Início » Artigos publicados por Dr. Júlio Caleiro (Página 4)

Arquivo do autor:Dr. Júlio Caleiro

MSM pode reduzir, em mais de 80%, a dor em pacientes com artrite!

 Em 07 de agosto de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

dor-no-ombro-dor-artrite-dor-artrite_149945

MSM(metil-sulfonil-metano) também conhecido como dimetil-sulfona, é um composto de enxofre que ocorre naturalmente no corpo, encontrados nas dietas humanas e nas de praticamente todos os outros animais vertebrados. A sua fórmula químicaé (CH3) 2SO2. É classificada como uma das substâncias menos tóxicas na biologia.

Alguns químicos tem sugerido que o MSM e seus compostos relacionados, DMSO (dimetilsulfóxido) e DMS( dimetilssulfeto) fornecem a fonte de 85% de compostos de enxofre em todos os organismos vivos. Estes compostos que estão presentes nos oceanos, e por reações enzimáticas, são entregues ao solo/terra através da chuva. As plantas absorvem tanto o MSM quanto o DMSO (que são solúveis em água), os quais servem de alimentos para os animais, que ficam suficientes de enxofre. MSM foi encontrado, por exemplo, no sangue e nas glândulas supra-renais de vacas.

MSM ocorre naturalmente no corpo humano, como resultado dos alimentos que comemos. É um componente normal de frutas frescas, legumes, frutos do mar e carnes. Alguns estudos sugerem que há uma concentração mínima de MSM, que deve ser mantida no corpo para preservar a função e estrutura normais. Com a idade, o MSM tende a diminuir sua concentração no corpo.

Estudos usando MSM mostraram que após a ingestão, MSM dá seu enxofre às proteínas/aminoácidos essenciais como metionina e cisteína, e que com isso, foram corretamente direcionadas para o colágeno da pele, articulações e vasos sanguíneos. Foi também incorporado na queratina do cabelo e das unhas.

Em estudos da Oregon Health Sciences University observou alguns dos benefícios do MSM para a saúde humana:

1. Resposta alérgica a pólens e alimentos é fortemente diminuída/restringida. As medicações para alergias podem ser reduzidas ou até eliminadas, após o uso de MSM.

2. Controle da hiperacidez.

3. Alívio da constipação. Pacientes com constipação crônica tiveram alívio imediato com suplemento diário de MSM.

Estudo feito em Ohio State University College of Medicine mostrou que MSM pode proteger ratos contra o aparecimento de câncer de mama e cólon.

Pesquisadores da Oregon Health Sciences University estudaram uma linhagem de camundongos que estavam propensos ao desenvolvimento espontâneo de lesões articulares semelhantes aos da artrite reumatóide. Eles descobriram que os animais alimentados com uma dieta que incluía uma solução a 3% de MSM, em água potável a partir da idade de dois meses até a idade de cinco meses, não sofreram degeneração da cartilagem articular. No grupo de ratos que receberam apenas água da torneira (grupo controle), 50% dos animais foram encontrados a ter degeneração focal da cartilagem articular.

Finalmente, a recente pesquisa da Escola de Medicina da UCLA, com humanos, encontraram uma redução de 82% na dor após seis semanas de uso oral MSM em um estudo duplo-cego sobre a artrite degenerativa. O estudo durou quatro meses e envolveu dezesseis pacientes: dez pacientes utilizando MSM e seis paciente placebo. Após seis semanas, os pacientes que utilizam o MSM experimentaram redução da dor acima de80%, enquanto os do placebo, apresentaram, em média, uma melhoria de 18%, em seis semanas.

Referências científicas:

  • Crown-Zellerbach Corp., Toxicity bulletin 1983.
  • Herschler, R. J., U.S. Patent No. 4,973,605, Nov. 27, 1990.
  • Istituto di Ricerche Biomediche, RBM EXP., No. 980174, Aug. 19, 1998.
  • Jacob, J.W. and Herschler, R., Ann. N.Y. Acad. Sci., Vol. 411, xiii, 1983.
  • Jacob, S.W., Oregon Health Sciences University, Portland, Oregon, personal communication.
  • Lawrence, R. M., U.C.L.A. School of Medicine, Methyl-Sulfonyl-Methane, A Preliminary Correspondence.
  • Lovelock, J.E. et al., Nature, Vol. 237, 452, 1972.
  • McCabe, D. et al., Arch. Surg., Vol. 121, 1455, 1986.
  • Morton, J. I. & Moore, R. D., Federation of American Societies for Experimental Biology, 69th Annual Meeting, April 21-26, 1985, 692, 1985.
  • O’Dwyer, P.J. et al., Cancer, Vol. 62, 944, 1988.
  • Richmond, V. L., J. Nutrition, Vol. 116, No. 6, June 1986.
  • Williams, K.I.H. et al., Arch. Biochem. Biophys., Vol. 113, 251, 1966.
  • Williams, K.I.H. et al., Proc. Exp. Biol. & Med., Vol. 122, 865, 1966.

600.000 casos de câncer de mama e colorretal poderiam ser evitados a cada ano!

Em 01 de agosto de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

21183cancer

Dos nossos 25.000 genes, cerca de 3.000 genes são regulados ou controlados pela vitamina D. [1]Logo, fica muito simples, desde já, compreender  a importância desta vitamina. Mais de 800 estudos mostrando a eficácia da vitamina D contra o câncer. Otimizando os níveis de vitamina D pode literalmente eliminar o risco de vários tipos de câncer em 50%.

 Além disso, adultos e idosos com níveis elevados de vitamina D reduzem suas chances de desenvolver uma doença cardíaca ou diabetes em 43%.

Como a vitamina D fazer o que faz?

A vitamina D é realmente um “hormônio”, que o seu corpo produz a partir do colesterol. Por se tratar de um hormônio, a vitamina D influencia todo o seu corpo. Os receptores que respondem a vitamina foram encontrados em quase todo tipo de célula humana, a partir do seu cérebro até os ossos. O que a ciência moderna agora percebeu é que a vitamina D faz mais que apenas regular a absorção de cálcio e formação óssea, ela está envolvida em várias funções de reparação e manutenção, influencia milhares de genes diferentes, regula o sistema imune e muito mais.

Apenas um exemplo de um gene importante que a vitamina D regula é a sua capacidade de combater infecções, bem como a inflamação crônica. Ela produz mais de 200 peptídeos antimicrobianos, o mais importante dos quais é a catelicidina, um antibiótico de grande eficácia que é produzido naturalmente. Esta é uma das explicações para por que é tão eficaz contra resfriados e gripe.

Além disso, uma vez que a vitamina D também modula a sua resposta imune, que pode impedir uma reação exagerada na forma de inflamação, o que poderia levar a uma variedade de doenças autoimunes, tais como a doença de Crohn, por exemplo.

Você está em deficiência de vitamina D?

A deficiência de vitamina D é uma epidemia crescente em todo o mundo e está por contribuir para muitas doenças debilitantes crônicas. Existem algumas razões para esta tendência.

Em primeiro lugar, a maioria das pessoas gastam muito tempo dentro de casa durante o dia. Além disso, as pessoas são orientadas por ‘expert’ para evitar qualquer exposição ao sol, ou entupir-se de protetor solar sempre que sair de casa. O filtro solar elimina a capacidade do organismo de produzir vitamina D já que bloqueia a radiação UVB, que faz com que sua pele o produza naturalmente. Como resultado, nos Estados Unidos, no final do inverno, a média de vitamina D foi apenas cerca de 15-18 ng/ml, que é considerado um estado de deficiência muito grave. Estudos mostraram que 85% da população dos ESTADOS UNIDOS eram deficientes de vitamina D, algo que com certeza reflete a situação brasileira.

Se os níveis de vitamina D fossem aumentados entre as populações em todo o mundo, estima-se que 600.000 casos de câncer de mama e colorretal poderiam ser evitadas a cada ano, de acordo com pesquisadores do Centro de Cancer de Moores na Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD)[2]. Isso inclui cerca de 150 mil casos de câncer que poderiam ser evitados apenas nos Estados Unidos.Os pesquisadores estimam que 250 mil casos de câncer colorretal e 350 mil casos de câncer de mama poderiam ser evitados em todo o mundo, aumentando a ingestão de vitamina D3, especialmente nos países ao norte do equador.

Segundo o médico Dr. Joseph Mercola: “otimizando seus níveis de vitamina D ajudará a prevenir 16 tipos de câncer, incluindo, pâncreas, pulmão, mama, ovário, próstata e câncer de cólon. Além disso, os ótimos níveis de vitamina D são conhecidos por influenciar positivamente as seguintes condições: doença cardíaca, diabetes, doença inflamatória intestinal, artrite reumatoide, esclerose múltipla, osteoporose.”

Já checou seus níveis de vitamina D? Tem tido esse cuidado essencial para a saúde? Espero que sim!

Referências científicas:

[1][1] Arash Hossein-nezhad, Avrum Spira, Michael F. Holick.Influence of Vitamin D Status and Vitamin D3 Supplementation on Genome Wide Expression of White Blood Cells: A Randomized Double-Blind Clinical TrialPLoS ONE, 2013; 8 (3): e58725 (DOI:10.1371/journal.pone.0058725)

[2] Nutrition Reviews, Volume 65, Supplement 1, August 2007 , pp. 91-95(5)

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2007/09/15/lack-of-sunshine-causes-600-000-cancers-a-year.aspx

L-Arginina beneficia a saúde do coração em vários aspectos

doença-cardíaca

 

Em 25 de julho de 2014, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista.

 

Doença cardíaca é uma das principais causas de morte no mundo. Estudos mostram que L-Arginina ajuda as células endoteliais criarem óxido nítrico suficiente para promover o fluxo de sangue e saúde cardiovascular ideais. É precursor do óxido nítrico. Além disso, L-arginina promove a desintoxicação de amônia do organismo.

Infelizmente, com  a idade a sinalização de óxido nítrico diminui como parte normal do envelhecimento. Se você é um adulto saudável, seu corpo produzirá cerca de 2 à 4 gramas de L-Arginina por dia. A necessidade do seu corpo deste aminoácido pode variar, dependendo de sua saúde geral e uma variedade de fatores, incluindo dieta. A capacidade do corpo produzir L-arginina diminui com a idade, até mesmo logo após os 30 anos de idade. No momento em que se atinge 50 anos de idade, se você um típico adulto saudável, você já estará com uma grande deficiência, e a dieta torna-se ainda mais importante.

A pesquisa científica está repeleta de estudos que comprovam os benefícios da L-arginina para a saúde cardiovascular, em quase todos os ângulos. Vejamos alguns:

  1. Ajuda relaxar os vasos sanguíneos, promovendo um fluxo de sangue ideal - Altern Med Rev. 2005 Mar;10(1):14-23.
  2. Tem efeito protetor na hipercolesterolemia. – Indian Pacing Electrophysiol J. 2009;9(1):45-52
  3. Mantém a pressão arterial em níveis ideais. - Altern Med Rev. 2006 Mar;11(1):23-9.
  4. Melhora a recuperação após cirurgia de ponte de safena. Metabolism. 2009 Sep;58(9):1270-6
  5. Reduz o risco de doença arterial coronariana. J Med. 1999;30(3-4):131-48
  6. Previne da aterosclerose. Int J Cardiol. 2007 Apr 4;116(3):300-8
  7. Trata insuficiência cardíaca.Cardiol J. 2010;17(5):464-70
  8. Beneficia pacientes com desordens de isquemia do miocárdio. Indian J Biochem Biophys. 2009 Dec;46(6):498-502
  9. Ação protetora em pacientes com angina instável e após enfarte do miocárdio. Oxid Med Cell Longev. 2009 Sep-Oct;2(4):231-7
  10. Melhora recuperação após o transplante de coração. Am J Clin Nutr. 2010 May;91(5):1261-7.
  11. Auxiliador importante no tratamento de hipertensão pulmonar hipóxica. Am J Physiol Lung Cell Mol Physiol. 2009 Jun;296(6):L1042-50.
  12. Reduz o risco cardíaco de contraceptivos orais. Gynecol Endocrinol. 2010 Dec;26(12):861-8 

*Todas as referências científicas estão citadas no corpo do texto.

Carne de animais que vivem sob confinamento, pode ser muito prejudicial à saúde.

 

By, Ed Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 24de Julho de 2014. – São Sebastião do Paraíso – MG. Brasil.

——————————————————-
No ano passado, usando dados coletados pelo órgão federal chamado NARM (Sistema Nacional de Acompanhamento Resistência Antimicrobiana), o Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) descobriram bactérias resistentes a antibióticos em:

81% peru moído
69% de costeletas de porco
55% de carne moída
39%das peças de frango cru

Apesar dos riscos para a saúde e ambientais bem documentados, a maioria dos consumidores ainda não sabem que 90% de toda a carne de frango e ovos vendidos em os EUA e no mundo vêm de confinamentos (CAFOs) que são hoje um grande gerador de doenças, tanto para os animais quanto para o ser humano.

Hoje, quase 65 bilhões de animais em todo o mundo, incluindo vacas, galinhas e porcos, são amontoados em operações de alimentação de animais sob confinamento, conhecidos como “CAFOs”. Estes animais são presos e torturados em condições de superlotação, insalubres e de cuidados cruéis, o que torna-os praticamente perigosos para nossa alimentação.

Como observado pelo ‘Instituto Cornucópia’, o preço de um (1) frango caiu dramaticamente nas últimas décadas, tornando-se a carne mais barata disponível, como resultad o consumo dobrou desde 1970.
O frango possui uma fonte saudável de alta qualidade nutricional porém como se vê, é praticamente impossível sob produção em massa, ter frangos seguros para alimentação, e que sejam realmente alimentos nutritivos de forma ideal, e por preços baixíssimos! Procure frango criados livremente, se possível sem ração e que se alimenta em pastos livre, o preço será pouco maior, porém a garantia de saúde não tem preço. Frango caipira!

———————————————–

Referência:

Dr Mercola; MD.
Cornucopia Institute July 7, 2014
2 CDC Threat Report 2013 Summary
3 Cornucopia Institute July 7, 2014
4 Food Poisoning Bulleting July 8, 2014
5 Reuters July 9, 2014
6 NPR July 9, 2014
7 Fox News June 17, 2014
8 BBC News June 15, 2014
9 Medicinenet.com July 8, 2014
10 Foodsafetynews.com August 12, 2011
11 Foodsafetynews.com August 12, 2011
12 Realmilk.com July 29, 2012

CARNE DE ANIMAIS EM CONFINAMENTO PODE SER MUITO PREJUDICIAL AO ORGANISMO HUMANO

By, Ed Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista – Publicado em 24 de Julho de 2014. – São Sebastião do Paraíso – MG. Brasil.

——————————————————-
No ano passado, usando dados coletados pelo órgão federal chamado NARM (Sistema Nacional de Acompanhamento Resistência Antimicrobiana), o Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) descobriram bactérias resistentes a antibióticos em:

81% peru moído
69% de costeletas de porco
55% de carne moída
39%das peças de frango cru

Apesar dos riscos para a saúde e ambientais bem documentados, a maioria dos consumidores ainda não sabem que 90% de toda a carne de frango e ovos vendidos em os EUA e no mundo vêm de confinamentos (CAFOs) que são hoje um grande gerador de doenças, tanto para os animais quanto para o ser humano.

Hoje, quase 65 bilhões de animais em todo o mundo, incluindo vacas, galinhas e porcos, são amontoados em operações de alimentação de animais sob confinamento, conhecidos como “CAFOs”. Estes animais são presos e torturados em condições de superlotação, insalubres e de cuidados cruéis, o que torna-os praticamente perigosos para nossa alimentação.

Como observado pelo ‘Instituto Cornucópia’, o preço de um (1) frango caiu dramaticamente nas últimas décadas, tornando-se a carne mais barata disponível, como resultad o consumo dobrou desde 1970.
O frango possui uma fonte saudável de alta qualidade nutricional porém como se vê, é praticamente impossível sob produção em massa, ter frangos seguros para alimentação, e que sejam realmente alimentos nutritivos de forma ideal, e por preços baixíssimos! Procure frango criados livremente, se possível sem ração e que se alimenta em pastos livre, o preço será pouco maior, porém a garantia de saúde não tem preço. Frango caipira!

———————————————–

Referência:

Dr Mercola; MD.
Cornucopia Institute July 7, 2014
2 CDC Threat Report 2013 Summary
3 Cornucopia Institute July 7, 2014
4 Food Poisoning Bulleting July 8, 2014
5 Reuters July 9, 2014
6 NPR July 9, 2014
7 Fox News June 17, 2014
8 BBC News June 15, 2014
9 Medicinenet.com July 8, 2014
10 Foodsafetynews.com August 12, 2011
11 Foodsafetynews.com August 12, 2011
12 Realmilk.com July 29, 2012

LEITE PASTEURIZADO E UHT, VERSUS LEITE CRU, IN NATURA

Publicado em 23 de Julho de 2014 – São Sebastião do Paraíso -MG 

leite

By Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista –  

          Não sou muito fã de leite de vaca, mas na forma in’natura cru, pode ser um alimento quase completo, principalmente para crianças. O grande vilão talvez seja o leite pasteurizado e UHT( caixinha). Por exemplo, o leite cru está carregado com bactérias saudáveis ​​que são boas para o trato gastrointestinal boas quantidades de ômega-3 e pobre em ômega-6, que é a relação benéfica entre estes dois ácidos graxos essenciais. 

          O leite cru é um alimento com mais de 60 enzimas digestivas, possui fatores de crescimento, e as imunoglobulinas (anticorpos). Estas enzimas são destruídas durante a pasteurização ( aquecimento) ou seja o leite pasteurizado e UHT, o que torna muito mais difícil de digestão inclusive. Carregado com vitaminas (A, B, C, D, E e K) em formas altamente disponível o leite cru é possui uma combinação equilibrada de minerais (cálcio, magnésio, fósforo e ferro), cuja absorção é aumentada por lactobacilos vivos. Também é rico em ácido linoleico conjugado (CLA), que combate o câncer e aumenta o colesterol não oxidado saudável. Rico em gorduras benéficas, aminoácidos e proteínas numa forma altamente disponível, todos estes 100% digeríveis, Também contém fosfatase, uma enzima que ajuda e auxilia a absorção de cálcio nos ossos, e a enzima lipase que contribui para hidrolisar e absorver gorduras. A pasteurização do leite, por outro lado, destrói enzimas, reduz vitaminas, desnatura as proteínas do leite, destrói a vitamina B12 ativa e vitamina B6, mata as bactérias benéficas e efetivamente promove agentes patogênicos. Viva o LEITE CRU!
—————————————————————
Referências:
Modern Farmer March 25, 2014
2 Milkmaps.com
3 RealMilk.com
4 Medicinenet.com July 8, 2014
5 Foodsafetynews.com August 12, 2011
6 Foodsafetynews.com August 12, 2011
7 Realmilk.com July 29, 2012

LEITE PASTEURIZADO E UHT, VERSUS LEITE CRU IN’NATURA

Publicado em 23 de Julho de 2014 – São Sebastião do Paraíso -MG

leite

By Dr. Júlio Caleiro – Nutricionista -

Não sou muito fã de leite de vaca, mas na forma in’natura cru, pode ser um alimento quase completo, principalmente para crianças. O grande vilão talvez seja o leite pasteurizado e UHT( caixinha). Por exemplo, o leite cru está carregado com bactérias saudáveis ​​que são boas para o trato gastrointestinal boas quantidades de ômega-3 e pobre em ômega-6, que é a relação benéfica entre estes dois ácidos graxos essenciais.

O leite cru é um alimento com mais de 60 enzimas digestivas, possui fatores de crescimento, e as imunoglobulinas (anticorpos). Estas enzimas são destruídas durante a pasteurização ( aquecimento) ou seja o leite pasteurizado e UHT, o que torna muito mais difícil de digestão inclusive. Carregado com vitaminas (A, B, C, D, E e K) em formas altamente disponível o leite cru é possui uma combinação equilibrada de minerais (cálcio, magnésio, fósforo e ferro), cuja absorção é aumentada por lactobacilos vivos. Também é rico em ácido linoleico conjugado (CLA), que combate o câncer e aumenta o colesterol não oxidado saudável. Rico em gorduras benéficas, aminoácidos e proteínas numa forma altamente disponível, todos estes 100% digeríveis, Também contém fosfatase, uma enzima que ajuda e auxilia a absorção de cálcio nos ossos, e a enzima lipase que contribui para hidrolisar e absorver gorduras. A pasteurização do leite, por outro lado, destrói enzimas, reduz vitaminas, desnatura as proteínas do leite, destrói a vitamina B12 ativa e vitamina B6, mata as bactérias benéficas e efetivamente promove agentes patogênicos. Viva o LEITE CRU!
—————————————————————
Referências:
Modern Farmer March 25, 2014
2 Milkmaps.com
3 RealMilk.com
4 Medicinenet.com July 8, 2014
5 Foodsafetynews.com August 12, 2011
6 Foodsafetynews.com August 12, 2011
7 Realmilk.com July 29, 2012

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 115 outros seguidores