Início » Artigos publicados por Dr. Júlio Caleiro (Página 4)

Arquivo do autor:Dr. Júlio Caleiro

Astaxantina oferece poderosa proteção ao cérebro

cerebro0001

Em 16 de setembro de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

A astaxantina que é um nutriente [carotenóide] extraído de algas, exerce vários efeitos benéficos no cérebro (BMC Neurosci. 2012 Dec 29;13(1):156). Ao contrário de muitas outras moléculas antioxidantes, astaxantina consegue atravessar a barreira sangue-cérebro, protegendo o tecido cerebral (Forum Nutr. 2009;61:129-35.). Essa caractertística fizeram com que os especialistas rotulassem a astaxantina como ‘alimento natural do cérebro’.

Em animais, asxatanxina foi verificada em reduzir o risco de acidente vascular ceberal e melhorar a atividade motora – FASEB J. 2009 Jun;23(6):1958-68.; J Clin Biochem Nutr. 2010 Sep;47(2):121-9.; Brain Res. 2010 Nov 11;1360:40-8.
Astaxantina combate diretamente o impacto oxidativo de proteínas anormais [tóxicas] tanto no Alzheimer como no Parkinson (BMC Neurosci. 2012 Dec 29;13(1):156.; J Neurochem. 2008 Dec;107(6):1730-40.;  J Med Food. 2010 Jun;13(3):548-56.). Assim, vê-se o seu potencial para retardar ou parar doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. A proteína tóxica beta-amilóide encontrada nos pacientes com Alzheimer, também é encontrada nas células vermelhas do sangue, e que reduz o fornecimento de oxigênio para os tecidos ( FEBS Lett. 2011 Apr 20;585(8):1249-54.). A suplementação com astaxantina foi encontrada por diminuir a acumulação de beta-amilóide nas células vermelhas do sangue –  PLoS One. 2012;7(11):e49620.

Um estudo verificou que doses de astaxantina melhorou níveis cognitivos e aprendizagem em indivíduos de meia idade e idosos saudáveis que tinham sintomas de esquecimento relacionados com a idade (J Clin Biochem Nutr. 2012 Sep;51(2):102-7.). Além disso, astaxantina apresentou um efeito anti-ansiedade, que auxilia ainda mais a saúde das pessoas em geral – Biofactors. 2011 Jan;37(1):25-30.

Segundo o médico Dr. Luiz Romariz, a astaxatina: “É o mais potente antioxidante carotenoide, cerca de 65 vezes mais potente do que a vitamina C, 54 vezes mais do que o beta-caroteno e 14 vezes mais potente do que a vitamina E.”

Dessa forma, uma terapia para a saúde cerebral deve levar em conta o possível uso deste nutriente importante, deste verdadeiro alimento natural do cérebro.

*Todas as referências estão citadas no corpo do texto.
Lifeextension.com

O tratamento nutricional pode salvar vidas de pacientes com EBOLA

Em 29 de agosto de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

Esta matéria está fundamentada em trechos do artigo do Dr. Mark Sircus.

EBOLA

 

Margaret Chan, Chefe da Organização Mundial de Saúde, disse que a epidemia de Ebola está fora de controle. “O virus ataca os tecidos moles do corpo – um processo que alguns médicos descrevem, sem rodeios, como assistir um paciente ‘dissolver‘, informa Paul Salopek correspondente do “Tribune” durante um surto de 2000. Não existe um tratamento eficaz. Nenhuma vacina. Tal como acontece com surtos anteriores, o vírus não tem piedade. Ebola mata até 90% de suas vítimas com rapidez surpreendente.

O tratamento padrão consiste em proporcionar alívio dos sintomas do Ebola, enquanto o corpo luta contra a infecção. Este tipo de tratamento é conhecido como tratamento de suporte. O surto atual tem causado mais mortes do que qualquer outro na história, disse uma autoridade dos médicos sem fronteiras. No caso do Ebola não existe vacina e não existirá durante alguns anos.

Nestes centros de tratamento os pacientes não recebem remédios, são basicamente reidratadas. O surto de ebola assola a África Ocidental e acredita-se estar totalmente fora de controle, e os médicos trabalham até o limite de suas tentativas para combater a doença com a sua abordagem atual, a qual deixa a maior parte de seus pacientes mortos. As autoridades médicas gostam de culpar o vírus, mas parte dessas mortes decorrem de suas próprias ignorâncias e recusa em olhar mais profundamente por alternativas.

Presentemente tratamentos Ebola envolvem tipicamente a utilização de fluidos por via intravenosa (sódio, potássio e cloreto) os antibióticos (para prevenir infecções secundárias por bactérias), e oxigênio (para ajudar na respiração). O tratamento também pode incluir o uso de medicamentos para controlar a febre, ajudam na coagulação do sangue, manter a pressão arterial e bons cuidados de enfermagem. Mesmo com tais cuidados de suporte, a morte ocorre em 50 a 90% das pessoas com Ebola.

O vírus Ebola ataca células do sistema imunológico e pode fazer com que o sistema imune fique fora de controle, e com isso, liberar uma tempestade de moléculas inflamatórias que causam ruptura de pequenos vasos. Esses danos nos vasos sanguíneos causam queda de pressão e falência de múltiplos órgãos.

Lei da Nutrição e Medicina

Tem sido evidente que o aumento à susceptibilidade a doenças infecciosas é comum em populações desnutridas. O sistema imune deve ser mantido por uma nutrição adequada, a fim de funcionar de maneira ótima. Os pacientes que estão gravemente doentes com Ebola tem altas exigências nutricionais que precisam ser abordadas. A medicina nutricional tem uma abordagem diferente da medicina contemporânea. Em vez de usar remédios tóxicos que diminuem o sistema imunológico, aplica-se a lei nutricional para a cura do paciente. Não é preciso desenvolver medicamentos caros esperando milhões de mortes em potencial. A medicina nutricional é mais segura e mais eficaz do que a medicina farmacêutica. Basta verificar o correto uso de cloreto de magnésio e bicarbonato de sódio injetáveis em situações de emergência.

A medicina nutricional oferece um poder inigualável que pode ser aproveitado para salvar vidas de pessoas infectadas com o virus Ebola. No entanto, algumas pessoas preferem ver milhões, senão bilhões de pessoas morrerem para reduzir a população em um nível mais gerenciável. Outros preferem ficar com o seu orgulho profissional ou obediência a autoridade médicas e deixar pacientes morrerem do que até mesmo pensar no que deve trabalhar para diminuir a taxa de mortalidade.

Os segredos da sala de emergência e medicina intensiva é a chave para a resolução do Ebola. Os sais de magnésio, bicarbonato de sódio, iodo, selênio e vitamina C, são essencialmente das medicina nutricional e são usados nas piores condições médicas. Eles são amplamente disponíveis, baratos e seguros para administrar todo os dias e em altas doses.

Este protocolo natural redefine o tratamento de sala de emergência e cuidados intensivos para serem também direcionados em pacientes com Ebola, com ação rápida, comprovada e segura. São utilizados, principalmente, na forma injetável. Se a infecção de Ebola ficar, realmente, fora de controle, é reconfortante aos pais que saibam que podem legalmente administrar esses nutrientes medicinais se as pessoas infectadas são tratadas em casa. Todo medicamento da medicina nutricional pode ser tomados via oral ou transdérmica e terão efeitos muito semelhantes se a terapia é iniciado rapidamente. Aqui, a idéia principal é sair na frente do vírus.

Resolvendo as tempestades de citocinas com Selênio.

A estirpe altamente patogênica do virus Ebola (Zaire), tem sido considerada como dependente de selênio, e isso levanta a possibilidade de que a deficiência de selênio nestas populações pode realmente promover a replicação viral, que provocam os surtos e até mesmo facilitar o surgimento de cepas virais mais fortes – The Journal of Orthomolecular Medicine Vol. 10, No.2, 1995.

O selênio é um forte antioxidante e anti-inflamatório que pode controlar as tempestades de citocinas provocada a partir de infecções. Investigações clínicas em estudos indicam que doses mais elevadas de selênio são bem toleradas como infusões contínuas, como selenito de sódio (4.000mg de selênio como selenito de sódio penta-hidratado, no primeiro dia, e 1.000mg de selênio/dia nos nove dias seguintes), sem problemas de toxidades relatadas.

Os principais sintomas de uma tempestade de citocina são febre alta, inchaço, vermelhidão, fadiga extrema e náuseas. Em Ebola, a reação imunológica pode ser fatal, com tempestades de citocinas. Para cessar as tempestades de citocinas e da dificuldade respiratória aguda, deve-se injetar selênio e forçar o mundo da medicina para produzir selênio ‘lipossomal’ do Dr. Emanuel Revici, que pode ser administrado por via oral em doses elevadas, e com resultados muito mais extraordinários do que disponível através de injeções.

A maior descoberta do Dr. Revici era que, se quisermos entregar um nutriente a uma célula doente, deve-se anexá-lo a uma gordura. As gorduras insaturadas são veículos perfeitos para entrega de nutrientes para as células estressadas. Esta descoberta permitido que Dr. Revici embalasse minerais terapêuticos para serem entregues para as células doentes. Isso lhe deu uma vantagem enorme como um desenvolver de terapia – especialmente com selênio.

Revici utiliza uma forma molecular especial de selênio (selênio bivalante-negativo) incorporado numa molécula de ácido de gordura. Nesta forma, que pode administrar um grama de selênio po dia, o que correspondente a 1 milhão de microgramas dia, sem efeitos colaterais tóxicos. Em contrastes, o excesso de selênio (selênio hexavalente-positivo) tem efeitos tóxicos em animais, de como que o consumo de selênio comercial está limitado a uma única dose de 100 á 150mcg por via oral. Dr. Revici administra com frequência sua forma ‘não-tóxica’ de selênio injetável, geralmente considerada quatro vezes mais potente do que a forma dada oralmente.

O selênio é um estimulador imunológico potente, e um estudo de 18 meses de 262 pacientes com AIDS, descobriu-se que aqueles que tomaram uma cápsula diária de 200mcg de selênio tiveram níveis mais baixos do vírus da Aids e mais células CD4 do sistema imunitário que fornece muito mais saúde em sua corrente sanguínea, em comparação com o grupo de pacientes que tomaram placebo. Estes doentes com AIDS que tomaram selênio foram capazes de suprimir o vírus mortal em seus corpos e aumentar seus sistemas imunes frágeis, o que evidencia que selênio tem poderes que devem ser considerados com atenção no tratamento com pacientes com Ebola, a fim de buscar a cura. – Arch Intern Med. 2007 Jan 22;167(2):148-54

Magnésio para doença aguda

O magnésio afeta a fisiologia geral. Dr. Raul Vergini da Itaĺia diz: “O cloreto de magnésio tem um poder de cura única sobre doenças virais e bacterianas agudas. É usado para curar poliomielite e difteria e foi o principal tema do meu livro de magnésio. Alguns gramas de magnésio em poucas horas irá limpar quase todas as doenças mais graves, e podem ser combatidas em poucas horas. Eu tenho visto uma variedade de casos de gripes sendo curadas em 24 à 48 horas com 3 gramas de colreto de magnésio tomados a cada 6 à 8 horas. A minha recomendação seria seguir esta sugestão do Dr. Vergini e ir aumentando essa dose com a terapia de magnésio transdérmico.

Infecções hemorrágicas resolvidas com a Vitamina C

O vírus Ebola foi inicialmente reconhecido em 1976. Outras síndromes virais menos conhecidas, mas relacionadas, que podem ser tratados com este protocolo incluem febre amarela, dengue hemorrágica, febre hemorrágica, febre hemorrágica com síndrome renal, síndrome pulmonar por hentavírus, febre hemorrágica do Brasil, Argentina, Venezuela. A infecção pelo vírus Ebola, também conhecida como febre hemorrágica Africana, tem a distinção de ter a maior taxa de letalidade das infecções virais mencionadas acima, que variam de 53% a 88%.

Até esta data, nenhuma infecção viral foi demonstrada em ser resistente à dosagem adequada de vitamina C demonstrada pelo Dr. Klenner. No entanto, nem todos os vírus foram tratados com doses de vitamina C do porte do Dr. Klenner, ou pelo menos, os resultados não foram publicados. Infecção viral Ebola e outras febres hemorrágicas virais agudas parecem ser doenças que se encontram na mesma categoria. Por causa da capacidade aparentemente excepcional destes vírus em esgotar as reservas de vitamina C, doses ainda maiores de vitamina C seriam provavelmente necessárias, a fim de intervir de forma eficaz e curar infecções causas por estes virus – Curing the Incurable; Vitamin C, Infectious Diseases, and Toxins; by Thomas E. Levy MD JD.

Cathcart (1981) que introduziu o conceito de tolerância do intestino à vitamina C, trouxe a hipótese que Ebola e outras febres hemorrágicas virais agudas poderá exigir 500.000mg de vitamina C diariamente para alcançar a tolerância do intestino. Se a doença parecer estar vencendo, então ainda mais vitamina C deve ser administrado até que os sintomas comecem a diminuir. Obviamente, por serem doenças virais as altas doses de vitamina C deve inicialmente ser dada via intravenosa. A administração oral deve começar ao mesmo tempo, mas a via intravenosa não pode ser abandonada até que a resposta clínica esteja completa. – Marburg and Ebola; ROBERT F. CATHCART III, M.D.; ALLERGY, ENVIRONMENTAL & ORTHOMOLECULAR MEDICINE; http://vitamincfoundation.org/www.orthomed.com/ebola.htm.

Febres hemorrágicas virais normalmente só atingem proporções epidêmicas naquelas populações que já seria de esperar por terem baixas reservas de vitamina C no organismo, como é encontrado em muitos dos africanos gravemente desnutridos. Nestes indivíduos, um vírus hemorrágico muitas vezes esgotam os restantes de reservas de vitamina C antes de o sistema imunológico iniciar a recuperação.

De acordo com o médico Dr. Thomas Levy: “muitas doenças infecciosas virais foram curadas e continuar a ser curadas por uma boa administração da vitamina C. Sim, as vacinas para essas doenças infecciosas tratáveis são completamentes desnecessárias quando se tem acesso ao tratamento adequado com a vitamina C”. – Dr Thomas Levy M.D., J.D. (Vitamin C, Infectious Diseases and Toxins p30).

A terapia intravenosa de vitamina C é um poderoso tratamento quando as pessoas estão no limite entre a vida e a morte em febres hemorrágicas com o poder de trazer as pessoas de volta da beira do abismo. A vitamina C é conhecida por realizar muitas funções críticas dentro do corpo que envolve a desintoxicação, construção de tecidos, melhora da resposta imune, controle da dor, e extermínio de organismos patogênicos.

Dr. Robert Catchcart, que tem mais experiência no tratamento de infecções mortais com altas doses de vitamina C do que qualquer outro médico, diz que: “o vírus Ebola mata por meio de radicais livres que podem ser neutralizados por doses maciças de ascorbato de sódio [forma não ácida de vitamina C] por via intravenosa. …Minha experiência com administração de doses maciças de ácido ascórbico por via oral a mais de 30.000 pacientes e com a adoção de ascorbato de sódio intravenoso para mais de 2.000 pacientes, indicaria para o Ebola e outras doenças de febre hemorrágica viral que deva ser usado em doses que comecem com, ao menos, 180 gramas por 24 horas. Se a febre não for controlada ou os sintomas não são reduzidos, a dosagem e a taxa de administração deve ser aumentada até que sejam controlados.”http://vitamincfoundation.org/www.orthomed.com/ebola.htm.

Vitamina D

A vitamina D reduz o risco de morrer de uma infecção viral. Pesquisadores do Hospital Universitário de Winthrop de Mineola, Nova York, descobriram que dar suplementos de vitamina D a um grupo de voluntários reduziu episódios de infecção em gripes e resfriados em 70% ao longo de 3 anos. Os pesquisadores disseram que a vitamina D estimula a “imunidade inata” para vírus e bactérias.

IODO

Doses extremamente altas de iodo pode ter efeitos secundários graves, mas apenas uma pequena fração dessas doses extremas são necessárias para matar o vírus da gripe, escreveu o Dr. David Derry do Canadá.

Dr. Gabriel Cousens, escreveu: “Historicamente, já em 1911, as pessoas normalmente tomavam entre 300,000-900,000 microgramas de iodo por dia sem incidentes. Outros pesquisadores têm utilizado entre 3000 e 6000 microgramas / dia para prevenir o bócio. “As deficiências em iodo tem um grande efeito sobre o sistema imunológico.

Bom, esses são ALGUNS nutrientes disponíveis na nutrição para o combate dessa terrível doença, que já poderiam ser aplicadas imediatamente. A medicina nutricional não pode ser deixada de lado em momentos tão importantes. Acredito fortemente que esses nutrientes poderiam fazer a diferença para melhor no tratamento de pacientes com Ebola.

Artigo fundamentado na matéria escrita pelo Dr. Mark Sircus

Link:

http://drsircus.com/medicine/ebola-saving-lives-natural-allopathic-medicine

Referências científicas:

1] Host Nutritional Status and Its Effect on a Viral Pathogen; Melinda A. Beck and Orville A. Levander; JInfect Dis.;(2000) 182(Supplement 1): S93-S96.doi:10.1086/315918; http://jid.oxfordjournals.org/content/182/Supplement_1/S93.full

[2] Theoretical Evidence that the Ebola Virus Zaire Strain May Be Selenium-Dependent: A Factorin Pathogenesis and Viral Outbreaks?;Ethan Will Taylor1 and Chandra Sekar Ramanathan; The Journal of Orthomolecular Medicine Vol. 10, No.2, 1995; http://orthomolecular.org/library/jom/1995/articles/1995-v10n0304-p131.shtml

[3] McPherson, A. et al. NRC Research Press 1997: 203-205

[4] Turner, R. J. & Finch, J. M. (1991) Selenium and the immune response. Proc. Nutr. Soc. 50: 275–285.[Medline]

[5] Kiremidjian-Schumacher, L. & Roy, M. (1998) Selenium and immune function. Z. Ernahrungswiss. 37: 50–56.

[6] McKenzie, R. C., Rafferty, T. S., Arthur, J. R. & Beckett, G. J. (2001) Effects of selenium on immunity and ageing. In: Selenium: Its Molecular Biology and Role in Human Health (Hatfield, D. L., ed.), pp. 258–272. Kluwer Academic Publishers, Boston, MA.

[7] McKenzie, R. C., Arthur, J. R., Miller, S. M., Rafferty, T. S. & Beckett, G. J. (2002) Selenium and the immune system. In: Nutrition and Immune Function (Calder, P. C., Field, C. J. & Gill, N. S., eds.), pp. 229–250. CAB International, Oxford, U.K

[8] Beckett, G. J., Arthur, J. R., Miller, S. M. & McKenzie, R. C. (2003) Selenium, immunity and disease. In: Dietary Enhancement of Human Immune Function (Hughes D. A., Bendich, A. & Darlington, G., eds.). Humana Press, Totowa, NJ (in press).

[9] Supplement: 11th International Symposium on Trace Elements in Man and Animals;Selenium in the Immune System John R. Arthur; The American Society for Nutritional Sciences J. Nutr. 133:1457S-1459S, May 2003; http://jn.nutrition.org/cgi/content/full/133/5/1457SOver

[10] Ryan-Harshman M, Aldoori W. “The relevance of selenium to immunity, cancer and infectious/inflammatory diseases.” Can J Diet Pract Res. 66, 2:98-102, 2005.

[11] Nelson HK et al. “Host nutritional selenium status as a driving force for influenza virus mutations.” FASEB. 15:1846-8, 2001. http://www.fasebj.org

[12] Berg BM et al. “alpha-Tocopherol and selenium facilitate recovery from lipopolysaccharide-induced sickness in aged mice.” J Nutr. 135, 5:1157-63, 2005. http://www.nutrition.org.

[13] Smith A et al. “Deficiencies in selenium and/or vitamin E lower the resistance of mice to Heligmosomoides polygyrus infections.” J Nutr. 135, 4:830-6, 2005. http://www.nutrition.org

[14]Suppression of human immunodeficiency virus type 1 viral load with selenium supplementation: a randomized controlled trial. Hurwitz BE et al; Arch Intern Med. 2007 Jan 22;167(2):148-54; http://www.ncbi.nlm.nih.gov/sites/entrez

[15] Curing the Incurable; Vitamin C, Infectious Diseases, and Toxins; by Thomas E. Levy MD JD

[16] Marburg and Ebola; ROBERT F. CATHCART III, M.D.; ALLERGY, ENVIRONMENTAL & ORTHOMOLECULAR MEDICINE; http://vitamincfoundation.org/www.orthomed.com/ebola.htm

[17] Dr Thomas Levy M.D., J.D. (Vitamin C, Infectious Diseases and Toxins p30)

[18] Fuller, JG. Fever. Reader’s Digest Press. 1974.

O PERIGO DOS CREMES DENTAIS COM TRICLOSAN – ‘GOLGATE 12′ É UM DESSES!

colgate-01

Publicado em 27 de Agosto de 2014 – São Sebastião do Paraíso – MG

By; Ed. Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista -

Creme dental que contém substâncias que acabam com o sistema endócrino!

Alguns dos mais óbvios, também incluem sabonetes e lenços antibacterianos, mas podemos encontrá-los em tábuas de corte, brinquedos, vestuário, mobiliário doméstico, distribuidores de alimentos para animais, e muito mais. Apesar da utilização generalizada destes produtos químicos, questões preocupantes permanecem sobre os efeitos potencialmente prejudiciais, especialmente para as crianças.

Pesquisas mostram que o ‘triclosan’ pode alterar a regulação hormonal e pode interferir com o desenvolvimento fetal. Estudos em animais também têm levantado preocupações sobre sua capacidade de afetar a fertilidade, e as bactérias expostas ao triclosan pode também tornar-se resistentes aos antibióticos. Tem sido mostrado, que também contribui para o aumento do risco de câncer.

Em suma, enquanto pensamos sobre a desinfecção e higienização do nosso corpo, e a nossa casa, afim de manter a nossa família a salvo de bactérias nocivas potencialmente prejudiciais, podemos realmente estar causando mais mal do que bem a longo prazo.

O Triclosan foi Removido do sabão, mas ainda encontra-se com êxito em pastas de dente.

Três anos atrás, a Colgate-Palmolive responderam as questões de segurança levantado por grupos de consumidores através da remoção de triclosan de seus produtos de sabão, nos EUA. Mas a empresa deixou em sua pasta de dentes, a best-seller, ‘Colgate Total’. (‘Colgate Total 12′  onde é o único creme dental contendo triclosan vendido nos EUA) Mas se o triclosan pode causar sérios problemas de saúde, quando usado topicamente, certamente usá-lo na forma oral, não será seguro!

Há ainda ações judiciais coletivas em curso por pessoas que foram envenenadas por seus cremes dentais. Com cremes dentais contendo triclosan!

Estudos toxicológicos escondido do público.

De acordo com o relatório destaque da Bloomberg, 35 páginas de resumos dos estudos toxicológicos realizados em triclosan, foram inicialmente retidos pela Food and Drug Administration (FDA). Isso tornou-se disponível através de um pedido da Freedom of Information Act do Natural Resources Defense Council (NRDC). Os resumos toxicológicos estão agora disponíveis no website da FDA. Link abaixo. 

Um ponto crucial que tem sido observado antes é que o FDA se baseava em ciência-backed empresa, para “provar” que um medicamento ou produto é seguro e eficaz. Isso apesar do fato de que a pesquisa financiada pela indústria quase nunca é imparcial, graças a conflitos de interesses óbvios e maciços.

Muitas pessoas ainda não levam isso em consideração, eles acreditam que o “FDA aprovado” significa que a FDA tenha realizado algum tipo de estudo científico independente. Mas não tem!

Na melhor das hipóteses, a FDA examina cuidadosamente a pesquisa apresentada, mas não há muito espaço para cherry-picking e outras estratégias que podem distorcer o perfil de segurança. De acordo com o relatório apresentado:

“As páginas recentemente lançado, tiradas ao lado de novas pesquisas sobre o triclosan, levantam questões sobre se a agência fez a devida diligência na aprovação total, há 17 anos, e se a sua aprovação devem ficar à luz de novas pesquisas, disse 3 cientistas que revisaram as páginas a pedido da Bloomberg News. “

O Triclosan é um dos desreguladores endócrinos mais prevalente no Mercado!

Por exemplo, alguns estudos em animais mostraram que o triclosan causou malformações ósseas fetais em ratos e camundongos. A Colgate afirmou que os resultados eram irrelevantes!  Mas a má deformações ósseas podem sugerir efeitos hormonais, afetando o sistema endócrino. Desreguladores endócrinos são uma preocupação séria, como eles podem promover uma grande variedade de problemas de saúde, incluindo: mama, ovário policístico, câncer testicular e de próstata, bebês prematuros e de baixo peso ao nascimento, puberdade precoce em meninas, e testículos que não desceram em meninos.

De acordo com Thomas Zoeller, professor de biologia da Universidade de Massachusetts Amherst, que é especializada, em como os produtos químicos afetam o sistema endócrino, segundoe ele, existem cerca de 800-1.000 desreguladores endócrinos no mercado. Mas triclosan é um dos top 10 usado em uma base regular pela maioria das pessoas. Subsequentemente, a remoção de triclosan pode ter um impacto muito maior do que a remoção de outros produtos químicos.

Outros produtos químicos desinfetantes que podem causar mais danos que benefícios.

Um artigo recente no American Scientific também discute uma nova pesquisa mostrando, que outros desinfetantes domésticos comuns que temos hoje em cozinhas e lavanderias, produzem efeitos adversos à saúde também. O estudo, publicado na Reproductive Toxicology, avaliou a toxicidade reprodutiva do cloreto de alquil benzil amônio (ADBAC) e didecil dimetil amónio (DDAC).

Estes dois desinfetantes são comumente encontrados em produtos desinfetantes comerciais e residenciais. (Estes produtos químicos ‘quaternário’ são comumente referidos como “quats”.) Ratos expostos a esses produtos químicos levaram mais tempo para engravidar e teve ninhadas menores. Eles também tinham mais abortos e fetos mais dificuldades. 40% das fêmeas expostas morreram de dificuldades em partos. De acordo com os autores:

“Os resultados sugerem que compostos de amônio quaternário afetam tanto a habilidade materna de atingir e manter a gravidez, e o desenvolvimento do feto … A exposição a longo prazo, e diminuição da fertilidade, fecundidade e mortalidade são causados ​​de forma dependente da dose.

Problemas de segurança são frequentemente encontrados por acaso.

Uma nota interessante aqui é a história por trás de como os investigadores foram levados a investigar esses produtos químicos (ADBAC e DDAC) em primeiro lugar. De acordo com a Scientific American:

O Triclosan pode afetar a função da tireóide!

Como observado pelo professor Caren Helbing Ph.D. da Universidade de Victoria, no Canadá, a estrutura química do triclosan é semelhante aos hormônios tireoidianos e bifenils policlorados (PCBs). Esta semelhança permite anexar a receptores hormonais. A pesquisa de Helbing mostra que os ‘girinos’ expostos ao triclosan sofreram desenvolvimento e pernas raquíticas com deformações. O processo metamórfico destas rãs, sofrem mediada por hormônios da tireoide. Seus resultados foram publicados no Journal of Aquatic Toxicology em 2006, e concluiu que: “. A exposição a baixos níveis de triclosan interrompe a expressão gênica associada ao hormônio da tireoide, e pode alterar a taxa dos hormônios da tireoide, mediada ao hormônio de desenvolvimento pós-embrionário de anuros”

Enquanto Colgate cita um Cochrane Review, como elementos de prova para a segurança e eficácia da Colgate Total, a revisão em questão focada na eficácia do creme dental no combate ao sangramento nas gengivas e inflamação, não se mostra segurança a longo prazo … A revisão, que abrangeu mais de 30 estudos publicados entre 1990-2012, encontrou “evidências de qualidade moderada” que a Colgate Total é mais eficaz do que outras pastas dentífricas com respeito a reduzir o sangramento da gengiva, e inflamação, mas o autores, Philip Riley e Thomas Lamont, observaram que os estudos não mostram qualquer os efeitos nefastos a longo prazo.

Substâncias bactericidas encontrados na urina das mulheres grávidas e recém-nascidos’

Em um estudo recente, mostrou traços de triclosan, triclocarban, e butil parabenos, que foram encontrados na urina de mulheres grávidas e no sangue do cordão umbilical de recém-nascidos. As mulheres no estudo eram todos residentes de Brooklyn, Nova York. Isso demonstra que todos os dias, a exposição do mundo real para esses produtos químicos é realmente onipresente. Chocante, o triclosan foi detectado em 100% de todas as amostras de urina, e 51% em amostras de sangue do cordão umbilical. Triclocarban foi detectada em 87% das amostras de urina, e de 23% em amostras de sangue do cordão umbilical.

E, conforme relatado pelo The Atlantic “..Em outro estudo ainda inédito, os pesquisadores descobriram que todas as amostras de sangue do cordão umbilical contém ‘pelo menos um parabeno,’ de acordo com o Dr. Rolf Halden, diretor do Centro de ASU, para a Segurança Ambiental os “Ésteres Paraben” também foram encontrados em 99% em amostras de tecido de câncer de mama, o que sugere uma forte relação entre o desenvolvimento do câncer de mamam e outros.

Para piorar as coisas é que há muito pouca evidência de que produtos antibacterianos vai realmente ajudá-lo a evitar a doença. Então, você está se expondo a esses produtos químicos nocivos, sem qualquer razão … Mais recentemente, um estudo randomizado que investigou a efetividade de higienizadores de mãos em um ambiente escolar, descobriu que eles “não previnem a doenças de gravidade alguma”.
Outros Pasta de dente Chemicals ter cuidado com a

Há também outros produtos químicos do creme dental que pode fazer mais mal do que bem. O flúor é um exemplo óbvio que eu escrevi baseado em artigos do Dr. Mercola. Mas muitos cremes dentais também contêm surfactantes, como sulfato de sódio, lauril sulfato de sódio (SLS) ou sulfato de sódio lauril éter (SLES). Os surfactantes são substâncias químicas responsáveis ​​pela ação de formação de espuma do creme dental. Mas esses produtos químicos também podem interferir com o funcionamento do seu paladar. Como observado em um artigo anterior do ‘Lifehacker’, suprimem os receptores gustativos responsáveis ​​pela degustação das notas doces. Como se observa no artigo, eles também “quebram os fosfolipídios na nossa língua! Estas moléculas de gordura inibem nossos receptores de amargura, e quando eles são discriminados pelos surfactantes na pasta de dentes, o gosto amargo fica reforçado.”

Manter você e sua casa limpa, com segurança.

Eu encorajo a abandonar todos os seus desinfetantes químicos, incluindo os sabonetes antibacterianos, detergentes para a roupa e banho, cozinha e produtos de limpeza, em favor de alternativas mais naturais e que verdadeiramente são eficazes. Nenhum estudo tem mostrado que um programa vigoroso, de desinfecção de lar com os produtos comerciais, leva a uma redução de doença em uma família! Eles, no entanto mostram que desinfetantes comerciais podem causar danos!

Para aqueles momentos em que você precisa fazer um pouco de limpeza, um dos melhores desinfetantes não tóxicos é um sabão neutro e água morna. Você pode usar isso para lavar as mãos, o seu corpo e a limpeza doméstica. Outro produto de limpeza para todos os fins, que funciona muito bem para balcões de cozinha, tábuas de corte, e casas de banho, banheiros e outros é usar, peróxido de hidrogênio a 3% (água oxigenada) e vinagre. Basta colocar cada um dos líquidos dentro de uma garrafa de pulverização separados, em seguida pulverizar a superfície.

Em testes executados no Virginia Polytechnic Institute and State University, unindo as duas névoas mataram praticamente  toda a Salmonella, Shigella e E. coli, bactérias em alimentos e superfícies altamente tóxicas, quando utilizado estas forma de limpeza, é uma combinação de pulverização mais eficaz em matar estes micro-organismos potencialmente letais, do que usar a lixívia de cloro ou qualquer produto de limpeza de cozinha disponíveis no mercado. Os melhores resultados vieram com uma névoa, um após o outro ou seja, ( separados) e foi demonstrado ser 10 vezes mais eficaz, do que a mistura do peróxido de hidrogênio em vinagre e um pulverizador.

O óleo de coco também tem propriedades desinfetantes potentes, e pode ser usado para desinfetar tábuas de corte de madeira. A luz solar é outro poderoso desinfetante, e secar a roupa ao sol é uma das melhores maneiras de economizar energia e acabam com lençóis limpos, frescos e roupas. Verdadeiramente, não há necessidade de expor a sua família para desinfetantes químicos perigosos.

—————————————————————————

Referências:

Texto – Fonte Dr. Mercola. 

          1 Forthepeople.com

CHÁ VERDE (EGCG) É ESSENCIAL NO TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE ALZHEIMER E PARKINSON

Em 25 de agosto de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista

suco-energizante-com-chá-verde_16714_36493

O chá verde é conhecido por sua defesa contra algumas das doenças mais comuns e mortais, incluindo, doença cardiovascular, resistência à insulina, obesidade, doenças autoimunes, e câncer (QJM. 2001 May; 94(5):277-82.; JAMA. 2006 Sep 13; 296(10):1255-65.; Eur J Nutr. 2004 Apr; 43(2):116-24.; J Biochem Mol Biol. 2006 May 31; 39(3):229-39. Invest New Drugs. 2010 Aug; 28(4):466-71).

Estudos recentes descobriram um dos benefícios mais surpreendentes do chá verde: seu potencial para prevenir e possivelmente reverter os efeitos da doença de Alzheimer e outras formas de demência (Proc Natl Acad Sci USA. 2013 Mar 5; 110(10):3743-8; J Biol Chem. 2013 Mar 29; 288(13):8935-51.; Mol Nutr Food Res. 2012 Aug;56(8):1292-303.; Am J Clin Nutr. 2012 Mar; 95(3):732-9.; Eur J Clin Nutr. 2012 Nov;66(11):1187-92.).

A doença de Alzheimer ocorre com a morte de células cerebrais causada parcialmente pelo acúmulo de fragmentos da proteína tóxica chamada beta-amilóide.

O chá verde chega à raiz da doença de Alzheimer através de 3 mecanismos distintos: prevenir a formação de placas amilóides, quebrando as placas existentes, e criando novos neurônios críticos no cérebro.

O consumo de chá verde foi agora associado com uma redução de 54% no risco do desenvolvimento de declínio cognitivo (demência) – Am J Clin Nutr. 2006 Feb;83(2):355-61.

E agora, em um desenvolvimento muito interessante, os cientistas tem usado a digitalização de neuroimagem, pela primeira vez em uma clínica humana, para demonstrar que o extrato de chá verde aumenta a atividade em uma área do cérebro usada especificamente para trabalhar a memória. - Eur J Clin Nutr. 2012 Nov;66(11):1187-92.

Há previsão que irá triplicar o número de pessoas com demência até 2050. (Alzheimer’s Disease International. World Alzheimer Report 2013. Journey of Caring: An analysis of long-term care for dementia. Accessed May 23, 2014.)

Alzheimer é uma doença cerebral neurodegenerativa progressiva e devastadora. É causada pela proteína beta-amilóide que é formada lentamente no cérebro. Estas placas causam danos e perda de neurônios. Privando o suprimento de oxigênio, as células cerebrais começam a morrer. O resultado é a perda de memória, fala, habilidades motoras diminuídas e finalmente a morte.

Com isso, os cientistas continuam buscando intervenções que combatam a raiz da doença: inibindo a formação e acumulação de placas amilóides e impedido-as de sua toxidade. Os cientistas descobriram que o chá verde tem as três ações distintas que reduzem a neurodegeneração e protegem contra o Alzheimer:

1. prevenção da formação de placas amilóides - J Neurosci. 2005 Sep 21;25(38):8807-14.

2. quebra de placas amilóides já existentesProc Natl Acad Sci USA. 2013 Mar 5; 110(10):3743-8.

3. Promove a produção de novos neurônios (neurogênese) no hipocampo do adulto, área responsável pela conversão de memórias de curto e longo prazosCurr Neuro Neurosci Rep. 2005;5:249–56.

Chá verde contém catequinas, que tem potente efeito neuroprotetor – Eur J Epidemiol. 2000;16:357-63. De forma mais específica, o chá verde possui a catequina EGCG (epigalocatequina-3-galato) que foi verificada em diminuir deficiências cognitivas induzidas por estresse psicológico em pesquisas com ratos. Brain Res Bull 2003;61:399-406. Além disso, EGCG foi demonstrado em atravessar a barreira hematoencefálica (sangue-cérebro) em mamíferos – Eur J Neurosci. 2006;23:55-64.

As catequinas do chá verde exibiram importante função ‘ferro-quelante’, eliminando radicais livres e ações antiinflamatórias. Neurosignals. 2005;14:46-60. Apresentaram efeitos neuroprotetores em doença de Parkinson e AlzheimerJ Nutr Biochem. 2004 Sep;15(9):506-16.

Chá verde chega à raiz da doença de Alzheimer

Um estudo indica que EGCG fornece neurônios com forte proteção contra os prejuízos cognitivos e de memória associados ao envelhecimento.

No final de 2013, pesquisadores chineses relataram na Revista Neurobiology Molecular, um experimento concentrando-se sobre os efeitos do EGCG na placa amilóide – Mol Neurobiol. Epub 2013 Dec 20.

Verificaram que EGCG melhorou a aprendizagem, reduziu a morte dos neuronios cerebrais, e com importante redução da neurodegeneração do hipocampo depois de 4 semanas. Verificaram ainda que EGCG diminiu drasticamente os níveis da proteína amilóide e com forte redução do acúmulo das placas de amilóide no hipocampo.

Mas, pesquisadores chineses colocaram uma outra questão extremamente importante: Se EGCG pode impedir mudanças associadas com a morte de neurônios do hipocampo no desenvolvimento da doença de Alzheimer, podem também desencadear a produção de novos neuronios no hipocampo com o fim de reverter os efeitos desta doença? Surpreendentemente, a resposta é sim.

EGCG estimula a produção de células progenitoras neurais, que são células do cérebro que podem transformar-se em vários tipos de células neurais - Mol Nutr Food Res. 2012 Aug;56(8):1292-303.; Nat Biotechnol . 2001 Dec;19(12):1134-40. O que é notável é que EGCG promove a produção de novos neurônios na mesma área do cérebro em que neurônios são mortos durante o desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Analisando todos estes estudos científicos em conjunto, não me resta dúvida dos benefícios do chá verde para a saúde cerebral em diversos aspectos, beneficiando pacientes com doenças neurogenerativas em geral, e em especial, pacientes com Alzheimer e Parkinson.

Todavia, a dosagem do extrato de chá verde é analisado individualmente. O mais importante neste processo é exatamente a correta dosagem, caso contrário, os benefícios não serão sentidos. Procure um nutricionista funcional ou médico de sua confiança, e não faça suplementação sem orientação profissional.

Lifeextension.com

Óleo de coco pode tratar o Mal de Alzheimer, segundo o médico Dr. Wilson Rondó

 

Para quem deseja aprofundar no assunto, sugiro que leia matéria abaixo do médico Dr. Joseph Mercola:

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/12/13/can-this-natural-food-cure-or-prevent-alzheimers.aspx

Uso prolongado de hormônios da tireoide aumenta em 200% o risco de câncer de mama, diz estudo.

Em 16 de agosto de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

cancer-de-mama

“Há uma associação entre o uso em longo prazo de hormônios da tireoide e câncer de mama. Um estudo verificou um aumento de 200% do risco de câncer de mama em mulheres que tomam hormônio da tireoide por pelo menos 15 anos, em comparação com mulheres que não tomam hormônios da tireoide. Como isso é possível? A resposta é simples: o aumento do risco de câncer de mama em mulheres que usam hormônios da tireoide é devido à deficiência de iodo. Se a maioria das mulheres estavam deficientes de iodo, e em seguida, tomam hormônios da tireoide, este tratamento está errado! A suplementação de hormônios da tireoide aumentam as necessidades metabólicas do corpo, e portanto, aumenta a necessidade do corpo por iodo. Se alguém que é deficiente de iodo e lhe é receitado hormônio da tireoide, o uso de hormônios irá agravar o problema por deficiência de iodo. Como já afirmei em meus livros e boletins, eu acredito que a deficiência de iodo pode ser responsável entre um a cada sete mulheres americanas que estão sofrendo com câncer de mama.

Qual é a solução? Se lhe for prescrito hormônio da tireoide, verifique seus níveis de iodo. Se estiver deficiente de iodo, tome iodo simultaneamente com o hormônio da tireoide. O iodo é necessário para o tecido mamário manter sua arquietetura normal, livre de cistos, nódulos e câncer.”

*Dr. David Brownsteinmédico norte-americano, autor do livro ‘Iodine: Why You Need It, Why You Can’t Live Without It’ (Iodo: por que você precisa e por que não pode viver sem), é graduado pela Universidade de Michigan e Wayne State University School of Medicine. É professor clínico de Medicina da Wayne State University School of Medicine. É membro da Academia de Médicos de Família, da Academia Americana de Medicina Preventiva e da Sociedade de Acupuntura de Michigan e da Academia Americana de Acupuntura Médica.

Referência científica:

JAMA. 9.6.1976. Vol. 236, N. 10. 1124

Fonte:

http://blog.drbrownstein.com/taking-thyroid-hormone-increases-breast-cancer-risk-by-200/

HOMOCISTEÍNA E DOENÇA CARDÍACA!

Publicado em 10 de agosto de 2014 – São Sebastião do Paraíso – MG

homocisteina

Para uma orientação expressa – envie email para;  juliocaleiro@hotmail.com

By Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista

A homocisteína, substância responsável pela a aterosclerose (entupimento de artérias do coração e outras), que também está intimamente ligado ao Alzheimer, não é sintetizada pelo o que você se alimenta, como provavelmente lhe informaram em uma consulta médica ou nutricional! Talvez disseram até para você evitar ovos, gorduras saturadas etc.. (se é que recomendaram); na prática esta orientação não serve para nada, sob a finalidade de baixar a homocisteína no sangue. A homocisteína não é elevada pelo o que você come, e sim, por aquilo que você NÃO alimenta ! Uma dieta rica em vitaminas hidrossolúveis e suplementação específica, é o melhor caminho para baixar a homocisteína no sangue, e esta substância e extremamente perigosa! Em exames de rotina solicite sempre a homocisteína para avaliar possíveis riscos de doenças cardíacas, principalmente sob histórico de doença cardíaca familiar.

————————————————————
Referências:
NutraIngredients.com April 2, 2009
Pharmacogenetics and Genomics In press “The effects of vitamin supplementation and MTHFR (C677T) genotype on homocysteine-lowering and migraine disability”

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 121 outros seguidores