Início » EVIDÊNCIAS » Coenzima Q10 retarda a evolução do Mal de Parkinson em 44%!

Coenzima Q10 retarda a evolução do Mal de Parkinson em 44%!

MAL DE PARKINSON

By Dr. Julio Caleiro, nutricionista. Fone do consultório 35-3531-8423. São Seb. Paraíso/MG.

A doença de Parkinson é uma desordem cerebral degenerativa progressiva. As terapias convencionais atuais só mitigam os sintomas angustiantes, mas não diminuem o ritmo progressivo da deterioração provocada pela doença.

No Parkinson, a proteína chamada alfa-sinucleína danifica neuronios em regioes do cérebro que controlam a função motora, bem como a função cognitiva.

É indispensável para os doentes de Parkinson protegerem, o máximo possível, o maior número de neuronios produtores de dopamina.Um recente estudo indica que altas doses de coenzima Q10 [CoQ10] faz exatamente isso! Pela primeira vez na história médica, um estudo humano tem mostrado que a progressão da doença de Parkinson pode ser retardada em 44% quando o paciente consome altas doses de coenzima Q10 diariamente (Shults CW, et al. Effects of coenzyme q10 in early Parkinson disease: evidence of slowing of the functional decline. Arch Neurol 2002 Oct;59(10):1541-50.)

Estudos anteriores já haviam indicado que a coenzima Q10 pode trazer efeitos neuroprotetores. Por exemplo, um estudo de 1998 publicado na revista Proceedings, da Academia Nacional de Sciences concluiu que “CoQ10 pode exercer efeitos neuroprotetores que podem ser úteis no tratamento de doenças neurodegenerativas.”

Quem padece deste tipo de doença não tem a opção de aguardar a medicina convencional passar a aceitar o uso de um suplemento que provou sua importante eficácia neuroprotetora.

Confirmando o estudo acima, em 2011, uma meta-análise concluiu que uma alta dose de Coenzima Q10 foi bem tolerado pelos pacientes com a doença de Parkinson, e ainda, forneceu uma melhoria significativa em numerosas medidas no combate à gravidade e progressão da doença (Liu J, Wang L, Zhan SY, Xia Y. Coenzyme Q10 for Parkinson’s disease. Cochrane Database Syst Rev. 2011 (12):CD008150.)

O corpo sintetiza quantidades abundantes de coenzima Q10 na juventude, mas o envelhecimento e a utilização de certas drogas (por exemplo, estatinas) provocam uma diminuição acentuada de produção de coenzima Q10. O uso de estatinas causa uma queda de 40% do nível de Coenzima Q10 no sangue. O envelhecimento normal provoca uma redução dos níveis da CoenzimaQ10 em 72%. Este declínio da coenzima Q10 correlaciona-se com as muitas doenças degenerativas que os seres humanos enfrentam com o envelhecimento, incluindo o mal de Parkinson.

Das formas de Coenzima Q10, indico o UBIQUINOL. Segundo o médico cientista com especialização em cirurgia neurológica, nutrologia e medicina ortomolecular, Dr. Arnaldo Velloso da Costa, “o déficit só pode ser compensado com a correção do potencial energético das mitocôndrias pela suplementação do UBIQUINOL, a forma mais assimilável da CoQ10, oito vezes mais potente do que a ubiquinona, conforme tem sido demonstrado em estudos experimentais e em ensaios clínicos. O ubiquinol revelou-se 90% mais eficaz que a ubiquinona na supressão da fadiga induzida pelo exercício e 40% mais capaz que a ubiquinona em retardar os sinais de envelhecimento medidos em animais”.

Sugiro a leitura da matéria referente a um estudo onde os pacientes apresentaram importante regressão dos sintomas do Parkinson, neste link: https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/05/08/paciente-apresenta-significativa-regressao-dos-sintomas-do-mal-de-parkinson-2/

Inicie o tratamento pela nutrição avançada o quanto antes, a sua saúde não pode mais esperar!

Referências:
1. Ebadi M. et al. Ubiquinone (Coenzyme Q10) and mitochondria in oxidative stress of Parkinson’s disease. Biol Signals Recept 2001 May-Aug;10(3-4): 224-53.
2. A Kalén, et al. Age-related changes in the lipid compositions of rat and human tissues. Lipids, July 1, 1989; 24(7): 579-84.
3. van Dyck CH, Age-related decline in dopamine transporters: analysis of striatal subregions, nonlinear effects and hemispheric asymmetries. Am J Geriatr Psychiatry 2002 Jan-Feb;10(1):36-43.
4. Kim JH, et al. Dopamine neurons derived from embryonic stem cells function in an animal model of Parkinson’s disease. Nature, advance online publication, 2002, June 20, DOI: 10.1038/nature00900.
5. Vesper J, et al. Results of chronic subthalamic nucleus stimulation for Parkinson’s disease: a 1-year follow-up study. Surg Neurol 2002 May;57(5):306-11; discussion 311-3.
6. Malhi GS, et al. Novel physical treatments for the management of neuropsychiatric disorders. J Psychosom Res 2002 Aug;53(2):709-19.
7. Luo J, et al. Subthalamic GAD gene therapy in a Parkinson’s disease rat model. Science 2002 Oct 11;298(5592):425-9.
8. Albano CB, et al. Distribution of coenzyme Q homologues in brain. Neurochem Res 2002 May;27(5):359-68.
9. Beal MF. Coenzyme Q10 as a possible treatment for neurodegenerative diseases. Free Radic Res 2002 Apr;36(4):455-60.
10. Shults CW, et al. Effects of coenzyme q10 in early Parkinson disease: evidence of slowing of the functional decline. Arch Neurol 2002 Oct;59(10):1541-50.
11. Shults CW, et al. Coenzyme Q10 levels correlate with the activities of complexes I and II/III in mitochondria from parkinsonian and nonparkinsonian subjects. Ann Neurol 1997 Aug;42(2):261-4.
12. Shults CW, et al. A possible role of coenzyme Q10 in the etiology and treatment of Parkinson’s disease. Biofactors 1999;9(2-4):267-72.
13. Haas RH, et al. Low platelet mitochondrial complex I and complex II/III activity in early untreated Parkinson’s disease. Ann Neurol 1995 Jun;37(6):714-22.
14. Beal MF, et al. Coenzyme Q10 attenuates the 1-methyl-4-phenyl-1,2,3,tetrahydropyridine (MPTP) induced loss of striatal dopamine and dopaminergic axons in aged mice. Brain Res. 1998 Feb 2;783(1):109-14.
15. Lodi R, et al. Antioxidant treatment improves in vivo cardiac and skeletal muscle bioenergetics in patients with Friedreich’s ataxia. Ann Neurol 2001 May;49(5):590-6.
16. Musumeci O, et al. Familial cerebellar ataxia with muscle coenzyme Q10 deficiency. Neurology 2001 Apr 10;56(7):849-551.
17. Matthews RT, et al. Coenzyme Q10 administration increases brain mitochondrial concentrations and exerts neuroprotective effects. Proc Natl Acad Sci U S A 1998 Jul 21;95(15):8892-7.
18. Liu J, Wang L, Zhan SY, Xia Y. Coenzyme Q10 for Parkinson’s disease. Cochrane Database Syst Rev. 2011 (12):CD008150.
19. Magnésio – O que ele pode fazer por você? Arnaldo Velloso Costa, editora Thesaurus, 2010, p. 281-282.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Contador

%d blogueiros gostam disto: