Início » 2012 » maio

Arquivo mensal: maio 2012

Série “Nem Tudo é Virose” Parte II, – BABÉSIA

 

 BABÉSIA.

A Babésia um protozoário, que pode entrar na corrente sanguínea para se reproduzir, invadindo as hemácias e rompendo a célula, tendo uma reprodução em massa de novos parasitas que farão o mesmo processo de invasão e multiplicação. A babesiose pode causar fadiga, dor de cabeça e Febre alta, o que geralmente fica apenas por estes sintomas, pois o Baço pode “limpar” e repor  o sangue. Mas em pessoas que foi retirado o Baço, a Babésia avança livremente pelo corpo levando o indivíduo a morte! Alguns pacientes portadores de “Câncer do tipo ‘linfoma de Hodgkin’, o baço em alguns casos é removido, e nestas pessoas o perigo é bem maior. A pergunta é: Como se adquire este parasita? Pode-se resumir em dois seres: RATO E CARRAPATO! Quando um rato for picado por um carrapato infectado o rato se contamina, ou quando um carrapato não infectado picar um rato infectado fecha-se assim então o ciclo. Os seres humanos  se contaminam através do carrapato infectado! Quando a Babésia entra no corpo humano ela não consegue fechar seu ciclo de vida, mas vai fazer um grande estrago nas hemácias, tendo aqueles sintomas acima descritos por dias ou semanas. Em casos onde o paciente não possui o baço o perigo é bem maior, os antibióticos e antiparasitários em muitos casos não melhoram o quadro de saúde do paciente, e a transfusão sanguínea total é indicada o mais breve possível! Já as pessoas que possuem o Baço, os remédios geralmente dão conta do problema. Fiquem atentos às crianças, em locais onde há grande manifestação de ratos, pois estes podem ser infectado pela babésia, e nestes locais terem carrapatos também infectados e porventura poderem vir a picar o indivíduo. Os animais domésticos como o Cão,  também o boi podem ser contaminados pela Babésia. Fiquem atentos!

-Procure um posto médico o mais breve possível, e relate detalhadamente ao médico os sintmas, bem como os possíveis locais onde esteve, seja o adulto ou a  criança! Não tome remédios sem prescrição do seu médico!

——————————————–

JÚLIO CALEIRO –

SÉRIE – “NEM TUDO É VIROSE”! -PARTE -I ( CRIPTOSPORIDIUM PARVUM E HOMINIS)

CRIPTOSPORIDIUM PARVUM E HOMINIS. – O Cripstosporidium um parasita unicelular que faz um grande estrago quando chega ao intestino Humano. O parasita adere ao intestino delgado, impedindo que absorva nutrientes. O sistema imune tenta se livrar, causando violento surtos de diarréia e vômitos, e esta reação imune pode ainda piorar a situação! A diarréia constante expulsa os nutrientes do corpo e isso pode causar desnutrição e desidratação, podendo por exemplo levar uma criança a morte! Os adultos saudáveis podem se recuperar do Criptosporidium sem medicamentos naturalmente, mas as crianças e imunodeprimidos este parasita pode ser Fatal! A criptospodoriose, é altamente contagiosa e pode sempre suspeitar que toda uma família de um indivíduo infectado possa ser exposta ao mesmo parasita. É necessário descobrir a origem da infecção! Geralmente fica presente na forma de OOCISTOS, na água ou no solo consequentemente ingerido por um hospedeiro, que geralmente pode ser uma vaca. Uma vez no seu interior a multiplicação ocorre nos intestinos da vaca e eliminada através das fezes, repetindo então o ciclo. O parasita tem uma capa protetora, onde pode sobreviver por 6 mêses no ambiente, podendo a qualquer momento contaminar o homem. As piscinas bem como riachos, lagoas podem ter presença do oocisto do Cripstosporidium. A água é principal contaminante dentre os humanos. Por isso as técnicas de sanitização devem está em dia, para evitar este grande problema. Toda atenção é pouca! Se você tiver alguns dos sintomas acima, ou tiver tido contato com água contaminada, procure um posto médico o mais breve! Não tome remédio sem orientação do seu médico.

——————————————-

Júlio Caleiro –

CÂNCER DE MAMA E TRATAMENTO COM EXTRATO DE ‘MELÃO AMARGO’!

Publicado em 12 de Novembro de 2012 – São Sebastião do Paraíso -MG

 

Para receber atendimento ou tratamento entre em contato:

WATSAPP 35 9 8835 4802wats    –  EMAIL –juliocaleiro@hotmail.com


 

melao

 

By, Dr. Júlio Caleiro – nutricionista

Em um estudo publicado na edição de março da ‘Cancer Research’, os pesquisadores descobriram que o extrato de [melão amargo] exerce um efeito significativo contra o crescimento de células cancerosas da mama. Os resultados do estudo sugerem que o ‘extracto de melão amargo’ é capaz de modular a várias vias de transdução de sinal, resultando numa diminuição significativa da proliferação celulas tumorais  e apoptose (MORTE) induzida de tais células. Estes resultados, observaram os autores, indicam que o extracto de melão amargo pode ser usado como um agente quimiopreventivo.

Extrato de melão amargo:

O melão amargo (Momordica charantia) tem sido usada como um remédio para diabetes em lugares como Índia, China, e América Central. É amplamente cultivada na Ásia, África e América do Sul e é ingerido como um vegetal na Índia e na China, explicou o autor Ratna B. Ray, PhD, professor do Departamento de Patologia da Universidade de Saint Louis, no Missouri. Preparações de extracto de melão amargo em laboratórios independentes têm sido usado para ter um efeito benéfico sobre o metabolismo da glicose, esteatose hepática e agora o câncer.  Além disso, o melão amargo contém glicosídeos adicionais, incluindo mormordin, vitamina C, carotenóides, flavonóides e polifenóis.

Neste estudo experimental, o Dr. Ray e colegas examinaram a eficácia do extrato de melão amargo como um agente anti-cancerígeno, utilizando células cancerosas da mama de humanos (MCF-7 e MDA-MB-231) e de células primárias epiteliais mamárias, como um modelo in vitro. O efeito do melão amargo foi avaliada como o receptor de estrogênio, (ER)-positivos em células cancerosas. Descobriram que a apoptose ( morte) de células de câncer da mama foi observada neste ensaio clínico. O tratamento de células cancerosas com extrato de melão amargo inibiu a expressão de survivina e claspin, que são (proteínas envolvidas no crescimento celular tumoral), indução de apoptose (morte) da célula, e na regulação do ciclo celular segundos os Autores. A Survivina também está envolvida na resistência à quimioterapia.

Doses adequadas diariamente devem ser prescritas, tanto para prevenção como para fins de tratamento coadjuvante à quimioterapia convencional para o tratamento do câncer de mama e demais patologias metabólicas supra citada.

JÚLIO CALEIRO  –

___________________________________________________________________________

Referência

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/sites/entrez?orig_db=PubMed&db=pubmed&cmd=Search&TransSchema=title&term=20043074

Saiba mais sobre, “..A ‘Química do Amor’ que atua em favor do Orgasmo e contra mal humor, fibromialgia, hipertensão e ansiedade!

      Oxitocina é um nonapeptídeo sintetizado nos núcleos paraventricular e supraóptico do hipotálamo. Quando liberada perifericamente pela neurohipófise, atua como um hormônio que estimula a produção do leite durante a lactação e a contração uterina no parto. No entanto, quando liberada centralmente, a Oxitocina age como um neurotransmissor ou neuromodulador de diversos processos, tais como modulação da ansiedade, da libido, da interação social e regulação das respostas neuroendócrinas e cardiovasculares. Alvo de recentes pesquisas para novas indicações, a Oxitocina passou a ser considerada o “hormônio do amor”, uma vez que melhora a interação social e a realização de vínculos afetivos.  Trabalhos científicos comprovam seus benefícios nas seguintes situações:

• Crianças autistas e pacientes esquizofrênicos com dificuldade de interação social. Esta documentada a redução do nível  sérico e alteração dos receptores de oxitocina nestas patologias. A suplementação desta substância melhora o comportamento repetitivo, interação ocular e social e vínculo emocional;

 • Melhora libido feminina. A Oxitocina aumenta a lubrificação e o tônus vaginal; intensifica a experiência do orgasmo e aumenta o desejo e a memória de experiências prazerosas;

• Distúrbios de ejaculação e orgasmo em homens. Indicado para pacientes com retardo ou ausência de ejaculação (como efeito colateral do uso de antidepressivos, por exemplo),uma vez que aumenta a sensibilidade peniana e o volumedo esperma (aumenta secreções prostáticas). Intensifica a experiência do orgasmo;

• Estímulo da produção de hormônios anabolizantes como testosterona e IGF-1. Aumenta a conversão de testosterona em dihidrotestosterona e modula algumas funções do IGF-1;

• Melhora a interação social. Apresenta efeito redutor de ansiedade social, e facilita a interação e expressão de afetos, melhorando os vínculos afetivos. Reduz a ansiedade e desejo de isolamento em pacientes deprimidos e aumenta a autoconfiança ( que pode tornar-se excessiva até a psicopatia ). Os níveis de Oxitocina reduzem com a idade e a suplementação desta substância pode melhorar o humor de idosos isolados e mal-humorados;
• Promove o relaxamento muscular e diminui os sintomas
da fibromialgia;
• Diminui a hipertensão arterial e a vasodilatação coronariana

PROCURE SEU NUTRICIONISTA e/ ou médico, PARA PRESCRIÇÃO EM DOSES CORRETA e MONITORAÇÃO SANGUÍNEA.

 

Júlio Caleiro -NUTRICIONISTA

_________________________________________________________________________

Referências bibliográficas

1. Kirsch, P., et al. Oxytocin modulates neural circuitry for social cognition and fear in humans. Journal of Neuroscience. 25(59):11489-11493, 2005.

2. McCarthy, M. M., et al. An anxiolytic action of oxytocin is enhanced by estrogen in the mouse. Physiol Behav. 60(5):1209-1215, 1996.

3. Argiolas, A., et al. Oxytocin-induced penile erection. Role of nitric oxide. Adv Exp Med Biol. 395:247-254, 1995.

4. Marazziti, D., et al. The role of oxytocin in neuropsychiatric disorders. Curr Med Chem. 15(7):698-704, 2008.

5. Marroni, S. S., et al. Neuroanatomical and cellular substrates of hypergrooming induced by microinjection of oxytocin in central nucleus of amygdala, an experimental model of

compulsive behavior. Mol Psychiatry. 12(12):1103-1107, 2007.

6. Kovacs, G. L., et al. Oxytocin and addiction: a review. Psychoneuroendocrinology. 23(8):945-962, 1998.

Sarynyai, Z., et al. Role of oxytocin in the neuroadaptation to drugs of abuse. Psychoneuroendocrinology. 19(1):85-117, 1994.

7. Kirsch, P., et al. Oxytocin modulates neural circuitry for social cognition and fear in humans. Journal of Neuroscience. 25(59):11489-11493, 2005.

Kosfeld, M., et al. Oxytocin increases trust in humans.

8. Nature. 435(7042):673-676, 2005.

9. Brody, S. High-dose ascorbic acid increases intercourse frequency and improves mood: a randomized controlled clinical trial. Biol Psychiatry. 52(4):371-374, 2002

10. Millar, K., et al. Vasopressin and memory: improvement in normal short-term recall and reduction of alcohol-induced amnesia. Psychol Med. 17(2):335-341, 1987.

11. Fischer-Shofty M, Shamay-Tsoory SG, Harari H, Levkovitz Y. The effect of intranasal administration of oxytocin on fear recognition. Neuropsychologia. 2010 Jan;48(1):179-84.

12 Farmácia Essentia

 

Pré-eclâmpsia: aminoácido L-arginina e vitaminas antioxidantes, na prevenção do distúrbio

Image             Pré-eclâmpsia é um problema grave, marcado pela elevação da pressão arterial, que pode acontecer a qualquer momento da segunda metade da gravidez, ou seja, a partir de 20 semanas, mas é mais comum a partir de 27 semanas. Os especialistas acreditam que ele seja causado por deficiências na placenta, o órgão que nutre o bebê dentro do útero. A pré-eclâmpsia é bastante comum, e afeta em sua forma leve até 10% das grávidas. A pré-eclâmpsia grave é mais rara, atingindo 0,5% das gestantes.A pre-eclâmpsia é diagnosticada quando a grávida tem:

Pressão alta e  Presença de proteína na urina

              Um estudo randomizado duplo cego, mostrou que a administração do aminoácido L-arginina mais algumas vitaminas anti-oxidantes, foram eficênte na diminuição da pré-eclâmpsia. O estudo foi publicado pelo ((British Medical Journal)), onde os autores recomendam a usar a partir da vigésima (20ª) semana de gestação para que possa obter o efeito desejado.
            A fórmula atua na síntese de NO2, ( óxido nítrico), que tudo indica ser um dos fatores protetores, contra o desenvolvimento da pré-eclampsia, e consequentemente a eclampsia. Em resultado com placebo, e com uso somente de vitaminas, a fórmula foi bem superior na prevenção como mostra abaixo.  Para um tratamento nutricional com L-Arginina e antioxidantes, deve-se buscar ajuda do Nutricionista, Nunca tomem aminoácidos, ou vitaminas sem oritenção do seu médico Ginecologista, e ou Nutricionista.
—————————————- 

JÚLIO CALEIRO

———————————————————————

FONTE:

  1. Felipe Vadillo-Ortega, professor1,
  2. Otilia Perichart-Perera, titular researcher2,
  3. Salvador Espino, associate professor of obstetrics and gynaecology2,
  4. Marco Antonio Avila-Vergara, associate professor of obstetrics and gynaecology3,
  5. Isabel Ibarra, associate professor4,
  6. Roberto Ahued, professor of obstetrics and gynaecology2,
  7. Myrna Godines, associate professor of obstetrics and gynaecology1,
  8. Samuel Parry, associate professor and chief of division of maternal-fetal medicine5,
  9. George Macones, Mitchell and Elaine Yanow professor and head of obstetrics and gynaceology56,
  10. Jerome F Strauss, professor of obstetrics and gynaecology and dean of School of Medicine7

Author Affiliations


  1. 1Department of Experimental Medicine, School of Medicine, Universidad Nacional, Autonoma de Mexico, Torre de Investigacion, 3er Piso, Ciudad Universitaria, Mexico, D F 04510

  2. 2Instituto Nacional de Perinatologia Isidro Espinosa de los, Reyes, Mexico

  3. 3Universidad Autonoma de Sinaloa, Mexico

  4. 4Instituto de Investigaciones Biomedicas, UNAM, Mexico

  5. 5Department of Obstetrics and Gynaecology, University of Pennsylvania, Philadelphia, PA, USA

  6. 6Department of Obstetrics and Gynaecology, Washington University, St Louis, MO, USA

  7. 7Department of Obstetrics and Gynaecology, Virginia Commonwealth University, Richmond, VA, USA

-Correspondence to: F Vadillo-Ortega felipe.vadillo@gmail.com

DORES NO ESTÔMAGO? VEJA AS PRINCIPAIS CAUSAS E ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS!

As dores na região do estômago são multifatoriais, ou seja, existem várias causas que podem predispor a dor, tais como: Úlcera duodenal, Gastrite, Úlcera estomacal, Hipercloridria, Hérnia de Hiato e câncer. Geralmente as causas são manifestadas pela má alimentação, obesidade, vida sedentária, cigarro e bebida alcoólica, bactéria e automedicação como os AINEs, ( ANTI- INFLAMATÓRIO NÃO ESTERÓIDE) — diclofenaco, nimesulida, ibuprofeno, cetoprofeno, piroxicam dentre outros.  O abuso das medicações anti-inflamatórias é causa direta de úlceras. Obviamente não use medicações sem orientação do seu MÉDICO, pois é perigoso para sua saúde.

              A alimentação equilibrada, sanitizada corretamente, tendo um preparo e armazenamento pós-cozimento,  ajudará a não adquirir a bactéria causadora de úlcera por nome H.PILORY, que se aloja no Duodeno, na porção proximal do intestino Delgado, ocasionando a úlcera. Existem outras causas para que a úlcera apareça além desta bactéria, que seu médico poderá lhe informar se porventura for seu caso.      A gastrite, azia e má digestão, podem ter causas emocionais, o stress emocional, alimentação desregrada, falta de vitamina do complexo B  o que não é raro hoje em dia,  alimentação gordurosa, jejum prolongado dentre outras,  a  falta de atividade física e ansiedade.   A dieta de prevenção se resume numa quantidade e qualidade correta da ingestão de alimentos, é uma estratégia eficaz que ajudará a não manifestar problemas de estômago, o que claramente exige uma consulta com Nutricionista,  mas algumas dicas abaixo podem ajudar.  Algumas técnicas podem ser feitas tais como: comer devagar, mastigar bem os alimentos, não exagerar nas quantidades, comer menos carnes, frituras, doces, sanitizar as folhas com água sanitária e lavar com água corrente em seguida, evitar bebida alcoólica e stress, eliminar o cigarro, fazer atividade física, não comer alimentos condimentados e ácidos, evitar café e chá preto, chá verde, bebida a base de cola, todos os refrigerantes e sucos em pó, gelatina, salgadinhos, doces, churrasco, linguiça calabresa e outras, adoçantes, salsicha, bacon, excesso de proteínas animal ou vegetal, suplementação desportiva sem orientação correta, pimenta do reino e leite puro, todos esses alimentos e substâncias são causadores direto nas doenças do sistema digestório descrita acima, dentre várias outras mais agressivas.

      Alimentos benéficos são: suco do limão puro, abacate, banana nanica, couve, aveia, pão integral, leite de soja, arroz com feijão, batata cozida, mandioca, maçã, pêra, azeite, suco natural das frutas,  mamão, cenoura,  beterraba, mel, ricota, coalhada e chá de espinheira santa duas vezes ao dia etc… Na homeopatia se usa com sucesso a “Nux Vômica”, com indicação do profissional especialista. Na fitoterapia o uso da espinheira santa em cápsulas de 100mg 3 vezes ao dia, ajuda bastante ou até mesmo eliminar o problema.  A alopatia usa-se o clássico omeprazol 20mg, 40mg, e outros inibidores da bomba de prótons. Mas não tome nenhum destes remédios sem orientação do seu médico, é perigoso para sua saúde. Mude seu estilo de vida, procure eliminar o stress, faça atividade física e mantenha o peso no IMC entre 19 a 25.

Se você possui alguma dor na região do estômago procure o médico gastroenterologista, mude sua alimentação com dieta do Nutricionista.

 Obs: Existem outras causas de dor na região do estômago, como por exemplo cardíacas.

Júlio Caleiro –

OBESIDADE E SINTOMAS GASTROINTESTINAIS

           Image

        Um estudo publicado em 2010 mostra relação de outros fatores para sintomas gastrointestinais dos já conhecidos de longa data.    A obesidade ou acúmulo excessivo de gordura na região abdominal segundo o autor é fator direto para alguns sintomas!

         A obesidade é um problema de saúde pública que está associado com co-morbidades, como relatado por Brawer e colegas em setembro de 2009.  “Os sintomas gastrointestinais (GI) são comuns na população em geral, como observado por “Eslick” em março de 2010 emitido pela “Clínica de Gastrenterologias” da América do Norte”, mas a associação entre estes sintomas gastrointestinais e obesidade não é clara!
       Esta meta-análise de “Eslick” faz uma avaliação,  e mostra uma associação  com aumento do índice de massa corporal (IMC) ou obesidade em adultos. A análise final incluiu informações de 21 estudos que compreendem dados de quase 80.000 indivíduos e encontraram associações significativas entre os seguintes sintomas e aumento do IMC:

•  Dor abdominal superior
•  O refluxo gastresofágico
•  Diarreia
•  Dor no peito / azia
•  Náuseas e Vômitos
•  Evacuação incompleta.  Além da regurgitação ácida, o que está intimamente relacionado com a obesidade segundo escreve “Dr. Eslick”.

Atenção! Apesar de, a obesidade ser fator direto de tais sintomas como descrito acima, existem outros fatores desencadeante de problemas intestinais, como úlceras, gastrite, hérnia de hiato, câncer, obstrução intestinal dentre várias outras! Portanto procure o médico para melhor diagnóstico e tratamento, e seu NUTRICIONISTA para emagrecimento.

 

Júlio Caleiro