ao seu coração.  A visão convencional é que o colesterol alto é um fator de risco para essa condição – mesmo as crianças “sabem” que o colesterol pode ser causadores de ‘placas’ ruins para o coração.
    O foco sobre o colesterol, criou um enorme mercado para as estatinas, drogas que agem bloqueando a enzima no fígado que é responsável por sintetizar o colesterol.  As estatinas estão entre os medicamentos mais amplamente prescritos no mercado, e são a principal fonte de lucro para a indústria farmacêutica, em grande parte devido às campanhas implacáveis e altamente bem sucedidas de publicidade aos consumidores diretos.  Enquanto isso, a partir de 2010, havia naquele período ao menos 900 estudos que comprovem seus efeitos adversos, hoje mais que quadruplicou estes números, que funcionam a gama de problemas musculares ao aumento do risco de câncer, como já descrito em outro artigo que publiquei! Além do fato de que as estatinas são perigosas para a sua saúde, elas também não reduzem o risco de doenças cardíacas, colesterol alto dado que este realmente não aumenta o risco de doença cardíaca.

Onde o mito do colesterol elevado e doença cardíaca começou?
    A ideia de que níveis elevados de colesterol provoca doenças cardiovasculares, pode ser rastreada até ‘Rudolph Virchow’ em (1821-1902), um patologista alemão que descobriu o espessamento das artérias em pessoas que ele verificou em autopsiados ( em cadáveres), que ele  então atribuiu a causa ao colesterol elevado.  Mais tarde, Ancel Keys (1904-2004), fisiologista bem conhecido, publicou seu papel seminal conhecido como os “Sete Países Study”, que serviram de base para quase todo o apoio científico inicial para a teoria do colesterol.   O estudo associou o consumo de gordura saturada para doença coronária. No entanto, o que muitos não sabem é que os dados analisados seletivamente e as  informações foram de apenas sete países para provar a sua correlação, em vez de comparar todos os dados disponíveis no momento – que seriam de 22 países.
    Como você pode suspeitar, os estudos que foram excluídos eram aqueles que não se encaixam com a sua hipótese (teoria), ou seja, aquelas que apresentaram baixo percentual de gordura em sua dieta e uma alta incidência de morte por doença coronariana, bem como aqueles com uma dieta rica em gordura e de pobre incidência de doença coronariana. Quando todos os 22 países foram analisados, nenhuma correlação podia ser encontrado.  E é isso que a pesquisa de revisão bibliográfica agora confirma. Realmente não há nenhuma correlação entre níveis elevados de colesterol e formação de placas que levam a doenças cardíacas.

Por que você Precisa do colesterol não oxidado?

    Faltando a hipótese da correlação entre colesterol-CHD ( doença cardíaca) é a compreensão ‘holística’ de como o colesterol atua dentro do seu corpo, e por que as placas arteriais se formam em primeiro lugar, o que é claramente descrito no filme abaixo. O colesterol é na verdade uma parte crítica de materiais de construção fundamentais do seu corpo e é absolutamente essencial para uma boa saúde. É muito importante que o seu corpo,  inclusive, para o fígado e para o cérebro.
    Não há dúvida de que o seu corpo necessite de colesterol. Na verdade, agora temos evidências que mostram que a deficiência de colesterol tem um impacto negativo sobre praticamente todos os aspectos da sua saúde. Uma das principais razões é porque o colesterol desempenha um papel crítico dentro de suas membranas celulares.
    O corpo é constituído por trilhões de células que precisam de interagir umas com as outras, e o colesterol é uma das moléculas que permitem que estas interações possam ocorrer.  Por exemplo, o colesterol é o precursor de ácidos biliares,  sem uma quantidade suficiente de colesterol, o seu sistema digestivo pode ser afetado negativamente.  O colesterol também desempenha um papel essencial em seu cérebro, que armazena cerca de 25% de colesterol em seu corpo. É fundamental para a formação de ‘sinapses’, ou seja, as conexões entre os neurônios que permitem que você possa pensar, aprender coisas novas, e formar memórias. Na verdade, não é por outra razão que as dietas de baixo teor de gordura e/ou medicamentos para baixar o colesterol podem causar ou contribuir, para o desenvolvimento da doença de Alzheimer. Baixos níveis de colesterol também tem sido associadas a um comportamento violento, devido a mudanças adversas na química do cérebro.
    Além disso, você precisa de colesterol para produzir hormônios esteróides, incluindo os hormônios sexuais. A vitamina D também é sintetizada a partir de um parente próximo do colesterol: a  ‘7 dehydrocholesterol’ presente na pele.
    Para reforçar ainda mais a importância do colesterol, quero lembrá-lo do trabalho do ‘Dr. Stephanie Seneff’, que trabalha com a ‘Weston A. Price Foundation’. Uma de suas teorias é que o colesterol se combina com o enxofre para formar sulfato de colesterol, e que este sulfato de colesterol ajuda a diluir o seu sangue, servindo como um reservatório para as doações de elétrons que você recebe ao caminhar descalço sobre a terra (também chamado de aterramento). Ela acredita que, através deste mecanismo para “afinar” o sangue, o sulfato de colesterol pode proporcionar uma proteção natural contra as doenças cardíacas. Na verdade, ela vai tão longe a hipótese de que a doença cardíaca é provavelmente o resultado de deficiência de colesterol – o que, claro, é o completo oposto da visão convencional.

Identificar fatores de risco para a doença cardíaca

    Como mencionado no filme abaixo, se você quiser entender o que causa a doença de coração, você tem que olhar para o que provoca danos às suas paredes das artérias, o que interfere nos processos da doença e o que provoca a coagulação do sangue. Quando a parede endotelial está danificada os mecanismos de reparação são postas em movimento, criando uma “crosta”. Para evitar este desalojamento, a parede endotelial cresce sobre ele, fazendo com que a região se torne espessa gerando então a Estenose arterial. Isto é o que é chamado de aterosclerose. Não há nenhuma gordura (colesterol) “entupimento da tubulação” em tudo, mas sim a parede arterial é engrossada como resultado do processo de reparo natural do seu corpo inflamatório. Então, o que provoca danos às suas artérias?
    Um dos principais responsáveis é o açúcar, especialmente a frutose. Portanto ter uma dieta rica em açúcar é uma maneira infalível para colocar a doença cardíaca em sua lista de potenciais problemas de saúde. Enquanto isso, o colesterol total não vai dizer praticamente nada sobre o seu risco de doença, a menos que seja excepcionalmente elevado (acima de 330 ou mais, o que seria sugestivo de hipercolesterolemia familiar, que, na minha opinião seria a única vez que um medicamento de redução de colesterol seria usado se for o caso, mesmo que todas as outras técnicas naturais sejam esgotadas para esta decisão.

    Duas razões que são muito importantes indicadores de risco de doença cardíaca são:

        Sua poercentagem entre HDL (‘bom’)  e colesterol total: O percentual do HDL é um fator de risco de doença cardíaca muito potente. Basta dividir o seu nível de HDL pelo seu colesterol total. Esta percentagem deve ser idealmente acima de 24 por cento. Abaixo de 10 por cento, é um indicador significativo do risco de doença cardíaca

        Seu triglicérides / HDL e proporções: Esta relação deve ser idealmente abaixo de 2

    Fatores de risco para doença cardíaca incluem:

        Seu nível de insulina em jejum: Qualquer refeição ou lanche rico em muitos carboidratos, tais como a frutose e o açúcar refinado gera um aumento rápido da glicose no sangue e uma alta liberação de insulina logo em seguida, para compensar o aumento do açúcar no sangue. A insulina liberada de forma agressiva sobre muitos carboidratos, promove a formação de gorduras e torna mais difícil para o seu corpo perder o excesso de peso e excesso de gordura no sangue, especialmente no abdomen em que é um dos principais contribuintes para a doença cardíaca.
        O seu nível de açúcar no sangue em jejum: Estudos têm demonstrado que as pessoas com um nível de açúcar no sangue em jejum de 100-125 mg / dl tiveram um aumento de quase 300% a mais no risco de ter doenças coronárias do que as pessoas com um nível abaixo de 79 mg / dl.
        Seu nível de ferro: O ferro pode ser um estresse oxidativo muito potente, então se você tem níveis de ferro em excesso pode danificar os vasos sanguíneos e aumentar o risco de doença cardíaca. Idealmente, você deve monitorar seus níveis de ferritina e certifique-se que eles não são muito acima de 80 ng / ml. A maneira mais simples para reduzi-los, se eles estão elevados, é doar seu sangue, e o uso do mineral cobre, dado que este mineral faz uma boa distribuição do ferro estocado e ingerido. Se isso não for possível, você pode sugerir ao seu médico a ‘flebotomia terapêutica’ que efetivamente elimina o excesso de ferro do seu corpo

Estatinas a droga que coloque Milhões de americanos e Brasileiros dentre outros países em risco de problemas graves de saúde.

    É importante notar que as estatinas são classificadas para gestantes na “categoria gravidez X medicação”, que significa, que provoca graves defeitos congênitos, e nunca deve ser usado por uma mulher que está grávida ou a planejar uma gravidez.     As estatinas têm sido mostradas em aumentar o risco de diabetes, através de uma série de diferentes mecanismos. O mais importante é que elas aumentam a resistência à insulina, o que pode ser extremamente prejudicial para a saúde. O aumento da resistência à insulina contribui para a inflamação crônica em seu corpo, e inflamação é a marca da maioria das doenças principalmente cardíacas. Na verdade, o aumento da resistência à insulina pode levar a doenças cardíacas, que, ironicamente é a principal razão para tomar um medicamento de redução de colesterol, em primeiro lugar. Elas também pode promovem a gordura na barriga, pressão alta, ataques cardíacos, fadiga crônica, a interrupção da tireóide e doenças como Parkinson, Alzheimer e câncer.

    Em segundo lugar, as estatinas aumentam o risco de diabetes, na verdade eleva o seu açúcar no sangue. Quando você come uma refeição que contém amido e açúcar, uma parte do excesso de açúcar vai para o seu fígado, que em seguida armazena como colesterol e triglicérides. As estatinas trabalham impedindo o fígado de fazer o colesterol. Como resultado seu fígado retorna o açúcar para a corrente sanguínea, o que aumenta os seus níveis de açúcar no sangue.
    Diabetes induzida por drogas e o genuíno diabetes tipo 2 não são necessariamente idênticas! Se você estiver usando uma droga estatina e descobrir que sua glicose no sangue está elevada, é possível que o que você tenha seja apenas a hiperglicemia – um efeito colateral, é o resultado do efeito colateral da medicação (SINVASTATINA, ORTOVASTATINA ETC…). Infelizmente muitos médicos vão equivocadamente diagnosticá-lo com “diabetes tipo 2”, e possivelmente prescrever outra droga, quando tudo que você pode precisar fazer é simplesmente interromper a estatina para que seus níveis de glicose no sangue voltem ao normal.

    Estatinas também interferem com outras funções biológicas. De extrema importância, as estatinas esgotam o seu corpo de CoQ10, responsável por muitos dos seus resultados devastadores. Portanto, se você tomar uma estatina você deve tomar CoQ10 em forma de suplemento. Um estudo recente no ‘Jornal Europeu de Pharmacology’ mostrou que o ubiquinol efetivamente restaura células contra os danos causados pelas drogas estatinas (sinvastatina), protegendo assim as células musculares de miopatias. Outro estudo avaliou os benefícios da CoQ10 e suplementação de selênio para pacientes com miopatia associada. Em comparação com aqueles que receberam um placebo, o grupo de tratamento tiveram significativamente menos dor, fraqueza muscular e diminuição da cólica, e menos fadiga.

    As estatinas também interferem com a via do mevalonato, a qual é o caminho para o centro de gestão de esteróide no seu corpo.

Como otimizar seus níveis de colesterol naturalmente

    A maneira mais eficaz de otimizar o seu perfil de colesterol e prevenir doenças cardíacas é através de dieta e exercício. Lembre-se que 75% do seu colesterol é produzido pelo fígado, que é influenciada por seus níveis de insulina. Portanto, se você otimizar o seu nível de insulina, você irá otimizar automaticamente o seu colesterol e reduzir o risco de diabetes e doenças cardíacas.
    Não há nenhuma droga para curar doenças do coração, como a causa subjacente é a – resistência à insulina e danos na parede arterial – os quais são causados por comer muitos açúcares, grãos e principalmente frutose. Então, minhas principais recomendações para regular de forma segura o seu colesterol e reduzir o risco de doença cardíaca incluem:

        Reduzir, com o plano de eliminar grãos e frutose da sua dieta. Esta é uma das melhores maneiras de otimizar seus níveis de insulina, o que terá um efeito positivo sobre não apenas o colesterol, mas também reduz o risco de diabetes e doenças cardíacas, e mais outras doenças crônicas. Usar meu Plano de Nutrição para ajudar a determinar a dieta ideal para você, que consome uma boa parte de sua alimentação seja por FASTFOODS.
        Começar em abundância gorduras de alta qualidade, de origem animal gorduras omega-3, como o óleo de krill, e reduzir o consumo de ômega-6  que danifica gorduras boas em gorduras trans (gorduras, óleos vegetais), e equilibrar o seu ômega-3 em relação ao ômega-6, como o óleo de oliva, coco e óleo de coco, produtos lácteos, matérias orgânicas e ovos, abacate, nozes e sementes cruas e carnes orgânicas com gados alimentados com capim.
        Otimizar seus níveis de vitamina D, obtendo exposição solar adequada ou usar uma cama de bronzeamento segura.
        Otimize sua flora intestinal, como a pesquisa recente sugere que o equilíbrio bacteriano no intestino pode desempenhar um papel na sua suscetibilidade a doenças cardíacas e exercite-se diariamente.
Certifique-se de incorporar exercícios de Fitness , que também otimiza a sua produção de hormônio do crescimento humano (HGH).
        Andar descalço para se aterrar na terra. Falta de aterramento tem muito a ver com o aumento de doenças modernas como isso afeta os processos inflamatórios em seu corpo. Aterramento “dilui” o seu sangue, tornando-o menos viscoso. Praticamente todos os aspectos da doença cardiovascular tem sido correlacionada com a viscosidade do sangue elevado.         Evite fumar ou beber álcool em excesso.
        Certifique-se de que tenha o sono restaurador.

    As chances são muito elevadas de que você não precisa de Estatinas ( 100 para 1).Da minha análise, os que  poderiam beneficiar são aqueles que nasceram com um defeito genético chamado hipercolesterolemia familiar, pois isso torna resistente a medidas tradicionais de normalizar o colesterol. Único caso que poderia ser prescrito as estatinas.

    Lembre-se, o seu corpo necessita de colesterol para a produção de membranas celulares, hormônios, vitamina D e ácidos biliares que ajudam a digerir a gordura. O colesterol também ajuda a memória, a forma do cérebro e é vital para a sua função neurológica. Há também fortes indícios de que ter muito pouco colesterol aumenta o risco de câncer, perda de memória, doença de Parkinson, os desequilíbrios hormonais, acidente vascular cerebral, depressão, suicídio e comportamento violento.

    Estatinas realmente não tem nada a ver com a redução de seu risco de doença cardíaca. Na verdade, essa classe de medicamentos pode aumentar o seu risco de doença cardíaca – especialmente se você não tomar Ubiquinol (CoQ10) junto  para atenuar o esgotamento de CoQ10 causados pela droga.


———————————

Referências  

  1 Nutrition 1997 Mar;13(3):250-2
    2 European Journal of Pharmacology April 24, 2013
    3 Canadian Journal of Physiology and Pharmacology 02/2013; 91(2):165-70
mercola.

———————————————————————————

 

Contador

%d blogueiros gostam disto: