Início » 2012 (Página 2)

Arquivo anual: 2012

CONTROLE A LEPTINA COM A INSULINA, E PERCA GORDURAS COM EFICÁCIA

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
————————————————————-

PARA “INDICAÇÃO EXPRESSA” ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com – CONSULTÓRIO – 35-3531-8423

Image

Leptina é um hormônio produzido pelas células gordurosas para regular o apetite. Já a insulina é um hormônio produzido no pâncreas, permitindo que outras células possa absorver a glicose para a formação de energia. Se seu corpo produz muita insulina, indica que você possui intolerância à glicose levando a uma condição chamada diabetes tipo 2. O Excesso da produção de leptina pode causar ganho de peso.

Significado:  Níveis de insulina são determinadas pela leptina. A Leptina também controla níveis dos hormônios da tireóide t3, t4, temperatura corporal, o acúmulo de gordura no abdômen e a capacidade de queimar essa gordura.

Efeitos

A Inflamação desempenha um papel na progressão do diabetes. Entretanto a Leptina controla a produção de substâncias inflamatórias potentes de nossas células de gordura, desencadeando uma inflamação generalizada. A obesidade tem sido associada com a causa do diabetes tipo 2, mas o motivo não era totalmente conhecido; Uma pesquisa recente sobre efeitos inflamatórios da leptina no corpo, levaram os cientistas a sugerir que a leptina pode ser um elo perdido, onde necessita de mais estudos para melhor esclarecimento e entendimento dos efeitos nocivos a curto e médio prazo resultado desta inflamação.

Resistência de leptina

A Leptina “diz” para sua gordura onde ir; Portanto se seu corpo é resistente à leptina, a gordura se acumulará no abdômen e em todo corpo, dando-lhe a “forma de maçã” que está ligada ao diabetes 1 e 2; uma outra condição é a esteatose hepática onde a condição clínica é o acúmulo de gordura no fígado, prejudicando a capacidade do fígado de controlar a função de insulina saudável.

Importância da leptina

A Leptina controla a parte do cérebro e também  regula as hormonas da tireóide. Ela afeta o sistema nervoso, pressão arterial, resposta ao estresse adrenal, níveis de cortisol,  propensão à osteoporose e diabetes.

Resumo

A secreção de leptina normal depois de uma refeição irá suprimir a fome, queimar gordura e reduzir a gordura acumulada. No entanto, se você é resistentes à leptina,  a mensagem de saciedade pode não chegar ao cérebro, que e se limitará a níveis baixos de leptina. Consequentemente, o indivíduo continuará permanecer com fome e armazenar gorduras (ao invés de queimar). Além disso, seu nível de açúcar será elevado e irá aumentar a resistência à insulina.

Solução

Criar uma sensibilidade de leptina PARA melhorar os níveis de insulina e a capacidade do cérebro de “ouvir” “entender”,  que seu corpo precisa, e o que não precisa! Seu cérebro vai controlar o armazenamento de gorduras corretamente e usá-las quando induzir a queima por restrição calórica ou atividade física. Uma dieta de gorduras boas e nivelamento de açúcar vindo dos alimentos, melhorará os níveis de insulina e leptina, a sensibilidade e síntese de hormônios.

JÚLIO CALEIRO-

A SOLUÇÃO PARA A DISIDROSE PALMAR E DOS PÉS É A VITAMINA D, segundo Dr. Cannell.

Dear Dr Cannell: Sun exposure, vitamin D, and eczema

Dear Dr. Cannell:

I have what has been diagnosed as dishydrosis on my hands. I get very itchy bumps that are filled with a clear fluid along with swelling of the affected areas. When the bumps break open, I get pain- sometimes it can be extremely painful. I think that has to do with how deep the bumps go as well as the fact that it happens on the pads of the fingers. Lots of nerve endings there.

I have tried everything, went to several doctors. Right now it is being “controlled” with a steroid cream that I apply twice a day. I’m using betamethasone, the strongest available.

One thing that I’ve noticed is that all summer long, I have no problems. I live in Minnesota. I spend a lot of time outside in the sun during the summer. Now that we are once again getting into the colder seasons and I’ve lost my sun, the skin problems are coming right back. It is very difficult for me to do anything with my hands like this. Even tying my shoes or zipping a jacket or buttoning a shirt can be difficult or even extremely painful. I bandage them up when they start breaking open. (I’ve had this condition since 1995)

Do you know of anything I can do for this? Does the sun provide something in the body that is healing for this particular issue? I know Vitamin D, but does a supplement provide the same as the sun? What would be the best one in that case? Could there be anything else that I could do or take to make up for the many months of no sun?

Any help you can provide would be so very appreciated.

Thank you,

Mary, Minnesota

Dear Mary:

Dishydrosis, also known as vesiculobullous hand eczema, is a skin condition that presents with the sudden onset of many itchy clear small blisters in the skin and then often with the development of fissures and thickening of the skin. Recurrence is common and for most people it becomes a chronic condition. We used to think it was blocked sweat glands but is now known to be separation of the outer layer of the skin with fluid due to allergy or autoimmunity.

As you already know it gets better in the summer, then UV light is one treatment possibility. Local hand irradiation with both UVA and UVB has been shown to help dishydrosis. We know that sunshine does more than make vitamin D. So, in the winter, you could try a low-pressure sunbed at a local sunbed parlor, which is equivalent to sunshine at the equator at 5,000 feet altitude. A low-pressure sunbed is an old-fashioned one, one that is like intense sunshine. So, if you use low-pressure sunbeds, be sure to expose the palms of your hands to the UV light. Be careful not to burn.

If you can’t or won’t go to sunbed parlors, oral vitamin D is another possibility. The subject was recently reviewed and quite a bit of evidence exists that eczema or atopic dermatitis may respond to oral vitamin D.

Mutgi K, Koo J. Update on the Role of Systemic Vitamin D in Atopic Dermatitis. Pediatr Dermatol. 2012 Sep 7

In addition, a small, randomized controlled trial recently showed that oral vitamin D helped regular eczema, so I suspect it could help dishydrosis.

Amestejani M, Salehi BS, Vasigh M, Sobhkhiz A, Karami M, Alinia H, Kamrava SK, Shamspour N, Ghalehbaghi B, Behzadi AH. Vitamin D supplementation in the treatment of atopic dermatitis: a clinical trial study. J Drugs Dermatol. 2012 Mar;11(3):327-30.

Because the condition is so severe, my advice is to do both, take vitamin D and expose your hands to UV light. Get your vitamin D level up to high normal, 70-80 ng/ml.

If you don’t want to use sunbeds, consider buying a portable UV light such as the Sperti lamp, to shine directly your palms for five to ten minutes every day

Diabetes gestacional é vinculada à deficiência de vitamina D-

Diabetes gestacional é vinculada à deficiência de vitamina D

Diabetes gestacional é vinculada à deficiência de vitamina D

Cientistas estudaram a deficiência de vitamina D durante o primeiro trimestre de gravidez associado a um risco prevalente aumentado para o desenvolvimento de diabetes gestacional no segundo trimestre, em um grupo de 655 mulheres grávidas.

Os resultados do estudo indicaram associação significativa entre a deficiência de vitamina D e um aumento da incidência de diabetes gestacional, disse Marilyn Lacroix na reunião anual da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes.

Analisaram-se 655 mulheres grávidas com idades a partir dos18 anos e com gestação de 6 a 13 semanas, sendo gestação única e sem histórico de diabetes ou diabetes gestacional, aborto, ou abuso de álcool ou drogas. Os pesquisadores mediram o nível de 25-hidroxivitamina D no sangue de cada mulher durante a 6ª à 13ª semana de gestação, sendo cada gestante reavaliada entre as 24ª a 28ª semanas.

Durante o estudo, 54 mulheres (8%) desenvolveram diabetes gestacional. A análise mostrou que para cada redução de desvio-padrão dos níveis sanguíneos de 25-hidroxivitamina D identificados durante o primeiro trimestre, as mulheres tinham uma possibilidade estatisticamente significativa 40% maior de ter diabetes gestacional durante o  segundo trimestre, após ajuste para idade, estado da amostragem de sangue, do uso de suplementos de vitamina D e do grau de adiposidade, relatou a Sra. Lacroix, pesquisadora endocrinologista na Universidade Sherbrooke.

No primeiro trimestre verificou-se deficiência de vitamina D – em um nível sanguíneo de menos de 50 nmol / L – em 26% entre as 601 mulheres que estavam normoglicêmicos durante o segundo trimestre, e 37% entre as mulheres que desenvolveram diabetes gestacional pelo segundo trimestre.

A análise também mostrou uma significativa redução média do índice Matsuda ( Diabetes Care 1999; 22:1462-70 ), bem como uma redução significativa da secreção de insulina. O índice de sensibilidade de secreção de insulina ( Diabetic Medicine 2009; 26:1198-1203 ) entre as pacientes que passaram a ter diabetes gestacional. Estas reduções sugerem que a resistência à insulina faz a ligação entre baixos níveis de vitamina D e os incidentes de diabetes gestacional, relatou a Sra. Lacroix.

Ms. Lacroix relatou que ela e seus associados não tiveram contribuições financeiras relevantes.

Vitamina D e Resistência à Insulina

Os investigadores reconhecem agora que a vitamina D e os seus metabólitos ativos desempenham um papel na resistência à insulina e na expressão da resistência à insulina. Sabe-se também que a resistência à insulina está na base do desenvolvimento de diabetes gestacional, e como resultado, a vitamina D tem sido reconhecida como uma importante linha de pesquisa para o estudo da diabetes gestacional. Se houver um momento quando a vitamina D é importante, é durante a gravidez. A resistência à insulina aumenta durante a gravidez, as mulheres grávidas têm uma redução de até três vezes na sensibilidade à insulina e a vitamina D ou sua deficiência, provavelmente tem um papel preponderante neste caso, de acordo com a Dra. Anne Dornhorst.

A insuficiência ou deficiência da vitaminha D agrava ainda mais o risco de diabetes para a mulher durante a gravidez., especialmente em áreas onde as mulheres possuem pele escura ou sempre estão com o seu corpo encoberto, sem acesso ao sol.

As descobertas da Dra. Lacroix não chegaram a ser surpresa. Seu relatório destaca o surgimento da vitamina D como uma chave para a compreensão da resistência à insulina. O próximo passo é avaliar o papel da suplementação de vitamina D na redução da diabetes gestacional, sendo que os estudos já estão em andamento.

Dr. Dornhorst é endocrinologista no Hospital Imperial College e diabetologista sênior da Charing Cross e Hospitais Hammersmith, todos em Londres.

http://www.clinicalendocrinologynews.com/

———————————————————————————–

http://www.clinicalendocrinologynews.com/news/top-news/single-article/gestational-diabetes-linked-with-vitamin-d-deficiency/ec5a7da3e345c382660d95dbeb23e0a5.html

http://www.tiabeth.com/tiabeth/wp/noticias/2012/10/18/diabetes-gestacional-vinculado-a-deficiencia-de-vitamina-d/

DR. JÚLIO CALEIRO E VITAMINA D3

—>>>>      CLIQUE AQUI  OUÇA A ENTREVISTA    DR. JÚLIO CALEIRO E VITAMINA D3       <<<<—-

ENTREVISTA CONCEDIDA AO JORNALISTA ROBERTO PEREIRA DA RÁDIO IMPERADOR DE FRANCA-SP, SOBRE VITAMINA D3 E TRATAMENTO DE DOENÇAS AUTO-IMUNES, NEURODEGENERATIVAS E METABÓLICAS.

 

 

UM NOVO MODELO DE CÂNCER E VITAMINA D- SURPREENDENTE!

UM NOVO MODELO DE CÂNCER?

Embora seja um exagero que a vitamina D, pode previnir e até mesmo curar o câncer alguns cientistas tiveram a coragem suficiente para sugerir uma teoria totalmente nova para a doença. Em 2009, os irmãos Garland propuseram uma nova opção para explicar o câncer no corpo. O modelo científico autal considera que a origem do câncer é a mutação genética. E se essa suposiçao estiver errada? E se existir outra explicação para o desenvolvimento do câncer? Essas foram as questões levantas pelos irmãos Garland e publicadas no periódico Annals of Epidemiology, a publicação oficial da Associação Americana de Epidemiologia, e que imediatamente tiveram repercussão na mídia. Primeiro, o Dr. Cedric Garland e sua equipe enfatizaram uma série de publicações que sugerem que o câncer se desenvolve a partir de um grupo de células que perdem sua capacidade de permanecerem unidas de um modo saudável. Eles ponderaram que o fator-chave do desencadeamento da malignidade poderia ser a falta de vitamina D. De acordo com o Dr. Garland, os pesquisadores documentaram que quando a vitamina D ativada está presente no tecido, as células aderem umas às outras e agem como células normais e maduras. Entretanto, quando há deficiência de vitamina D ativada o que é presente na maioria das pessoas atigindo em até 70% da população mundial, as células perdem essa capacidade de união e as suas identidades como células diferenciadas. O resultado? Elas podem retroceder para um estado perigoso e imaturo e se tornarem cancerosas. O Dr. Garland afirma que é o suprimento abundante de vitamina D no corpo, que pode interromper esse processo. A presença de vitamina D adequada em quantidades suficientes no corpo pode interromper o primeiro estágio do processo canceroso, reestabelecendo as conexões entre as células que possuam receptor de vitamina D intacto.

-Michael Holick MD

FISIOCULTURISTAS, SUPLEMENTAÇÃO E ALIMENTOS! -10 PRINCÍPIOS BÁSICOS!

Image10 principais informações para FISIOCULTURISTAS

Não importa a sua genética ou os objetivos que você definiu para si mesmo, você precisa seguir as regras de nutrição bodybuilding se seu treinamento é rídigo!

Com certeza a nutrição pode ser um assunto complicado – tais como: carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais, para não mencionar tipo refeição, creatina,  prateleiras e prateleiras suplementos exóticos pode fazer bagunçar a sua cabeça.

Pare de vacilar. Vou mencionar algumas regras de nutrição para ajudar a guiá-lo através “de campo minado”   relacionadas à alimentação e suplementos. Este artigo abrangente de técnicas alimentação será fácil de você seguir para uma estratégia avançada que passareo para asua precisão e eficiência. Se você quer aumentar a massa, começar rasgando e definindo ou simplesmente manter seu peso, você vai encontrar as respostas aqui comigo.

Nas próximas semanas colocarei 10  dicas nutricionais para fazer o máximo proveito do seu treino e outros componentes importantes para seu treino de musculação.

1 – Sobre a o exagero de PROTEÍNAS

Recomendo aos bodybuilders tomar  pelo menos uma grama de proteína por quilo de peso corporal por dia. As necessidades de proteína para culturistas individuais podem variar, mas esse mínimo garante quantidades suficientes  para construir músculos. Se o seu peso corporal é baixo ou se as suas necessidades calóricas para a manutenção de peso corporal são altas, então você pode precisar de proteína ainda a mais do que os fisiculturistas normal.

2 – NÃO a overdose em proteínas!

Alguns bodybuilders e profissionais desenvolveram uma mentalidade que quantidades excessivas de proteínas são melhores. Se você está comendo mais do que 2 g de proteína por quilo de peso corporal por dia, então provavelmente você está consumindo mais proteína do que seu corpo pode usar para a construção muscular. Excesso de proteína será simplesmente quebradas e queimadas como energia (ou armazenado como gordura corporal). A proteína é difícil para o seu corpo a quebrar porque é uma molécula complexa, por isso é uma fonte ineficiente de energia. Manter o consumo de proteína em alta, mas não exagere! Confie em outros alimentos para musculação incluindo carboidratos, para manter o peso durante as fases de crescimento e ver o resultado no espelho da definição e muscular.

3- TOME SUPLEMENTAÇÃO DE CARBOIDRATOS.

Seu corpo pode usar proteínas, carboidratos e gorduras para a energia, mas quando você está treinando duro, utiliza preferencialmente carboidratos. Basicamente, os carboidratos são cadeias de moléculas de glicose, e o corpo pode facilmente absorver o açúcar em energia. Uma dose adquada de carboidratos torna mais fácil para o seu corpo para alimentar-se, poupando proteínas e gorduras para utilizações mais específicas.

4 -Enfatiza carboidratos complexos

Hidratos de carbono complexos são construídos de longas cadeias de açúcares. Estes tipos de carboidratos são digeridos facilmente, mas eles tem uma queima lenta porque o corpo tem que quebrá-los para usá-los. Os carboidratos complexos são um combustível mais duradouro do que os carboidratos simples, há menos chance de ser armazenado como gordura corporal. Durante uma fase de construção de massa, se esforçam para levar em 3 g de carboidratos por quilo de peso corporal por dia, elaborado principalmente a partir de fontes complexas, como legumes, massas, batatas, arroz, inhame e aveia. Durante as fases de corte, reduzir o consumo de carboidrato total, contando mais fortemente os de queima lenta que carboidratos complexos, incluindo arroz integral, inhame e aveia.

5 – Carboidratos simples

Exceto após os treinos, um fisiculturista deve minimizar o consumo de calorias de carboidratos simples (açúcar). Carboidratos simples pode ser rapidamente absorvida, especialmente em líquidos com pouca ou nenhuma gordura ou alimentos sólidos para abrandar a sua passagem através do trato gastrointestinal. Quantidades significativas de carboidratos simples proporcionam a liberação de insulina, e que é desejado depois de um treino, mas não em outras vezes, porque pode estimular o organismo a armazenar esses açúcares como gordura corporal. Os alimentos que são ricos em açúcar estão entre os piores para bodybuilders que procuram manter a gordura corporal baixa.

6- LIMITE gordura saturada e evite as gorduras TRANSATURADAS ( TRANS)

Excessos desses dois tipos de gordura aumentam o risco de coração e outros problemas de saúde, e eles também podem minar os esforços da musculação. As gorduras trans são comumente encontrados em alimentos processados, como bolachas, biscoitos e outros produtos de panificação. As gorduras saturadas são prevalentes em menor qualidade (fattier) nos cortes de carnes. Mas algumas gorduras saturadas tais como os TCM ( TRIGLICÉRIDEOS DE CADEIA MÉDIA), podem potencializar o treino, além de aumentar a oxidação lipídica diária e durante a musculação. O óleo de coco Extra Virgem é uma fonte segura e benéfica.

7 Consumir gorduras SAUDÁVEIS

Os alimentos que contêm gorduras insaturadas, particularmente monoinsaturados, são excelentes para fisiculturistas. Não tenha a noção de que uma dieta de musculação deve ser baixo teor de gordura – que só deve ser baixa em gorduras saturadas e trans. Omega-3 os ácidos graxos, encontrados em peixes e óleos de linhaça, são importantes para criar um ambiente favorável hormonal para a construção de tecido muscular. Outras gorduras insaturadas, como os encontrados em azeitona, abacate, nozes, sementes e óleos de oliva, também fornecem bodybuilders com inúmeras vantagens de fortalecimento muscular. Devem representar 15-20% de sua dieta diária. O óleo de canola é contra indicado.

8 -CALORIAS

Ao preparar uma dieta de fisiculturismo, macronutrientes são muitas vezes divididas em porcentagens. Por exemplo, uma recomendação dietética off-season poderia ser a de obter por volta 50% de calorias provenientes de carboidratos, 30% de proteínas e 20% de gorduras. Para fazer isso exatamente, você tem que ter uma informação valiosa: Cada grama de carboidratos tem aproximadamente quatro calorias, cada grama de proteína tem quatro calorias e cada grama de gordura tem nove calorias. Este diferencial de calorias deve fazer parte para todos os fisiculturistas, mesmo aqueles que não estão em uma dieta de baixo teor de gordura, precisa prestar atenção às calorias de gordura, bem como aos carboidratos e proteínas.

9- Beba pelo menos um galão 2.6 lit de água por dia

Ingestão de água constante mantém os nutrientes que se deslocam na corrente sanguínea e nas células musculares. A água também é uma fonte importante de muitos minerais, e use água com o PH acima de 7, para manter a neutralidade sanguínea e evitar que o sangue fique ácido. Mas não beba de uma vez em uma sessão – distribua ao longo do dia, e começe a tomar água 3 horas antes do treino numa quantidade um pouco maior. Isto é mais importante ainda para bodybuilders que estão sob dietas ricas em proteínas, bem como aqueles que utilizam creatina, queimadores de gordura ou outros suplementos que afectam a hidratação. A água é a essência da vida, e sua importância para fisiculturistas não pode ser negligenciado. Beber um litro de água com as principais refeições e tentar ultrapassar a recomendação da distribuição, não exagere durante as princiapais refeições.

A água é essencial para a saúde geral, bem como para o crescimento muscular. Manter o corpo bem hidratado geram benefícios e melhora degradação de proteínas para a digestão.

10 -COMA FIBRAS

A maioria dos alimentos musculação são notoriamente pobre em fibras, no entanto, fisiculturistas precisam de muita fibra para fazer ganhos ideais. Bodybuilders deve obter o máximo de sua fibra dietética ATRAVÉS de carboidratos complexos, frutas e legumes. Esforce-se para tomar em 30 g de fibras por dia, e ainda mais quando você está em uma dieta de alto teor calórico. Se a sua dieta não fornece esse valor, então considere a suplementação diária com um produto de fibra.

JÚLIO CALEIRO

SOJA COM GENE Roundup Ready®, um VENENO!

Image

O gene Roundup Ready®
O que é e como foi obtido o gene Roundup Ready®O gene Roundup Ready®, também conhecido como cp4-epsps, é o gene que confere às plantas a tolerância à aplicação, em pós-emergência, de herbicidas à base da molécula de glifosato como o herbicida Roundup Ready®, que foi desenvolvido e registrado pela Monsanto Company, nos Estados Unidos, durante os anos 90 e mais recentemente, no Brasil. Esse gene foi isolado de uma bactéria chamada Agrobacterium spp encontrada em um tanque de efluentes em uma fábrica de produção do glifosato. A introdução do gene cp4-epsps nas plantas de soja se deu pelo processo de biobalística, onde segmentos de DNA dessa bactéria foram introduzidos nas células vegetais.

Como o gene Roundup Ready® age na planta

A molécula de glifosato age na planta através do bloqueio da enzima 5-enolpiruvato- shiquimato-3-fosfato sintase (EPSPS), que faz parte da via de biossíntese de aminoácidos aromáticos essenciais para o desenvolvimento da planta. Quando essa enzima é bloqueada, a via metabólica é interrompida e, pela falta de aminoácidos, a planta morre. No caso da cp4-epsps, o glifosato não consegue bloqueá-la e, assim, a via metabólica não é interrompida e as plantas se desenvolvem normalmente.

A área plantada de soja com o gene Roundup Ready® no mundo

Áreas de soja com gene Roundup Ready®, em milhões de hectares, no mundo Percentuais de soja com o gene Roundup Ready® com relação a área mundial plantada
2003 41,0 51%
2004 48,0 56%
2005 54,4 60%
2006 58,6 64%
2007 58,6 57%
FONTE: Isaaa, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007

No Brasil, a aprovação de uso e consumo da soja contendo o gene Roundup Ready® foi dada pela CTNBio, em 1998, mas uma medida judicial suspendeu essa aprovação até 2003, quando uma medida provisória (MP) autorizou o plantio. A nova lei de biossegurança sancionada em 2005 confirmou a decisão da CTNBio dada em 1998 e, hoje, não há empecilho legal para a utilização dessa tecnologia no Brasil.

Além da soja contendo o gene Roundup Ready®, essa mesma tecnologia foi desenvolvida e é utilizada fora do Brasil em culturas como algodão, canola, milho e alfafa Roundup Ready®.

É importante lembrar que para o uso correto dessa tecnologia, ou seja, aplicar a molécula de glifosato em pós-emergência da soja contendo o gene Roundup Ready®, o produtor deve utilizar herbicidas registrados no Ministério da Agricultura e do Abastecimento (MAPA), para essa modalidade de uso.

® Roundup Ready é marca registrada utilizada sob licença da Monsanto Company

http://www.pioneersementes.com.br/ProdutosBiotecnologiaSojaRR.aspx
MALEFÍCIOS: http://www.nossofuturoroubado.com.br/arquivos/maio_10/glifosato.html

LEITE CAUSA CÂNCER!

Image

A escola de Saúde Publica de Harvard publicou recentemente uma nova versão de seu “Healthy Eating Plate” (algo como “Prato Saudável”), que é uma versão moderna da pirâmide alimentar.

Segundo os especialistas que participaram do desenvolvimento do novo guia prático da universidade, a conclusão sobre os laticínios do “Healthy Eating Plate” baseou-se em afirmações de Harvard tais como: “…o consumo excessivo pode aumentar o risco de câncer na próstata e possivelmente nos ovários”“ …o cálcio é importante mas o leite não é a única, nem sequer a melhor fonte”. A renomada instituição norte-americana indica a redução de laticínios em uma alimentação saudável.

Eles também garantem que o estudo não sofreu loby da indústria.

A publicação alerta também que nenhuma quantidade de carne processada como bacon, salsichas e similares é segura.

———————————————————————————————————-

Fonte:

http://news.harvard.edu/gazette/story/2011/09/harvard-serves-up-its-own-plate/

http://www.care2.com/greenliving/harvard-declares-dairy-not-part-of-healthy-diet.html

VITAMINA K2, A MELHOR OPÇÃO PARA TEU CORAÇÃO!

Vitamina K2: o nutriente esquecido

Um estudo recentemente publicado pelo “European Prospective Investigation into Câncer e Nutrição (EPIC)” revelou que um aumento do consumo de vitamina K2 pode reduzir o risco de cancro da próstata em 35 por cento. Os autores ressaltam que os benefícios da K2 foram mais pronunciados para o cancro da próstata avançado, e, sobretudo, que a vitamina K1 não oferece quaisquer benefícios para a próstata.

As descobertas foram baseadas em dados de mais de 11.000 homens que fizeram parte do estudo EPIC Heidelberg. Este é mais um acrescento para o conjunto de dados em rápido crescimento da ciência, que comprovam os potenciais benefícios da vitamina k2 para a saúde óssea, doenças cardiovasculares, cérebro, pele, e agora também para a saúde da próstata.

Infelizmente, A maioria das pessoas não estão conscientes dos benefícios para a saúde da vitamina K2. Até muito recentemente, as vitaminas K têm sido subestimadas e incompreendidas, tanto pela comunidade científica como pelo público em geral.

Acreditava-se que os benefícios da vitamina K estavam limitados ao seu papel na coagulação do sangue. Outra crença popular é que as vitaminas K1 e K2 são simplesmente formas diferentes da mesma vitamina – com as mesmas funções fisiológicas.

No entanto, novas evidências confirmaram que o papel da vitamina K2 no corpo estende-se muito para além da coagulação do sangue, também nos protege de doenças cardíacas, garantindo uma pele saudável, formando ossos fortes, promovendo o funcionamento do cérebro, apoiando o crescimento e desenvolvimento e ajudando a prevenir o cancro – para citar alguns. Na verdade, a vitamina K2 tem tantas funções não associadas com a vitamina K1, que muitos pesquisadores insistem que a K1 e K2 deveriam ser designadas como sendo duas vitaminas completamente diferentes.

Um grande estudo epidemiológico da Holanda ilustra bem este ponto. Os pesquisadores recolheram dados sobre a ingestão de vitamina K dos voluntários entre 1990 e 1993, mediram a extensão de doença cardíaca em cada indivíduo, que tinha morrido por isso e como isso estava relacionado com a ingestão de vitamina K2 e calcificação arterial. Eles descobriram que a calcificação das artérias foi o melhor previsor de doença cardíaca. Os voluntários com os níveis mais elevados de vitamina K2 tiveram 52 por cento menos probabilidades de desenvolver calcificação intensa das artérias, 41 por cento menos probabilidade de desenvolver doença cardíaca, e 57 por cento menos probabilidade de morrer devido a ela. (Geleijnse et al., 2004, p. 3.100-3.105) No entanto, a ingestão de vitamina K1 não teve efeito na evolução das doenças cardiovasculares.

Enquanto a vitamina K1 é preferencialmente utilizada pelo fígado para activar as proteínas de coagulação do sangue, a K2 é preferencialmente utilizada por outros tecidos para depósito de cálcio em locais apropriados, como nos ossos e dentes, e evitar sua deposição de cálcio em locais onde ele não pertence, tal como nos tecidos moles. (Spronk et al., 2003, pp 531-537) Numa investigação acerca do papel desempenhado pelos diferentes vitaminas K1 e K2, o “United States Department of Agriculture (USDA)”, finalmente determinou os teores de vitamina K2 presente nos alimentos da dieta dos EUA pela primeira vez em 2006. (Elder, Haytowitz, Howe Peterson, & Booth, 2006, pp 436-467)

Outro equívoco comum é que os seres humanos não precisam da vitamina K2 na sua dieta, já que eles têm a capacidade de converter a vitamina K1 para vitamina K2. A quantidade de vitamina K1 presente em dietas típicas é dez vezes maior do que a de vitamina K2, e os investigadores e os médicos ignoraram e consideraram insignificante a contribuição de K2 para o estado nutricional.

No entanto, embora os animais consigam converter a vitamina K1 em vitamina K2, uma quantidade significativa de evidências sugere que os seres humanos necessitam de K2 pré-formado na dieta para obterem e manterem uma saúde óptima. A mais forte indicação de que os seres humanos necessitam de vitamina K2 pré-formada na dieta é que tanto os estudos epidemiológicos como os de intervenção demonstram a sua superioridade sobre a vitamina K1.

natto21 Vitamina K2: o nutriente esquecido

O alimento mais rico em vitamina K2 é o Natto (um prato relativamente desconhecido por estes lados, mas comum no Japão), que é produzido a partir da fermentação de grãos de soja com Bacillus subtilis.

A ingestão de K2 está inversamente associada com doença cardíaca em seres humanos, enquanto a ingestão de K1 não está (Geleijnse et al., 2004, pp 3100-3105) e a vitamina K2 é pelo menos três vezes mais eficaz que a vitamina K1 na activação de proteínas relacionadas com metabolismo do esqueleto. (Schurgers et al., 2007) E lembre-se que, no estudo sobre o papel da vitamina K2 no tratamento do cancro da próstata, que mencionei no início deste artigo, a vitamina K1 não teve nenhum efeito.

Fonte:http://www.musculacao-pt.net

 

Att;

Júlio Caleiro-

VOCÊ É GESTANTE? EVITE O AUTISMO NO SEU FILHO(A)!

ImageEstudo mostra que a deficiência da Vitamina D3 bem como a falta de exposição ao sol é causa direta para o Autismo. A verdade é que de 20 anos para cá, o mundo vive uma epidemia com crianças Autistas e que segundo alguns médicos pesquisadores é causa direta da deficiência da Gestante da Vitamina D3. O ‘Dr Canells’ umas das maiores autoridades em Vitamina D3 neste assunto mostra como isso acontece no estudo publicado no endereço abaixo.

 

Portanto se você é Gestante  procure seu Nutricionista para mensurar os níveis de Vitamina D3 e fazer a reposição.

http://www.vitamindcouncil.org/health-conditions/neurological-conditions/autism/

Att;

Júlio Caleiro

VITAMINA D É UMA ARMA EFICAZ CONTRA DOENÇA DE CROHN!

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK – https://www.facebook.com/NutricaoNoTratamentoEPrevencaoDeDoencas?ref=hl
————————————————————-

PARA “INDICAÇÃO EXPRESSA” ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com – CONSULTÓRIO – 35-3531-8423

Cientistas da Universidade McGill e a Univeriste de Montreal descobriram que a vitamina D, em sua forma mais pura, pode neutralizar os efeitos da doença de Crohn, uma forma de doença inflamatória intestinal (DII), (Journal of Biological Chemistry). Trata-se de inflamação em curso ou crônica do trato gastrintestinal. A doença de Crohn é  induzida por inflamação  e afeta mais frequentemente os intestinos. No entanto, pode também ocorrer no boca e no recto, (ADAM); ou mesmo em várias partes do tubo digestibo.

A causa exata da doença de Crohn era desconhecida até agora. Agora que os cientistas estudaram extensivamente esta doença,  tem-se uma melhor compreensão de como a doença afeta o corpo.  Há algum tempo suspeita que a doença de Crohn esteja ligada a um mal funcionamento da resposta do sistema imunológico, mas não era claro como agora, (ADAM).  Esse pressuposto não era elucidado até este estudo.

Na verdade, no processo de determinação do que a vitamina D tem um efeito direto sobre a doença de Crohn, os cientistas perceberam que o sistema imunológico inato, que funciona como a  primeira defesa contra os invasores microbianos foi a parte do sistema imunitário que esteve diretamente envolvido com a doença. Acredita-se que o sistema imunológico está exagerado e atacando as bactérias normais no intestino, (ADAM).

Pela primeira vez, os resultados do estudo sugerem que deficiência de vitamina D pode contribuir directamente para a doença de Crohn. Há ainda uma crença de que as pessoas de países do Norte que receba menos luz solar necessário para a fabricação de vitamina D pelo corpo humano, são suscetíveis à doença de Crohn, (Journal of Biological Chemistry). De acordo com a ADAM , a predisposição genética e fatores ambientais parecem desempenhar um grande papel em uma pessoa com a doença de Crohn,  A D3  é errôneamente chamada de vitamina, pois sua cadeia carbônica se mostra como um hormônio potente.

A equipe de investigação descobriu que a  D3  atua diretamente sobre o beta Defensina 2,  este gene codifica para um peptídeo antimicrobiano. A vitamina D também atua diretamente sobre o gene NOD2, que alerta células à presença de invasão microorganismos que entra no corpo, de acordo com a equipe de investigação, equlibrando então a resposta imune. Eles disseram que Beta-Defensina e NOD2 tem sido associada à doença de Crohn, sugerindo que se NOD2 é deficiente ou defeituoso, perdendo a capacidade modulada correta de combater micróbios invasores  intestinal, a vitamina D então incrementa e modula os genes de modo a se defender de tais microorganismos.

A vitamina D, na sua forma ativa é chamado 1, 25-dihydroxyvitamin D, que é um hormônio que se liga aos receptores das células do corpo, de acordo com os pesquisadores. Suplementos de vitamina D adequadamente pode induzir o sistema imune a reagir de forma correta e balanceada.

Os pesquisadores argumentaram que a descoberta de “Crohn’s-vitamina d” pode ser benéfica segundo os testes clínicos, afirmando que os irmãos de pessoas com doença do Corhn que ainda não tenha desenvolvido a doença devem ser aconselhados para certificarem de que eles tenham a vitamina D suficiente e não venham no futuro a desenvolverem doenças intestinais similares ou mesmo a citada no artigo.

ATENÇÃO!

A dose de Vitamina D deve ser ajustada juntamente com outros suplementos para real efeito na patologia. A dose é individualizada, pois leva-se em consideração o peso, nível patológico, medicações convencionais (evitar efeitos adversos), idade, e o horário correto de aplicação.  A forma de aplicação também é outro fator, portanto não tome suplementos SEM ORIENTAÇÃO DO SEU MÉDICO OU NUTRICIONISTA, pode ser perigoso para sua saúde.

—————————————————————

Júlio Caleiro-

Série “Nem Tudo é Virose” Parte II, – BABÉSIA

 

 BABÉSIA.

A Babésia um protozoário, que pode entrar na corrente sanguínea para se reproduzir, invadindo as hemácias e rompendo a célula, tendo uma reprodução em massa de novos parasitas que farão o mesmo processo de invasão e multiplicação. A babesiose pode causar fadiga, dor de cabeça e Febre alta, o que geralmente fica apenas por estes sintomas, pois o Baço pode “limpar” e repor  o sangue. Mas em pessoas que foi retirado o Baço, a Babésia avança livremente pelo corpo levando o indivíduo a morte! Alguns pacientes portadores de “Câncer do tipo ‘linfoma de Hodgkin’, o baço em alguns casos é removido, e nestas pessoas o perigo é bem maior. A pergunta é: Como se adquire este parasita? Pode-se resumir em dois seres: RATO E CARRAPATO! Quando um rato for picado por um carrapato infectado o rato se contamina, ou quando um carrapato não infectado picar um rato infectado fecha-se assim então o ciclo. Os seres humanos  se contaminam através do carrapato infectado! Quando a Babésia entra no corpo humano ela não consegue fechar seu ciclo de vida, mas vai fazer um grande estrago nas hemácias, tendo aqueles sintomas acima descritos por dias ou semanas. Em casos onde o paciente não possui o baço o perigo é bem maior, os antibióticos e antiparasitários em muitos casos não melhoram o quadro de saúde do paciente, e a transfusão sanguínea total é indicada o mais breve possível! Já as pessoas que possuem o Baço, os remédios geralmente dão conta do problema. Fiquem atentos às crianças, em locais onde há grande manifestação de ratos, pois estes podem ser infectado pela babésia, e nestes locais terem carrapatos também infectados e porventura poderem vir a picar o indivíduo. Os animais domésticos como o Cão,  também o boi podem ser contaminados pela Babésia. Fiquem atentos!

-Procure um posto médico o mais breve possível, e relate detalhadamente ao médico os sintmas, bem como os possíveis locais onde esteve, seja o adulto ou a  criança! Não tome remédios sem prescrição do seu médico!

——————————————–

JÚLIO CALEIRO –

SÉRIE – “NEM TUDO É VIROSE”! -PARTE -I ( CRIPTOSPORIDIUM PARVUM E HOMINIS)

CRIPTOSPORIDIUM PARVUM E HOMINIS. – O Cripstosporidium um parasita unicelular que faz um grande estrago quando chega ao intestino Humano. O parasita adere ao intestino delgado, impedindo que absorva nutrientes. O sistema imune tenta se livrar, causando violento surtos de diarréia e vômitos, e esta reação imune pode ainda piorar a situação! A diarréia constante expulsa os nutrientes do corpo e isso pode causar desnutrição e desidratação, podendo por exemplo levar uma criança a morte! Os adultos saudáveis podem se recuperar do Criptosporidium sem medicamentos naturalmente, mas as crianças e imunodeprimidos este parasita pode ser Fatal! A criptospodoriose, é altamente contagiosa e pode sempre suspeitar que toda uma família de um indivíduo infectado possa ser exposta ao mesmo parasita. É necessário descobrir a origem da infecção! Geralmente fica presente na forma de OOCISTOS, na água ou no solo consequentemente ingerido por um hospedeiro, que geralmente pode ser uma vaca. Uma vez no seu interior a multiplicação ocorre nos intestinos da vaca e eliminada através das fezes, repetindo então o ciclo. O parasita tem uma capa protetora, onde pode sobreviver por 6 mêses no ambiente, podendo a qualquer momento contaminar o homem. As piscinas bem como riachos, lagoas podem ter presença do oocisto do Cripstosporidium. A água é principal contaminante dentre os humanos. Por isso as técnicas de sanitização devem está em dia, para evitar este grande problema. Toda atenção é pouca! Se você tiver alguns dos sintomas acima, ou tiver tido contato com água contaminada, procure um posto médico o mais breve! Não tome remédio sem orientação do seu médico.

——————————————-

Júlio Caleiro –

CÂNCER DE MAMA E TRATAMENTO COM EXTRATO DE ‘MELÃO AMARGO’!

Publicado em 12 de Novembro de 2012 – São Sebastião do Paraíso -MG

 

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL –juliocaleiro@hotmail.com


 

melao

 

By, Dr. Júlio Caleiro – nutricionista

Em um estudo publicado na edição de março da ‘Cancer Research’, os pesquisadores descobriram que o extrato de [melão amargo] exerce um efeito significativo contra o crescimento de células cancerosas da mama. Os resultados do estudo sugerem que o ‘extracto de melão amargo’ é capaz de modular a várias vias de transdução de sinal, resultando numa diminuição significativa da proliferação celulas tumorais  e apoptose (MORTE) induzida de tais células. Estes resultados, observaram os autores, indicam que o extracto de melão amargo pode ser usado como um agente quimiopreventivo.

Extrato de melão amargo:

O melão amargo (Momordica charantia) tem sido usada como um remédio para diabetes em lugares como Índia, China, e América Central. É amplamente cultivada na Ásia, África e América do Sul e é ingerido como um vegetal na Índia e na China, explicou o autor Ratna B. Ray, PhD, professor do Departamento de Patologia da Universidade de Saint Louis, no Missouri. Preparações de extracto de melão amargo em laboratórios independentes têm sido usado para ter um efeito benéfico sobre o metabolismo da glicose, esteatose hepática e agora o câncer.  Além disso, o melão amargo contém glicosídeos adicionais, incluindo mormordin, vitamina C, carotenóides, flavonóides e polifenóis.

Neste estudo experimental, o Dr. Ray e colegas examinaram a eficácia do extrato de melão amargo como um agente anti-cancerígeno, utilizando células cancerosas da mama de humanos (MCF-7 e MDA-MB-231) e de células primárias epiteliais mamárias, como um modelo in vitro. O efeito do melão amargo foi avaliada como o receptor de estrogênio, (ER)-positivos em células cancerosas. Descobriram que a apoptose ( morte) de células de câncer da mama foi observada neste ensaio clínico. O tratamento de células cancerosas com extrato de melão amargo inibiu a expressão de survivina e claspin, que são (proteínas envolvidas no crescimento celular tumoral), indução de apoptose (morte) da célula, e na regulação do ciclo celular segundos os Autores. A Survivina também está envolvida na resistência à quimioterapia.

Doses adequadas diariamente devem ser prescritas, tanto para prevenção como para fins de tratamento coadjuvante à quimioterapia convencional para o tratamento do câncer de mama e demais patologias metabólicas supra citada.

JÚLIO CALEIRO  –

___________________________________________________________________________

Referência

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/sites/entrez?orig_db=PubMed&db=pubmed&cmd=Search&TransSchema=title&term=20043074

Saiba mais sobre, “..A ‘Química do Amor’ que atua em favor do Orgasmo e contra mal humor, fibromialgia, hipertensão e ansiedade!

      Oxitocina é um nonapeptídeo sintetizado nos núcleos paraventricular e supraóptico do hipotálamo. Quando liberada perifericamente pela neurohipófise, atua como um hormônio que estimula a produção do leite durante a lactação e a contração uterina no parto. No entanto, quando liberada centralmente, a Oxitocina age como um neurotransmissor ou neuromodulador de diversos processos, tais como modulação da ansiedade, da libido, da interação social e regulação das respostas neuroendócrinas e cardiovasculares. Alvo de recentes pesquisas para novas indicações, a Oxitocina passou a ser considerada o “hormônio do amor”, uma vez que melhora a interação social e a realização de vínculos afetivos.  Trabalhos científicos comprovam seus benefícios nas seguintes situações:

• Crianças autistas e pacientes esquizofrênicos com dificuldade de interação social. Esta documentada a redução do nível  sérico e alteração dos receptores de oxitocina nestas patologias. A suplementação desta substância melhora o comportamento repetitivo, interação ocular e social e vínculo emocional;

 • Melhora libido feminina. A Oxitocina aumenta a lubrificação e o tônus vaginal; intensifica a experiência do orgasmo e aumenta o desejo e a memória de experiências prazerosas;

• Distúrbios de ejaculação e orgasmo em homens. Indicado para pacientes com retardo ou ausência de ejaculação (como efeito colateral do uso de antidepressivos, por exemplo),uma vez que aumenta a sensibilidade peniana e o volumedo esperma (aumenta secreções prostáticas). Intensifica a experiência do orgasmo;

• Estímulo da produção de hormônios anabolizantes como testosterona e IGF-1. Aumenta a conversão de testosterona em dihidrotestosterona e modula algumas funções do IGF-1;

• Melhora a interação social. Apresenta efeito redutor de ansiedade social, e facilita a interação e expressão de afetos, melhorando os vínculos afetivos. Reduz a ansiedade e desejo de isolamento em pacientes deprimidos e aumenta a autoconfiança ( que pode tornar-se excessiva até a psicopatia ). Os níveis de Oxitocina reduzem com a idade e a suplementação desta substância pode melhorar o humor de idosos isolados e mal-humorados;
• Promove o relaxamento muscular e diminui os sintomas
da fibromialgia;
• Diminui a hipertensão arterial e a vasodilatação coronariana

PROCURE SEU NUTRICIONISTA e/ ou médico, PARA PRESCRIÇÃO EM DOSES CORRETA e MONITORAÇÃO SANGUÍNEA.

 

Júlio Caleiro -NUTRICIONISTA

_________________________________________________________________________

Referências bibliográficas

1. Kirsch, P., et al. Oxytocin modulates neural circuitry for social cognition and fear in humans. Journal of Neuroscience. 25(59):11489-11493, 2005.

2. McCarthy, M. M., et al. An anxiolytic action of oxytocin is enhanced by estrogen in the mouse. Physiol Behav. 60(5):1209-1215, 1996.

3. Argiolas, A., et al. Oxytocin-induced penile erection. Role of nitric oxide. Adv Exp Med Biol. 395:247-254, 1995.

4. Marazziti, D., et al. The role of oxytocin in neuropsychiatric disorders. Curr Med Chem. 15(7):698-704, 2008.

5. Marroni, S. S., et al. Neuroanatomical and cellular substrates of hypergrooming induced by microinjection of oxytocin in central nucleus of amygdala, an experimental model of

compulsive behavior. Mol Psychiatry. 12(12):1103-1107, 2007.

6. Kovacs, G. L., et al. Oxytocin and addiction: a review. Psychoneuroendocrinology. 23(8):945-962, 1998.

Sarynyai, Z., et al. Role of oxytocin in the neuroadaptation to drugs of abuse. Psychoneuroendocrinology. 19(1):85-117, 1994.

7. Kirsch, P., et al. Oxytocin modulates neural circuitry for social cognition and fear in humans. Journal of Neuroscience. 25(59):11489-11493, 2005.

Kosfeld, M., et al. Oxytocin increases trust in humans.

8. Nature. 435(7042):673-676, 2005.

9. Brody, S. High-dose ascorbic acid increases intercourse frequency and improves mood: a randomized controlled clinical trial. Biol Psychiatry. 52(4):371-374, 2002

10. Millar, K., et al. Vasopressin and memory: improvement in normal short-term recall and reduction of alcohol-induced amnesia. Psychol Med. 17(2):335-341, 1987.

11. Fischer-Shofty M, Shamay-Tsoory SG, Harari H, Levkovitz Y. The effect of intranasal administration of oxytocin on fear recognition. Neuropsychologia. 2010 Jan;48(1):179-84.

12 Farmácia Essentia

 

Pré-eclâmpsia: aminoácido L-arginina e vitaminas antioxidantes, na prevenção do distúrbio

Image             Pré-eclâmpsia é um problema grave, marcado pela elevação da pressão arterial, que pode acontecer a qualquer momento da segunda metade da gravidez, ou seja, a partir de 20 semanas, mas é mais comum a partir de 27 semanas. Os especialistas acreditam que ele seja causado por deficiências na placenta, o órgão que nutre o bebê dentro do útero. A pré-eclâmpsia é bastante comum, e afeta em sua forma leve até 10% das grávidas. A pré-eclâmpsia grave é mais rara, atingindo 0,5% das gestantes.A pre-eclâmpsia é diagnosticada quando a grávida tem:

Pressão alta e  Presença de proteína na urina

              Um estudo randomizado duplo cego, mostrou que a administração do aminoácido L-arginina mais algumas vitaminas anti-oxidantes, foram eficênte na diminuição da pré-eclâmpsia. O estudo foi publicado pelo ((British Medical Journal)), onde os autores recomendam a usar a partir da vigésima (20ª) semana de gestação para que possa obter o efeito desejado.
            A fórmula atua na síntese de NO2, ( óxido nítrico), que tudo indica ser um dos fatores protetores, contra o desenvolvimento da pré-eclampsia, e consequentemente a eclampsia. Em resultado com placebo, e com uso somente de vitaminas, a fórmula foi bem superior na prevenção como mostra abaixo.  Para um tratamento nutricional com L-Arginina e antioxidantes, deve-se buscar ajuda do Nutricionista, Nunca tomem aminoácidos, ou vitaminas sem oritenção do seu médico Ginecologista, e ou Nutricionista.
—————————————- 

JÚLIO CALEIRO

———————————————————————

FONTE:

  1. Felipe Vadillo-Ortega, professor1,
  2. Otilia Perichart-Perera, titular researcher2,
  3. Salvador Espino, associate professor of obstetrics and gynaecology2,
  4. Marco Antonio Avila-Vergara, associate professor of obstetrics and gynaecology3,
  5. Isabel Ibarra, associate professor4,
  6. Roberto Ahued, professor of obstetrics and gynaecology2,
  7. Myrna Godines, associate professor of obstetrics and gynaecology1,
  8. Samuel Parry, associate professor and chief of division of maternal-fetal medicine5,
  9. George Macones, Mitchell and Elaine Yanow professor and head of obstetrics and gynaceology56,
  10. Jerome F Strauss, professor of obstetrics and gynaecology and dean of School of Medicine7

Author Affiliations


  1. 1Department of Experimental Medicine, School of Medicine, Universidad Nacional, Autonoma de Mexico, Torre de Investigacion, 3er Piso, Ciudad Universitaria, Mexico, D F 04510

  2. 2Instituto Nacional de Perinatologia Isidro Espinosa de los, Reyes, Mexico

  3. 3Universidad Autonoma de Sinaloa, Mexico

  4. 4Instituto de Investigaciones Biomedicas, UNAM, Mexico

  5. 5Department of Obstetrics and Gynaecology, University of Pennsylvania, Philadelphia, PA, USA

  6. 6Department of Obstetrics and Gynaecology, Washington University, St Louis, MO, USA

  7. 7Department of Obstetrics and Gynaecology, Virginia Commonwealth University, Richmond, VA, USA

-Correspondence to: F Vadillo-Ortega felipe.vadillo@gmail.com

DORES NO ESTÔMAGO? VEJA AS PRINCIPAIS CAUSAS E ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS!

As dores na região do estômago são multifatoriais, ou seja, existem várias causas que podem predispor a dor, tais como: Úlcera duodenal, Gastrite, Úlcera estomacal, Hipercloridria, Hérnia de Hiato e câncer. Geralmente as causas são manifestadas pela má alimentação, obesidade, vida sedentária, cigarro e bebida alcoólica, bactéria e automedicação como os AINEs, ( ANTI- INFLAMATÓRIO NÃO ESTERÓIDE) — diclofenaco, nimesulida, ibuprofeno, cetoprofeno, piroxicam dentre outros.  O abuso das medicações anti-inflamatórias é causa direta de úlceras. Obviamente não use medicações sem orientação do seu MÉDICO, pois é perigoso para sua saúde.

              A alimentação equilibrada, sanitizada corretamente, tendo um preparo e armazenamento pós-cozimento,  ajudará a não adquirir a bactéria causadora de úlcera por nome H.PILORY, que se aloja no Duodeno, na porção proximal do intestino Delgado, ocasionando a úlcera. Existem outras causas para que a úlcera apareça além desta bactéria, que seu médico poderá lhe informar se porventura for seu caso.      A gastrite, azia e má digestão, podem ter causas emocionais, o stress emocional, alimentação desregrada, falta de vitamina do complexo B  o que não é raro hoje em dia,  alimentação gordurosa, jejum prolongado dentre outras,  a  falta de atividade física e ansiedade.   A dieta de prevenção se resume numa quantidade e qualidade correta da ingestão de alimentos, é uma estratégia eficaz que ajudará a não manifestar problemas de estômago, o que claramente exige uma consulta com Nutricionista,  mas algumas dicas abaixo podem ajudar.  Algumas técnicas podem ser feitas tais como: comer devagar, mastigar bem os alimentos, não exagerar nas quantidades, comer menos carnes, frituras, doces, sanitizar as folhas com água sanitária e lavar com água corrente em seguida, evitar bebida alcoólica e stress, eliminar o cigarro, fazer atividade física, não comer alimentos condimentados e ácidos, evitar café e chá preto, chá verde, bebida a base de cola, todos os refrigerantes e sucos em pó, gelatina, salgadinhos, doces, churrasco, linguiça calabresa e outras, adoçantes, salsicha, bacon, excesso de proteínas animal ou vegetal, suplementação desportiva sem orientação correta, pimenta do reino e leite puro, todos esses alimentos e substâncias são causadores direto nas doenças do sistema digestório descrita acima, dentre várias outras mais agressivas.

      Alimentos benéficos são: suco do limão puro, abacate, banana nanica, couve, aveia, pão integral, leite de soja, arroz com feijão, batata cozida, mandioca, maçã, pêra, azeite, suco natural das frutas,  mamão, cenoura,  beterraba, mel, ricota, coalhada e chá de espinheira santa duas vezes ao dia etc… Na homeopatia se usa com sucesso a “Nux Vômica”, com indicação do profissional especialista. Na fitoterapia o uso da espinheira santa em cápsulas de 100mg 3 vezes ao dia, ajuda bastante ou até mesmo eliminar o problema.  A alopatia usa-se o clássico omeprazol 20mg, 40mg, e outros inibidores da bomba de prótons. Mas não tome nenhum destes remédios sem orientação do seu médico, é perigoso para sua saúde. Mude seu estilo de vida, procure eliminar o stress, faça atividade física e mantenha o peso no IMC entre 19 a 25.

Se você possui alguma dor na região do estômago procure o médico gastroenterologista, mude sua alimentação com dieta do Nutricionista.

 Obs: Existem outras causas de dor na região do estômago, como por exemplo cardíacas.

Júlio Caleiro –

OBESIDADE E SINTOMAS GASTROINTESTINAIS

           Image

        Um estudo publicado em 2010 mostra relação de outros fatores para sintomas gastrointestinais dos já conhecidos de longa data.    A obesidade ou acúmulo excessivo de gordura na região abdominal segundo o autor é fator direto para alguns sintomas!

         A obesidade é um problema de saúde pública que está associado com co-morbidades, como relatado por Brawer e colegas em setembro de 2009.  “Os sintomas gastrointestinais (GI) são comuns na população em geral, como observado por “Eslick” em março de 2010 emitido pela “Clínica de Gastrenterologias” da América do Norte”, mas a associação entre estes sintomas gastrointestinais e obesidade não é clara!
       Esta meta-análise de “Eslick” faz uma avaliação,  e mostra uma associação  com aumento do índice de massa corporal (IMC) ou obesidade em adultos. A análise final incluiu informações de 21 estudos que compreendem dados de quase 80.000 indivíduos e encontraram associações significativas entre os seguintes sintomas e aumento do IMC:

•  Dor abdominal superior
•  O refluxo gastresofágico
•  Diarreia
•  Dor no peito / azia
•  Náuseas e Vômitos
•  Evacuação incompleta.  Além da regurgitação ácida, o que está intimamente relacionado com a obesidade segundo escreve “Dr. Eslick”.

Atenção! Apesar de, a obesidade ser fator direto de tais sintomas como descrito acima, existem outros fatores desencadeante de problemas intestinais, como úlceras, gastrite, hérnia de hiato, câncer, obstrução intestinal dentre várias outras! Portanto procure o médico para melhor diagnóstico e tratamento, e seu NUTRICIONISTA para emagrecimento.

 

Júlio Caleiro

A NUTRIÇÃO MAIS UMA VEZ NA FRENTE! DESTA VEZ NO COMBATE AO ALZHEIMER, ESCLEROSE MÚLTIPLA, MAL DE PARKINSON E DEMAIS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS E AUTOIMUNITÁRIAS!

         A algum tempo à comunidade científica se depara com uma substância capaz de REDUZIR, a quantidade da proteína ((Beta Amilóide)), que segundo alguns autores é “causa” direta da doença de Alzheimer.  Várias outras doenças autoimunitárias e neurodegenerativas podem ser regredidas com o uso da dose correta desta substância, diariamente.  Segundo alguns estudos a deficiência da Vitamina D3, tem levado as pessoas a manifestação de vários tipos de doenças que até então sem “causa direta”.

         A “descoberta” é que: Quanto menor a exposição solar bem como aos Raios -UVB, maior a incidência destas doenças. Alguns estudos mostram tambem que,  quanto mais distantes da linha do equador como países nórdicos,  consequentemente menor exposição Solar e aos RAIOS- UVB,  maior é a prevalência de doenças autoimunitárias e neurodegenerativas, como várias outras.

        Um trabalho publicado no site MEDSCAPE, em Fev. 2012, faz alusão da diminuição das “placas amilóide” em portadores de Mal de Alzheimer quando a administração da vitamina D3  atinge níveis adequado no sangue. Segundo os autores,  indivíduos portadores desta doença possuem níveis muito baixo da vitamina no sangue,  bem como  as demais doenças neurológicas.  O Dr. Michael Holick pesquisador  sobre a vitamina D3, afirma que ela é benéfica contra a Esclerose Múltipla  e também na prevenção de várias outras doenças.

         No Brasil 80 à 90% das pessoas encontram-se em insuficiência da Vitamina D3.  É  uma pandemia segundo um estudo publica na Unifesp  2011!

       A vitamina D3, é alvo de vários outros estudos e mostrou-se eficaz no combate e prevenção, do diabetes tipo 1 e 2, Gripes, Lúpus, Hipertensão Primária, Deslipidemias diversas, Psoríase, “reumatismos”,  depresão, obesidade e várias outras.

        Entretanto para suprir  esta vitamina e manter os níveis adequado não é tão simples assim!  As pessoas não se expõe ao sol no horário e  na forma correta em que a síntese da “vitamina” acontece.  Os alimentos que possuem vitamina D é de pouca valia, uma vez que a quantidade é muito inferior para elevar e manter estes níveis no limite de prevenção e de tratamento. A única forma mais plausível e recomendada é a suplementação via oral.  Mas cuidado, não se deve tomar a “vitamina” sem orientação correta pois pode ser perigo a sua saúde; por mais que seja uma vitamina, ela em doses não adequada pode levar a quadros de  intoxicação e maiores complicações principalmente renais, e de tecidos moles.

Obs: Pesquisadores tem concluído a D3, não seja uma vitamina na realidade, e sim um PRÓ-HORMÔNIO.

        Procure um Nutricionista ou médico.

Júlio Caleiro

http://www.youtube.com/watch?v=yRQkITHjZ5k

——————————————————————————————————————————

( Dúvidas sobre tratamentos  com a vitamina D3, acesse o link abaixo dos profissionais).

http://vitaminadporumaoutraterapia.wordpress.com/o-tratamento/contatos-de-medicos/

“NOVA SUBSTÂNCIA NATURAL AJUDA PERDER ENTRE 7 A 20 KILOS EM POUCAS SEMANAS”!

PARA ORIENTAÇÃO EXPRESSA ENVIE EMAIL PARA – juliocaleiro@hotmail.com

By Dr. Júlio Caleiro – Telefone consultório – (35) 3531-8423

       Uma “nova” substância natural encontrada em alguns alimentos, foi capaz de reduzir entre 10 a 15% do peso total em algumas semanas! Pacientes submetido a um estudo controlado por placebo no final de Março deste ano, mostrou que a substância ativa por nome ÁCIDO CLOROGÊNICO, responsável pelo “MILAGRE”, encontrada em alguns alimentos tais como: Tomate, chimarrão, café verde dentre vários outros alimentos, trouxeram grandes resultados para o emagrecimento!  
      Quando foi adequado a dose correta individualizada, os benefícios começaram a aparecer logo nas primeiras semanas de tratamento.  O mais interessante é que os indivíduos do estudo não fizeram dieta, e sem restrição alguma sobre o que vinham comendo.  A substância ou mesmo o EXTRATO desta, já se encontra disponível no Brasil para manipulação, obviamente necessita de um acompahamento individualizado pelo seu Nutricionista.

Júlio Caleiro

—————————————————————————————————————————–

1-hhttp://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/view/158/166

2-Joe Vinson, PhD, professor of chemistry, University of Scranton, Scranton, Pa.
Connie Diekman, RD, director of university nutrition, Washington University in St. Louis; former president, Academy of Nutrition and Dietetics. American Chemical Society’s 243rd National Meeting and Exposition, March 25-29, 2012, San Diego, Calif. [CLOSE WINDOW]Authors and DisclosuresJournalistKathleen DohenyKathleen Doheny is a freelance writer for WebMD.
http://www.medscape.com/viewarticle/761192