Início » EVIDÊNCIAS » TRIPTOFANO trata de distúrbios do sono, incluindo, a apnéia obstrutiva

TRIPTOFANO trata de distúrbios do sono, incluindo, a apnéia obstrutiva

ApniaObstrutivadoSono

By Dr Júlio Caleiro, nutricionista. F: (35) 3531-8423.

O envelhecimento é muitas vezes acompanhado de uma variedade de transtornos do humor, que incluem a irritabilidade, estresse e ansiedade. Esses sintomas, junto com outros mais graves, como distúrbios do sono, depressão, comportamento agressivo, baixa motivação, e pensamentos suicidas tem sido atribuídas a queda dos níveis cerebrais de SEROTONINA, um neutrotransmissor que tem sido chamado de ‘hormonio da felicidade’.

Para o corpo fabricar a serotonina, é preciso o fornecimento suficiente de um aminoácido natural, o TRIPTOFANO. A redução dos níveis de triptofano desencadeia uma queda correspondente de serotonina no cérebro e pode afetar o humor, prejudicar a memória, com aumento de comportamentos agressivos. Triptofano ajuda normalizar os níveis de serotonina (World J Biol Psychiatry. 2009;10(4):258-68; Psychosom Med. 2003 Jul-Aug;65(4):665-71) e outros neurotransmissores, e com isso, reverte sintomas comportamentais da idade, incluindo irritabilidade, distúrbios do humor, ansiedade e estresse (Age (Dordr). 2012 May 24).

O uso de medicamentos como o Interferon contra a hepatite C, por exemplo, diminuem os níveis plasmáticos de triptofano, e como conseqüência, pacientes submetidos a esta terapia são notoriamente propensos a experimentar irritabilidade emocional e depressão grave (Psychosom Med. 2005 Sep-Oct;67(5):773-7; Clin Psychiatry. 2012 Aug;73(8):1128-38.) . Assim, a suplementação com triptofano pode oferecer um alivio para estes pacientes e suas famílias, com diminuição considerável de irritabilidade e possível reversão da depressão.

Além disso, triptofano auxilia na qualidade e quantidade de sono. A literatura científica é clara: Suplementação de triptofano simplesmente faz as pessoas se tornarem mais agradáveis (Neuropsychopharmacology. 2001 Aug;25(2):277-89.) Os dois principais hormônios envolvidos na qualidade da produção de sono são melatonina e serotonina, e ambos naturalmente feitos a partir de triptofano (Nihon Rinsho. 2012 Jul;70(7):1139). Diversos estudos relatam uma melhoria na qualidade do sono após suplementação com triptofano (J Psychiatr Res. 1982;17(2):107-13; Psychopharmacology (Berl). 1983;80(2):138-42). Mesmo utilizando baixas doses de triptafano, comprovou-se que sua suplementação aumentou a qualidade do sono por alongar a quantidade de tempo gasto em fase mais profunda do sono (J Nerv Ment Dis. 1979 Aug;167(8):497-9).

Ademais, aqueles tomam triptofano na hora de dormir são mais propensos a acordar com o aumento do estado de alerta, ter clareza de pensamento e um melhor desempenho na atenção (Am J Clin Nutr. 2005 May;81(5):1026-33.). Diferentemente dos remédios para insônia, triptofano induz a sonolência sem prejudicar ou produzir dependência, nem torna mais difícil ser despertado do sono quando necessário (Am J Clin Nutr. 1985 Aug;42(2):366-70).

Triptofano também pode desempenhar um papel positivo em uma das mais perigosas complicações relacionadas ao sono: apnéia obstrutiva do sono. A apnéia obstrutiva do sono, por interromper repetidamente os ciclos do sono, aumenta muito o risco no desenvolvimento de doenças cardiovasculares (Int J Cardiol. 2013 Jan 7.). Foi comprovado em um importante estudo, que pacientes com apnéia obstrutiva de sono que fizeram suplementação com triptofano na hora de dormir, apresentaram uma significativa melhora de seus padrões de sono, com melhorias nos valores de tempo gasto no sono REM – de ‘movimentos rápidos dos olhos’. (Bull Eur Physiopathol Respir. 1983 Nov-Dec;19(6):625-9.). Sabe-se que a qualidade e quantidade do sono REM é essencial para o bem estar físico e psicológico da pessoa, logo, para estes pacientes é essencial acrescentar em seus tratamentos a correta suplementação de triptofano para uma efetiva regressão dos sintomas.

A diminuição do sono REM está associada a baixa agilidade e sensação de fadiga no dia seguinte, e as vezes resultando no adormecer involuntário durante o dia (narcolepsia)- Sleep Breath. 2012 Mar;16(1):241-5.

Agende sua consulta!

Referências científicas:
1. Sandyk R. L-tryptophan in neuropsychiatric disorders: a review. Int J Neurosci. 1992 Nov-Dec;67(1-4):127-44.
2. Russo S, Kema IP, Bosker F, Haavik J, Korf J. Tryptophan as an evolutionarily conserved signal to brain serotonin: molecular evidence and psychiatric implications. World J Biol Psychiatry. 2009;10(4):258-68.
3. Capuron L, Schroecksnadel S, Feart C, et al. Chronic low-grade inflammation in elderly persons is associated with altered tryptophan and tyrosine metabolism: role in neuropsychiatric symptoms. Biol Psychiatry. 2011 Jul 15;70(2):175-82.
4. Bell C, Abrams J, Nutt D. Tryptophan depletion and its implications for psychiatry. Br J Psychiatry. 2001 May;178:399-405.
5. Russo S, Kema IP, Fokkema MR, et al. Tryptophan as a link between psychopathology and somatic states.Psychosom Med. 2003 Jul-Aug;65(4):665-71.
6. Russo S, Kema IP, Haagsma EB, et al. Irritability rather than depression during interferon treatment is linked to increased tryptophan catabolism. Psychosom Med. 2005 Sep-Oct;67(5):773-7.
7. Udina M, Castellví P, Moreno-España J, et al. Interferon-induced depression in chronic hepatitis C: a systematic review and meta-analysis. J Clin Psychiatry. 2012 Aug;73(8):1128-38.
8. Bravo R, Matito S, Cubero J, et al. Tryptophan-enriched cereal intake improves nocturnal sleep, melatonin, serotonin, and total antioxidant capacity levels and mood in elderly humans. Age (Dordr). 2012 May 24.
9. Moskowitz DS, Pinard G, Zuroff DC, Annable L, Young SN. The effect of tryptophan on social interaction in everyday life: a placebo-controlled study. Neuropsychopharmacology. 2001 Aug;25(2):277-89.
10. Mishima K. Melatonin as a regulator of human sleep and circadian systems. Nihon Rinsho. 2012 Jul;70(7):1139-44.
11. Hartmann E. Effects of L-tryptophan on sleepiness and on sleep. J Psychiatr Res. 1982;17(2):107-13.
12. Korner E, Bertha G, Flooh E, Reinhart B, Wolf R, Lechner H. Sleep-inducing effect of L-tryptophane. Eur Neurol.1986;25 Suppl 2:75-81.
13. Hartmann E, Lindsley JG, Spinweber C. Chronic insomnia: effects of tryptophan, flurazepam, secobarbital, and placebo. Psychopharmacology (Berl). 1983;80(2):138-42.
14. Schneider-Helmert D, Spinweber CL. Evaluation of L-tryptophan for treatment of insomnia: a review.Psychopharmacology (Berl). 1986;89(1):1-7.
15. Hartmann E, Spinweber CL. Sleep induced by L-tryptophan. Effect of dosages within the normal dietary intake. J Nerv Ment Dis. 1979 Aug;167(8):497-9.
16. Markus CR, Jonkman LM, Lammers JH, Deutz NE, Messer MH, Rigtering N. Evening intake of alpha-lactalbumin increases plasma tryptophan availability and improves morning alertness and brain measures of attention. Am J Clin Nutr. 2005 May;81(5):1026-33.
17. Lieberman HR, Corkin S, Spring BJ, Wurtman RJ, Growdon JH. The effects of dietary neurotransmitter precursors on human behavior. Am J Clin Nutr. 1985 Aug;42(2):366-70.
18. Seif F, Patel SR, Walia H, et al. Association between obstructive sleep apnoea severity and endothelial dysfunction in an increased background of cardiovascular burden. J Sleep Res. 2013 Jan 19. doi: 10.1111/jsr.12026. [Epub ahead of print]
19. Garcia-Rio F, Alonso-Fernandez A, Armada E, et al. CPAP effect on recurrent episodes in patients with sleep apnea and myocardial infarction. Int J Cardiol. 2013 Jan 7.
20. Vitulano N, Di Marco Berardino A, Re A, et al. Obstructive sleep apnea and heart disease: the biomarkers point of view. Front Biosci (Schol Ed). 2013;5:588-99.
21. Schmidt HS. L-tryptophan in the treatment of impaired respiration in sleep. Bull Eur Physiopathol Respir. 1983 Nov-Dec;19(6):625-9.
22. Han F. Respiratory regulation in narcolepsy. Sleep Breath. 2012 Mar;16(1):241-5.
23. lifeextension.com


2 Comentários

  1. O ronco é um fator de risco para aterosclerose de carótidas e, pode esconder a presença da apneia obstrutiva do sono, uma doença que tem impacto direto no sistema cardiovascular. Quem tem apneia do sono tem 5 x mais chance de ter um enfarto e AVC e 7 x mais chance de provocar acidente no trânsito. Se você conhece alguém que ronca, oriente para que procure tratamento o mais rápido possivel. Ronco é coisa séria e apnéia do sono é grave!!!! O dentista especialista em sono pode tratar o ronco e a apneia do sono. Se informe! Se ligue em você e se cuide!!!

    • Dra. Lilian, sem dúvida alguma, entendo ser indispensável o acompanhamento do dentista especialista em sono para tratar pacientes com ronco e apnéia do sono. Para estas patologias, e muitas outras, o tratamento de saúde é multidisciplinar e multimodal (enxergar e tratar o doente por diversos ângulos e meios), não se restringindo a apenas uma especialidade da área da saúde. Muito importante as suas informações, obrigado!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: